Final de ano, e escrevendo o último post desse ano, sobre animação, para o Chocottone, e o filme escolhido dessa vez foi “A Morte do Superman” (Superman / Doomsday).

Quando soube dessa animação, me lembrei na hora da mini-série em HQ que foi um marco nas aventuras do Homem-de-Aço, que quem não leu, recomendo muito. É realmente impressionante. Devido a isso, fiquei extremamente curioso para saber como séria o resultado animado da adaptção desse best-seller de mesmo nome.

Trecho referente a sequência da HQ do ataque ao caminhão de combustível.

Tanto na HQ como no longa animado, surge na Terra um ser que parece ser industrível, porém são introduzidos de maneiras diferentes na trama. Enquanto que na HQ esse monstro disperta, na animação, a LexCorp durante uma escavação encontra o receptáculo que a criatura estava presa, e acaba rompendo-o. Lex Luthor, que acompanhava tudo a distância, assiste pela câmera, todos os operários sendo mortos pela criatura, que após a carnifícina parte rumo a Metrópolis.

Enquanto isso, Superman esta na Fortaleza da Solidão com Lois Lane, onde começam a ter uma discussão de relacionamento, pois ela insiste em saber sua identidade secreta, visto que já estão a 6 meses juntos. Porém, quando ele resolve contar, é comunicado que a criatura está devastando tudo em seu caminho, e nesse momento é explicado o que é esse ser. Algo que nas HQs, só viemos a saber muito tempo depois noutras edições.

Os fatos se desenvolvem numa dinâmica mais rápida do que nos quadrinhos, onde pouco antes da metade do filme, já temos o confronto entre Superman e Doomsday. A cena em que ele morre é tão tocante quanto na HQ… Impressionante é ver isso pois como representar em mídias diferentes algo que tenha o mesmo significado emotivo. Enquanto nos quadrinhos tivemos muitos amigos que preceisariam a cena, a narrativa, aqui temos a música que faz esse papel. A segunda parte do filme envolve as edições referentes ao “Retorno do Superman”, porém totalmente diferente, o que acaba agregando aos fãs por ser uma mesma história numa versão nova.




Quando comecei a assistir o filme, uma das situações que me preocupava era sobre como iriam dosar a violência presenta nas HQs, o desenho mesmo não se enquadra tanto numa categoria muito infatil por isso, ele tem as cenas de luta e morte não tão explicitas como nos quadrinhos, o que é uma das características do Doomsday que extermina vidas sem piedade. Mas para lidar com isso, o filme segue muito os estudos de roteiro em que deixam o expectador a deduzir a continuidade daquela cena, ou o que não esta sendo visto, mas acontecendo, como quando ele tenta tirar um implante do cerébro. As vezes esse recurso é muito mais impactante do que exposto realmente.



Durante os Extras, é interesante ver os comentários da equipe envolvida na produção de “A Morte de Superman” pois tiveram uma responsabilidade grande nessa transcrição de obra, pois analisaram as HQs, séries antigas, justamente para colocarem as devidas personalidades nos personagens presentes. Ah sempre uma grande preocupação com esse tipo de trabalho, se ficara coerente a obra original, e é algo que sempre me incomoda, pelos comentários “Ah, ficou diferente do livro, porque não fizeram igual?” é algo que as vezes penso que chega a ter um contra-senso, se eu quisesse ver como era na HQ, leria a HQ. É necessario uma adaptação, como quando Doomsday se aproxima de Metrópolis ele confronta heróis da Liga, algo que não acontece no filme por motivos de tempo de produção, custo, desenvolvimento da narrativa… Enfim, de qualquer forma, essa versão para esse assunto que foi um tanto quanto polêmico, é muito boa e vale a pena ser conferida.

Figuras de ação referente aos personagens do longa metragem.

Bom, como de prachê, final de ano aproveitamos para realizar reflexões e torcer para um ano melhor. No filme não tem, mas na HQ ao final do retorno, o Superman na última pagina pensa sobre a importância de viver cada momento, pois até mesmo ele que é SUPER, acabou sendo derrotado, e que as vezes de uma hora para a outra tudo pode mudar. Cabe a nós nos dedicarmos para sermos melhores e não apenas esperar algo diferente. E como falei com a Chell, agradeço a oportunidade que tive de participar ao longo desse ano no Chocottone, compartilhando de algo que sempre gostei bastante que são animações em geral. Ano que vem tem mais.


Por hoje é só pessoal, feliz 2012.
Ateh o/

Você também pode gostar desses

3 Comments on A Morte do Superman (2007)

  1. Eu li a HQ e assisti a animação. apesar de não a animação não ter ficado fiel, ficou muito boa1. Aliás: quase todas as novas animações da DC estão muito boas!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *