Alô para todos visitantes do nosso querido Chocottone! Já se passou quase 1 semana desse ano de 2012 e enquanto muita gente curte as férias, outros já estão trabalhando e por aí vai. Então vamos de animação, que é isso que comentamos nas sexta-feiras, e de sonhos que se fazem as pessoas, vamos falar de “Perfect Blue”.


Baseado no romance de Yoshikazu Takeuchi, esse thriller psicológico retrata um lado, digamos, ruim da fama. Tudo depende do ponto de vista, né? A primeira vez que ouvi falar desse filme foi quando assisti a um AMV (anime music video) dele com uma das músicas mais bacanas do Nine Inch Nails“Perfect Drug”, lá em 2003. Contudo, só no final do ano passado que acabei assistindo ao filme mesmo.


Bom, na produção conhecemos Mima Kirigoe que faz parte de do grupo músical “CHAM” de J-pop. No entanto, no auge de sua carreira, ela resolve deixar de ser cantora, para se tornar, então, atriz. Profissão, a qual, ela queria na verdade desde pequena. Apesar de ser contra o gosto de sua agente, Rumi Hidaka, acabam organizando a papelada burocratica e ela entra no elenco de uma série de drama chamada “Double Bind”.


Até aí estaria tudo tem, se não fosse o fato dela ter um fã stalker que se intitula Me-Mania, não aceita isso, no sentido extremo como se fosse uma desilusão completa. Mima acaba sabendo que existe uma fanpage sua, chamada “Mima’s room”, a qual é atualizada pelo seu fã, e se passa pela cantora no mundo virtual.


Achei legal ver que o navegador que Mima utiliza é o extinto Netscape, não sei se o pessoal aqui chegou a conhece-lo, mas em 97 era bem comum usa-lo quando o IE travava. Algumas coisas de lá pra cá não mudaram muito… xD


Voltando… Conforme as cenas na série começam a ficar mais despudoradas, e em sua vida a ter exposições que podem prejudicar sua reputação, todos que estavam envolvidos nisso começam a morrer, e Mima entra num conflito pessoal, mentalmente instavel, para entender o que está acontecendo. Sem saber mais ao certo se está dormindo, sonhando ou interpretando. Essas sequências realmente te deixam confuso e instigado a saber como sera o desfecho, e são o que valeram no filme.


Quando assisti “Perfect Blue” fiquei um pouco recioso se iria comentar sobre ele, devido algumas sequências pesadas para desenho animado, mas os comentários podem ajudar quem estava em dúvida ou não sobre o filme. Como disse no post sobre “Paprika”, os personagens, pelo menos pra mim, tiveram menos carisma… Não simpatizei com nenhum deles, só achei interessante mesmo a crítica implicita no mercado músical e uma apresentação de bastidores um tanto pertubador – algo que foi mostrado de maneira bem mais leve em “Interstella 5555”.


De qualquer maneira, é necessario mencionar a bonita arte, característica dos trabalhos dirigidos por Satoshi Kon. E embora não tenham me agradado os personagens, a trama te prende até você compreender o que realmente está acontecendo.


E assim começamos as indicações de produções animadas para esse ano. Antes de querer fazer o que se gosta, é importante gostar daquilo que se faz, talvez isso possa tornar as segundas-feiras mais agradaveis para todos. 😉

Ateh. o/

Você também pode gostar desses

4 Comments on Perfect Blue (1997)

  1. Eu gosto bastante desse filme, mas só fui descobrir depois de Black Swan, o diretor pegou várias referências desse filme. *v*

    bjinho

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *