londres

Viagem: Londres – Transporte, Hospedagem e Impressões

tower_bridge
Tower Bridge.

Já mostrei aqui no blog todos os lugares que tive oportunidade de conhecer durante meus seis dias de viagem que fiquei na cidade de Londres, todos arrumadinhos dentro da página que fiz pra cidade, assim fica mais fácil de achar, né? Hoje vim contar então sobre o restinho da viagem e como foi andar por lá.

Hospedagem

Quando fomos pra lá já sabíamos que algum lugar pra cair e deitar teria que estar no roteiro, mas pra economizar começamos procurando por hostels. Os preços estavam em média $40/$50 libras por dia nos que estávamos vendo, pra ter um quarto só pra gente (porém beliche) e banheiro comunitário. Queríamos um quarto só nosso pra podermos dormir em paz e ainda poder largar as coisas lá, já que ficávamos o dia todo na rua. Um dia contei isso pra minha madrinha, que é viajadeira que só, e ela deu a ideia de ver um Ibis, que o valor não mudava tanto, e não é que era verdade? Na realidade o Ibis Budget que ficamos saiu mais barato no final que os hostels que tinha cotado, isso com quarto só nosso e banheiro também. Lucro? MUITO! Além disso aproveitamos o café da manhã deles que era ótimo e por um preço aceitável, na época saiu 362,90 libras e reservamos com 2 meses de antecedência.

Ficamos no Ibis Whitechapel, que estava num lugar mais próximo de metrô e uma walking distance bacana da Tower Bridge, assim conseguimos pegar os últimos dias da exibição “Blood Swept Lands and Seas of Red” do artista de cerâmica Paul Cummins com colaboração do cenógrafo Tom Paper e que aconteceu na Tower of London. Nela tinham 888.246 papoulas de cerâmica, cada uma simbolizando uma morte de um soldado britânico durante as guerras. Era lindo e triste sabe? Dessas coisas que você pega pra pensar e fica meio sem saber como agir. Já falei por aqui que o que me marcou muito na viagem, principalmente por estarmos por lá próximo ao Remembrance Day, é como a guerra é algo muito presente na vida dos Europeus.

papoulas
Exposição das papoulas de cerâmica.

Transporte

Uma verdade é: em Londres andar de metrô é super simples, mas sai caro. Lá eles cobram por distância percorrida, o que ajuda demais, mas também pode atrapalhar se você fizer um roteiro maluco. Assim que chegar lá compre seu cartão Oyster, vende em qualquer lojinha de revista e na época pagamos 5 libras em cada e sim, cada pessoa tem que ter o seu porque você passa ele na entrada e na saída (lembra? ele cobra por distância percorrida). Aí você coloca créditos nele nas máquinas que parecem caixas eletrônicos e pronto! Saia andando!

Uma coisa é boa, as coisas são mais próximas do que você pode imaginar. Fomos com base no que vimos nos mapas e quando se chega lá se descobre que muita coisa é perto! Por exemplo: Sea Life, London Eye, Big Ben, Westminster Abbey, tudo grudadinho! E achávamos que teríamos que pegar vários metrôs pra chegar neles. Então aproveite o pique e ande! Assim você descobre coisas novas, mesmo que se perca um pouco. Aliás, todas as vezes que nos perdemos um pouco, achamos algo bem bacana!

Aqui deixo alguns lugares que você visita só pra tirar fotos, o Big Ben, o Palácio de Buckingham e a vista da linda Tower Bridge vista da London Bridge. Também o Apple Market, que descobrimos quando resolvemos sair umas estações antes do metrô e andar um pouco. Ainda bem! Estava tendo uma feitinha gastronômica e comemos por lá.

big_ben
Big Ben.

Palácio de Buckingham
Palácio de Buckingham.

estatua
Pessoal curte uma estátuazinha.

tower_bridge
Tower Bridge vista da London Bridge.


Apple Market em Covent Garden.

Impressões

* No começo eu sofri na hora dos trocos e de pagar as coisas, malditas moedas de tamanhos malucos e cores doidas, aí na hora que fiquei boa, fui embora.

* Os bares fecham bem cedo, pelo menos mais cedo que na minha cidade natal, lá a galera sai de casa 23h da noite.

* Não importa a roupa ou o cabelo que você tem, a variedade de nacionalidades e estilos é tão grande que ninguém se importa com isso. Eu com meus cabelos cor de rosa nunca me senti mais normal na vida.

* Você passa sua própria compra e paga tudo no caixa. Sozinho. Tipo self-service. E ninguém confere nada! Fiquei chocada.

* De acordo com a cerveja que você pede no pub ela vem num copo diferente.

* No Reino Unido é normal as pessoas agendarem pra passar o natal em restaurantes e todos tem cardápios especiais para essa época do ano.

* Londres é uma cidade e tanto. Cheia de gente, cheia de sotaques, idiomas e coisas lindas pra se ver e aprender.

* Lá não tem self-service e comemos lanche praticamente todos os dias. Estava suspirando pra comer um prato de comida.

* Nos supermercados, no fim do dia eles remarcam produtos que iriam pro lixo ou estragariam, como sanduíches e frutas, e fica tudo mais barato. Era quando a gente ia e comprava frutinhas e coisas pra comer de noite no hotel.

* Lá vende chá Twinings no Burger King.

libras
Moedinhas do mau.

Pra quem se interessar, estão aqui os links do hote Ibis Budget Whitechapel que ficamos e o roteiro com pontos e passeios de Londres que fizemos. Espero que tenham gostado dos posts de Londres e até os próximos, pois agora vamos para Paris!

Download: Wallpaper de Setembro – You Can Fly

wallpaper_mockup

Hoje trouxe um wallpaper meio diferente pra vocês. Em agosto eu fiz um desafio lá no Instagram, o “A Gosto do Artista”, e por conta disso não consegui ilustrar algo bacana pra colocar aqui de wallpaper, mas isso não me desanimou não! Tive uma ideia pra usar umas fotos da viagem do ano passado e fiz um papel de parede inspirado nos livros de Peter Pan, que pra quem não sabe se passam na terra da rainha.

Espero que vocês gostem dessa pequena viagem londrina e baixem pra todos os seus dispositivos eletrônicos pra deixar eles inspiradores. Quero saber o que vocês acharam hein?

Celular

Pra computador: 1440 x 900 | 1680 x 1050 | 1920 x 1080
Sem calendário: 1440 x 900 | 1680 x 1050 | 1920 x 1080

wallpaper_setembro_little

Viagem: Madame Tussauds Museum – Londres

madame_tussauds_1Logo na entrada

O Madame Tussauds é um museu de cera super famoso. Ele tem mais de 12 franquias ao redor do mundo e os bonecos são realmente muito bem feitos. Tão bem feitos que dá até uma certa agonia em alguns, parece que vão sair andando dali e falar com você.

madame_tussauds_2Jim Carrey fanfarrão!

madame_tussauds_3Sou do tamanho do Tom Cruise.

madame_tussauds_4Marylinnnn sua linda!

madame_tussauds_5Audrey, sendo diva.

madame_tussauds_6Rolou clima.

madame_tussauds_7Noivo aprendendo com Isac.

madame_tussauds_8Já que não vejo de verdade, vejo de mentira. 

madame_tussauds_9AHHHH!

Sobre o Passeio: Assim, você tem muitas personalidades e até personagens conhecidos por lá pra tirar fotos, e é pra isso que serve o passeio: tirar muitas fotos. Algumas partes eu não conhecia as pessoas, já que tem uma sessão só de Bollywood, devido a grande quantidade de indianos que visitam o museu. O que me surpreendeu foi o passeio por um carrinho que você faz, como se fosse uma montanha russa pequena, e ali eles contam a história da cidade, mas assim, o noivo achou dispensável o passeio. Sei que inaugurou a pouco tempo também a sessão de Star Wars e essa eu não vi, mas fiquei com vontade de voltar lá só por isso.

Tempo de passeio: Ficamos lá por umas 3 horas, com o passeio pelo carrinho maluco, cinema 4D com os Vingadores e tudo mais.

Preço: Como já contei aqui no passeio da London Eye e do Sea Life , comprei um pacote de tíquetes que você compra os três e fica mais barato. O pacote todo (London Eye + Madame Tussauds + Sea Life) para duas pessoas saiu por R$ 189,00 (já com IOF e conversão) na época (set/2014).

Como chegar? A estação mais próxima é a Baker Street, sim, a do Sherlock Holmes. Então você pode ir até o Museu e aproveitar e passar alí na casa do Sherlock pra dar uma olhada. A fila pra entrar estava muito grande, então só tiramos fotos do lado de fora mesmo.

sherlockPlaquinha na casa do Sherlock.

Para mais informações e compra de ingressos, acesse o site do Madame Tussauds.

Viagem: The Making of Harry Potter – Warner Bros Tour – Londres

harry_potter_tour_8
Depois de uma introdução de uma guia, o telão sobe e você dá de cara com essa porta. Minha criança interna chorou.

Um dos passeios que eu tinha certeza que queria fazer na viagem pra Londres era a visita aos sets de filmagem de Harry Potter. Foi o passeio que determinou até nossa data de viagem e que foi comprado com um mês de antecedência, tudo pra dar pra poder ir lá e realizar um sonho até então impossível. São muitas fotos e fiz muitos vídeos lá também, pra ter tudo com movimento nos arquivos da viagem.

Acontece que BEM NO DIA a minha garganta estava doendo demais e precisei ir a um médico (olha a importância do seguro!). Fomos correndo e saímos praticamente voando do consultório. Foi tudo contadinho e chegamos faltando 10 minutos aos estúdios. O que é uma viagem sem um pouco de emoção, não é? Ainda bem que lá tudo foi recompensado.

harry_potter_tour_10
Salão Principal em clima de natal.

harry_potter_tour_3
Ônibus que você pega da estação de trem até os estúdios.

harry_potter_tour_1
Entrada da sala do Dumbledore.

harry_potter_tour_2
Maquete de Hogwarts toda com neve, já que era quase natal.

O que você vê lá? Sala do Dumbledore, do Snape e da Umbridge, a Toca, Ministério da Magia, Dormitório e Salão Comunal da Grifinória, Salão Principal, objetos de todos os filmes, perucas e vestimentas, quarto debaixo da escada, Noitebus Andante, Rua dos Alfeneiros, Beco Diagonal, Expresso de Hogwarts, maquete de Hogwarts (E-NOR-ME), cabana do Hagrid, animatronics utilizados no filme (livro do Hagrid, mandrágora etc), basilisco, Bicudo, sem contar sketches de criação de tudo e ainda dá pra experimentar cerveja amanteigada (achei ECA!). Ainda dá pra tirar fotos em uma Firebolt (20 libras a foto) e a loja no final vai te deixar MALUCO e querendo comprar tudo e depois te deixar triste quando você converter as libras.

harry_potter_tour_4
Beco Diagonal.

harry_potter_tour_5
Modelos utilizados no filme.

harry_potter_tour_6
Ministério da Magia.

harry_potter_tour_7
A Toca.

harry_potter_tour_9
Coisas que compramos na lojinha: feijõezinhos de todos os sabores (mesmo!) e um chaveiro de vira tempo. Ainda teve uma caneca da corvinal, um sketchbook de Hogwarts e um patch (já mostrei ele aqui).

Sobre o Passeio: Pra quem é fã vale cada centavo. Fiquei impressionada com tudo que tinham por lá, todos os objetos, cenários, tudo de fazer surtar de amor mesmo. Até o noivo que não é fã como eu achou o passeio muito bacana. Como fomos em época de final de ano, tudo estava com temática natalina, guirlandas, árvores de natal e festões pra todo lado, uma lindeza. Depois que estivemos lá inauguraram a parte nova e agora tem o Expresso de Hogwarts, então imaginem só ter mais uma atração super legal lá?

No passeio as crianças ganham um passaporte pra ir carimbando conforme forem achando certos objetos e locais, assim como no Museu Imperial da Guerra, achei isso super divertido nos museus da Inglaterra e claro, pedi um pra mim.

Tempo de passeio: Ficamos lá por umas 3 horas, sem seguir o audio-guide.

Preço: Para maiores de 16 anos, 33 libras, ou 42,95 libras com direito a audio-guide e livro. Crianças de até 4 anos não pagam e tem pacotes especiais para famílias e grupos, então é só entrar no site pra saber mais.

Como chegar? Leavesden fica bem distante do centro de Londres, então prestem atenção no tempo de vocês. Pegamos o trem para Watford Junction (existem trens que vão direto e outros que demoram mais, então melhor perguntar por lá) e de lá pegamos o ônibus do tour (2 libras para ir e voltar da estação). Recomendam chegar na estação de trem com até 45 minutos de antecedência do seu horário para entrar no tour, assim você não fica de fora.

Para mais informações e compra de ingressos, acesse o site do “The Making of Harry Potter?”.