natureza

Passeio: Snorkeling Ilha das Couves – Ubatuba / SP

snorkeling_ubatuba_1Vista do nosso quarto.

Já fazem quase dois anos que meu irmão mora em terras francesas e este ano ele e a namorada dele passaram 15 dias por aqui pra rever familiares e curtir um pouquinho. Neste tempo corrido, eu e o noivo levamos eles para passear pelo litoral norte de São Paulo, onde encontramos a oportunidade de passeios curtos e rápidos, já que o noivo estava trabalhando normalmente. Pra ajudar a gente a fazer algo legal e diferente do simples “ir à praia”, resolvemos fazer os passeios do pessoal da EcovaleTour, uma empresa de turismo ecológico aqui do Vale do Paraíba.

Onde ficamos

Ficamos em uma pousada bem gostosinha na praia de Itamambuca, o Suítes Alto Itamambuca, que reservamos pelo Booking.com e foi ótimo! A Bia foi super simpática e os quartos eram agradáveis, nada de luxo, mas o necessário pra gente ficar confortável e descansar de noite.

snorkeling_ubatuba_4Praia de Picinguaba.

O passeio

Encontramos o pessoal da Ecovale no sábado de manhã na praia de Picinguaba, de onde sairíamos de barco para a Ilha das Couves. O passeio sai de São José dos Campos, mas queríamos ficar por lá de um dia para o outro para fazer a Trilha da Praia de Fora no dia seguinte. Aqui o único ponto negativo do passeio, pois esperamos por uma hora na praia para o pessoal chegar de São José. Naquele fim de semana as estradas estavam lotadas (demoramos 5 horas daqui de casa até a pousada, trajeto que demoraria umas duas horas normalmente) e por isso eles demoraram pra chegar.

Apesar dos pesares, fomos para a Ilha de barquinho e ficamos lá até umas 15h, quando disseram que estava prevista uma chuva e era melhor retornarmos. O passeio foi bem bacana, a praia é bem legal, pena que estava cheia DEMAIS! Tinha gente com caixinhas tocando funk, o que tirou um pouco o brilho, mas nada que atrapalhasse muito.

snorkeling_ubatuba_5Ilha das Couves ficando cheia.

Sobre snorkeling

Praticar snorkeling é muito bacana, já tinha feito uma vez em Ilha Grande, e lá foi mais legal ainda por ser em uma parte mais profunda. Vimos peixes escondidos na areia, cavalos marinhos e até peguei um ouriço na mão. Foi bem divertido!

snorkeling_ubatuba_3

snorkeling_ubatuba_2

snorkeling_ubatuba_6

O passeio foi uma delícia e saiu por R$150 reais por pessoa, incluso o valor do barco, e do aluguel das roupas para o snorkeling, óculos, pés de pato e colete. Vocês já fizeram esse tipo de passeio? Onde foi? Como foi? Conte nos comentários!

Quer saber de mais passeios da EcovaleTur?
Siga eles no Facebook ou entre no site.

Vídeo: Pico das Agulhas Negras – RJ

pico das agulhas negras

Há algumas semanas eu, o noivo e alguns amigos fizemos a trilha do Pico das Agulhas Negras e eu resolvi fazer relatos em vídeo para colocar por aqui e mostrar pra vocês um pouco mais deste lado de “montanhistas aventureiros” que temos. O passeio foi uma delícia e indico muito! Quer saber mais? Dá o play!

E já que você está no blog, que tal algumas fotos?

agulhas_negras_1Geada de boas-vindas.

agulhas_negras_2

agulhas_negras_3Pessoal subindo as pedras.

agulhas_negras_4Eu e o noivo no topo.

agulhas_negras_5

Mais informações sobre o Parque Nacional do Itatiaia? Entre no site e descubra várias outras trilhas e passeios que tem por lá.

Para contratar o Seu Tadeu (guia), mande e-mail para tadeu.j.fonseca@gmail.com.

Passeio: Pedra da Macela – Cunha / SP

pedra_macela_2
Macelas na Macela.

Há algumas semanas atrás o noivo veio com a ideia de fazermos uma trilha por aqui e depois de alguma pesquisa ele escolheu a Pedra da Macela. Ela fica a 1.840 metros de altitude, bem na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, e por conta disso tem uma vista linda lá de cima! Dá pra ver Ilha Grande e as baías de Angra e Paraty.

pedra_macela_5
Montanhas.

Pra chegar lá é só pegar a estrada Cunha-Paraty. No km 65 tem uma entrada do lado esquerdo da pista, não tem placa indicando, mas a gente acertou de primeira. Aí você anda por 4 km em uma estradinha de terra e para o carro na porteira de Furnas. A partir daí são 2 km de subida forte, sem nenhum reto pra você dar aquela descansadinha. Fizemos a subida em uns 45 minutos, mas basta chegar lá em cima pra ser recompensado com uma vista de tirar o fôlego.

pedra_macela_4
Ao infinito e além.

pedra_macela_6
Aproveitando o silêncio.

pedra_macela_3
Paraty.

pedra_macela_1
“É nóis no topo”.

Mais informações: http://www.portaldecunha.com.br/

Viajando: Pedra da Onça

Trilha: Pedra da Onça

Pedra da Onça

O que é?

A trilha da pedra da onça chega a um mirante de 1950m de altitude, vista panorâmica de todo o vale. São 10km no total gastando em média 5hs de ida e volta. Caminhando pela mata Atlântica, passando por algumas bica d’água e com um pouquinho de sorte podem chegar ver o macaco muriqui.
Texto do CAT

Com um feriado se aproximando para o pessoal de São Paulo, o namorado e eu decidimos fazer um programa diferente: trilha. Eu gosto bastante desse tipo de passeio, e agora começa a temporada de montanhismo, então nada melhor do que aproveitar. O local escolhido foi a Pedra da Onça que fica em São Francisco Xavier, uma cidadezinha que fica a 50 minutos de São José dos Campos/SP.

A trilha

Saímos cedo e depois de curvas e mais curvas chegamos na cidade, chegando lá fomos até o CAT e lá conseguimos um guia super simpático que nos levaria até o mirante. O preço? $50 dilmas por pessoa, salgado, mas o namorado preferiu pagar já que não sabíamos direito o caminho. A trilha é BEM tranquila, toda demarcada, subimos em um grupo de 7 pessoas e fizemos em 2h. Lá no alto dá pra ver Monte Verde/MG e São José dos Campos/SP, na subida você encontra um poste que demarca a divisão dos estados de Minas e São Paulo, se você tiver sorte pode ver os macacos que habitam por lá, infelizmente não conseguimos vê-los.

Pedra da Onça

Existem bicas d’água por toda a subida, mas eu e o namorado levamos 2l de água pra cada, além de um estoque de maçãs, tangerinas, pão francês, pedaços de mortadela e barras de cereal, já que chegamos lá no topo por volta do 12:00. Além disso vale lembrar de protetor solar, óculos de sol e casaco. Uma coisa importante que esquecemos de levar foi uma camiseta extra pra trocar, já que sua-se muito e com o vento lá do topo você pode passar um belo frio. A decida durou 1h e 30min, foi bem tranquila, tirando minhas bolhas nos pés que ganhei por conta da costura das meias (nota mental: nada de costura).

Depois da trilha, uma volta pela cidade, tão fofinha! E claro, um sorvete na “Sorveteria do Vovô”.

Mais informações sobre a Pedra da Onça

Destino Trilha | CAT – Centro de Apoio ao Turista

Pedra da Onça

Pedra da Onça

Pedra da Onça