pessoal

Tatuagem Aquarela – Minha primeira tatoo colorida

Tatuagem Aquarela: minha primeira colorida

Tatuagem de borboleta com aquarelas rosa, roxa e turquesa, no dia que foi feita
Tatoo fresquinha. Foto da Pam Sernaiotto.

Decidindo tudo

No começo do ano muitas coisas mudaram na minha vida, de novo. Eu voltei a trabalhar fora de casa, mais especificamente em uma agência de publicidade, voltei a fazer terapia com uma pessoa maravilhosa, fiz novas amizades que já estão no meu coração e então decidi fazer minha primeira tatuagem maior e colorida para marcar essas mudanças, e também para me lembrar que mudanças são boas, principalmente se te fizerem evoluir.

Vi os trabalhos da Pamela por conta da irmã dela, a nossa querida blogueira residente na Coreia do Sul, rainha da interwebs, Loma. Fiquei apaixonada no que ela faz com aquarela na pele, sempre delicada, com bastante naturalidade e ainda com os traços como se fossem sketches, era isso que eu queria: um desenho que tivesse a cara do meu eu artístico e simbolizasse minhas mudanças, as cores escolhidas são as cores que mais gosto de passar no meu cabelo e que uso muito em meus desenhos.

Tatuagem de borboleta com aquarelas, desta vez com o plástico que protege a tatoo.Tatoo com o TropicalDerm aplicado, 24h depois da tatuagem ser feita.

A Tatoo Aquarela

Chamei a Pam na internet e logo confirmei a sessão, a moça é concorrida e ficou quase um mês pra frente da data que estávamos. Perto da data ela me mandou sketches do que ela faria, depois de ajustes me apaixonei por tudo e estava pronta pra ser desenhada.

O estúdio fica na casa dela mesmo em São Paulo e aproveitei que queria rever amigos por lá e matei dois coelhos com uma “caixa d’água” só. Ela é um amor de pessoa, me recebeu muito bem e ficava toda preocupada em explicar tudo que estava fazendo, super atenciosa. A sessão demorou 3 horas e saí de lá já toda felizona com o resultado.

Eu tenho algumas tatuagens já, mas não era nada do jeito que foi esta. Fiz atrás do braço esquerdo e quase não consigo ver ela sem um espelho, mas a ideia era esta mesmo, não ver para não enjoar. A dor foi normal, nada absurda, mas confesso que tatuagens mais coloridas doem mais sim.

Tatuagem de borboleta com aquarelas com casquinha, cicatrizando.
Tatoo já cicatrizando, 7 dias depois com as “casquinhas”.

Cuidados

Depois de tatuada a Pam colocou um plástico super diferente na tatoo, o TropicalDerm, ele é feito pra isso mesmo e ajuda na cicatrização, protegendo a arte na pele. Fiquei 24h com ele antes de tomar banho e lavar a tatoo.

Depois passava três vezes por dia a pomada que ela me indicou, Cicaplast Baume B5 da La Roche-Posay. A marca é chique mas o preço é ok, saiu R$35 reais na farmácia o tubo com 20 ml que ainda estou passando pra mantê-la hidratada e me ajudar na coceira – sim, coça pra caramba.

Tatuagem de borboleta com aquarelas cicatrizada
Tatoo 15 dias depois já sem as pelinhas.

Agora já uso protetor solar nela e tomo cuidado pra não tomar muito sol, mas o resultado foi ótimo! As cores estão lindas! Muita gente me pergunta onde fiz e indico a Pam pra todo mundo! Agora é preparar pra próxima.

E você? Já pensou em fazer uma tatoo assim lindona?

Meu Planner 2018

Vem conhecer um planner baratinho!

capa planner 2018

Procurando o Planner

Ano passado fiz um post completinho aqui no blog tentando descomplicar toda essa história de planners e bullet journals, falando sobre como eu fiz o meu com materiais que eu tinha em casa mesmo, sem gastar muito. Pra 2018 eu queria comprar um porque fiquei com preguiça de fazer o meu, mas não queria gastar muito.

Eu sabia que não queria uma agenda e sim um planner por ter uma configuração mais livre pra escrever e anotar outras coisas. Como hoje em dia essa cultura está mais forte por aqui e eu já tinha visto alguns em lojas, eu saí caçando um.

Procurei alguns na viagem que fiz ano passado, mas nada parecia me empolgar, ou se empolgava era muito caro, até chegar aqui e ver um da Imaginarium, lindo, com capa maravilhosa, mas que eu achei com preço salgadinho pelo tamanho. Aí andando na Americanas encontrei um bem básico, mas que tinha tudo que eu precisava. Como ainda achei que deveria procurar mais, não comprei, mas minha mãe pegou escondido e me deu de presente. Então este é meu planner de 2018!

Sobre o Planner

Ele custou R$29,90, tem uma capa dourada linda, mas eu tive que customizar com adesivos, se não ele não seria tão meu. Pra isso escolhi os que eu tinha que eram de plástico da Pr1ps e da Fernanda Segolin, pra durare mais, e coloquei meu último de unicórnio. Pronto, o planner é meu!

calendario

dias da semana

aniversarios

Tour pelo Planner

Achei ótimo o espaço que ele deixa para os dias, que vêm separados semanalmente. Ele vem com os sete dias de um lado, com um bom espaço pra fazer os bullets, e uma parte para mais anotações do outro, onde eu coloco pequenas metas pra semana, como “ler 50 páginas de um livro” ou “não matar nenhum dia de treino” por exemplo, e também anotar as melhores coisas da semana. Pode parecer bobo, mas olhar na sexta-feira e ver que sua semana teve coisas boas, mesmo que pequenas, traz um ânimo a mais.

Ele vem com mais espaço para anotações no final, onde coloco os filmes, livros, doramas, quadrinhos e séries que eu vi e que quero ver. Ajuda muito pra fazer posts do ano, listas de melhores, coisas assim. Também escrevo meus gastos mensais pra saber onde gastei meu dinheiro em comida. Sim, eu sou muito analógica.

Filmes e livros

contas

E o queridinho de quem tem planner, os tão amados quadradinhos! Eu adoro habit trackers – que são nada mais que quadradinhos que você pinta por alguma tarefa realizada – e gosto de fazer com meu hábito de desenhar para saber se estou fazendo com frequência ou não. Ajuda um bocado ter isso visualmente!

quadriculado

Este modelo vem com um pequeno planejador antes de tudo, que eu não vi muita utilidade, mas que achei uma logo! Estou marcando meu humor do dia, o clima – chuva? sol? – e o que eu estava com vontade de comer. Está legal perceber como tenho mais dias feliz e calma que dias ruins. Visualmente falando, a gente dá mais valor nas pequenas coisas =D

mini-planner

A única alteração física que fiz nele foi adicionar uma bolsa na contra capa, logo no final, pra poder deixar meus adesivos, que uso ao longo do ano pra customizar o planner, já que ele é bem básico, mas é bom que assim a gente dá a cara que quer pra ele, né?

bolsa final

E ai? o que acharam? Já estão com o de vocês? Ok, janeirão tá acabando, mas quem disse que tem hora certa pra começar?

Rumo aos Trinta

rumo aos trinta: foto de um pedaço de bolo com velas

Eu andava muito dedicada, toda preparada, toda disciplinada. Estava programando posts, selecionando os temas para dar um rumo ao blog e cuidando de tudo direitinho. Acontece que na vida, a gente tem que priorizar as coisas, nosso tempo é curto, temos que trabalhar e ainda tem que sobrar tempo para o marido, estudos, hobbies, e quando vemos o dia precisaria ter 120 horas para que conseguíssemos fazer tudo.

Os posts estavam prontinhos até junho, aí eu desandei. Hoje é dia cinco e em outro momento eu estaria entrando em pânico que não tenho nada agendado para esta semana ou a próxima. Tenho sim muitas ideias, mas cadê o tempo? Depois que criei a Alpaka meu tempo é dedicado a ela, mas sempre achei um jeitinho de encaixar o blog por aqui. Acontece que o blog, por mais que seja minha paixão, não me trás nenhum retorno financeiro, e eu acabei dedicando tempo de estudo e criação de coisas novas para ele. Confesso, fiz errado. Tenho que focar minhas energias onde eu quero que dê certo, mas meu amor pelo mundo bloguístico é tão grande que me deixei levar. Eu amaria que ele fosse a parte “certa” da minha vida, mas não consigo escolher nicho, amo escrever e estou me encontrando nas newsletters. Tenho um cara muito bacana (Arthur! MUITO OBRIGADA!) me ajudando com SEO e tentando melhorar o blog desde o começo do ano, ele diz que adora meu trabalho aqui e quase morre de saber que faço tudo isso aqui, todo esse conteúdo 100% original, de graça. E como tá difícil impulsionar tudo isso! Aí aconteceu: a BAD bateu.

Eu já tinha falado aqui que queria que o blog fosse algo leve, mas eu não tomei nenhuma atitude pra resolver isso. Na verdade só algumas poucas: instituí que só posso postar e escrever posts DEPOIS do meu horário de trabalho. Como eu que faço meu horário, dei umas escapulidas, claro. Diminui um post por por semana, mas resolvi gravar vídeos, que me consomem um dia praticamente que inteiro entre gravar e editar. Ou seja, cadê o foco Michelli?

Esse espaço me trouxe tanta coisa, tanta gente, tanta oportunidade que ele faz parte de mim já. Tenho blog há 17 anos, cresci vendo os pastos dos diários virtuais se tornarem prédios enormes de propaganda e acabei ficando nessa terra de ninguém. A maioria das meninas que eu seguia, que tinham blog, acabaram também por ir embora. Algumas, as que tornaram isso profissão, ficaram. Eu continuo aqui, como prova de que eu não desisto fácil.

Agora tenho menos de 365 dias para completar meus 30 anos e continuo repensando muito no que faço aqui, se tem serventia, se alguém nesse mundão sem fim ainda me lê e se vale a pena continuar dando murros em ponta de faca. Minha terapia está me fazendo repensar em muita coisa e nisso acabo me encontrando. Eu AMO dividir coisas legais com as pessoas, mas a internet de meu deus tá ficando cada vez mais complicada pra gente se reinventar. Já tentei muitas coisas, sei que consigo dividir minhas experiências em outros canais, mas escrever, apesar de eu ser bem visual, ter minhas ilustrações e tudo mais, escrever me trás uma paz sem igual.

Estou aqui, chacoalhando a poeira pra não deixar vocês e me preparando para meus próximos dias até os 30, que tenho certeza que serão incríveis. Aguardem as cenas dos próximos capítulos.

Vamos ser amigos de cartas

ChellPals – Amigos de cartas digitais.

Foto de cartas antigas da minha prima pra mimCartinhas da prima.

Senta que lá vem história

Desde pequena eu era meio viciada em cartas. Trocava cartas direto com minha prima que morava em Curitiba. A gente mandava cartas enormes, cheias de desenhos, colantinhos, páginas cheirosinhas, papéis de carta e canetas coloridas com glitter. Na mesma época também trocava cartas com minha tia e madrinha que morava lá em Brasília. Depois fui crescendo e arrumei alguns amigos na internet pra trocar… CARTAS! Porque não?

Maurício Alves foi um desses, hoje autor de livro, ator talentosíssimo e um dos responsáveis pelo canal Gaiola das Roucas, que fala sobre teatro de uma maneira divertidíssima. Até hoje guardo nossas cartas.

Foto de cartas antigas da minha madrinha para mimCartas da madrinha.

Depois passei a trocar cartas com o namorado. Mesmo quando nos víamos, parecia que as conversas não cabiam no tempo que tínhamos junto e as cartas continuavam a falar. Ele mudou de cidade, na época a internet não era assim tão fácil, com WhatsApp e tudo mais, e só nos falávamos 2 vezes por semana, por 10 minutos. Aí vieram as cartas. E quantas foram! Tenho uma caixa cheia delas.

Sempre gostei dessa coisa de escrever para as pessoas, conhecê-las realmente e por isso criei o blog há quase 17 anos atrás. Eu adoro ler blogs e gosto de contar um pouco de mim, então na época havia uma troca boa de pessoas se conhecendo. Porém hoje as coisas mudaram bastante nesse mundo blogueirístico e senti que precisava de um lugar pra ser mais direta, um lugarzinho mais íntimo pra chamar de meu, pra falar das coisas da vida, pra gente se aprochegar gostosinho e trocar umas ideias.

Foto de cartas antigas que mandei pro noivoCartões que fiz pro noivo.

Foto de uma parte das cartas que tenho em casaUm pouco das cartas que tenho em casa.

ChellPals

Pen pal foi uma das primeiras palavras que aprendi no meu curso de inglês, quando tinha meus 7/8 anos. Julia Burns, a menininha do livro, tinha um amigo fora do Brasil pra quem escrevia cartas e ele era o “penpal” dela. Esta palavra significa “amigos de caneta”, ou seja, pessoa que você amigavelmente troca cartas. Então resolvi dar o nome dessa listinha de ChellPals, ou “amigos da Chell”.

Nestes e-mails vou dividir com vocês reflexões do cotidiano, coisas que me inspiram e coloridezas da vida. Acabei de inventar esta palavra. Lá a gente pode falar mais perto, vocês recebem no aconchego de vossos e-mails textos e inspirações que mandarei uma vez ao mês. Juro que vai ser no máximo duas, assim nenhuma caixa de e-mail vai se cansar de mim.

O que achou da ideia? Quer entrar pro clubinho? É só preencher o formulário abaixo e esperar a primeira “cartinha” chegar.

Preencha e se inscreva!


* obrigatório