Django Livre Rating: ★★★★★ “Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz). Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos.

Ao realizar seu plano, Schultz libera Django, embora os dois homens decidam continuar juntos. Desta vez, Schultz busca os criminosos mais perigosos do sul dos Estados Unidos com a ajuda de Django. Dotado de um notável talento de caçador, Django tem como objetivo principal encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), sua esposa, que ele não vê desde que ela foi adquirida por outros proprietários, há muitos anos.

A busca de Django e Schultz leva-os a Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), o dono de “Candyland”, uma plantação famosa pelo treinador Ace Woody, que treina os escravos locais para a luta. Ao explorarem o local com identidades falsas, Django e Schultz chamam a atenção de Stephen (Samuel L. Jackson), o escravo de confiança de Candie. Os movimentos dos dois começam a ser traçados, e logo uma perigosa organização fecha o cerco em torno de ambos. Para Django e Schultz conseguirem escapar com Broomhilda, eles terão que escolher entre independência e solidariedade, sacrifício e sobrevivência.”

Ah, Tarantino, seu gordinho! Como você ainda me faz ir ao cinema, assistir um filme repleto de assassinatos, sangue e ainda sair ADORANDO o filme?

Com uma trilha sonora deliciosa e inspiradora, momentos de tensão e muito sangue, este fim de semana fui assistir “Django Livre” e me surpreendi. Um filme com muito ritmo, malandragem e momentos cômicos. Tarantino não perdeu a mão em misturar assassinatos e comédia. Em vários momentos o cinema caiu na gargalhada, e em outro s eu grudei na cadeira e fechei o olho pra não ver alguma cena mais forte (como a do cachorro e a da luta), porque sim, eu sou uma moça que se impressiona com as coisas facilmente.

Jamie Foxx está perfeito no papel do escravo só que não Django e Christoph Waltz hilário como o Dr. Malandrilson. Di Caprio, apesar dos dentes apodrecidos, ficou perfeito no papel do vilão maior do filme cheio de uma falsa calma que esconde um homem violento. A cena do crânio foi tensa, o martelo foi demais e eu sai do filme com vontade de aplaudir.

Sinopse do Adoro Cinema

Você também pode gostar desses

5 Comments on Django Livre (2012)

  1. “Ah, Tarantino, seu gordinho! ”
    Chorei absurdamente de rir com isso, chell XDD HAHA
    Estou querendo ir ao cinema pra assistir! E bem, um filme do Tarantino sem violência, não é um tarantino, né?

    Beijos

  2. Vi algumas pessoas resmungando, dizendo que não é tão bom assim e já fui pro cinema meio ressabiado.

    Mas que surpresa, aliás, é de Tarantino não é surpresa. Também sou fã e também achei Django sensacional.

    Divertido e violento ao extremo, um grande trabalho.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *