Bem, eu não fui ao show, mas uma super amiga minha foi e pedi que ela fizesse uma resenha pros fãs que não puderam comparecer. Então apresento a todos, minha amiga Tábata Gaza.


Alguém de vocês já realizou um sonho algum dia? Pois então vocês sabem o que é aquele friozinho na barriga, as mãos trêmulas, as noites mal dormidas e a ansiedade fora do normal que antecede o grande momento. E sabem também exatamente o que eu senti no último sábado (29 de maio), durante o show do Aerosmith, no Palestra Itália em São Paulo.

Como fã com direito a tatoo no pescoço referente à banda, vou fazer um relato mais do que apaixonado e descaradamente “tiético” do que foi a apresentação que praticamente lotou o estádio do Palmeiras e alucinou milhares de pessoas que esperavam desde 2007 pela nova turnê da banda na América do Sul.

Logo depois do Cachorro Grande, banda gaúcha encarregada de abrir o espetáculo, uma bandeira enorme, vermelha e azul, com um símbolo branco do Aero, cobriu todo o palco e, depois de 12 longas horas de espera (contando a viagem de Poços-MG até São Paulo), exatamente às 21:38 (no meu relógio!), eu ouvi uma palavrinha que não vou esquecer nunca mais: “Oi”, dito pelo Steven Tyler, um pouco antes de começar a tocar uma música do Bob Dylan.

Na mesma hora, o palco todo se acendeu e um efeito de luzes maravilhoso começou a aparecer por trás da bandeirona. O som da bateria do Joey Kramer começou a encher todo o lugar e, de repente, a banda surgiu, tocando Eat the Rich, que não é uma das minhas músicas favoritas, mas que ficou maravilhosa ao vivo.

Depois disso foram exatas 2 horas de pura boa música e emoção à flor da pele! Mesmo com 62 anos, Tyler mostrou uma energia que faz muito mulequinho dessas bandas novas morrerem de vergonha e provou que sua voz continua como sempre: impecável. Isso sem mencionar o monstro Joe Perry que faz o que quer com a guitarra e deixou todo mundo boquiaberto o tempo inteiro.

Apesar de gostar muito de Crazy e Cryin´, e estar esperando desesperadamente por essas duas músicas, nada foi tão emocionante quanto ouvir o Palestra inteiro cantando What it takes, sem os instrumentos, acompanhado apenas pelo Steven. Me arrepiei inteira nessa hora e tenho certeza que a maioria das pessoas que estavam lá sentiram a mesma coisa. Foi simplesmente fantástico!

Além disso, eles ainda tocaram dois blues, Stop messing around e Baby, please don´t go, do novo CD- Honkin´ on Bobo ( que é excelente pra quem gosta do gênero e eu, particularmente, recomendo “The grind”, que é simplesmente perfeita) e todos os outros clássicos como Dream on, Love in the elevator, Falling in Love e Living on the Edge.Todas sensacionais, é claro.

E, para terminar, depois de deixar a todos estarrecidos com a performance perfeita, eles ainda voltaram ao palco para cantarem mais duas músicas: Walk this way e Toys in the Attic, que encerraram a noite.

Para mim, foi um dia que eu sempre sonhei em viver. Ver o Tyler ali ( não tão pertinho, porque eu fiquei na arquibancada) no mesmo lugar que eu, conversando o tempo todo com o público e com uma bandeira do Brasil no palco foi excepcional! E, para quem perdeu, fica pelo menos o relato…e um gostinho de quero mais, viu?! Quem sabe na próxima turnê??

Fotos por G1 e Tábata Gaza.

Você também pode gostar desses

4 Comments on Show Aerosmith São Paulo 2010

  1. eu tive a sorte de ver eles quando vieram em 2007, mas também fiquei lá longinho, mesmo assim é excepcional a emoção que rola num show de uma banda que se gosta ainda mais de uma banda lendária como aerosmith.

    ps:curti o cabelo ;D

    ;.*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *