museu

Turismo por Edimburgo: Museu Nacional da Escócia

O importante Museu Nacional da Escócia

Parte antiga - Um grande salão com três patamares, no vão entre eles, aviões pequenos pendurados no teto em várias alturasParte antiga do museu que fala sobre tecnologias, antigas e novas.

Sobre o Museu Nacional da Escócia

O National Museum of Scotland (Museu Nacional da Escócia) é o mais importante museu do país, contando com dois belos prédios que contrastam muito entre si, pois um possui arquitetura mais moderna enquanto o outro é mais antigo no estilo victoriano.

Além de exposições sobre história natural, tecnologias, moda, culturas ao redor do mundo, o museu conta com uma grande área voltada para a história da Escócia.

Eu sorrindo com aviões pendurados ao fundo Eu e os aviões.

Na parte nova, falando sobre transportes, tirei uma foto com um belo trem que é bem parecido com o Expresso de Hogwarts.Parte nova do museu falando sobre transportes. Seria coincidência ele parecer o Expresso de Hogwarts?

Grande vão entre três andares que contém peixes e outros animais grandes pendurados, sua maioria animais aquáticos.

Como foi o passeio?

Eu sou VI-CI-A-DA em museus, ainda mais se são de história natural. Quando fui no de Londres eu pirei muito e aqui não foi diferente. Muitos animais enormes empalhados, fósseis, até a ovelha Dolly está lá, a verdadeira! Então foi como me soltar no parquinho.

Além disso você descobre muito mais sobre a própria Escócia e Edimburgo. Pude ver de pertinho a espada de Robert the Bruce (quem já viu “Coração Valente?”), rei e famoso guerreiro do século XIII.

Eu sou bem fã de histórias medievais: Rei Arthur, Brumas de Avalon, Coração Valente e por aí vai. Muitas dessas coisas que ouvimos nessas histórias, como decapitações por guilhotinas e bruxas queimadas e torturadas, aconteceram realmente em Edimburgo, e a parte que mais me tocou foi a que eles expõem aparelhos que eram utilizados para tortura das mulheres acusadas de bruxaria. Meu coração se encheu de um ódio misto com raiva e tristeza. Uma parte bem difícil de ver e não se emocionar.

Parte da arquitetura antiga do museu, com bastante luz e abóbodas de vidro

Eu e uma espada de cerimônias.Espada de cerimonial utilizada na Escócia.

Instrumentos de tortura de bruxasInstrumentos de tortura utilizados em mulheres taxadas de bruxas.

“No final do século XVI e início do XVII, entre três e quatro mil pessoas foram torturadas e executadas como ‘bruxas’, um grupo identificado como uma ameaça para a estabilidade social. Os métodos de tortura envolviam aparelhos como o da foto (acima).

A maioria dos acusados de bruxaria eram mulheres – solteironas ou viúvas sem ninguém para dar apoio ou dar suporte e incapazes de se defender. Frequentemente elas eram conhecidas localmente por remédios feitos om ervas e curas.” Texto do museu.

Como visitar o Museu Nacional da Escócia?

Onde fica? Fica na esquina da Chambers Street com a George IV Bridge, próximo ao Elephant House e abre das 10h às 17h.
Quanto custa? Entrada gratuita.
Mais informações no site oficial do museu.

Passeio: Museu de Pesca – Santos/SP

museu_pesca_santos_1

Jornal “A Tribuna”, Santos (SP). Autor: Marcelo Justo, fev. 2007.

O Museu de Pesca de Santos sempre foi um lugar que eu quis visitar, desde pequena. A família da minha mãe é praticamente toda de lá e por conta disso cresci visitando a cidade, e sempre passava pela frente do museu e ficava encantada com o esqueleto de baleia que podíamos ver da rua. Finalmente, depois de 27 anos, lá fui eu entrar nele.

O antigo Forte Augusto de 1734 foi construído para a defesa do estuário de Santos, mas em 1893 o lugar sofreu ataques e quase não sobrou muita coisa. Devido ao excelente lugar onde se encontrava, torna-se Escola de Aprendizes-Marinheiros do Estado de São Paulo, organizada pelo Ministério da Marinha. O prédio foi inaugurado em 5 de maio de 1909 e funcionou até 1931. Em 1932, recebeu o nome de Instituto de Pesca Marítima. Durante anos o prédio fui mudando de nome até que em 1969 ele finalmente começou a ser chamado como hoje conhecemos.

museu_pesca_santos_2

Entrada do museu.

museu_pesca_santos_3

Balaenoptera physalus.

museu_pesca_santos_4

23 metros de comprimento e 7 toneladas – Uol

museu_pesca_santos_5

Tubarão.

Sobre o passeio: Apesar de ser um museu simples, ele é bem interessante e divertido. Com exemplares de vários animais taxidermizados (reproduzidos para estudo com carcaças reais), como arraia-manta, tubarões, lulas (único exemplar em exposição no mundo com 5 metros de comprimento), aves e peixes, o museu trás também salas interativas para crianças e que podem ser visitadas pelos grandes também. Uma das salas mais legais pra mim foi a que tem areias e conchas de várias praias do Brasil. Como praias num mesmo pais, estado e até cidade podem ser tão diferentes. Essa diversidade da natureza me encanta.

Tempo do passeio: Demoramos quase duas horas lá dentro, curtindo cada pedaço do local. Foi bem divertido!

Preço: Até a publicação deste post o valor da entrada consta como R$5,00 inteira e R$2,50 para estudantes e professores. Crianças até 6 anos e adultos maiores de 60 anos são isentos.

Onde fica: Avenida Bartolomeu de Gusmão, 192 – Santos/SP – (13) 3261-5260/ 3261-5995

Mais informações: http://www.pesca.sp.gov.br/museu.php

Viagem: Museu do Louvre – Paris

louvre_1

Museu visto de dentro.

O Museu do Louvre é um dos museus mais famosos do mundo e começou a ser construído em 1190. A estrutura do palácio sofreu várias alterações por anos: ampliações, demolições e até mesmo a construção da conhecida pirâmide de vidro do arquiteto chinês I. M. Pei, que provocou descontentamento de algumas pessoas por lá. Uma das últimas mudanças do prédio foi feita em 2002 e pela visita que fiz em 2014, ainda existem coisas que vão ser feitas por lá. O museu conta com mais de 380 mil itens e mantém em exibição permanente mais de 35 mil obras de arte, entre antiguidades egípcias, gregas, romanas, islâmicas, pinturas e esculturas. Lá encontram-se as famosas Vênus de Milo e a Monalisa de Leonardo da Vinci.

louvre_2

Aposentos de Napoleão – mesa de jantar e cama.

louvre_3

Abóbada do teto.

louvre_4

“As Bodas de Canaã” de Veronese, maior quadro do Louvre com 6,60 m x 9,90 m.

louvre_5

Sarcófagos egípcios.

louvre_6

Esculturas assírias.

louvre_7

Múmia dormindo.

Sobre o passeio: O Louvre é um lugar maravilhoso e você tem que entrar. Fato. Fomos em um dos dias que o museu fica aberto até mais tarde da noite, e juntando com a baixa temporada, ele estava bem vazio se comparado com fotos que vi na internet. Tivemos praticamente tempo e espaço pra curtir tudo lá dentro. O que me impressionou é que o Palácio em si já é um lugar maravilhoso e em alguns momentos eu não sabia se olhava as paredes ou as obras. Minha parte favorita foram os aposentos de Napoleão, se alguém no mundo acha que tem dinheiro hoje em dia, é só entrar lá pra se sentir um nada. Lustres imensos, ouro e muito luxo para um dos antigos reis da França. Muita gente me pergunta da Monalisa e eu só tenho que dizer que na frente dela encontra-se o quadro “As Bodas de Canaã”, então eu fiquei mais embasbacada com o tamanho e com a qualidade deste quadro do que com a “Mona” em si. Para conseguir ver “melhor” tudo que tinha por lá, pegamos um mapa do museu onde marcam as 7 principais coisas que você precisa ver lá e saímos caçando todas. Bem divertido!

Preço: €15. Fica aqui também a dica para o Paris Museum Pass. Você compra pacotes para 2(€42), 4(€56) ou até 6(€69) dias e você entra em mais de 60 lugares sem pagar a mais por isso, em alguns você até “fura a fila”. Vale a pensa se você for em vários lugares que pagam, por exemplo: Musée d’Orsay e Versailles.

Tempo de passeio: Ficamos por 3 horas lá dentro e não conseguimos ver uma parte do museu. Pra quem quer explorar o lugar com calma e audioguide recomendamos paciência e um dia inteiro, ou três dias fazendo cada dia um andar.

Estação de metrô próxima: Palais-Royal Musée du Louvre.

Mais informações: http://www.louvre.fr/

Viagem: Centro Georges Pompidou – Paris

pompidou_1

Centre Georges Pompidou

O primeiro lugar que fomos em Paris foi o Centre Georges Pompidou. Ele foi fundado em 1977 e desenhado pelos arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers. Para a época o projeto dele era super arrojado e até hoje ele se destaca no meio da arquitetura de Paris. Alí funciona um museu, biblioteca e teatro, tudo com muita arte!

pompidou_5

Tubos!

pompidou_2

Arte contemporânea.

pompidou_3

Tarsila.

pompidou_4

Cadeira que quero pra casa.

Sobre o Passeio:Confesso que não sou muito fã de arte moderna e contemporânea, mas eu precisava ver esse lugar tão lindo e cheio de artes famosas, inclusive de muitos artistas brasileiros, como Tarcila do Amaral e DiCavalcanti. Ainda pude ver Pablo Picasso e Piet Mondrian de pertinho! Isso pra quem estudou história da arte na faculdade é tipo natal em outubro. Dá pra aproveitar e subir as escadas rolantes pra ter uma vista linda da cidade lá de cima. Me senti um hamster gigante naquele lugar.

Tempo de passeio: Gastamos umas 2/3 horas. Aproveitamos que estava um dia chuvoso e ficamos no quentinho de lá.

Preço: Pagamos 11 euros, mas o primeiro domingo do mês é sempre de graça, isso vale para quase todos os museus de Paris. Fica aqui também a dica para o Paris Museum Pass. Você compra pacotes para 2(€42), 4(€56) ou até 6(€69) dias e você entra em mais de 60 lugares sem pagar a mais por isso, em alguns você até “fura a fila”. Vale a pensa se você for em vários lugares que pagam, por exemplo Arc de Triomphe, Musée d’Orsay, Louvre e Versailles.

Como chegar? A estação mais próxima é a Rambuteau.

Mais informações: Site