menos_e_mais

Esqueça o salto alto, a maquiagem, a bolsa e aquele vestido que você usa mesmo se sentindo desconfortável, só porque alguém te disse que você ficava muito bem nele. Deixe de lado o celular com wi-fi, a tablet com joguinhos e aquele PSP que você joga horas a fio. Esqueça tudo aquilo que você possui e pergunte, o que te resta?

Quando eu tinha 13 anos eu criei um blog pra poder contar sobre meus dias, problemas, reflexões e descobertas. Gostava de ler blog das pessoas que contavam as vezes problemas tão parecidos com os meus e entendia que eu não era a única que pensava ou passava por aqueles momentos. Escolhi ter blog para poder ter um espaço meu nessa rede enorme de pessoas e dividir o que eu gosto com todo mundo, assim como minhas fotos, meus desenhos e porque não, um pedacinho da minha vida.

O tempo foi passando e as coisas foram se transformando. Meninas que eu seguia desde sei lá quando começaram a se profissionalizar e terem seus trabalhos reconhecidos, tornando-se blogueiras profissionais. Mas com tanta blogueira legal começando a ser vista por marcas famosas, recebendo produtos pra teste, brindes, etc, surgiu uma orda de blogs voltados para maquiagem, roupas e acessórios, vindas de um mundo distante, todos de olho em brindes, produtos e “vale-coisas”, mas este não é o ponto que quero.

Nunca fui muito chegada em maquiagem, hoje tenho o básico pra uma festa e pro trabalho, não ocupa nem uma gaveta da minha pequenina casa. Minhas roupas são simples, a maioria do meu guarda-roupa é da marca “Prima Cresceu”, “Netinha, não-serve-em-mim-você-quer?” e “Comprei mas não usei – by Minha Mãe”. As bijouterias são feitas/ganhadas pela minha avó, algumas eu mesma fiz. Meus looks do dia seriam a maioria de “a calça de segunda na sexta” e “roupa que serviu hoje porque estou enorme e vou ficar menstruada”. Gosto de me vestir direito, mas uso o que tenho, tudo simples, baratinho e com isso tento fazer milagres matutinos antes de ir pro trabalho. Quando comecei a seguir muitos blogs de moda/make/esmaltes comecei a ser fisgada pelo anzol do capitalismo exacerbado. Queria tudo, sempre um esmalte novo, uma blusinha aqui, uma sombrinha ali… mas aos poucos eu fui percebendo que eu estava indo pra um caminho que não era eu.

Eu respeito as meninas que fazem o trabalho sério, com reviews de coisas que eu queria saber como eram e funcionavam, mas o mundo do blog está se transformando em uma coisa fútil e inútil. O culto a uma imagem malucamente arrumada e perfeita está transformando meninas novinhas em peruas cheias de pó de arroz que cobrem seus rostos sem uma espinha sequer. “Eu quero isso” é o hino das mulheres, que parecem nunca estarem satisfeitas. Concordo que se arrumar e sentir-se bonita é importante, mas temos que viver nessa maré de compra-compra? Agora surgem blogueiras fitness malucas que buscam “barrigas negativas” e corpo malhado. Pra mim ser saudável não tem nada a ver com ser malhada. Ser saudável é ter um IMC dentro da média, praticar exercícios e se alimentar bem, não importando a forma que você vai apresentar no seu corpo.

Vamos viver o tempo das emoções e não da posse. Menos gastos com coisas supérfluas, mais passeios nas tardes de domingo e viagens pra conhecer lugares novos.

Você também pode gostar desses

10 Comments on Menos é mais

  1. ALELUIA! Ainda existe vida inteligente na blogosfera! Amo meu blog mais do que tudo, ele me tirou de uma depressão absoluta na adolescência, quando bullying ainda não chamava bullying, mas machucava igual.

    Durante todas as mudanças desses últimos dez anos (cursinho, faculdade, empregos, namorado), o blog foi a única constante. O porto seguro. E dele vieram também as amizades mais verdadeiras que eu tenho.

    Uma pena que hoje em dia exista cada vez menos interação, as blogueiras são super estrelas que recebem comentários, mas ou respondem só por educação ou nem dão bola. Gostava mais quando todo mundo era uma galera só, aprendendo coisa junto todo dia.

    • @Nicas,

      Hahaha se eu sou inteligente não sei, mas fico feliz em saber que gostou rs

      Sim, acho que blogueiras, algumas, formam panelinhas impenetráveis, mas não ligo mais. Minha “panelinha” é mais legal =P

  2. Você pode até não acreditar, mas ontem mesmo eu estava comentando isso com meu noivo, sobre como as coisas eram quando eu comecei a blogar e como estão as coisas agora. Eu sou uma das blogueiras que entrou num “hiatus” sem fim, entre terminar um blog e começar outro… nunca me profissionalizei, se assim podemos dizer, e nunca recebi nenhum brinde pra falar sobre produtos. Acho que este não é o meu estilo, eu gostava de expor meus problemas, porque sentia que eles ficavam menos pesados dentro de mim. Me ajudou muito a não surtar de vez, e hoje eu até tento blogar como antes, mas não consigo ainda, kkkkk complicado de explicar. Eu fiquei feliz de encontrar seu blog novamente! Esse rostinho não me era estranho quando eu achei seu twitter… e pelas palavras vejo que realmente não me é estranho.

    Um beijo!

    • @Natalya,

      Ah então vc já conhecia o Chocottone? Que legal!
      É difícil mesmo ter o ânimo pra continuar blogs mais “cabeça e diarinho” hoje em dia. Me sinto exatamente como você quando posto meus textos. dá um alívio, né?

      Volte sempre ^^

  3. Acho que acabei lendo minha descrição nesse post. Parabéns! Também sou meio fora desse eixo moda-maquiagem, embora às vezes tente, sempre sem muito sucesso, me encaixar. Simplesmente não sou eu. Uso exatamente essas “grifes” que você usa… A melhor coisa é que tenho um marido que é igualzinho! Então, vivemos beeem felizes com nosso estilo, sem cobranças de nenhum lado 🙂 Adorei o post! Beijos!

  4. Adorei Michelli! Eu tenho muito dificuldade desse “encaixe”, adoro me maquiar, mas sabe… para mim é algo normal, algo do meu dia-a-dia, nada a ponto d’eu ser uma profissional. Se falar sobre no blog, será opinião como consumidora, não como guru, nem orientadora, sabe?

    Eu sinto muita falta de posts normais mesmo, e tanta falta que fiquei órfã diversas vezes, de blogs que gostei e que nem existem mais. Que me inspiravam… acho que ficaram com tanto receio dessa falta de encaixe que preferiram desistir a se perder…

    Um beijo,
    Re.

1Pingbacks & Trackbacks on Menos é mais

  1. […] Menos é mais | A gente que é blogueira vive nesse eterno dilema, ‘profissionalizar’ ou não o blog? É tanto tempo e dedicação, que ás vezes parece irresistível. Eu não vejo problema desde que se mantenha a essência do que o blog tinha quando começou a fazer sucesso, o que muitas vezes não acontece. A coisa vira um negócio louco, de reviews de tantos produtos que elas ficam perdidas e a gente também. Acho legal se rolasse uma filtragem melhor. Enfim, o texto da Michelli fala muito do que eu penso a respeito… […]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *