ficção

Leitura: Castelo de Cartas – Rei – Camila Loricchio

Capa do Livro Castelo de Cartas volume 3, Rei

Sinopse

Tensão, mistério e o tempo escorrendo como areia em uma ampulheta. Nesse último livro da Trilogia das Cartas começa a última e mais importante caçada da vida das personagens. Beatrice e Jack se encontram separados dos companheiros. Frentes de busca são formadas. O desespero permeia o ambiente enquanto o tempo se esvai e cada passo perdido pode selar um destino infeliz. Em Castelo de Cartas – Rei temos o aguardado desfecho da história; depois de 8 anos de escrita, a trilogia chega ao seu fim, e a jornada de Beatrice também. Do site da autora.

Ilustração interna do livro Castelo de Cartas volume 3, Rei - Uma sombra de um adulto com outras duas pessoas menores ao lado

O que achei do livro?

A Camila, autora do livro, é minha conhecida de muitos tempos. Já falei sobre os outros dois livros dela – Dama e Valete – por aqui há um bom tempo atrás e ano passado ela colocou em prática um Catarse para lançar o terceiro e último livro da trilogia, o volume do Rei. Claro que eu não poderia ficar de fora e entrei logo na vaquinha.

Ao longo de tantos anos Beatrice amadureceu – assim como a escritora – e fica claro este crescimento. Por meio de um ritmo bem acelerado, que gera na gente uma sensação de urgência e ao mesmo tempo dá uma dinâmica gostosa ao livro, todos os personagens começam a se reunir para achar a personagem principal da história que desapareceu e ninguém sabe onde está. Eu demorei um pouco para me situar, afinal foram anos de diferença entre a leitura do segundo volume e deste agora, mas logo peguei o jeito.

Senti muita falta de ver e ler mais sobre a Beatrice, mas no final tudo foi esclarecido e eu achei um desfecho digno para uma história de fantasia.

Se você se interessou pela história, compre os livros da Camila pelo site do Coletivo Editorial.

Assistir: 3% (2016)

3% – Três por cento, série brasileira no Netflix

Três por cento, série brasileira no Netflix, escrito em um fundo cinza.

Sinopse

“Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá. ” Sinopse de 3% por AdoroCinema.

O que achei?

Eu já conhecia a história da série, pois no tempo que eu estava na faculdade eu fazia parte de um podcast com amigos – o saudoso Séries no Ônibus – e tivemos a oportunidade de entrevistar os criadores (sim, foi demais!). Hoje não lembro de muita coisa – foi em 2011! – mas todos havíamos gostado muito do piloto que estava na internet e torcíamos para que ela fosse pra frente. E não é que foi?

A primeira série brasileira no Netflix vem com tudo na ficção e jogando muitas coisas que ocorrem hoje no mundo na nossa cara, talvez de uma maneira caricata e mais exagerada, mas nada que George Orwell não tenha feito um dia na vida.

Começamos a entender o processo seletivo para entrar no Lado de Lá e as motivações dos personagens aos poucos, assim como suas personalidades. É bem interessante a maneira que isso foi sendo construído e como muitas vezes somos surpreendidos. Aos poucos máscaras vão caindo e conseguimos nos aproximar mais de alguns personagens.

Alguns efeitos especiais podiam ser melhorados? Acho que sim, pois são bem poucos, mas a maneira como conseguiram apresentar as diferenças e as locações eu gostei bastante. No geral, a série faz você ficar grudado na cadeira, te entretêm, mas sem nenhuma grande novidade. O feijão com arroz que empolga e faz a gente querer uma segunda temporada.

Quero destacar aqui uma parte que eu adorei: o design dos figurinos e de alguns objetos. Afinal, designer que é designer presta atenção nessas coisas.

E vocês assistiram? Que acharam? Conta aí pra mim nos comentários!

Assistir: Black Mirror

Black Mirror: você tem que assitir.

black_mirror_1

Uma espécie de híbrido entre “The Twilight Zone” e “Tales of the Unexpected”, Black Mirror explora sensações do mal-estar contemporâneo. Cada episódio conta uma história diferente, traçando uma antologia que mostra o lado negro da vida atrelada à tecnologia.

black_mirror_2

Sobre a série

A primeira temporada de Black Mirror foi ao ar em dezembro de 2011 e contou com três episódios. Desde lá já foram, também com três episódios, a segunda temporada (2013) e terceira com seis. Diferente das séries que estamos costumados, Black Milk mostra em cada episódio uma história nova feita pra acabar com sua cabeça.

A série com ares de “Admirável Mundo Novo” em muitos episódios, vive mostrando futuros fictícios muitas vezes bem próximos do que entendemos hoje, com muita crítica ao que somos ou viremos a ser. Será? Os temas tem quase sempre a ver com tecnologia e a maneira que utilizamos ela.

black_mirror_3

O que achei

O episódio mais perturbador pra mim foi o “The National Anthem”, primeiro episódio da primeira temporada, que mostra o primeiro Ministro da Inglaterra tendo que fazer algo super absurdo para salvar uma princesa. Foi sufocante ver o sofrimento do personagem e a reação das pessoas.

O mais fofo, com certeza é “San Junipero”, no qual em um futuro fictício as pessoas morrem, mas podem escolher viver em suas consciências em computadores, pra sempre. Uma delicadeza, uma poesia, figurinos maravilhosos, tudo lindo. Amor demais pra mim.

black_mirror_4

Vocês já tinham ouvido falar dessa série? Já assistiram? Qual seu episódio favorito?

Quadrinhos: Cerulean e Farofrance

cerulean_farofrance_1

Vem conhecer “Cerulean”, obra de Catharina Baltar, e “Farofrance”, de Giovana Medeiros, duas ilustradoras brasileiras que correm atrás e publicam seus quadrinhos de maneira independente.

cerulean_farofrance_2

Cerulean

“Cerulean conta a história de uma curiosa sereia de cabelos azuis cerúleo e seu pequeno amigo cor de rosa, Ollie. Eles vivem tranquilamente no fundo do mar, até que um dia Cerulean encontra um objeto misterioso e brilhante em uma caverna: um celular! Cada vez mais encantada com a tecnologia humana, Cerulean precisa aprender a lidar com dois mundos completamente diferentes.” Catarse.

cerulean_farofrance_3

Catharina trouxe através do Catarse um quadrinho super gracinha e gostoso de se ler. Com ilustrações bem coloridas ela conta a história de uma sereia que descobre a tecnologia, e assim como Ariel, ganha pernas para ver o mundo com outros olhos, desta vez com óculos. Além da história principal, a HQ conta com algumas histórias rapidinhas no final, que particularmente viraram minhas prediletas.

cerulean_farofrance_4

Farofrance

“Giovana Medeiros que ela manteve entre os dias 27 de maio e 1 de julho de 2014, pela Europa. No quadrinho ela conta sobre passagens que ocorreram na viagem e curiosidades dos lugares.”

cerulean_farofrance_5

Este quadrinho da Giovana é um amorzinho! Além de conseguirmos viajar com ela pelas memórias e acontecimentos da viagem, o traço característico da artista faz a gente morrer de fofura a cada página virada. Se você procura uma obra leve, esta aqui é super indicada.