Bom, como umas semanas atrás fiquei devendo uma sugestão de filme, vamos aproveitar o feriado para colocar tudo em ordem. Então para o Dia da Independência, deixamos a sugestão de um clássico bem old school de Walt Disney, esse vai para aqueles que curtem uns bichanos de animais de estimação, a sugestão de hoje é “Aristogatas”.


Se passando na Paris do início do século passado, em 1910, conhecemos a personagem Duquesa, uma gata refinada que tem seus 3 filhotes Marie, Toulouse e Berlioz. Todos vivem numa bela casa de Madame, seu modormo Edgar e também a égua Fru-Fru e o simpático ratinho Roquefort. Na casa, os felinos recebem um tratamento aristocratico, que é o que intitula o filme, extremamente super cuidados. Devido a isso, durante a visita do advogado da Madame, ela resolve preparar seu testamento deixando todos seus bens e fortuna para os bichanos, fato que faz com que o Edgar se revolte e crie um plano ardiloso para se livrar dos animais de estimação de sua patroa.


Na mesma noite, ele serve no jantar dos gatinhos diversos comprimidos para dormir, e após caírem no sono, leva todos para fora dos arredores da cidade luz. Porém, durante a aplicação de seu plano, ele acaba tendo problemas ao encontrar a dupla de cachorros Napoleon (que possuí uma audição extremamente aguçada) e Lafayette, o qual é mais atrapalhado. Assim, o cesto que estavam os felinos  acaba caíndo próximo a um rio e se perdendo.


No dia seguinte, Duquesa conhece o gato vira-latas, e galanteador, Thomas O’Malley, que em primeiro momento tenta seduzir a bela felina, mas se assusta ao ver os filhotes. Contudo, resolve ajuda-los a voltarem para casa. Ao longo de seu caminho, conhecem diversos outros personagens, como as gêmeas gansas, e a tupre de gatos pilantras que tocam uma das músicas mais legais da trilha sonora “Everybody WantsTo Be A Cat”.


Em Aristogatas, vemos muito do início das produções animadas, em diversas sequências é possível ver os traços esboçados dos personagens, quando ainda era trabalhoso realizar o clean-up, após a finalização. Os cenários, coloridos ainda manualmente, se diferenciam bem dos personagens em movimento, como realmente deve ser um desenho animado. Apesar de ter um ar de “A Dama e o Vagabundo”, o longa metragem foi muito bem recebido na Europa, principalmente, na França. O ritmo do filme é um pouco parado até a sequência do sequestro, depois tem outra dinâmica, e as músicas compostas com uma graça francesa deixam muito bonito o conjunto apresentado. Sendo o último trabalho do músico Maurice Chevalier, o qual já havia se aposentado, mas ao ouvir a demo enviada por Robert & Richard Sherman, aceitou fazer mais esse trabalho pra música tema do filme.
Não apenas isso, vale ressaltar a participação da atriz Eva Gabor, na voz da gata Duquesa, e dentre os extras, a apresentação de fotos do co-diretor dirigindo encenações de pessoas reais que serviram de referencia aos ilustradores.


Nesses, aproximados, 79 minutos podemos colocar em pauta a questão da extensão de tantos desenhos a serem feitos para uma produção desse porte, e ao mesmo tempo, pensar que é um tempo adequado para a aventura se desenrolar e não ser cansativo para as crianças. Deixamos essa recomendação para se divertir com a família sem muitas pretenções e bastante alegria com o balanço musical e a amizade entre os personagens.


Ficamos por aqui, bom feriado a todos!
Logo mais tem mais.
Ateh! o/

Você também pode gostar desses

4 Comments on Aristogatas (1970)

  1. Amoooooo Aristogatas!! Tenho a fita do filme até hoje comigo! É um filme meio triste, porém um desenho lindo! Eu simplesmente amo a Marie, tenho ela em bichinho de pelúcia e tudo! S2

  2. Amoooooo Aristogatas!! Tenho a fita do filme até hoje comigo! É um filme meio triste, porém um desenho lindo! Eu simplesmente amo a Marie, tenho ela em bichinho de pelúcia e tudo! S2

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *