Variedades

Produtos bacanas, promocões, eventos e tudo que pode ser uma dica valiosa pro seu dia-a-dia.

Jump Park – Cama elástica para adultos e crianças

Cama elástica para adultos e crianças em São José dos Campos

Cama elástica para adultos

Como foi?

Eu queria muito brincar nesses parques de cama elástica, tipo MUITO, então o dia que eu descobri que aqui na cidade tinha um lugar pra poder me jogar – literalmente – eu fiquei bem animada. Marquei com o noivo e um amigo nosso de irmos lá e não poderia ter sido mais divertido! Saímos depois de uma hora de pulação esgotados e pingando suor, uma atividade física deliciosa.

Eu pulando na cama elástica para adultos
O que é um pontinho rosa pulando?

O lugar

Tentamos ir em um momento lá no Jump Park, mas estava cheio de crianças, aí ficamos com receio de entrar e acabar machucando alguma e não entramos. A responsável pelo lugar, uma graça ela inclusive, disse que quando tem muita criança, adulto não entra e vice-versa. Pena que não ter um lugar separado, mas depois fomos em um dia de semana mais tranquilo e praticamente ficamos sozinhos por lá virando piruetas de todos os jeitos. O que dá pra fazer pra resolver isso é marcar com um grupo de pessoas, amigos, parentes e reservar o lugar só pra vocês, eles também fazem aniversários por lá.

Para entrar pagamos pagamos meia hora (R$28) e ficamos uma inteira por conta de uma promoção, mas pra entrar você tem que ter a meia antiderrapante e pode ser comprada no local(R$10) se você não tiver. O lugar conta com 200 metros quadrados de cama elástica, uma parte com cestas de basquete, bolas e um outro com espumas pra virar mortais e piruetas no ar.

Para mais informações visite a página do Facebook do Jump Park e visite eles no Shopping Colinas.

Cuidados com o Planeta

Cuidados com o Planeta, como causar menos impacto no meio ambiente.

Cuidados com o planeta - ilustração de um planeta terra.
Eu sou dessas pessoas que na medida do possível se preocupa com o mundo que vive. Ecologia era sim uma matéria que eu gostava na faculdade, mas a gente raramente olha pra dentro da nossa casa e altera alguma coisa. Deixa sempre “prá lá” e quando vemos, estamos igual a todas as outras pessoas do mundo.

Acontece que eu conheci a Alex, uma moça maravilhosa que é namorada do meu irmão. Ficamos um tempo na casa dela e lá ela me ensinou com ações, como que a gente fazer nossa parte é tão importante e se cada um realmente colocasse em prática, o mundo seria melhor. Por isso resolvi vir aqui no meu espacinho virtual e contar pra vocês algumas mudanças que adotei na minha vida ou que ainda pretendo adotar, para fazer minha parte pro mundo ser melhor.

Dentro de Casa

Cozinha

Quando falamos em impacto ambiental só o fato de existirmos já gera algum. Se considerarmos o modelo de vida que levamos tudo fica bem complexo, mas algumas mudanças já podem ajudar a deixar tudo menos pior.Ilustração de um detergente com uma bucha de lavar louça em um porta detergentes

Por exemplo, usar uma buchinha natural na cozinha ou cortar as existentes ao meio . As buchas famosas, amarelinhas, não são recicláveis por conta dos materiais utilizados para fabricá-las e pela quantidade de bactéria que elas carregam.

Aqui em casa eu estou esperando para trocar pelas biodegradáveis, mas enquanto isso corto as que tenho em casa ao meio. Além de economizar – já que dura o dobro – você utiliza menos material. Garanto que não muda nada na utilização e quando preciso usar na casa de alguém acho até estranho.

Ilustração de uma maçã, uma pera, uma banana e uma melancia.Evitar e diminuir ao máximo o desperdício de comida.

Planejando bem as refeições durante a semana e prestando atenção no consumo conseguimos praticamente acabar com todo o desperdício aqui de casa. É raríssimo jogar alguma comida fora porque estragou. Sempre aproveito frutas, vegetais e o que mais encontrar na geladeira para não jogar fora. Vale também buscar receitas que aproveitem partes que você costuma jogar fora das comidas, como caules e sementes.

Além disso uma das minhas vontades é diminuir o consumo de carne e/ou quem sabe um dia parar de consumir. Não pelos animais – na verdade menos – mas sim pelo fato da maneira como é toda a indústria da carne no mundo. Meu problema aqui é a anemia que me acompanha e as broncas que levei dos médicos, mas um dia a gente consegue.

Quartos e Sala

Ilustração de uma pilha de três camisetas.Consumo consciente como um todo, ou seja, roupas e coisas do tipo. As roupas são coisas que um dia irão para o lixo, pois deixarão de ser úteis, assim como maquiagens, sapatos, acessórios, tudo que usamos um dia vira lixo. Pense no ciclo de vida de tudo.

Descarte tudo no seu devido lugar!Eu levo as maquiagens estragadas – quando estragam – nas lojas da Quem Disse Berenice aqui do shopping e os frascos de perfume vão para O Boticário, pois dizem que fazem a logística reversa e reaproveitam o que pode ser reaproveitado. Lâmpadas, pilhas, eletrônicos – já levei até máquina de lavar quebrada – devem ser enviadas para um local correto. Aqui na minha cidade, São José dos Campos, a prefeitura disponibiliza lugares que recebem este tipo de lixo. Lá eles também recebem entulho, restos de obra e até mato e galhos que você pode ter tirado depois de limpar seu quintal.

A cidade conta também com sistema de coleta seletiva, então orgânicos e recicláveis sempre estão separadinhos!

Na Rua

ilustração de uma sacola retornável de pano com um desenho do símbolo de reciclável no meio - três setas em círculoQuando vamos ao supermercado não trazemos nenhuma sacolinha pra casa, usamos as retornáveis já tem mais de ano. “Ah, mas e o lixo?” Querendo ou não sempre temos sacolinhas por aqui, de farmácias ou lojas que vamos de vez em quando, incrível como nunca falta. Para os lixos orgânicos e recicláveis eu compro sacos de lixo maiores, eles cabem muito mais volume e com isso consumimos menos plástico. Infelizmente ainda não dá pra virar zero plástico, mas tentamos reduzir a quantidade.

Além das sacolinhas para carregar as coisas, já deixamos de usar as sacolinhas para colocar as frutas, verduras e legumes. Quando são pouca quantidade elas vem soltas mesmo, porque né? Aquele mísero saquinho não protege nada. E quando em maior quantidade, rola levar uma sacolinha de tecido só pra isso. Claro que isso funciona somente para supermercados que tem a balança no caixa, mas já é alguma coisa.

Não jogar lixo na rua, nem entulho. E aqui vale colocar também de não jogar lixo quando se faz passeios em praias, trilhas, piqueniques e coisas do tipo. A natureza agradece.

Levar um copinho retrátil sempre com você. Eu estou atrás de um desses agora, pois me lembro de sempre ver isso nos Parques de São Lourenço, mas nunca mais vi. Com isso você evita de usar copos plásticos onde quer que você vá. É super simples, prático e fácil de carregar!

E você? O que faz pra tentar ser mais gentil com o nosso planetinha? Conta aí que eu quero saber e aprender, quem sabe não faço por aqui também!

Evento: Semana Monteiro Lobato 2017 – #SML2017

Semana Monteiro Lobato em Taubaté

Eu, Renata Cundari, Armindo Ferreira, Má Moraes, Thiago Galvão e Marcela Cerqueira numa selfie.

Um convite delicioso

Este ano fui convidada para um evento que já está no meu coração, a Semana Monteiro Lobato, lá em Taubaté, terra do escritor. Organizada pelo Almanaque Urupês, pelo Taubaté Shopping e pela Livraria Leitura, o evento reuniu uma programação maravilhosa entre os dias 19 e 23 de abril.

Vários nomes de peso passaram por lá, como Carina Rissi, Carolina Munhoz, Raphael Draccon, Heloisa Prieto e Bruno Honda, e eu fui convidada, juntamente com outros criadores de conteúdo aqui da região do Vale do Paraíba, para falar sobre produção de conteúdo digital por aqui.

Thiago Galvão, eu, ma Moraes, Marcela Cerqueira e Armindo Ferreira.

Thiago Galvão olhando para mim, que estou falando no microfone, ao lado, Ma Moraes.

A mesa dos boletos

Foi bem legal reencontrar pessoas que sigo aqui do Vale. Eu, Má Moraes, Marcela Cerqueira, Armindo Ferreira e o mestre de cerimônias Thiago Galvão falamos sobre como é complicada a relação entre as marcas e o produtor de conteúdo por aqui, de como mantemos os trabalhos paralelos da nossa vida “na internet” para pagar os boletos que chegam no fim do mês, mudanças de regras nas plataformas, etc.

Ganhamos um kit fofíssimo pela participação, com direito até a pó de pirlimpimpim!

Eu e Draccon no maior papo.

Carolina Munho e eu.

Autógrafos e espaço pra uma fã.

Fora a mesa, aproveitei para ficar na palestra super legal com Carolina Munhoz e Raphael Draccon, escritores brasileiros que eu adoro e sigo faz tempo nas redes sociais. Draccon é meu querido por conta da trilogia de livros Dragões de Éter que eu adorei ler. Infelizmente não tinha livros para autógrafo, mas fiz questão de tirar foto com os dois.

Eu segurando a pelúcia do Jovem Link, personagem do Zelda, e Camila Loricchio.

Ainda encontrei minha amiga e eterna bixete da faculdade, Camila Loricchio, que é escritora e estava com livros dela numa máquina linda que você podia pegar livros. Aliás indico muito a trilogia Castelo de Cartas.

Eu usando um capacete de papelão criado por Bruno Honda, que estava na exposição dele.

Caixas da exposição de Bruno Honda

Leitura e Arte

Pude ainda conferir a exposição do Bruno Honda, criador do famoso Mônica Toy, animação bem simplificada e engraçadinha da Turma da Mônica. O cara manda muito bem e fiquei só alí babando nas artes que ele faz em coisas que provavelmente jogaríamos fora, como desodorantes e caixas de pizza.

Pra completar a felicidade, estava rolando a exposição Donas da Rua, com artes de personagens da Turma da Mônica feitas por artistas que admiro muito. Mas é tanto que deixei isso pra falar em um próximo post e dar a devida atenção. Calma que logo ele chega.

E você, conhecia o evento? É da região? Conta mais se você foi e o que achou =D

Descomplicando o Bullet Journal e o Planner

Bullet Journal e Planner fácil e barato

Capa de bloco ilustrada por Sabrina Eras e canetinhas Staedtler

O ano já vai pro mês quatro e você ainda não tem o seu BuJo pra chamar de seu? Ainda tá perdido em casa sem saber por onde começar a fazer as coisas, vive perdendo eventos e oportunidades e não tem grana pra comprar aquele planner lindão que você viu na interwebs? Vem aqui que a tia Chell hoje vai descomplicar esses danadinhos com nome em inglês e você vai poder se organizar supimpa!

O que é Bullet Journal?

Esse conceito foi criado pelo designer Ryder Carroll, quando ele notou que mesmo em um mundo digital e todo tecnológico, as pessoas ainda recorriam ao bom e velho papel para se organizarem. Ele tem até um site só dedicado a este sistema de organização (in English).

Este sistema consiste em marcar de forma rápida e objetiva os seus afazeres do dia/semana/ano de um jeito que você organize tudo e não se perca. Tudo vai ficar ali arrumadinho pra você não perder nenhum compromisso e não esquecer nenhum trabalho.

Como ele funciona?

Na verdade o BuJo (forma mais carinhosa de chamar o Bullet Journal) tem um sistema já criado, e você pode entender melhor vendo este post lindo da Maki, mas não significa que você não possa criar o seu né? E é disso que eu vim falar aqui hoje.

E o planner?

Planner é um caderno/bloquinho/fichário que você usa pra organizar seus dias. Na minha época usavam agendas, mas os planners tendem a ser bem mais completos, com espaços para ideias, listas de filmes, cardápios semanais, metas e coisas do tipo.

Página do caderno escrita FILMES e uma canetinha Staedtler

Começando

Primeiro liste o que você quer que tenha neste seu caderno. No meu caso eu queria um lugar para marcar os filmes, as séries e os doramas que assisto em 2017, um pra marcar os livros do ano, um espaço para colocar ideias de posts e vídeos do blog, outro para marcar os gastos do mês, uma parte como agenda com datas mesmo, pra eu saber o dia que tenho que fazer as coisas certinho, mas com espaço menor pra poder visualizar o mês como um todo. Também escolhi colocar um habit track (monitoramento de hábito) para marcar os dias que estudei desenho/desenhei, assim conseguindo ver melhor como estou me saindo nos estudos.

Use o que você tem

Com essas informações em mãos, use o máximo que você tem em casa. No meu caso eu achei um scketchbook que comprei com ilustração da Sabrina Eras há uns anos atrás e vi que tinha o suficiente de folhas nele pra eu usar. Se você não tiver, pode investir em um caderno mais barato ou fazer o seu.

Esses dias dei a dica que eu fazia na faculdade: comprava um pacote de 100 folhas de sulfite, cortava no meio, assim eu tinha 200 folhas em tamanho A5, e colocava uma capa, que podia ser plástica, ou você pode fazer com uma capa dura de caderno que você tenha em casa (você pode customizar até), mandava encadernar com aquelas molas maiores e pronto, meu caderno estava pronto, sem pautas e perfeito pra anotar tudo.

Usei também clips, canetas e coisas que eu já tinha em casa para arrumar ele bonitinho.

Criando e Arrumando

Separe como você quer as informações e quanto espaço vai deixar para cada tópico. Eu separei 4 folhas para cada mês: Primeira folha com coisas boas do mês e habit track, depois duas páginas para um calendário do mês todo em números com aniversários e os dias do mês com espaço para marcação. Por último, lista de posts e afazeres importantes do mês. Duas folhas para filmes, uma para livros, 6 para ideias e por ai foi.

imagem com vista do meu planner com começo e fim de mês

Depois veio a parte mais gostosa, montar! Você pode fazer na mão, como eu fiz, com canetinhas, régua para ajudar a medir tudo certinho e lápis. Ou você pode imprimir coisas e colar caso ache mais fácil, pense que o trabalho é pra você usar o ano todo, então vale a pena.

Para separar os meses e sessões eu usei clips coloridos que tinha em casa, assim fica mais fácil achar a página que estou, mas você pode usar post-its, marcadores, fitas, o que achar melhor. É só soltar a imaginação.

Calendário e lista de aniversário feitos à mão no meu caderno

Na prática

Com tudo arrumadinho é só começar a marcar seus afazeres. Eu uso o sistema de bullets pra marcar, assim faço uma bolinha antes do que tenho que fazer e pinto ela quando acabo. Não deu pra fazer hoje? Passou pra amanhã? Apago e jogo pra outro dia, por isso gosto de usar lápis. Mas se faço isso marco um tracinho na frente pra saber que já foi adiada a tarefa. Cada adiamento, um tracinho. Fiz algo que não estava na lista, mas deveria? Vou lá e coloco. Isso me ajuda a sentir mais motivada, já que vi que fiz mais coisas na minha lista.

No final das contas meu planner + BuJo saiu de graça! Não gastei nada, pois já tinha tudo em casa! Só tive que sentar e pensar direitinho como organizar as informações básicas, como faria e depois sentei pra colocar em prática. Agora carrego esse caderninho pra cima e pra baixo, não esqueço nada e sempre motivada a fazer meu melhor.

Se você está sem ideias pra arrumar seu caderno, use sites e o Pinterest pra pegar inspirações bem legais e deixar seu planner/bujo com a sua cara!

Este post foi útil pra você? Você tem alguma ideia legal pra usar? Comente e deixe eu saber se te ajudei!