equilibrio

Há algum tempo atrás assisti a este vídeo da Fernanda Pineda falando sobre “textos que falam pra você largar tudo e ser feliz, como se você tivesse uma vida de merda”. Ela ainda fala que as pessoas que fazem isso devem ter sangue azul ou ganhado na mega sena, que isso não funciona pra todo mundo e que as pessoas querem fazer só o que amam. Que isso é uma grande utopia e que isso deixa ela infeliz. Mas será?

Como comentei por lá, esse tipo de texto de gente que largou tudo pra fazer o que ama é o tipo de coisa que me move em direção ao meu sonho e ao que eu acredito. Não, eu não tenho sangue azul e muito menos ganhei na Mega Sena, eu tenho 27 anos, estudei em escola pública desde a adolescência, com muito custo fizeram esforço pra que eu fizesse um cursinho e consegui bolsa de estudo na faculdade que pude escolher fazer. Me formei e desde então trabalhava em agências de publicidade que sugaram minha saúde mental e física. Qual o problema de eu querer tentar fazer algo que me dê mais prazer?

Uma utopia dizer que fazer o que ama é não ter que trabalhar, isso sim. Eu estou fazendo algo que gosto, mas trabalho é trabalho. Tem muito problema pra resolver e muito imprevisto pra lidar, mas no final do dia eu sei que amo aquilo e deito em paz com a cabeça no travesseiro. Não é ter o lugar perfeito que NUNCA dá problema, e sim ter mais prazer que ódio. Você pode muito bem ser feliz em uma agência de publicidade que faz você trabalhar até altas horas da madrugada e te paga apenas a pizza pra você não morrer de fome. Conheço gente que ama isso e quer mais. Pra mim não deu, sou mimada por isso? Se ser mimada é escolher empreender na própria empresa, correr atrás de aprender administração, gerenciamento de projetos, costura, ilustração, marketing digital, planejamento estratégico e mais sei lá quantas coisas que já corri atrás pra aprender desce que comecei a cuidar da minha empresa, então ok.

Ninguém é obrigado a nada, principalmente a largar tudo, mas e quem quer? E quem aos trancos e barrancos começa algo que lhe traz paixão e brilho nos olhos, isso sendo uma horta orgânica, uma loja, um ateliê… acho linda a coragem dessas pessoas. Dá pra ser feliz de segunda à segunda sim, mas nada vem de graça, tudo vem com muito trabalho e dedicação, e isso sim é pra poucos.

Você também pode gostar desses

24 Comments on Texto: Ser Feliz de Segunda à Segunda

  1. Tem que largar tudo e ser feliz sim, o que adianta passar anos num trabalho que não te satisfaz?? Melhor ganhar pouco e trabalhar feliz do que se arrastar durante a semana fazendo o que não gosta. A gente acaba trabalhando mais mas a sensação de estar fazendo algo por você, pelo seu sonho é recompensadora.

  2. Eu não vi o video da Fê mas entendo o lado dela e o seu.
    Esses textos que a gente lê por aí sempre generalizam e falam que você não vai ser feliz se largar tudo.
    Acho que cada caso é um caso e cada um sabe onde o calo aperta e o que deve ou não largar pra viver melhor. O problema é uma geração se agarrar nessa ideia de que a gente só é feliz (e que vai ser) se largar tudo mas n contam o q realmente implica em largar tudo.
    Na vida todas as nossas ações tem consequencias e isso eh uma coisa q eu vejo pouco as pessoas saberem lidar, com elas. Aí galera se frustra.

    • @Nary,

      Acho que é aquilo, vai de pessoa pra pessoa. O que importa é escolher o que te faz bem. Mas vendo o vídeo da Fernanda de novo, eu vi que ela termina falando que o que importa é você ser feliz não importa se cultiva orgânicos ou não. Ou seja, ela pensa igual, só começou “revoltada” por conta de algum texto que ela leu e generalizou. =D

  3. Sério, isso de largar tudo e correr atrás de um sonho é o que me move também. Eu não acho que a gente vive para ser infeliz o tempo todo e sério, a gente passa mais tempo da nossa vida trabalhando, tem que ser algo que deixa a gente ser feliz né? Na agência que eu estava, eu vivia uma relação de amor e ódio. Amor por amar o que eu fazia, amor por trabalhar com uma equipe linda, que se tornaram meus amigos e vou guardar no coração pra sempre ? Mas ódio por ver o trabalho da equipe inteira ser desprezado tanto por clientes ricos e arrogantes que se acham dono do mundo, como também pelo o grupo o qual a agência fazia parte. Sabe, ouvir do gerente da agência formado em direito que ele fez uma arte no paint e demorou 5 minutos? Então, nesse nível… Eu sai sem um sonho pra seguir, porque confesso, não sei o que quero da vida, não sei se tenho um sonho ou fogo da palha, mas sai porque eu já tinha tido minha autoestima profissional destruída em outro emprego, não ia deixar isso acontecer de novo quando eu acabei de recuperar. Tudo bem que agora que eu estou desempregada eu ouço desmotivações de familiares, mas pelo menos não fico 8 horas do meu dia ouvindo isso, já é um pouco melhor rs E por enquanto continuo sem saber o que vou fazer, mas estou dando os meus pulos e tentando me encontrar profissionalmente falando…
    Desculpa o comentário desabafo hahahahahaha animei aqui rs
    Beijos! =**

  4. Desabafo mais que verdadeiro. Acho que os dois lados da moeda fazem mal: voce investir em algo que te deixa infeliz e nao te traz retorno e investir em algo que, inicialmente, te deixa feliz porém não compra o pão de cada dia. Achoq ue deve existir um meio termo. Conseguir se sustentar trabalhando em algo que goste; afinal a vida é uma só 🙂 um beijo!

  5. Concordo TOTALMENTE com você Chell, em gênero, número e grau. Já até escrevi sobre isso, na verdade a minha maior crise atual é essa, me vejo gastar a maior parte do meu tempo no trabalho (se fosse pelo menos algo que eu gostasse), são 10h por dia praticamente de domingo a domingo já que eu trabalho em escala de 5×1, então veja só, até os domingo e feriados eu passo trabalhando. Odeio trabalhos automáticos sem nenhum apelo criativo (pelo menos pra mim não funciona), parece que me faz murchar aos poucos, me tornando uma pessoa infeliz e mal-humorada #ninguemmerece

    Te recomendo MUITO a leitura dessa entrevista: http://revistatrip.uol.com.br/revista/245/reportagens/o-banqueiro-dos-pobres-muhammad-yunus-propoe-uma-nova-logica.html

    “Não somos robôs fazedores de dinheiro. A vida não pode ser reduzida a uma busca egoísta como essa” Muhammad Yunus

    “Uma questão essencial está na ideia de emprego. Quem disse que nascemos para procurar emprego? A escola? Os professores? Os livros? Sua religião? Seus pais? Alguém colocou isso na cabeça das pessoas. O sistema educacional repete: ‘você tem que trabalhar duro’. Seres humanos não nasceram pra isso. O ser humano é cheio de poder criativo, mas o sistema o reduz a mero trabalhador, capaz de fazer trabalhos repetitivos. Isso é vergonhoso, está errado. As pessoas precisam crescer sabendo que é uma opção se tornar empregado, mas que existe a possibilidade de ser empreendedor, seguir o próprio caminho. É arriscado, incerto, há frustrações, mas é bem mais estimulante. Arrumar emprego é o que é seguro, garantido. Mas sua vida será limitada ao que decidirem por você.” Muhammad Yunus

    • @Laila,

      Essa entrevista é ótimaaaa!! Já conhecia uahauhaua eu fiz o material de divulgação da palestra desse cara uma vez, quando trabalhava em agência. Inspirador =D

  6. Te entendo bem. É mais a questão de ter mais coisas das quais você gosta (ou suporta) do que coisas que você detesta no seu trabalho.
    Também acho lindo quem tem essa coragem e tô aqui de dedos cruzados por você, de coração. Um beijo!

  7. Me vi no teu post, Chell! Ando com uma mosquinha do lado, que vive dizendo: “começa o teu negócio, vai atrás disso”. hahaha Não odeio o meu trabalho, acho legal, mas tem coisas que eu quero muito mais, a ponto de passar a madrugada fazendo, sem ver a hora passar. Sinto uma certa vontade de chutar o balde e largar tudo, mas cheguei a conclusão de que preciso planejar. Acho que aí que tá a diferença. Tem um pessoal que “larga tudo” para ser feliz e acaba mal, porque não se planeja antes, não pensa em como executar cada passo. Mas também tem outros que se dão muitíssimo bem, assim como tu, provavelmente por tomar essa atitude com responsabilidade. Sou a favor de fazermos o que gostamos. Acho péssimo passar a vida num trabalho que não traz felicidade, muitas vezes por comodidade, medo de mudar. Mas tudo tem que ser bem pensado. Muito quis “largar tudo”. Só que agora quero fazer isso de um modo que eu não acabe mal depois. Talvez demore um pouco mais, vai exigir mais disciplina, estudo, planejamento, mas é por uma ótima causa. 😀 To na torcida por ti, viu? Beijão!

    • @Jonara Cordova,

      Acho que o “acabar mal” vai além de só planejar. As vezes você teve uma ideia que não rolou e pronto. Fora do Brasil se dá muito valor em pessoas que tentaram abrir um negócio, mesmo que tenham falido, sabia? Mostra destemor e proatividade =D

      Obrigada e ó, vai fundo =D

  8. E quando você se identifica com a publicação dos outros? Vivo isso diariamente. Aqui em casa quando eu disse que ia me formar em fotografia a expressão de tristeza da minha mãe foi imediada. Falando que eu não ia conseguir me sustentar, fiz o curso e infelizmente a crise agora ajudou a minha mãe ter razão e soltar aquela frase EU TE AVISEI. Estou trabalhando em outra área que não tem nada a ver com a fotografia, mas ainda não desisti.. As coisas vão melhorar e eu vou conseguir rs

    O lance é ter prazer naquilo que você faz. Fazer as coisas com amor ^^

  9. Já vi esse vídeo da Fê e concordei com ela. Mas o seu texto, me deu um novo olhar. Também saí de uma agência que me sugava no começo do ano. E ao contrário de muita gente, eu tinha meu trabalho valorizado (verbalmente, ñ financeiramente). Saí de lá sem um rumo, e ainda tô perambulando. A minha vontade é de ter algo meu. Acho que o X da questão é tentar.
    Bjos!

  10. Acho que o importante em tudo isso é estar em paz consigo. Seja trabalhando em um escritório o dia inteiro, seja largando tudo pra viver de artesanato. Se isso te dá paz de espírito, te dá satisfação e no final do dia você sente que não tem coisa que te dê mais contentamento em fazer, essa é a coisa certa pra você. Ficar impondo regras ou dizer que largar tudo é para todos é que não rola. Assim como você disse, com trabalho e dedicação chegamos longe! ?

  11. Acho que o que incomoda nessa discussão é a ilusão que algumas pessoas querem comprar de “aff, bem que eu queria ser a pessoa que largou tudo e foi ser feliz” sem entender como que aquela pessoa chegou ali. Como se fosse super fácil.
    Acho válido seguir seja lá o que vc quer fazer… e não entendo a necessidade do outro de chegar dando pitaco na vida dos outros. Dá pra ser feliz sim! Basta encontrar o próprio caminho (e deixar o coleguinha ser feliz com o caminho dele)! No fim das contas, prefiro me arrepender de ter tentado 😀
    E sei lá. Tem gente que prefere ficar onde está, mesmo se infeliz, por medo de tentar algo ousado. Tudo bem também oras. Vai muito de cada um né?
    Não vi o vídeo que vc mencionou, vou lá ver. Beeijos

  12. Cada um tem uma motivação diferente, um sonho, uma visão de mundo, o que é felicidade.. acho que não existe regra pra isso, cada um faz o que achar melhor pra si e em busca da sua própria felicidade. Eu também adoro ver esses textos de gente que corre atras dos sonhos, isso tb me motiva pra ir atras do céu. E muitas vezes pensar que essas pessoas que largaram tudo pra fazer o que gostam são ricas que podem simplesmente mudar, é muito errado, porque é tudo muito lindo mostrar só o resultado, mas quem tá de fora esquece de ver que pra chegar até ali a pessoa teve que ralar muito. Parabéns por ter corrido atras de tudo isso e ter mudado o lance da agencia que não te fazia bem! E que vc seja feliz sim de segunda a segunda 🙂

    ps: essa foto maravilhosa da Noruega na abertura do post <3 só amor

    • @Taís,

      Essa foto é lindona né? =D
      Obrigada pelo comentário. É bem assim mesmo, pessoal só vê e julga, isso é normal, mas poxa, pensemos um pouco mais né?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *