natureza

Turismo em Edimburgo: Jardim Botânico Real | Escócia

Viagem pela Escócia: Jardim Botânico Real em Edimburgo

turismo em edimburgo

Quando o noivo decidiu por Edimburgo como cidade pra fazer o intercâmbio rápido que ele ia fazer, eu logo dei um jeito de ir me encontrar com ele. Foi tudo sem esperar, eu ia usar a pouca economia que eu tinha feito, mas sabia que tinha que conhecer este novo lugar. Saí de Paris, onde estava com meu irmão e fui de avião pra lá. Eu e o noivo ficamos em uma Guest House – isso tudo vou contar em outro post – e o primeiro passeio que ele me levou pra fazer foi o Royal Bothanic Gardens (Jardim Botânico Real).

Sobre o Jardim Botânico Real

Surgiu em 1670 como um lugar para cultivo de plantas medicinais. É agora um renomado centro de ciência de plantas, horticultura e educação. Existem quatro destes parques espalhados e eles estão em Edinburgo, Benmore, Dawyck e Logan, e possuem uma quantidade riquíssima de plantas.

O que achei?

Eu fui sem esperar em todos os passeios que fiz na Escócia. O noivo ficou dois meses lá e tinha a missão de me impressionar, mas depois que se chega em Edimburgo, tudo que você faz é impressionante.

O jardim é bem grande e tem várias áreas temáticas: tem um jardim meio japonês, uma fonte, lago, flores de vários jeitos, inclusive suculentas que eu fiquei apaixonadíssima! Pra mim, conhecer lugares deste jeito abre minha cabeça para novas faunas e floras, o que vejo que pode me enriquecer muito como profissional das artes. Imagino que em temporadas de flores, como verão e primavera, o parque fique bem mais deslumbrante, e no inverno com a neve e os enfeites de natal seja de tirar o fôlego.

Uma das coisas que mais achei legal foi uma parte do parque dedicada a Rainha Elizabeth e que tem uma casa com o interior todo feito em conchas e pinhas. Coisinha linda e chuchu de se ver.

Como visitar?

Entrada: Grátis. Apenas algumas exibições cobram ingresso.
Horário de visitação: Varia e acordo com a estação do ano e condições climáticas, então vale olhar diretamente no site deles para saber melhor.
Como chegar? Fomos a pé mesmo da Princess Street.
Tempo de Passeio: Vai do grau de entusiasmo por plantas. O lugar é bem grande e ficamos umas duas horas por lá.

Passeio: Snorkeling Ilha das Couves – Ubatuba / SP

snorkeling_ubatuba_1Vista do nosso quarto.

Já fazem quase dois anos que meu irmão mora em terras francesas e este ano ele e a namorada dele passaram 15 dias por aqui pra rever familiares e curtir um pouquinho. Neste tempo corrido, eu e o noivo levamos eles para passear pelo litoral norte de São Paulo, onde encontramos a oportunidade de passeios curtos e rápidos, já que o noivo estava trabalhando normalmente. Pra ajudar a gente a fazer algo legal e diferente do simples “ir à praia”, resolvemos fazer os passeios do pessoal da EcovaleTour, uma empresa de turismo ecológico aqui do Vale do Paraíba.

Onde ficamos

Ficamos em uma pousada bem gostosinha na praia de Itamambuca, o Suítes Alto Itamambuca, que reservamos pelo Booking.com e foi ótimo! A Bia foi super simpática e os quartos eram agradáveis, nada de luxo, mas o necessário pra gente ficar confortável e descansar de noite.

snorkeling_ubatuba_4Praia de Picinguaba.

O passeio

Encontramos o pessoal da Ecovale no sábado de manhã na praia de Picinguaba, de onde sairíamos de barco para a Ilha das Couves. O passeio sai de São José dos Campos, mas queríamos ficar por lá de um dia para o outro para fazer a Trilha da Praia de Fora no dia seguinte. Aqui o único ponto negativo do passeio, pois esperamos por uma hora na praia para o pessoal chegar de São José. Naquele fim de semana as estradas estavam lotadas (demoramos 5 horas daqui de casa até a pousada, trajeto que demoraria umas duas horas normalmente) e por isso eles demoraram pra chegar.

Apesar dos pesares, fomos para a Ilha de barquinho e ficamos lá até umas 15h, quando disseram que estava prevista uma chuva e era melhor retornarmos. O passeio foi bem bacana, a praia é bem legal, pena que estava cheia DEMAIS! Tinha gente com caixinhas tocando funk, o que tirou um pouco o brilho, mas nada que atrapalhasse muito.

snorkeling_ubatuba_5Ilha das Couves ficando cheia.

Sobre snorkeling

Praticar snorkeling é muito bacana, já tinha feito uma vez em Ilha Grande, e lá foi mais legal ainda por ser em uma parte mais profunda. Vimos peixes escondidos na areia, cavalos marinhos e até peguei um ouriço na mão. Foi bem divertido!

snorkeling_ubatuba_3

snorkeling_ubatuba_2

snorkeling_ubatuba_6

O passeio foi uma delícia e saiu por R$150 reais por pessoa, incluso o valor do barco, e do aluguel das roupas para o snorkeling, óculos, pés de pato e colete. Vocês já fizeram esse tipo de passeio? Onde foi? Como foi? Conte nos comentários!

Quer saber de mais passeios da EcovaleTur?
Siga eles no Facebook ou entre no site.

Vídeo: Pico das Agulhas Negras – RJ

pico das agulhas negras

Há algumas semanas eu, o noivo e alguns amigos fizemos a trilha do Pico das Agulhas Negras e eu resolvi fazer relatos em vídeo para colocar por aqui e mostrar pra vocês um pouco mais deste lado de “montanhistas aventureiros” que temos. O passeio foi uma delícia e indico muito! Quer saber mais? Dá o play!

E já que você está no blog, que tal algumas fotos?

agulhas_negras_1Geada de boas-vindas.

agulhas_negras_2

agulhas_negras_3Pessoal subindo as pedras.

agulhas_negras_4Eu e o noivo no topo.

agulhas_negras_5

Mais informações sobre o Parque Nacional do Itatiaia? Entre no site e descubra várias outras trilhas e passeios que tem por lá.

Para contratar o Seu Tadeu (guia), mande e-mail para tadeu.j.fonseca@gmail.com.

Passeio: Pedra da Macela – Cunha / SP

pedra_macela_2
Macelas na Macela.

Há algumas semanas atrás o noivo veio com a ideia de fazermos uma trilha por aqui e depois de alguma pesquisa ele escolheu a Pedra da Macela. Ela fica a 1.840 metros de altitude, bem na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, e por conta disso tem uma vista linda lá de cima! Dá pra ver Ilha Grande e as baías de Angra e Paraty.

pedra_macela_5
Montanhas.

Pra chegar lá é só pegar a estrada Cunha-Paraty. No km 65 tem uma entrada do lado esquerdo da pista, não tem placa indicando, mas a gente acertou de primeira. Aí você anda por 4 km em uma estradinha de terra e para o carro na porteira de Furnas. A partir daí são 2 km de subida forte, sem nenhum reto pra você dar aquela descansadinha. Fizemos a subida em uns 45 minutos, mas basta chegar lá em cima pra ser recompensado com uma vista de tirar o fôlego.

pedra_macela_4
Ao infinito e além.

pedra_macela_6
Aproveitando o silêncio.

pedra_macela_3
Paraty.

pedra_macela_1
“É nóis no topo”.

Mais informações: http://www.portaldecunha.com.br/