romance

Leitura: A Livraria Mágica de Paris | Nina George

A Livraria Mágica de Paris

Paris - Torre Eiffel

Sinopse

“O livreiro parisiense Jean Perdu sabe exatamente que livro cada cliente deve ler para amenizar os sofrimentos da alma. Em seu barco livraria, ele vende romances como se fossem remédios. Infelizmente, o único sofrimento que não consegue curar é o seu: a desilusão amorosa que o atormenta há 21 anos, desde que a bela Manon partiu enquanto ele dormia. Tudo o que ela deixou foi uma carta que Perdu não teve coragem de ler. Até um determinado verão o verão que muda tudo e que leva Monsieur Perdu a abandonar a casa na estreita rua Montagnard e a embarcar numa jornada que o levará ao coração da Provence e de volta ao mundo dos vivos. Sucesso de público e crítica, repleto de momentos deliciosos e salpicado com uma boa dose de aventura, A livraria mágica de Paris é uma carta de amor aos livros perfeito para quem acredita no poder que as histórias têm de influenciar nossas vidas.”

Livro a Livraria Mágica de Paris

O que achei?

Antes da viagem eu estava super procurando algo que me situasse no clima de tudo. Meu Inktober foi sobre a Cidade Luz e eu estava querendo um livro sobre ela também. Na livraria este foi o que vi, com altas recomendações no verso e resolvi arriscar.

O livro tem uma narrativa bem gostosa, a história é cheia de boas passagens e uma lição interessante, mas está longe de ser um livro que eu tenha amado. Fluiu bem a leitura, não empaquei, mas é como se eu tivesse começado uma obra romântica e cheia de delicadeza e em algumas poucas frases Nina George me carregava para “50 Tons de Cinza”. Foram poucas as passagens que isso aconteceu, mas tenho que dizer que me incomodaram um pouco. Sou muito romântica estilo mocinha de filme de princesa, então não esperava.

Apesar disso, a missão de se redescobrir vivo de Perdu me fez bem, em um momento que de certa forma eu precisava de algumas lições daquelas. Se eu fosse o personagem, talvez indicaria o livro para alguém que acabou de perder um ente querido, como um remédio para se redescobrir e ver a vida com olhos mais calmos. Aliás, ele pe passava uma calma gostosa, como se realmente estivesse navegando por um rio.

Citações

“Raro alguém ficar o dia todo rolando em sua sensação de felicidade como um bife na farinha de rosca, não é? A felicidade é tão fugaz. Quanto tempo já ficou feliz sem parar?”

“Não é surpreendente que o amor seja tão físico? O corpo lembra como é tocar alguém enquanto a cabeça recorda de tudo que a pessoa disse.”

“Para amar é preciso muito mais coragem e muito menos expectativa.”

“E, sim, dor de amor é como luto. Porque você more, seu futuro morre e você dentro dele…”

Assistir: Anne with an E (2017)

Anne with an E, a série mais fofa de todos os tempos.

Anne de pé na carroça com Matthew segurando seu chapéu, chegando em Green Gable.

A história

“Depois de treze anos sofrendo no sistema de assistência social, a orfã Anne é mandada para morar com uma solteirona e seu irmão. Munida de sua imaginação e de seu intelecto, a pequena Anne vai transformar a vida de sua família adotiva e da cidade que lhe abrigou, lutando pela sua aceitação e pelo seu lugar no mundo.”

De onde veio

A série foi inspirada no livro de 1908, “Anne of Green Gables” de Lucy Maud Montgomery e foi exibida pelo canal CBC, porém atualmente se encontra disponível na Netflix, mas procurando na internet descobri até desenho animado com a personagem.

Anne e Gilbert

O que achei?

Eu acabei de ver esta série e tive que fazer este post. Sei que ele vai ser agendado, mas queria deixar fresca aqui a memória de quem acabou de ver sete episódios lindos, delicados e poéticos.

Anne é uma menina adorável, Amybeth McNulty faz um trabalho magnífico com a personagem que mostra uma inocência com misto de experiência e maturidade devido a suas experiências de vida, ela vai te cativando por sua espontaneidade e carisma. Como ela tem coragem de se achar feia e ainda reclamar daquele cabelo? Nunca saberemos.

Vemos nesta série crianças e idosos vivendo e aprendendo uns com os outros e pra mim esta foi uma das coisas que mais me agradou. Os mais velhos remoem o passado relembrando coisas que poderiam ter sido, amores que podiam ter vivido e os mais novos em busca do novo, do conhecimento e de rumos. Além de acompanhar os aprendizados e dramas de Anne, também acompanhamos um momento de revolução nos ideais sociedade, quando as mulheres começaram a questionar e a querer tomar seus lugares, a querer um trabalho fora ao invés de apenas cuidar da casa. Muitos dos questionamentos da série vem do feminismo e isso é um presente para que assiste.

Acompanhamos as descobertas de Marilla e Matthew, irmãos que não se casaram e que agora começam a se abrir para novos sentimentos. Os dois crescem demais com a chegada de Anne e é lindo vê-los desabrochar e se conhecerem mais. A série trata de bullying, morte, adoção, preconceitos e assuntos mais sérios com a delicadeza de uma brisa e acho que estou liberada pra dar uma de poetiza aqui depois de tanta inspiração.

Eu posso não ser ruiva, nem órfã, mas de um certo jeito Anne me lembrou muito eu mesma, questionadora, lutando pra se encontrar no mundo e cheia de dúvidas sobre si mesma. Certeza também que ela é de câncer, porque chora demais e faz um drama. Em cada lágrima dela, lá estava eu deixando a minha cair do lado de cá. Apaixonada é como eu descreveria Anne. Apaixonada por descobertas, conhecimento, vida, natureza e pessoas que estão ao redor dela.

O melhor episódio

Pra mim com certeza o que Anne acorda de madrugada depois de sua primeira menstruação. Tantos questionamentos, descobertas e visões diferentes. Como era a vida das mulheres na época, como elas tinham que ficar reclusas e não podiam quase conversar sobre o assunto. Tudo um tabu gigantesco.

No final das contas esta série foi um presente. Se você não assistiu ainda, vou te dar mais alguns motivos: a fotografia é de deixar o queixo caído e a abertura… ah a abertura. Suspiro só de ouvir a música.

Frases

“Às vezes, é preciso deixar as pessoas amarem você.”

“A vida é curta demais para ser gasta fomentando animosidade ou remoendo erros.”

“É isso que você precisa decidir: viver uma vida sem arrependimentos.”

“Grandes palavras são necessárias para expressar grandes ideias.”

Assistir: Strong Woman Do Bong Soon (2017)

Dorama: Strong Woman Do Bong Soon

Do Bong Soon carregando Ahn Min-hyuk nas costas
Do Bong Soon e Ahn Min-hyuk

Sinopse

“Uma garota incrivelmente forte morre de amores pelo crush de infância dela, mas ele, infelizmente, gosta de mulheres que são muito mais elegantes do que a desajeitada Bong Soon. Enquanto tenta conquistá-lo, ela consegue um emprego como guarda-costas de um CEO lindo. No entanto, nem ela tem a força necessária para romper o ego impenetrável de seu chefe cabeça dura, o arrogante Ahn Min Hyuk, CEO de uma empresa de jogos. Ele é esquisito, mimado, dominador e muitas vezes mostra um absoluto desrespeito pelas regras e cortesia comum. A personalidade dele bate de frente com a da certinha Do Bong Soon, mas não demora muito tempo para o gelo entre os dois começar a derreter e as coisas começarem a esquentar. Será que o CEO do jogo se tornará uma pessoa melhor e conquistará o coração da nossa mulher forte? Ou será que ela sempre suspirará pelo homem que não gosta da força que a torna única?”

In Guk-doo e Ahn Min-hyuk
In Guk-doo e Ahn Min-hyuk

O que achei?

De primeira este dorama me ganhou por conta de: EDIÇÃO. Barulhinhos divertidos, efeitos bem parecidos com coisas da internet e memes rolam em vários momentos e eu adorei a maneira que usaram isso pra dar o toque comédia na história. Apesar de fazer rir, este dorama tem uma pegada policial bem legal e realmente te pega e faz ficar apreensível até final.

Do Bong Soon é muito meiga e cativante e é visível o crescimento da personagem ao longo da história, assim como os sentimentos dela por Guk-doo e Min-hyuk. Os personagens crescem juntos com o passar da série e leva a um final bem bacana.

Destaque para Baek Soome que me fez rir demais, adorei o toque de celular dele com o saudoso “Tônico com Guaraná”, quem lembra? Mas pra mim o melhor personagem foi Oh Dol-pyeo. Era ele aparecer e eu dava risadas com certeza.

Oh Dol-pyeo
Oh Dol-pyeo, o melhor personagem?

Toda história é bem desenvolvida, apesar do núcleo todo dos irmãos de Min-hyuk acabar ficando meio pra trás depois de um tempo, isso não me incomodou nem um pouco, pois entendi que ele serviu pra um propósito, mas podiam ter colocado eles no final – que eu não vou contar aqui.

Comédia, ação e romance pra gente ficar suspirando muito. Recomendadíssimo! Aliás, agora meu toque de celular é igual da Do Bong Soon. Divertidíssimo e destrambelhado.

Kim Jang-hyun, vilão de Strong Woman Do Bong Soon
Kim Jang-hyun

Assistir: Arang e o Magistrado (2012)

Arang and the Magistrate

Arang e o Magistrado

A História de Arang e o Magistrado

Arang e o Magistrado trata-se do encontro de Arang, uma fantasma que perdeu todas as suas memórias e é incapaz de descansar até descobrir como morreu, com Kim Eun Oh, um nobre que está a procura de sua mãe e que seguindo pistas, acaba chegando a cidade de Miryang. Kim Eun Oh tem a habilidade especial de ver espíritos, mas finge que não, pois não gosta de ser incomodado pelos fantasmas que vêm até ele pedir favores. E Arang está tentando a três anos, através dos magistrados, investigar a sua morte. Dessa forma ela tem a intenção de fazer de Kim Eun Oh um magistrado para ajudá-la. Será que ambos conseguirão desvendar os mistérios que os envolvem? Arang, com a sua morte e o Magistrado, com o desaparecimento de sua mãe?

Arang e Kim Eun Oh

Personagens

Imperador de Jade, Rei do Céu, e Yama, rei do submundo, são os personagens que regem toda a história deste dorama. Como deuses eles jogam suas pedras e tramam o destino das pessoas (e fantasmas) que estão na terra, como Arang e Kim Eun Oh.

Arang é uma fantasma desmemoriada, porém determinada e que aprende a se virar nessa dura vida de fantasma sozinha. Conhecemos ela toda “esfomeada” e suja. Kim Eun Oh é um cara bem mimado, nunca está nem aí pra ninguém que não seja ele e por este motivo ele finge que não vê os fantasmas, já que eles sempre ficam pedindo ajuda e isso só gera incômodo. Com ele sempre está seu servo, Dol-Sew, rapaz generoso, sempre preocupado e dedicado a seu mestre .

Dol-Sew esbarra em Bang-wool, que é uma xamã que sempre vê as coisas pelas metades. Na verdade ela apenas escuta os espíritos. Ela vira e mexe ouve as lamentações de Arang, enquanto pede para ver o espírito de um general. E esses dois são o melhor casal que este dorama poderia ter.

Imperador de Jade, Yama e Ceifador

O que achei

Eu fui ver este dorama por causa do meu queridinho Lee Joon Ki. Depois de Scarlet Heart e O Sábio que Caminha de Noite eu queria ver mais coisas com ele e PA! Cai neste aqui. Acontece que de todos, este foi o mais fraquinho.

Apesar de a sinopse parecer bem interessante, a história de 20 episódios fica arrastada demais. Talvez se fossem menos episódios a coisa seria melhor, ou se as coisas fossem acontecendo com mais frequência entre os episódios, mas lá pro número 11 a gente já está cansado do drama de achar mãe de Kim Eun Oh. Algumas coisas são bem previsíveis, o romance de Arang e Kim Eun Oh demora pra engatar e a gente fica só vendo fantasmas e esperando os encantos da xamã.

No meio disso tudo o que salva é o romance de Dol-Sew e Bang-wool. Engraçadíssimo, fofo e muito sincero! Melhores cenas desses dois. Aliás, a atriz que faz a xamã se destaca muito mais e pra mim foi a melhor personagem deste dorama.

Apesar de não ter gostado muito por conta de tudo demorar muito para acontecer, a história é boa. É fofo ver o cuidado de Kim Eun Oh crescendo por Arang e como eles vão se ajudando e se preocupando um com o outro aos poucos.

Os vilões são bons, não falo muito para não dar spoilers, mas com o passar dos episódios você já vai entendendo e sacando pra onde tudo vai levar. Não é um dorama péssimo, mas dos que vi, é o mais fraco.

Dol-Sew e Bang-wool

E você, já assistiu? Tem algum pra indicar? Falae pra gente!