Para sair um pouco da rotina, e como na minha cidade estou em feriado prolongado desde terça depois do almoço, hoje falaremos um pouco de uma série de animação de uma franquia que já passou por aqui, vamos de encontro as aventuras de “G.I. JOE: Renegades”.


De início, não fazia muita questão de acompanhar essa série. Achei que os gráficos estavam com um ar de inacabados, feitos meio que de má vontade, mas foi um caso de que não se deve julgar um livro pela capa, e que quando se menos espera podemos encontrar algo muito bom. “G.I. JOE: Renegades” foi uma versão muito bem resolvida da franquia Comandos em Ação – como comentamos por aqui noutra ocasião. Ela foi exibida originalmente no canal HUB, sendo uma das séries animadas que estrearam com a emissora, a qual é da empresa que detém os direitos dos personagens, a Hasbro.


Enquanto nas diversas releituras/reboots/versões os mocinhos sempre eram os heróis americanos, dessa vez viramos a mesa. A poderosa organização COBRA, é quem dá as cartas. O primeiro episódio já começa com um comercial instituicional mostrando que a organização trabalha em prol da melhoria da humanidade, desenvolvendo vacinas, alimentos saudaveis, equipamentos de última tecnológia para todos termos uma vida feliz. Sim, tive um #Umbrellafeelings , também, quando vi essa parte, mas enfim… É apresentado o cenário que teremos pela frente.


Ao ser chamado para uma missão, o sargento Duke recebe uma equipe de novos soldados, sendo eles o cabo Roadblock, o soldade e médico de guerra Tunnel Rat e o paraquedista Ripcord. Sendo que todos recebem ordens da tenente Scarlett. Nesse primeiro momento é interessante saber que os personagens não se conhecem, e isso gera muitos desentendimentos e reconcilhações ao longo dos 26 episódios. A tenente O’Hara, pretende desmascarar a organização COBRA, a qual a anos ela vem rastreando e descobrindo que ela é uma grande ameaça, pois oculta o desenvolvimente e comércio de armas militares, dentre outras falcatruas. Porém, ao explodirem um laboratório em que o doutor Mindbender realizava experimentos, os Joes envolvidos são noticiados como culpados e terroristas, dessa maneira, passam a fugir até provarem sua inocência.


A trama muito bem amarrada faz você querer saber o qua acontecerá no episódio seguinte, algo que faz-se necessário visto que dentro de uma dramaturgia sequenciada o espectador tem que ter sua curiosidade instigada, que é o objetivo de uma produção desse tipo. “G.I. JOE: Renegades” atende isso MUITO e BEM! Ao longo dos episódios são apresentados diversos personagens da série original de maneira inusitadas, o que torna para os fãs mais veteranos uma aventura com ar de saudosismo, e ainda atendendo a um público atual. A narrativa traz dentre elementos do novo filme em live-action, que foi lançado em 2009, o personagem James McCullen, conhecido como Destro, sendo dono de uma grande empresa de armas. A eterna disputa entre os ninjas Snake Eyes e Storm Shadow, nunca me agradou, mas nessa adaptação ficou bem envolvente e tendo um desfecho até inesperado, pelo menos para mim.


Com um roteiro digno dos melhores seriados de perseguições dos canais de ação, “G.I. JOE: Renegades” demonstra que mesmo um desenho animado pode ter um roteiro menos infantil, com doses de humor na medida, e não sendo apenas entretenimento para crianças, mas para os jovens de todas as idades. Em tempo, aproveitando esse relançamento, uma série em quadrinhos baseada nessa versão da série também foi lançada pela editora IDW, lá nos Estados Unidos. Enfim, a única coisa, que nesses mais de 20 anos, os soldados ainda não aprenderam a ter boa pontaria… Algo dos anos 80 que manteremos, pelo visto, por muito tempo, ainda. xD

Alguns dos action-figures, que foram lançados, dos personagens do desenho animado: Duke, Comandante Cobra, Firefly e Snake Eyes.

Ficamos por aqui. Logo mais, tem mais…
Ateh. o/

Você também pode gostar desses

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *