Faz um tempo que fui indicada pela Mari pra responder esta tag e contar histórias constrangedoras sobre mim, mas é tão corrida a vida que só consegui responder agora, olha só! Achei a tag bem divertida, mas foi difícil lembrar as situações, quando a gente conversa com amigos as coisas saem sem a gente perceber, mas ter que lembrar delas pra escrever foi difícil, bem vamos lá:

porre

1. Aquela do Porre – Quem me conhece sabe que bebo quase que nada e por isso fico bêbada super rápido. Acontece que uma vez em uma festa de formatura de um amigo do noivo eles serviam taças de um champanhe muito gostoso e eu achei que a coisa era suco, quando dei por mim já estava do lado de fora da festa colocando toda a bebida pra fora e logo depois estava deitada em um puf da festa com terno do noivo me cobrindo. Os pais do rapaz estavam na festa e eles que tomaram conta de mim enquanto eu dormia. Foi vergonha porque nunca havia acontecido aquilo comigo e eu fiquei toda sem graça depois. O que não impediu que quase o mesmo fato ocorresse mais uma vez anos depois, malditos champanhes!

caindo

2. Aquela do Tombo – Eu havia acabado de me mudar para o Vale do Paraíba e fui na minha primeira festinha em república com um pessoal da faculdade e da república que eu morava. Foi divertido, tinha música, rimos bastante e tudo mais. A festa era a umas cinco casas de distância de onde morávamos e na volta todas resolvemos correr pra casa. Ótima ideia, não? Eu sempre fui um moleque então disparei a correr, porém um fato importante deve ser colocado aqui: eu estava de saia E sandália. Eu sou uma pessoa genial mesmo. Quando dei por mim eu já havia tropeçado e voado alguns metros caindo de joelho e saia pra cima, pra todo mundo da rua ver minha calcinha. Ainda bem que era de madrugada e só as companheiras de república que viram isso. Mas por um tempo fiquei conhecida como “Mi Peixinho”, pelo meu mergulho no asfalto.

falling
3. Aquela do SUPER Tombo – Estava eu numa sexta-feira de trabalho, super ansiosa para encontrar o então namorado em outra cidade. Saí atrasada, pra variar tinha que fechar alguns arquivos, e fui na pressa para pegar um taxi e ir para a rodoviária pois o relógio estava rodando contra mim. Pra ajudar toda a situação, eu cai. Como uma jaca. Esse gif conseguiu demonstrar exatamente o que aconteceu comigo, eu fui e as coisas foram. Tudo que estava carregando foi arremessado pela calçada. Pessoas passavam por ali e devem ter gargalhado por dias. Doeu. MUITO. Levantei correndo, peguei tudo e corri para o taxi e foi só lá dentro que eu chorei de dor. No ônibus eu não conseguia dobrar a perna e só quando cheguei na casa do namorado que vi o estado do coitado: inchado. Isso me rendeu uma vergonha imensa, duas idas ao hospital, vários meses de bolsa de gelo no joelho e semanas mancando.

esmeralda
4. Aquela do Carinha da Escola – Sempre fui uma menina tímida. MUITO. E como toda garota tímida, eu tinha minhas paixões platônicas escolares. Um belo dia alguém que stalkeava minha carteira na sala descobre minha quedinha por um colega de classe e do nada a turma toda começa a se movimentar para tentar unir os pombinhos. Problema: Nunca havia beijado NINGUÉM, o que imediatamente liberou adrenalina doida dentro de mim e me fez travar na vida. O menino disse sim e todo mundo feliz com o possível desfecho de final feliz ficou chateado quando eu falei: “não rola mesmo, desculpaê”, tudo pela vergonha. Fiquei com vergonha de tudo e todos na sala, mas aprendi a ser mais discreta com meus desenhos e devaneios.

kiss
5. Aquela do Primeiro Beijo – Já que falei de beijo que não dei, que tal o beijo que dei? Mais especificamente o primeiro. Lembro como se fosse hoje. Era um carinha da escola, ele não estava muito feliz de saber que eu nunca havia beijado ninguém, pelo menos é o que me falaram, e eu esperei todo mundo sair da sala no fim da aula pra tomar a coragem. Foi rápido, tipo tirar band-aid, mas eu lembro de falar logo depois: “ah, então, minha mãe ta me esperando, tenho que ir” e sai correndo. CORRENDO. Isso mesmo que você leu. Sai.Correndo.Do.Cara. Meu coração ia sair pela boca e eu quase morri de vergonha dele no outro dia porque, o que dizer quando você faz isso? Resultado, eu ainda fiquei com o rapaz mais uma vez, mas nada aconteceu porque eu era muito devagar nessas coisas de romance real com meus 15 anos.

E vocês? Alguma história parecida? Vou aproveitar a oportunidade e indicar a Duds, a Stephanie e a .

Você também pode gostar desses

12 Comments on 5 Histórias Constrangedoras Sobre Mim

  1. Só de ler do SUPER tombo fiquei com dor de imaginar, porque não faz muito tempo que também levei um desses e que ficou doendo por dias…Esses micos que a gente paga, na hora a gente fica que não sabe o que fazer.. mas depois rende umas boas risadas HAHA

  2. Adorei essa tag e lendo suas histórias já lembrei de muitas das minhas, HAHAHAAH! Essa de sair correndo depois do beijo foi demais.

  3. Rolou uma super identificação com essa postagem KKKKKK Tombos, beijo que eu não dei e o que dei, micos na faculdade KKKKK Só não sou de beber, nunca consumi nenhuma bebida alcoólica e não sinto vontade nesses meus 20 anos vividos KKKK Adorei o post! Um beijo : *

  4. Adorei o post, Chell!
    Me identifiquei com a do super tombo. Eu sou muito estabanada e quando estou com pressa, me desespero todinha! (e, oi, meu namorado é de outra cidade, me identifico com isso de perder o ônibus, coisa e tal).
    E que bacana, dei seu primeiro beijo “tarde” também, né? O meu foi com 16, era super devagar pra essas coisas…
    Beijo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *