homens

A Vida de Quem Vai pra Barzinho

Devo confessar que adoro barzinhos, não que eu seja fã de bebidas alcoólicas, mas é gostoso sentar, comer, tomar um suco e jogar conversa fora. Aliás o motivo pelo qual eu adoro é esse: conversa. Quer coisa mais gostosa que tagarelar sem parar e falar asneira com os amigos? Pra mim não tem, e o barzinho é o  lugar perfeito para isso, porém existem os chatos de barzinho, e são essas criaturas vindas de outra mesa que atrapalham o rendimento da noite de alguém.

Chato Maria-Fumaça

É o chato fumante que não tem nexo. Não levanta pra fumar longe de quem não fuma e acaba fazendo os que não o fazem passarem mal e terem suas noites estragadas por isso. Não é porque não fumo que não tenho direito de ir em um bar. Diz no dicionário:

Bar sm (ingl bar) 1 Balcão onde se servem bebidas. 2 Estabelecimento ou parte de estabelecimento com esse balcão. 3 Móvel ou compartimento em rádio-vitrola, ou em televisor, onde se guardam bebidas. Pl: bares.

Onde se servem bebidas. Nem alcoólicas está ali, ou seja, posso e tenho o direito de ir a um bar, beber suco e ficar sem feder a cigarro. Mas aqui na questão não é nem CHEIRO e sim PULMÃO. Tenho um pulmão fraco que me faz passar mal, fato. Sabe como é, não se escolhe nascer com bronquite asmática no mundo e a fumaça faz queimar os pulmões, mesmo eu não fumando o maldito pauzinho de nicotina fumegante só a fumaça do ar. Pelo menos alguns estados, como o de São Paulo, proíbiu o fumo em lugares assim: TE AMO GOVERNADOR! Aqui saio e sou uma pessoa mais feliz, levem isso logo pra Minas!

O Chato “Te quiero para mi”

Tenho namorado, mas às vezes rola de ir para bar com amigos, e aí entra o problema. Homem não pode ver mulher sozinha que acha que ela está livre e desempedida. Mas,  OK, ele tem o direito de tentar. O problema é quando você já avisou-o da situação e ele não entende. Ou melhor, da uma de “não sou ciumento”. Caros homens, nem toda mulher com namorado sai dando em cima e aceita cantada, entendam, e se o fazem não dizem que tem namorado. O duro é que saí este final de semana e: 1 – o cara não entendeu, 2- estava mais louco que o Robin de tanto álcool que já havia ingerido, 3 – eu tive que zoar com ele e 4- como ele não soube perder me chamou de “sapata”. Homens, sejam bonzinhos e saibam perder uma cantada, ainda mais se a moça já lhe informou que é comprometida.