passeio

Turismo por Edimburgo: Museu Nacional da Escócia

O importante Museu Nacional da Escócia

Parte antiga - Um grande salão com três patamares, no vão entre eles, aviões pequenos pendurados no teto em várias alturasParte antiga do museu que fala sobre tecnologias, antigas e novas.

Sobre o Museu Nacional da Escócia

O National Museum of Scotland (Museu Nacional da Escócia) é o mais importante museu do país, contando com dois belos prédios que contrastam muito entre si, pois um possui arquitetura mais moderna enquanto o outro é mais antigo no estilo victoriano.

Além de exposições sobre história natural, tecnologias, moda, culturas ao redor do mundo, o museu conta com uma grande área voltada para a história da Escócia.

Eu sorrindo com aviões pendurados ao fundo Eu e os aviões.

Na parte nova, falando sobre transportes, tirei uma foto com um belo trem que é bem parecido com o Expresso de Hogwarts.Parte nova do museu falando sobre transportes. Seria coincidência ele parecer o Expresso de Hogwarts?

Grande vão entre três andares que contém peixes e outros animais grandes pendurados, sua maioria animais aquáticos.

Como foi o passeio?

Eu sou VI-CI-A-DA em museus, ainda mais se são de história natural. Quando fui no de Londres eu pirei muito e aqui não foi diferente. Muitos animais enormes empalhados, fósseis, até a ovelha Dolly está lá, a verdadeira! Então foi como me soltar no parquinho.

Além disso você descobre muito mais sobre a própria Escócia e Edimburgo. Pude ver de pertinho a espada de Robert the Bruce (quem já viu “Coração Valente?”), rei e famoso guerreiro do século XIII.

Eu sou bem fã de histórias medievais: Rei Arthur, Brumas de Avalon, Coração Valente e por aí vai. Muitas dessas coisas que ouvimos nessas histórias, como decapitações por guilhotinas e bruxas queimadas e torturadas, aconteceram realmente em Edimburgo, e a parte que mais me tocou foi a que eles expõem aparelhos que eram utilizados para tortura das mulheres acusadas de bruxaria. Meu coração se encheu de um ódio misto com raiva e tristeza. Uma parte bem difícil de ver e não se emocionar.

Parte da arquitetura antiga do museu, com bastante luz e abóbodas de vidro

Eu e uma espada de cerimônias.Espada de cerimonial utilizada na Escócia.

Instrumentos de tortura de bruxasInstrumentos de tortura utilizados em mulheres taxadas de bruxas.

“No final do século XVI e início do XVII, entre três e quatro mil pessoas foram torturadas e executadas como ‘bruxas’, um grupo identificado como uma ameaça para a estabilidade social. Os métodos de tortura envolviam aparelhos como o da foto (acima).

A maioria dos acusados de bruxaria eram mulheres – solteironas ou viúvas sem ninguém para dar apoio ou dar suporte e incapazes de se defender. Frequentemente elas eram conhecidas localmente por remédios feitos om ervas e curas.” Texto do museu.

Como visitar o Museu Nacional da Escócia?

Onde fica? Fica na esquina da Chambers Street com a George IV Bridge, próximo ao Elephant House e abre das 10h às 17h.
Quanto custa? Entrada gratuita.
Mais informações no site oficial do museu.

Turismo na Escócia: Castelo de Edimburgo

Castelo de Edimburgo, mais da história da Escócia

Castelo de Edimburgo visto de baixo com por do sol
Castelo visto do cemitério da St Cuthbert’s Church.

Sobre o Castelo

Se você está na parte mais movimentada da cidade de Edimburgo, com certeza vai achar muito fácil o castelo: basta olhar para cima. Bem no topo de um alto rochedo – Castle Rock – fica a antiga fortaleza, um dos castelos mais importantes da Escócia e a segunda atração mais visitada do país: o Castelo de Edimburgo.

Era já habitado no século IX e hoje possui várias atrações no seu interior como as joias da Coroa Escocesa, um museu contando sobre guerras e batalhas da Escócia e prisões militares do final do século XVIII. No mês de agosto o castelo recebe bem em frente aos seus portões uma das paradas militares mais famosas do mundo, a Edinburgh Military Tatoo.

Canhões
Canhões logo na entrada do Castelo.

Prisão do século XVIII
Como eram as prisões no século XVIII.

Memorial da Guerra Nacional Escocesa
Noivo na frente do Memorial da Guerra Nacional Escocesa.

Sobre o passeio

O castelo foi um dos lugares que eu tinha certeza que queria ir por lá e que o noivo me esperou só pra gente descobrir juntos. Pode até parecer meio pequeno olhando por fora, mas quando entramos o lugar é repleto de coisas! Ele abriga várias exposições, principalmente de cunho militar, explicando mais sobre as forças armadas da Escócia, as batalhas que lutaram e ainda muitas curiosidades, principalmente sobre as roupas – mais especificamente os kilts.

A área das prisões é muito interativa e vale muito a pena a visita, assim como o Museu da Guerra Nacional Escocesa, que também fica lá dentro.

As joias da coroa são uma atração até que interessante – Louvre ganha – e as vistas da cidade que se tem lá do alto dos muros do castelo é incrível. Realmente um ponto estratégico para avistar 360 graus tudo que acontecia por ali.

Argyle Battery
Argyle Battery.

Vista da cidade olhando lá de cima de Castle Rock
Eu bem de boas olhando a cidade olhando lá de cima de Castle Rock.

Vista interna do Castelo de Edimburgo
Uma parte do castelo vista de um dos pontos mais altos lá dentro.

O passeio é muito agradável e vai te contar muito sobre a história do povo daquele país, que é uma das coisas que eu e o noivo adoramos saber mais. Por exemplo a tal Pedra da Coroação(Pedra de Scone ou Pedra do Destino), que não é nada mais que uma pedra que era utilizada por séculos na coroação dos reis da Escócia, mas que foi retirada de lá e levada para a Inglaterra e com isso deu o maior bafafá na época. Altas tretas monarcas.

Estátua do Marechal de Campo Earl Haig
Estátua do Marechal de Campo Earl Haig.

Portões do castelo
Portões de entrada do Castelo.

Como visitar o Castelo de Edimburgo?

Como chegar?O castelo fica em lugar de fácil acesso a pé, principalmente se você estiver pela área central da cidade. Fácil fácil de encontrar, bem ao final da Royal Mile.
Quanto custa? £17.00
Tempo de passeio: Ficamos uma tarde praticamente inteira por lá, curtindo cada cantinho do castelo e imaginando como as pessoas viviam por lá.
Para mais informações sobre o lugar, acesse o site.

Jump Park – Cama elástica para adultos e crianças

Cama elástica para adultos e crianças em São José dos Campos

Cama elástica para adultos

Como foi?

Eu queria muito brincar nesses parques de cama elástica, tipo MUITO, então o dia que eu descobri que aqui na cidade tinha um lugar pra poder me jogar – literalmente – eu fiquei bem animada. Marquei com o noivo e um amigo nosso de irmos lá e não poderia ter sido mais divertido! Saímos depois de uma hora de pulação esgotados e pingando suor, uma atividade física deliciosa.

Eu pulando na cama elástica para adultos
O que é um pontinho rosa pulando?

O lugar

Tentamos ir em um momento lá no Jump Park, mas estava cheio de crianças, aí ficamos com receio de entrar e acabar machucando alguma e não entramos. A responsável pelo lugar, uma graça ela inclusive, disse que quando tem muita criança, adulto não entra e vice-versa. Pena que não ter um lugar separado, mas depois fomos em um dia de semana mais tranquilo e praticamente ficamos sozinhos por lá virando piruetas de todos os jeitos. O que dá pra fazer pra resolver isso é marcar com um grupo de pessoas, amigos, parentes e reservar o lugar só pra vocês, eles também fazem aniversários por lá.

Para entrar pagamos pagamos meia hora (R$28) e ficamos uma inteira por conta de uma promoção, mas pra entrar você tem que ter a meia antiderrapante e pode ser comprada no local(R$10) se você não tiver. O lugar conta com 200 metros quadrados de cama elástica, uma parte com cestas de basquete, bolas e um outro com espumas pra virar mortais e piruetas no ar.

Para mais informações visite a página do Facebook do Jump Park e visite eles no Shopping Colinas.

Passeio: Templo Zulai – Cotia/SP

Templo Zulai

Em Cotia, cidade que fica pertinho da capital de São Paulo, encontra-se um espacinho do oriente, e em fevereiro tive a oportunidade de conhecer este lugar. No dia 5 de fevereiro aconteceu por lá a comemoração do Ano Novo Chinês do galo, que pela cultura oriental é comemorado com base nas fases da lua e na posição do sol, diferenciando assim todo ano a data deste acontecimento. No dia de festa você encontra por lá muitas barraquinhas de comida, apresentações de música, leão chinês, kung fu (AMO) e MUITA GENTE!

O Templo Zulai possui uma edificação de 10 mil m2 de área construída, em uma área total de 150.000 m2. O projeto arquitetônico foi inspirado no estilo oriental dos palácios da Dinastia Tang e foi desenvolvido por arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros. As obras foram concluídas em outubro de 2003, fazendo surgir, assim, a “Terra Pura” do Budismo Humanista na América do Sul.

Templo Zulai

Templo Zulai

Sobre o passeio

O dia estava bem quente, mas por lá foi fácil encontrar lugares pra se esconder do sol. As comidas das barraquinhas tinham preços tranquilo, variando entre R$5 e R$10, dependendo do que você queria comer. Lembrando que todas as comidas dentro do templo são vegetarianas.

Quero muito voltar lá com mais tempo, curtir melhor o lugar e os jardins, pois no dia estava tudo lotado demais. Se você quer ver as apresentações chegue cedo e fique já no seu lugar, pois não consegui ver nada, já que tudo é feito no pátio e não em um lugar mais alto, então quem fica na parte de cima do lugar só vê algo se realmente sentar e não sair. As apresentações acontecem a tarde toda e são feitas por pessoas que participam dos projetos feitos pelo templo. Apesar do tumulto, o lugar é lindo! Vale muito a visita e se você tiver paciência, vá na comemoração do Ano Novo, porque é bem legal.

Templo Zulai

Templo Zulai

Como chegar?

O templo fica na Estrada Fernando Nobre, 1461 (Acesso pelo Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares), e você vê placas indicativas na rodovia, acesso bem fácil. Porém em dias de evento recomenda-se chegar BEM cedo, pois fica tudo lotado, principalmente estacionamentos.

Quanto? Entrada gratuita, até nos dias de evento.

Quer saber mais?
Visite o site do templo: http://www.templozulai.org.br