comédia

Assistir: Anne With An E | 2ª Temporada (2018)

Anne With An E e mais uma temporada deliciosa

Anne e Daiana - Anne With an E

Sobre a segunda temporada

Dois hóspedes de Green Gables podem estar aprontando alguma coisa muito estranha. Enquanto isso Anne se questiona sobre seu papel no mundo e qual profissão deve seguir. Uma nova professora aparece na escola depois de muitas mudanças, mas ela é certa para ensinar as crianças dali? Enquanto a cidade vive e passa por mudanças, Gilbert vai trabalhar em navios e conhecer um grande amigo e novos lugares que vão transformá-lo.

Você pode gostar também de The Handmaid’s Tales.

A nova professora - Anne with an E

O que achei?

Assistir cada episódio de Anne é como andar de manhã entre árvores com raios de sol brilhando entre galhos com uma leve brisa batendo no rosto. A série traz temas tão atuais, e talvez polêmicos, de uma maneira tão doce que faz suspirar.

Na segunda temporada temos uma Anne questionadora sobre o futuro, sobre escolhas e sobre quem ela é. Ela tenta encontrar naquele lugar uma resposta para o que ela será, já que parece que tudo é tão distante e não possível em sua pequena fazenda. Green Gables começa a se fazer pequena para nossa querida Anne, sem ela se dar conta.

O melhor episódio para mim é o da festa. Alí temos dois personagens, Anne e Cole, se descobrindo, vendo possibilidades e abrindo os braços pro que pode acontecer com eles. E além deles Diana, grande amiga de Anne, mas que ainda carrega toda tradição e conservadorismo da pequena fazenda que vive. É nítido o desconforto perante vários questionamentos que ela sofre e como ela começa a se diferenciar de todos ali. Um episódio cheio de sutilezas, com figurinos e cenários maravilhosos.

Com a chegada de Sebastian, grande amigo de Gilbert, começamos também a ter ótimas cenas e questionamentos sobre preconceito racial. Alí cabe tantos temas atuais que é até difícil falar todos!

Uma série tão doce que trata sobre homofobia, xenofobia, preconceito racial, feminismo, misoginia e auto-aceitação de uma maneira tão poética merece cada minuto de atenção. Ainda bem que a Netflix atendeu ao chamado de todos os fãs e disse que vamos ter uma terceira temporada. Queremos ver Anne se tornar uma mulher maravilhosa Netflix!

Se você ainda não viu esta série, indico começar agora.

Sebastian

Assistir: Hwarang (2016)

Hwarang, o dorama cheio de beleza

Cartaz de Hwarang

Sinopse

A rainha Ji So administra Silla desde a morte do rei. Ela manteve seu filho longe do trono para garantir a segurança dele, mas a paciência do garoto e dos nobres à sua volta está acabando. Para proteger o rei dos dissimulados nobres, Ji So reúne um grupo de jovens e belos guerreiros, conhecidos pelo povo como Hwarang.

O líder dos Hwarang é Moo Myung, um jovem de família simples que se tornou um lendário guerreiro e vive como se não houvesse amanhã. Com a determinação de um cão e a liberdade de um pássaro, ele fará o que for necessário para proteger a mulher que ama.

Go Ah Ra é uma mestiça que trabalha duro para sustentar sua família, mas consegue se manter focada e animada apesar das dificuldades. Além de médica dos Hwarang, ela também é a dona do coração de Moo Myung.

Park Hyung Sik é o filho da rainha e herdeiro do trono, que viveu uma vida solitária. Ele se esconde para evitar ser assassinado, mas está impaciente para ocupar o trono, e isso o leva a se tornar um Hwarang com o objetivo de eliminar os nobres que ficarem em seu caminho.

Eles e os outros Hawang lutarão para que a ganância dos nobres de Silla não contamine o trono – isto é, se as lutas deles próprios não interferirem.

Hwarang é baseado na história real do grupo de guerreiros de elite que foi formado por volta do século X, em Silla. Embora tenham sido conhecidos apenas como belos guerreiros no começo, a lenda dos Hwarang cresceu muito na Coreia, e hoje eles são considerados como respeitados heróis.

Os Hwarang se apresentam

O que achei de Hwarang?

Apesar de ter no elenco vários atores que eu adoro, como Park Hyung Sik (Strong Woman Do Bong Soon), Hwarang foi um dorama bem fraco e ficou bem abaixo dos que eu estava assistindo. Foi até bem penoso terminar de ver, mas no fim eu até que me diverti.

A Ro foi uma protagonista muito fraca. Sem atitude e chorona demais, aqui a gente gosta é de ver mulheres que vão atrás das coisas como A princesa Sookmyung por exemplo, que apareceu lá pro meio da história e ficou mais interessante que a mocinha.

A Ro e sua amiga
A Ro e Soo Yeon

Sam Maek Jong é o melhor que acontece para o dorama. Apesar de ser um personagem mais secundário, o rei rouba a cena do nosso mocinho Moo Myung e acaba sendo uma das melhores coisas da história. Ele cresce muito como personagem e toma conta a coisa toda.

Rainha Jiso
Rainha Jiso

No resumo de tudo, até me diverti assistindo Hwarang, mas indicaria outros para as pessoas, passou longe de ser um dos meus preferidos. E você? Já assistiu?
Se você quiser assistir este e outros doramas, indico muito o Drama Fever.

Assistir: Strong Woman Do Bong Soon (2017)

Dorama: Strong Woman Do Bong Soon

Do Bong Soon carregando Ahn Min-hyuk nas costas
Do Bong Soon e Ahn Min-hyuk

Sinopse

“Uma garota incrivelmente forte morre de amores pelo crush de infância dela, mas ele, infelizmente, gosta de mulheres que são muito mais elegantes do que a desajeitada Bong Soon. Enquanto tenta conquistá-lo, ela consegue um emprego como guarda-costas de um CEO lindo. No entanto, nem ela tem a força necessária para romper o ego impenetrável de seu chefe cabeça dura, o arrogante Ahn Min Hyuk, CEO de uma empresa de jogos. Ele é esquisito, mimado, dominador e muitas vezes mostra um absoluto desrespeito pelas regras e cortesia comum. A personalidade dele bate de frente com a da certinha Do Bong Soon, mas não demora muito tempo para o gelo entre os dois começar a derreter e as coisas começarem a esquentar. Será que o CEO do jogo se tornará uma pessoa melhor e conquistará o coração da nossa mulher forte? Ou será que ela sempre suspirará pelo homem que não gosta da força que a torna única?”

In Guk-doo e Ahn Min-hyuk
In Guk-doo e Ahn Min-hyuk

O que achei?

De primeira este dorama me ganhou por conta de: EDIÇÃO. Barulhinhos divertidos, efeitos bem parecidos com coisas da internet e memes rolam em vários momentos e eu adorei a maneira que usaram isso pra dar o toque comédia na história. Apesar de fazer rir, este dorama tem uma pegada policial bem legal e realmente te pega e faz ficar apreensível até final.

Do Bong Soon é muito meiga e cativante e é visível o crescimento da personagem ao longo da história, assim como os sentimentos dela por Guk-doo e Min-hyuk. Os personagens crescem juntos com o passar da série e leva a um final bem bacana.

Destaque para Baek Soome que me fez rir demais, adorei o toque de celular dele com o saudoso “Tônico com Guaraná”, quem lembra? Mas pra mim o melhor personagem foi Oh Dol-pyeo. Era ele aparecer e eu dava risadas com certeza.

Oh Dol-pyeo
Oh Dol-pyeo, o melhor personagem?

Toda história é bem desenvolvida, apesar do núcleo todo dos irmãos de Min-hyuk acabar ficando meio pra trás depois de um tempo, isso não me incomodou nem um pouco, pois entendi que ele serviu pra um propósito, mas podiam ter colocado eles no final – que eu não vou contar aqui.

Comédia, ação e romance pra gente ficar suspirando muito. Recomendadíssimo! Aliás, agora meu toque de celular é igual da Do Bong Soon. Divertidíssimo e destrambelhado.

Kim Jang-hyun, vilão de Strong Woman Do Bong Soon
Kim Jang-hyun

Assistir: Girlboss (2017)

Girlboss, a série.

girlboss

Sinopse

“Sophia Amoruso é uma garota que vive na pindaíba e pulando de emprego em emprego. Um dia ela vende uma roupa que achou em um brechó pela internet, faz um bom dinheiro com isso e resolve abrir um negócio próprio. A história é baseada no livro da própria Sophia e no livro com o mesmo nome da série porém depois da primeira temporada ela já foi cancelada pela Netflix.”

O que achei?

Fui com bastante cede ao pote quando comecei a ver esta série, afinal uma mulher empreendedora que começou aos poucos seu sucesso é algo que seria ótimo para quem sabe me inspirar e até me espelhar, mas estava bem enganada.

A série leva uma pegada meio comédia trágica e escrachada com cenas de Sophia roubando coisas, sendo totalmente egoísta com amigos e isso foi me incomodando de um tanto que peguei antipatia pela personagem.

Não entendi o que demais aquela pessoa teve pra que resolvessem gravar uma temporada inteira mostrando como ela foi péssima com pessoas queridas ao redor dela e como ela foi construindo seu império – que hoje não existe mais – em cima disso. Talvez se eu ler o livro eu conheça uma nova Sophia, um pouco mais madura e preocupada com os outros, mas depois da série eu tenho muitos outros livros pra ler na frente.

Conheço algumas pessoas que adoraram a série, mas fico feliz de viver em um mundo em que “Girlboss” é cancelada e “Anne With an E” vai ter segunda temporada.


No final das contas as únicas coisas que gostei da série foram a jaqueta que ela vende no começo e um pouco da trilha sonora.