aquarela

Testando Papel de Aquarela

Papéis de Aquarela, qual a diferença?

Foto de papéis de aquarela em branco.

Esses dias fui mexer nas minhas coisas e descobri que eu tinha sete tipos de papéis diferentes para aquarela. Alguns em bloco, outros em pedaços menores que sobraram de outros tempos, de quando eu comecei a resolver aprender a técnica e tive aulas com a Sabrina Eras, de vários tipos e marcas diferentes.

Acontece que se tem uma coisa que sempre me intrigou é a diferença que o papel dá quando você vai pintar. Eu achava que não importava o papel de aquarela e a tinta que eu usava, (que quem sabe pode ser o próximo tópico) mas na verdade eles mudam muita coisa, por isso peguei um pedaço de cada e resolvi mostrar pra vocês as diferenças e contar um pouco mais sobre eles.

Papéis de aquarela com suas descrições.

Quais tipos de papel de aquarela existem?

Podemos diferenciar os papéis de aquarela pelo material de que são feitos, os mais comuns são os 100% celulose (feitos de fibras de madeira) e os que são 100% algodão. Os de algodão costumam ter uma melhor absorção da água e do pigmento, por isso são os preferidos de quem pinta. Existem alguns papéis interessantes com fibras de banana, bambu, mas que são mais difíceis de encontrar.

Também diferenciamos os papéis pela maneira que são feitos. Temos os coldpressed (prensados à frio) e os hotpressed (prensados à quente). Os papéis coldpress costumam ser mais rugosos, tem mais textura e uma secagem mais demorada. Os hotpressed são mais lisos, puxam menos água e secam bem mais rápido.

Além disso ainda vem a diferença de textura. Os papéis torchon ou rough grain são bem rugosos, com uma textura bem marcada. Os grana-fina, goft Grain ou fin tem uma textura um pouco mais suave e o satinado, ou satine, quase não apresenta textura, é até gostoso passar a mão e sentir o papel.

Depois de escolher tudo ainda temos que escolher a gramatura do papel, de maneira mais simples, a espessura. Para trabalhos com mais água são indicados sempre papéis com uma gramatura mais alta, como 300g, mas encontramos também em gramaturas menores, como 240g e 180g. Quanto menor, mais fina a folha.

É legal saber se o papel que você compra é Acid Free, que significa que este papel tem pH neutro dificultando o amarelamento do papel com passar dos anos.

Os papéis que eu já testei

Abaixo eu vou mostrar os papéis que tenho em casa. Fiz um pequeno teste em cada um da mesma maneira pra vocês verem como a tinta reage. Usei a mesma tinta (Lukas Dioxazine Violet) em todos também. Na parte de cima um degradê seco (pincel com tinta em cima e puxa o pigmento com água) e embaixo um borrão molhado (mancha de água pura no papel com pontos de pigmento). Também consegui pegar a textura do papel nas fotos, acho que vocês vão conseguir ver a diferença de um para o outro, sendo da mesma marca.

Arches

Arches 300g Coldpress Torchon

Arches 300g Coldpress Grana Fina

Arches 300g Hotpress Satinado

Dá pra ver claramente a diferença de textura de um para o outro, todos da mesma marca, porém com texturas diferentes. Dá pra ver também como a tinta seca mais rápido no satinado, perceba como a tinta corre pouco e quase não espalha a mancha, já no torchon a mancha fica bem mais suave.

Comprei os Arches logo no começo das aulas de aquarela com a Sabrina. Ela falou que se desse era legal comprar as folhas de várias texturas e testar o que cada uma fazia. O torchon eu tenho o bloco, mas as outras comprei em folhas grandes e cortei, separei em saquinho e marquei o nome. Gosto bastante dessa marca, acho que as coisas que faço nesses papéis são bem bacanas (claro que depende da habilidade da artista aqui), mas o preço desse papel já é mais salgado por ser um produto importado. Só uso essas folhas em encomendas que me fazem para quadrinhos, ou coisas assim.

Canson

Canson 300g Montval Grana Fina

Canson 300g Moulin du Roy Grana Fina

Canson 300g Moulin du Roy Satinado

Esses eu descobri a pouco tempo, mas que tem um custo benefício bem bacana já que tem bloco com 100 folhas a preço bem bacana em algumas lojas. O Montval é uma linha mais estudante, tanto que é 100% celulose e dá pra ver em comparação com os outros a diferença de como o pigmento reage. A textura não é tão forte (algo que eu particularmente não gosto) e dá pra fazer coisas mais delicadas.

A série Moulin du Roy é uma delícia! O satinado tem uma textura maravilhosa, mas já garanto que não é nada fácil domar a tinta nessa folha. Ganhei umas duas para testar e dei uma sofrida nos exercícios (lembra que a tinta seca mais rápido?), e nisso o grana fina já fica bem bacana, pois é quase sem textura e não seca tão rápido quanto ao satinado. Dos que usei, o meu preferido é este verdinho!

Lukas

Lukas 180g Coldpressed

Comprei um bloco desta folha em um curso que fiz na Sala Ilustrada com a Sabrina, pois não tinha papel pra treinar em casa, e na época quebrou meu ganho. A textura dele é bem diferente dos anteriores, a gramatura também é menor, o que faz ele enrugar bem mais dependendo da quantidade de água aplicada. Para quem está começando e quer um papel para treinos, vale sim, mas hoje indicaria mais o Montval pela gramatura e a textura, que me agradaram mais.

Qual é o melhor papel de aquarela?

Quando descobrimos as características dos papéis ficamos bem perdidos e não sabemos qual escolher. Tantas possibilidades, características e marcas, uma doidera. O que tenho pra dizer é o seguinte: experimente! Tente arrumar com pessoas papéis variados, ou se você puder, invista em folhas de marcas e texturas diferentes para testar. Não tem uma MELHOR, tem a que você vai gostar mais de trabalhar e a que você vai mais se adaptar.

Eu demorei pra entender as diferenças das folhas e o que elas causavam no resultado do que faço, mas hoje já sei a folha que tenho que usar para o resultado que eu preciso ou quero atingir.

Espero que com este post eu tenha conseguido explicar um pouco sobre os papéis de aquarela e que vocês tenha ficado com vontade de sair pintando por ai.
Ajudinhas do blog da Kris Efe.

Download: Wallpaper de Abril – Isca

Ilustração: Papel de parede de Abril- Isca

Simulação do papel de parede de computador com uma sereia quase encostando em um anzol.

O desenhar

Completo agora em abril três meses estudando desenho diariamente. Antes eu estudava, mas não com a frequência que estou fazendo agora, me obrigando a desenhar todos os dias. Na verdade não é obrigação e sim aceitação de que tenho que deixar um tempo livre pra mim, pra que eu melhore no que eu gosto de fazer. Nesse tempo eu estou buscando informações e rabiscando por vários lugares que vou, o que está me rendendo uma visível melhora, até pra mim, a pessoa mais cética e sem auto-estima que conheço.

Detalhe da ilustração feita em linhas e pontilhismo

Inspiração

Pra comemorar este sentimento em mim, resolvi pegar pesado no wallpaper deste mês e me dediquei bastante em uma arte que fiz em um estilo que gosto muito de fazer, mas que só comecei a reinventar depois de uma mesa de avaliação de portfólios que participei recentemente. Aliás, só tenho a agradecer as pessoas que estavam ali, mal sabem o bem que me fizeram. Mal sabem como meu coração se encheu de esperança e vontade de correr atrás.

Fiz o desenho em uma folha A3, pra que eu pudesse rechear ela de detalhes, e depois fiz tudo em linhas e uma técnica que eu ADORO: pontilhismo. É até engraçado pensar que uma pessoa ansiosa consegue ficar fazendo pontinhos num papel, mas é dessas surpresas que nossa cabeça apronta.

Pra deixar a arte mais linda e colocar aqui na parede de casa, eu usei uma tinta que comprei recentemente, da marca Pestilento (breve vou falar dela aqui tim-tim-por-tim-tim), pra dar um ar feérico e encantado na composição. Abaixo as fotos da aplicação pra vocês entenderem este efeito metálico azulado que a tinta dá.

Detalhe da ilustração com aplicação da aquarela aparecendo amareladaCom aquarela, de frente.

Detalhe da ilustração com aplicação da aquarela aparecendo azulada na luzSem aquarela, na luz.

Detalhe da ilustração ainda sem aquarelaSem aquarela.

Comente e deixe eu saber se vocês gostaram deste tipo de ilustração. Em breve você poderá comprar este pôster lá na Alpaka.

Pra baixar é só clicar nos links abaixo,
de acordo com a resolução desejada:

1920 x 1080 | 1600 x 1200 | Celular

Material utilizado: Papel Canson 200g A3, canetas Sakura Pigma Micron 0.1, 0.3 e 0.8 à prova d’água, pincel Coatman Winsor & Newton nº 04 e aquarela Pestilento Vanilla.

creative commons

Ilustração: Baleias que Me Habitam

Alguns dias eu fico mal por conta da ansiedade e não consigo trabalhar direito. Por conta disso entro em um loop meio maluco de: não trabalho, fico nervosa porque não consigo trabalhar, fico mais nervosa porque não consigo trabalhar. No fim das contas a coisa vai crescendo e as vezes até percebo que não estou respirando. É muita coisa na cabeça, muita preocupação, que pode parecer pequena vista de outros olhos, mas quando se misturam na mente de uma pessoa ansiosa, isso vira um turbilhão.

Pra ficar melhor eu sentei e resolvi fazer um desenho que estava prometido pra uma amiga fazia tempo. Deixei sair o que eu estava sentindo, juntei com coisas que eu gosto (baleias e aquarelas) e saiu essa gracinha trabalhada na simplicidade e no pontilhismo. Fiquei bem feliz com o resultado e resolvi trazer aqui pra vocês verem, e pra falar um pouco dessa minha fase.

Sempre que me sinto meio mal com a vida/carreira eu me viro para meus desenhos. Sempre. De um jeito ou de outro eu me entrego aos lápis que tenho na mesa e deixo fluir. Por conta disso decidi este ano voltar a estudar com seriedade, para melhorar minhas habilidades e quem sabe, trazer mais coisas do tipo pra minha vida. Estou mantendo a promessa desde janeiro, estudando certinho, fazendo cursos do Schoolism (breve falo deles aqui), e me dedicando a este lado que sempre esteve comigo.

O desenho, além de algo que amo, é algo que me ajuda muito a acalmar e enfrentar os dias ruins. Não importa o que eu desenhe, a coisa flui e eu fico bem. Se assim me sinto, resolvi aceitar e deixar acontecer. Que esses pensamentos pesados (baleias) dentro da minha cabeça se tornem cada dia mais leves e sirvam pra que eu me mantenha firme nos meus propósitos.

Materiais utilizados: Aquarelas Winsor & Newton e Lukas. Pincéis Cotman Winsor & Newton nº 7 e 4. Caneta Sakura Micron 0.1 e 0.3. Papel Canson Montval 300g.

Download: Wallpaper de Março – Rosas

Roses

Calma que hoje é dia primeiro, já passou das 10 da manhã, horário que costumo liberar o papel de parede do mês, mas eu tô chegando com ele! Antes tarde do que nunca, né?

Pra este mês eu resolvi me inspirar em um dos filmes mais esperados do mês, quem sabe até do ano, “A Bela e a Fera”, e trouxe rosas lindas e delicadas em aquarela para enfeitar os seus digníssimos papéis de parede. Além deste freebie gracinha, ainda vai rolar mais coisa temática do filme/animação por aqui e espero que vocês gostem.

Fevereiro foi um mês muito corrido e passou rápido demais, talvez por ter alguns dias a menos ou pela quantidade de coisas que fiz, foi assim com vocês também? O ano mal começou e já estamos no terceiro mês, isso meio que me assusta. Então um wallpaper bem tranquilo e leve pra gente passar março bem tranquilos.

Pra baixar é só clicar nos links abaixo, de acordo com a resolução desejada:

1920 x 1080 | 1600 x 1200 | Celular