Agatha Christie aliou uma imaginação brilhante à sua grande habilidade como narradora, para conquistar gerações de público para suas histórias de mistério e suspense. Seus livros já venderam mais de 2 bilhões de exemplares, era conhecida como “Rainha do Crime”.

Nascida Agatha May Clarissa Miller, ela se casou em 1914, com o Coronel Archibald Christie, um aviador da Força Aérea britânica. Com ele, teve sua única filha, Rosalind. Durante a Primeira Guerra, Agatha trabalhou como farmacêutica, o que lhe proporcionou, segundo consta, grandes conhecimentos sobre poções e veneno, que seriam mais tarde empregados em suas obras.

Deu-se em 1920 a publicação o seu livro de estréia, “O Misterioso Caso de Styles”, protagonizado pelo detetive belga Hercule Poirot, que se tornaria um dos mais famosos personagens de toda a história da literatura. Poirot seria protagonista de mais 33 romances e dezenas de contos.

Em 1926, Christie desapareceu por onze dias, fato que causou comoção na imprensa e toda sorte de especulações. Agatha foi encontrada num hotel e até hoje não se sabe ao certo o motivo do desaparecimento: supõe-se que ela estivesse deprimida por descobrir um caso adúltero do marido. Nesse ano, ela escreveu uma de suas obras-primas “O Assassinato de Roger Ackroyd”.

Dois anos mais tarde, Agatha Christie divorciou-se de seu primeiro marido. Em 1930, publicou o primeiro romance com a sagaz personagem Miss Marple, “O Assassinato na Casa do Pastor”. Marple, uma simpática velhinha que se arvora a detetive e é uma espécie de alter-ego da autora, foi protagonista de doze romances de Agatha Christie.

Ainda em 1930 Agatha casou-se pela segunda vez com um arqueólogo que havia conhecido numa viagem à Mesopotâmia. Com ele a autora realizou uma série de expedições arqueológicas, que lhe renderam inspiração para novas histórias, como “Morte no Nilo”.

Em 1934, foi lançado o célebre romance “Assassinato no Expresso do Oriente”, depois transformado num filme de grande sucesso. Na década de 1930, a abundante produção literária de Agatha Christie se consolidou junto ao público, transformando a autora num perene “best-seller”. Christie escreveu mais de vinte títulos de ficção, entre eles o famoso “O Caso dos Dez Negrinhos”.

Em 1952, estreou em Londres sua peça “A Ratoeira” – a peça que ficou mais tempo em cartaz na história do teatro. Numa carreira de mais de meio século, Agatha Christie escreveu 79 romances e livros de contos, além de doze peças de teatro. Além das peças, contos e romances de mistério, Agatha publicou seis romances românticos, com o pseudônimo de Mary Westmacott.

A escritora recebeu a mais alta condecoração do Reino Unido em 1971, tornando-se “Dame Agatha Christie”.

Nunca, nunquinha eu li um livro dela, mas acho que é umas das escritoras mais fortes da literatura de romances policiais. Muita gente conhece, como eu, e nunca leu. Preciso ler um livro dela logo.

Uol Educação

Você também pode gostar desses

5 Comments on Agatha Christie – Força Feminina

  1. AHHHHHHHHHHHHHH *—-*
    cara eu amo MUITO os livros dela *———*
    Assassinato no Expresso do Oriente foi o melhor livro q eu jah li na minha vidaa *—-*
    Agora eu vou ler Os 5 Porquinhos com o Hércule Poirot tbm *—*

    bjsss ~~

  2. Minha escritora preferida. Tenho como meta ler todos os livros dela um dia 🙂 Foi ela que despertou meu gosto real pela leitura. A mulher era uma gênia.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *