Semana passada recebi uma noticia fantástica: Vou ser papai de um garotinho que já é super amado. E logo vem na cabeça coisas que quero fazer junto dele, o tipo de educação que vou dar, erros que vejo nos filhos dos outros e em mim mesmo que quero mudar e já imagino a vida toda junto dele… Essa sensação é impar!

No meio desses pensamentos é claro que tem alguns em relação aos games e de como isso pode interferir na vida do meu filho. Não vou priva-lo de jogar, mas não o quero substituindo os prazeres “reais” pelos “virtuais”, vou controlar o tempo, os tipos de games e tentar faze-lo gostar o máximo de atividades físicas, já posso imaginar ele de longboard comigo e com o tio. – rsrsrs….Estou sendo um pai bobo.
Os games podem proporcionar vários bens, como o aumento da capacidade de concentração, raciocínio lógico e abstrato, mas também podem causar danos gravíssimos como a solidão que leva a criança a ter sérios problemas em enfrentar os desafios do dia-a-dia.

Mas é claro que cada caso é um caso, comecei a jogar com uns 8 anos e sempre fui fominha de rua, de bagunça e também de escola. Já meu primo de 9 não quer nem saber de caderno… Só Play2.
Daí acho que o conteúdo que vem antes dos games, os exemplos em casa e os valores que são impostos à criança faz toda diferença na criação do pequeno.

Em fim, Parabéns pra mim, Saúde pro mulekee e Games para nós! xD

Você também pode gostar desses

7 Comments on Pais, Filhos e Games

  1. Achei um máximo!!! nosso filho vai ser uma benção só não pode pegar o vicio do papai em relação ao game kkk….Mas ADOREI tudo que você postou…Te amo0o

1Pingbacks & Trackbacks on Pais, Filhos e Games

  1. […] This post was mentioned on Twitter by merylliel, Wagner Regis. Wagner Regis said: RT @merylliel: Pais, Filhos e Games – http://bit.ly/fUH9Q3 […]

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *