Caros amigos e amigas que lêem este blog, se vocês não sabem eu sou formada em Desenho Industrial com ênfase em Programação Visual, mas pode me chamar de designer. Minha profissão surgiu junto com a Revolução Industrial em meados do século XVII e veio para o Brasil na década de 60, período de criação do Instituto de Arte Contemporânea do Masp (1951) e a inauguração da Escola Superior de Desenho Industrial (Esdi) (1963). Desde estes tempos longínquos a minha profissão existe e é essencial para o mercado, porém ela nunca foi reconhecida. Isso mesmo, minha profissão não é regulamentada, não temos piso salarial, não temos deveres e obrigações para com algum orgão, como o CREA no caso dos engenheiros, e nem podemos responder pelos nossos projetos. Com a regulamentação a profissão fica mais séria e os projetos tentem a ficar cada vez melhores, além de podermos responder legalmente pelos projetos que fizermos. A regulamentação vai nos garantir mais direitos de ser um profissional decente.

O salário inicial de um profissional da minha área que estudou quarto/cinco anos em uma faculdade, que pode ter gastado quase 40 mil reais durante este período (em mensalidades) e que se esforçou para ser um profissional bom para o mercado é de 1000 reais. Sim. MIL REAIS. Enquanto o valor pago para um técnico eletrotécnico é de R$ 1500,00. Aí eu te pergunto, eu fui muito burra em escolher esta profissão e devia ter feito engenharia, ignorando as coisas que gosto de fazer apenas pra poder viver com dignidade, ou simplesmente é injusto o valor pago para um profissional da minha área?
Mas a principal parte que será beneficiada com isso serão os empresários e os consumidores destes projetos, pois o design é uma atividade de alto risco e com algum tipo de fiscalização ele pode se garantir de estar recebendo o melhor de um profissional.

Nesta quarta-feira, dia 21 de março, vai para votação na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público – CTASP a pauta que fala sobre a regulamentação da profissão de designer. Como a esperança é sempre a última que morre, estamos nos unindo para que isto dê certo. Então se você é profissional/estudante/professor da área entre neste link e veja o que você pode fazer para ajudar isso acontecer.

Juntos somos mais.#vaidesigners

Você também pode gostar desses

5 Comments on Sim, eu sou designer e sou regulamentada! #not

  1. Ai, ai, ai, estamos na mesma! Estou no 5º semestre de Design Digital, saída de uma faculdade mal sucedida de Jornalismo (que ainda por cima caiu o diploma) e meio frustrada com tudo. É por essas e outras que farei outra faculdade quando, enfim, terminar essa. Não me encaixei muito bem nesse meio e não sei se aguento toda essa pressão pra cima dos designers, quem sabe me encontro em outra área? 😀
    Torcendo muito pra sair algo bom da votação!

    :*

  2. Olá Michelli.
    Pois é, e vc ainda tem sorte de estar numa profissão regularizada. Lembre-se que, há muito tempo atrás muita gente que nem era DESIGNER, “fazia misérias”, ou seja, revistas como o CRUZEIRO, criava logotipos como os do UNIBANCO, desenhava liquidificadores como os da WALITA, desenhava selos dos Correios, nota sdo nosso dinheiro e, ninguém nem sabia se exstia tal PROFISSÃO.

    Faço votos de sucesso! ( eu sou artesão eA-I-N-D-A não tenho profissão regulamentada; mas, se estivesse na Noruega, certamente, SIM!!

    • @Orlando P.de Sousa,

      Então, eu não sou regularizada rs, o post fala justamente sobre isso. Mas força pra nós! Um dia chegamos lá né?

      Volte sempre!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *