nacional

HQ: Maravilhoso | Hiro Kawahara

O Maravilhoso mundo de Hiro Kawahara

Capa da HQ Maravilhoso de Hiro Kawahara

Sobre o Hiro

Eu sempre desejei ler as criações do Hiro, um artista, ilustrador e quadrinista brasileiro que é super conhecido no meio dos desenhos por ser criador das lâminas para bandejas do Mc Donalds, e com “Maravilhoso” eu não podia ter começado de jeito melhor.

Tive o prazer de conhecer o Hiro num workshop que fiz em São Paulo há uns anos atrás e depois encontrei com ele novamente na ComicCon Experience em 2015, quando comprei algumas artes que ele estava vendendo por lá, mas infelizmente não havia conseguido os quadrinhos.

Ano passado ele começou um projeto no Catarse para lançamento de Yowiya e em uma das recompensas estava lá: “compre um e leve outro”. Claro que aproveitei e recebi o kit todo em casa.

Foto da HQ Maravilhoso de Hiro Kawahara

O Quadrinho

Um herói que não é herói, não é maravilhoso, aliás, quase não chega a ser um homem. Essa é a história do Homem-Maravilhoso, um pobre coitado imbecil cuja miséria só é superada pela sua estupidez. Ele não tem poderes, não é inteligente, não tem auto-estima, apenas uma mente minúscula que só se preocupa em comer e dormir, para acordar, comer e dormir novamente no dia seguinte. Some-se a isso uma oportunidade de ouro, duas garotas poderosas, uma jornada que deveria ser digna de heróis e uma série de eventos inesperados causados por motivos medíocres. (Good Reads)

Hiro já começa explicando que Maravilhoso foi criado quando ele era ainda uma criança e pede até desculpas pelos palavrões e piadinhas que usa no quadrinho. “Licença poética” concedida e você
é levado por Homem-Maravilhoso, Lumen e Kokopeli em um mundo nonsense e divertido desse anti-herói bem maluco, uma história recheada de coisinhas nojentas, sem noção e um pouquinho de sensualidade, ou seja, o resumo de ideias e brincadeiras de meninos quando mais novos.

Foto da HQ Maravilhoso de Hiro Kawahara
Quadrinho super indicado pra se ter em casa, muito bem feito, todo colorido e com passagens fantásticas! Se interessou? Compre pela editora Polvo Rosa Books.

HQ: Mônica Força | Bianca Pinheiro

Mônica Força

“Sempre que é preciso, a Mônica usa sua força para resolver os problemas. Agora, terá que enfrentar o maior deles. E não poderá ser na base da coelhada. Em Força, Bianca Pinheiro faz a principal personagem de Mauricio de Sousa (e do quadrinho brasileiro) encarar o grande desafio de sua vida, numa história tão dolorida quanto emocionante.”

Acho que posso considerar este MSP um dos meus preferidos. Não sei se pegou muito no meu coraçãozinho ou se eu ser fã da Bianca Pinheiro me levou a isso, mas posso dizer que sim, me ganhou por completo. Já conheço o trabalho dela por conta das webcomics “Bear” e “As Incríveis Aventuras de Pile”, histórias que gosto bastante, e sabia que com “Força” não seria diferente.

Além de easter-eggs escondidinhos pela história, com personagens da Bianca, temos uma Mônica chateada por não conseguir usar a sua força pra resolver todos os problemas dela, e quadros e passagens lindamente desenhados. A parte em que Mônica tenta concertar a torneira pra mim é a melhor!

Fica então a dica de um quadrinho muito bacana, bem feito e cheio de sentimento.

Mônica Força

Mônica Força

Conheça os outros quadrinhos da série:

Louco | Turma da Mônica: Lições | Bidu – Caminhos | Chico Bento – Pavor Espaciar | Turma da Mônica: Laços | Astronauta Singularidade | Astronauta Magnetar

HQ: Black Silence – Mary Cagnin

Black Silence

“No futuro a Terra está com os dias contados. Uma equipe de astronautas é convocada para fazer reconhecimento de um planeta que pode ser a única chance de sobrevivência dos seres humanos.” Leia o primeiro capítulo.

Black Silence

Escrita e ilustrada por Mary Cagnin, Black Silence é uma HQ independente financiada pelo Catarse e que rendeu para a ilustradora um prêmio no 33º Troféu Angelo Agostini como Melhor Desenhista, e depois de receber a minha e ler, eu entendi o porquê.

A história com toques sci-fi vai te levando em uma atmosfera de suspense e quase terror pelo espaço e ficamos intrigados a cada página da história. Conforme ela vai acontecendo também entendemos o passado dos personagens e como eles convivem entre si naquele espaço.

Os desenhos são muito bacanas, as passagens de quadro, os artifícios e os tons que a Mary utilizou ficaram ótimos para situar o clima da história. Confesso que foi uma das HQs que mais empolgou nos últimos tempos e depois que terminei eu fiquei animada pra vir aqui e contar pra vocês.

Já conhecia o quadrinho? Já leu? Comente pra eu saber.

Black Silence

Black Silence

QUER SABER MAIS?

Saiba mais sobre a HQ | Blog da Mary | Loja

VIPs + A Arte do Insulto

VIPs“Ele foi empresário, aviador, líder de facção criminosa, rico e famoso. Enganou autoridades, celebridades, jornalistas e até os guardas da prisão de Bangu, usando 15 identidades diferentes. Marcelo não consegue conviver com sua própria identidade, o que faz com que assuma a dos outros. Isto faz com que passe a ter diversos nomes, nos mais variados meios, onde aplica seguidos golpes. Baseado em uma história real.”

Eu tinha muito preconceito com filmes brasileiros, mas depois das minhas aulas de cinema na faculdade eu comecei a respeitar mais nossos artistas e entendi o porque de todo o “fuá” que se existe ao redor do gênero. O cinema brasileiro vem se destacando muito e temos muita coisa boa hoje pra assistir. VIPs é um desses filmes que eu achei muito legal e divertido. Depois saí pela internet procurando sobre o caso do cara, já que é baseado em fatos reais e ri muito quando descobri quem foram os atores e as personalidades envolvidas no caso. Além do mais é estrelado pelo maravilhoso Wagner Moura. SHOW!

A Arte do Insulto“Durante 60 minutos, Rafinha Bastos, comediante brasileiro de sucesso, destila humor e muita polêmica. Um show sem frescura, sem censura e sem limites.”

Eu já vi alguns shows Stand Ups, como Improvável e Oscar Filho, aí quando vi o DVD do Rafinha no Netflix pra assistir, não teve como não querer assistir, mas juro que decepcionei. Não sei se é porque eu esperava muito do show, mas o show do Oscar Filho é mais fluido e divertido. Rafinha dá muitas pausas e muita piada nem é tão engraçada assim, valeu pelas risadas mas não foi aquela coisa de chorar de rir como fiz nos outros shows, chegando a ficar com falta de ar e nem conseguir respirar entre as risadas. Mas continuo fã do Rafinha, que fique claro. r

Sinopses do Cinema com Rapadura e Netflix