Empreendedores, CLTs e Gurus

Gurus querendo ditar o que você tem que o que não tem que fazer. Textos que falam que você tem que largar tudo pra ser feliz. O que é certo afinal? Tem um certo? Hoje eu vim colocar um pouco do que vejo nesse mundo de empreendedorismo e como lido com algumas coisas.

Se você gostou, dê seu joinha e se inscreva no canal.

E você? Sente a pressão da galera? Segue algum desses “gurus”? Como você se sente nesse mundo empreendedor hype de hoje?

Você também pode gostar desses

10 Comments on Vídeo: Empreendedores, CLTs e Gurus

  1. AHHHH que eu adorei a forma que vc expôs um assunto tão mal abordado!! Meus pais tb, (cada um tem o próprio negócio).. O que me dá raiva apenas, são pessoas que não se preparam antes.
    Elas veem uma pessoa fazendo sucesso e acredita que a pessoa chegou naquilo com muita facilidade. E não se prepara estrategicamente pra isso =/
    e outra coisa que vc sitou que fiquei muito puta… é que agora todo mundo se diz coaching ¬¬

    • Tem merda pra todo lado na real, mas acho ruim ver o pessoal se sentindo mal pq tá trabalhando, tipo… O.o?
      E sim, td é coaching. Isso é uma hype maluca e espero que passe rsss

  2. É tanto coaching que vou me auto-coaxar (não pera, quem faz isso é sapo). Conseguiram gourmetizar até o ato de abrir um negócio próprio. Chell, adorei o vídeo e o look Sibila Trelawney 😛

  3. Chell, sua maravilhosa! Obrigada por esse vídeo, você virou minha nova guru (não, péra…). Hahaha!

    Eu acho TÃO perigoso esse discurso de que “a gente tem que fazer SÓ o que a gente ama” pra viver. É irracional achar que todo mundo pode largar um emprego tradicional para viajar-pelo-mundo-dando-dicas e derivados. Sem contar que desmerece DEMAIS quem opta por ter uma vida mais tradicional ~ ou quem não tem condições mesmo de “largar tudo”. Enfim, é um assunto muito complexo, que você abordou muito bem no vídeo.

    E não vou nem começar a falar dessa coisa de coaching. Tem tantos “coachs” assustadores por aí que a gente não precisa nem criticar muito ~ é só observar com atenção.

    • Exatamente!
      Se as pessoas analisassem mais o que esses coachings/filosofos/whatever falassem e tirassem coisas dali, ok, mas tem gente que endeusa esses seres, e não! Tá errado =D

  4. Arrasou na abordagem, Chell!
    Estudei empreendedorismo na faculdade e é uma coisa complexa, viu?! Quem acha que é mágica sair largando tudo e fazendo apenas o que ama está muito enganado.
    Eu to aqui louca para empreender e com várias ideias, mas por enquanto só no papel mesmo.
    Eu tive uma atividade uma vez de escolher 3 mentores/coachs para seguir. Fiquei com medo daquilo. Não consigo ter uma pessoa como exemplo. Sempre pego o que me acresce e descarto o resto, mas tem gente que fica cega e louca seguindo conselhos de coachs. Muito medo!!

    • É bem isso mesmo Poly, ter uma pessoa pra se inspirar um pouco até vai, mas conheço muita gente que segue as pessoas cegamente, acho tão perigoso. As veses é pra culpar outra pessoa se não der certo, vai saber hahahaha

      E empreender é padecer no paraíso hahahaha logo falo mais disso =D

  5. Onde eu assino?…rs. É exatamente isso! No meu caso, escolhi os dois: tenho um CLT que não tenho o direito de reclamar de absolutamente nada (inclusive, acabei de ser promovido a diretor de arte e tô muito feliz), e toco meu estudiozinho com muita humildade, com alguma coisinha fixa pra não passar perrengue e pagar pelo menos as contas. Tenho um cliente fixo que infelizmente vai encerrar os trabalhos em dezembro, mas vou continuar com ele numa outra modalidade, que vai garantir minhas contas fixas do estúdio – ou seja, tudo que entrar é livre pera mim. Aliás, uma dica muito importante pra alguém que faça o mesmo que eu é, em letras garrafais: SEPAREM AS COISAS! Toca sua vida de CLT num lado e a sua vida “empresarial” de outro. Não misturem as coisas, não contem com uma grana que ‘supostamente pode entrar no mês que vem’ e o principal: não dêem o passo maior do que a perna. No caso meu e da Michelli, por exemplo, nossa profissão é muito bacana mas ao mesmo tempo muito traiçoeira. É difícil viver de design e, lógico que tem que entrar grana, mas se não rolar uma paixão aí, não vai muito longe. Então, o esquema é trabalhar pra caramba, tentar ao máximo possível uma “segurança”, e tocar as coisas com honestidade (e sabendo que está dando o seu melhor!)

    É isso! Parabéns pelo post!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *