Indicação

Aplicativos, dicas pra concertar algo ou algum gadget bacana.

Eu e o tecido acrobático

Força, definição de músculos, elasticidade e muita diversão é o que o tecido acrobático vai te trazer.

Eu com os pés amarrados em um espacate no ar entre as árvores. Tecido acrobático.
Nem tá doendo.

Sobre o tecido acrobático

Originado no circo, o tecido acrobático é um esporte no qual a pessoa, sem linhas de segurança, realiza acrobacias em um tecido que fica suspenso e preso no alto de alguma estrutura. A pessoa usa o tecido para se enrolar, dar travas e nós para realizar figuras no ar.

Duas fotos. Na primeira realizo a posição bali: com os dois pés presos as pernas são dobradas em 90 graus, uma para frente e outra para trás, a colubna se curva para trás e o corpo forma uma letra N. Na segunda a posição flamingo: pernas trançadas em uma ponta, o corpo fica de ponta cabeça e as mãos ficam livres.
Posições Bali e Flamingo.

Como tudo começou

Eu sou muito a louca de descobrir atividades físicas, né? Já contei aqui minha experiência com a dança do ventre, com a corrida, com o pilates, com o kung fu e agora eu trago pra vocês o tecido acrobático! Porque o importante mesmo é a gente se manter sempre exercitando o corpo, né?

Ano passado queria experimentar algo novo e aí uma amiga que já praticava o tal tecido me levou pra conhecer uma aula. Posso dizer que meu lado criança-que-trepa-em-tudo se realizou e eu resolvi trocar um pouco as artes marciais pelos tecidos.

Então desde novembro do ano passado eu me encontro nas aulas de tecido e queria muito contar como está sendo esta experiência pra vocês.

tecido acrobático
Caixinha de música e Amazon.

Eu e o tecido acrobático

Uma das coisas que mais estou amando no tecido é a força que eu estou ganhando. Braços, pernas e PRINCIPALMENTE meu abdômen, minha pior parte pra ganhar força, estão ficando melhores a cada dia e isso é visível.

Muita gente fala que precisa de força pra começar as aulas, mas eu digo: você ganha a força conforme as aulas vão acontecendo, e ver isso se refletindo nas posições que você faz é incrível.

A cada aula somos levados para mais um desafio e quebrá-los se torna maravilhoso, ainda mais com as turmas super animadas que encontrei no estúdio que pratico. As colegas de classe e a professora são pessoas incríveis e todas as vitórias, de todo mundo, são comemoradas.

Tecido acrobático.
Grega e Grande L.

Em sete meses treinando tecido além de toda a força que ganhei – e pessoas queridas ao meu redor – consegui vencer desafios pessoais, como o medo de algumas quedas que tenho começado a aprender. Afinal, cair faz parte da vida, né? Ainda mais no caso das quedas que são controladas e que ficam LINDAS pra quem assiste.

O tecido me deu um senso de quebrar meus limites além dos que eu achei que conseguiria e estou me descobrindo mais capaz do que nunca. Estar lá em cima entre as “minhas cortinas”, como diz o marido, é de uma paz incrível, uma sensação de leveza e poder sem igual.

A cada dia me apaixono mais por esta prática, que só tem um defeito: não dá pra fazer em todos os lugares.

Quer saber mais? Fazer uma aula teste? Onde eu faço?
As aulas são no Studio Thais Holiveira que fica na Blackfit do Shopping Vale Sul. Segue no Insta! @studio.thaisholiveira.

Assistir: Nanette | 2018

Nanette - Hannah Gadsby

O que é Nanette?

Nanette é um ato de comédia stand-up escrito e interpretado pela comediante australiana Hannah Gadsby, que estreou em 2017. O trabalho inclui comentários sociais, especialmente sobre questões LGBTQ. Em junho de 2018, a Netflix divulgou um vídeo da performance de Gadsby no Sydney Opera House. Wiki.

Você pode gostar também de Anne Com E

Hannah Gadsby

O que achei?

Fui assistir este show por indicação de várias pessoas na minha timeline. Indicações para ver Nanette pulavam na minha frete praticamente todos os dias e eu ficava pensando:”preciso assistir isso!”. Até que um dia consegui.

Hannah Gadsby começa o show nos fazendo rir, mas ao mesmo tempo começa a nos fazer refletir sobre como é ser LGBT+. No caso dela mais especificamente, lésbica. Ela começa a fazer várias piadas que fazia em shows antigos, conta como brincava com o fato de sua sexualidade e como a família dela lidava com isso, porém em um determinado momento ela começa a mudar o rumo da conversa. Não deixa de ser engraçado em algumas passagens, mas histórias começam a ser contadas de outro ponto de vista e começamos a perceber, como o mundo é. O que o mundo faz com pessoas diferentes.

Na metade do show Hannah começa a nos fazer pensar e refletir. Piadas antigas não têm mais graça, pois degradavam sua vida, quem ela era e pessoas que são como ela. Lá pro final do show, começo a chorar. Chorar com os relatos da via de Hannah, com o fato maravilhoso de vê-la se desculpar com fãs e com a pessoa mais importante pra ela: ela mesma.

Nanette, mais que um show de humor, é um show de reflexão sobre o humor, os limites dele e como podemos fazer rir sem machucar, estereotipar e reforçar preconceitos. Eu ri, chorei, senti raiva e empatia durante os quase 50 minutos deste show que mostra uma mulher forte, maravilhosa e super talentosa.

E você, já assistiu? O que achou? Conta pra mim!

Inspiração: Girls Artists Gang

Girls Artist Gang

Inspiração é como banho

Como já disse o professor motivacional Zig Ziglar: “As pessoas costumam dizer que a motivação não dura sempre. Bem, nem o efeito do banho, por isso recomenda-se diariamente”. Então como fazer para se motivar mais quando falamos de desenhos?

Alguns projetos estão aí pela internet pra te ajudar a ter ideias e colocar a mão na massa, colocando temas semanais, ou até mesmo mensais, para que você sente o popô na cadeira e coloque suas ideias pra fora. Um destes grupos é o Girls Artist Gang, um grupo fechado só para mulheres ilustradoras no Facebook com conta no Instagram para seguir.

Desenhos do mês de maio de algumas participantes do projeto
Desenhos do mês de maio de algumas participantes, que foram repostados no Instagram.

Como funciona o Girls Artist Gang?

Você pode entrar pro grupo, ou simplesmente postar seu trabalho com o tema que é sempre anunciado no início de cada mês, com a hashtag do projeto e pronto! Você já está participando. Algumas pessoas são selecionadas e os trabalhos aparecem no Instagram do grupo, o que ajuda um bocado na divulgação do seu trabalho também.

Desenhos do mês de maio de algumas participantes do projeto
Desenhos do mês de maio de algumas participantes, que foram repostados no Instagram.

O tema do mês de maio foi o Mermay, algo como Maio das Sereias que eu expliquei em um post aqui já, e está muito legal acompanhar as ideias de cada uma, tanto pelas repostagens, quanto pela hashtag.

Se você estava procurando um lugar gostoso pra trocar ideias e ainda se inspirar, o GAG é o lugar certo.

Onde comer bem em Paris

Lugares para comer bem em Paris, sem gastar tanto

Quando vamos para algum pais ou cidade que não conhecemos, todas as lojas e lugares se tornam desconhecidos e nunca sabemos onde comer. Será que é bom? Será que é caro? Eu sou dessas que acha que tudo vai ser caro e muitas vezes fico no Subway comendo por ter certeza do que vou encontrar e quanto vou pagar, mas Paris é um lugar delicioso, literalmente, e as comidas merecem ser experimentadas! Eu já falei de algumas dicas da outra vez que fui visitar meu irmão, e agora eu não podia deixar de contar os outros lugares deliciosos que fui por lá. Então se você vai viajar, seguem algumas dicas de lugares pra comer coisas gostosas, boas e de vários preços.

Flam’s

Um dos primeiros lugares que meu irmão me levou pra gente almoçar com um amigo, o Flam’s é um restaurante de flammekueche, que é uma torta flambada originária do nordeste da França que se parece muito com pizza, porém com massa mais leve. Achei bem gostosa e por um preço legal (€14- €18) você come um quadradão enorme de flam! Mais que satisfatório!

ONDE FICA?
Fui na que tem perto da casa do meu irmão, Avenida du Maine, 32, região de Montparnasse, mas existem outras espalhadas pela cidade, pra encontrar é só acessar o site do Flam’s

Heureux Comme Alexandre

Heureux Comme Alexandre

O meu irmão falava sempre dos Pierrades que ele comia e que era apaixonado. Quando o noivo descobriu que se tratava de carnes na chapa, o lado Tiranossauro Rex aflorou e fomos uma noite experimentar. Foi uma delícia de jantar com um vinho gostoso e muita conversa boa, o que explica o nome do restaurante: “Feliz como Alexandre”. O preço fica entre €20 e €25 por pessoa, contando bebidas e tudo mais.

ONDE FICA?
Rua du Pot de Fer, 13 em um bairro bem charmoso de Paris. Saiba mais no site

L'Arbre de Sel - Comida Coreana em Paris

L’Arbre de Sel

O primeiro restaurante que fui para jantarmos assim que cheguei foi especial: comida coreana. Eu sou toda fã de doramas e mal me aguentei de emoção quando vi os hashis (ou seja lá como os coreanos chamam os palitos) de inox. É bobeira talvez, mas pra uma pessoa fã de cultura oriental é quase a Disney. Pedimos um prato chamado bibimbap e eu achei delicioso. Vem em uma tigela linda e uma porção bem generosa. O valor fica entre €18 e €22. Vale a pena experimentar!

ONDE FICA?
Rua de Vaugirard, 138, também na região próxima a Montparnasse. Pra saber mais é só acessar o site.

Mai Do - Comer bem em Paris

Mai Do

Me aventurando por comidas de outras nacionalidades, fui provar a paixão do meu irmão: bo bun, prato vietnamita. Pelo que pesquisei eles são meio que uma febre em Paris, e depois que comi um eu descobri porque: são deliciosos! Uma tigela linda cheia de macarrão de arroz, com um molho de peixe, carne (ou vegetais se você for vegetariano), legumes, hortelã e um sabor bem diferente pra você se deliciar. Além de adorar e repetir, ainda levamos mais pessoas para passar a palavra do bo bun pra frente.

ONDE FICA?
Boulevard Montparnasse, 23, fácil de chegar de metrô. Saiba mais no link.

Chez Suzette - Crepe em Paris

Chez Suzette

Os crepes são bem típicos da França, geralmente feitos com farinha de trigo sarraceno e uma receita bem simples, eles estão espalhados por vários locais de Paris, mas meu irmão me levou pra comer em um que é bem pequeno e charmozinho. Fui almoçar por lá duas vezes e em todas elas as combinações estavam ótimas! Por €9,90 você compra um crepe salgado, um doce e algo pra tomar (promoção) e sai satisfeitíssimo! Ainda dá pra escolher levar pra comer ou comer dentro da apertada creperia.

ONDE FICA?
Rua de la Harpe, 12, um charminho e pertinho de Notre Dame e da livraria Sheakespeare & Co. Saiba mais no site.

Sorvete! A Melhor Sobremesa

Se você almoçou e quer uma sobremesa bem boa, eu sempre indicarei sorvete. Sorvete é vida, é amor, é paixão e loucura, então aqui vão duas dicas extras de sorveterias maravilhosas pra você se deliciar!

Senoble - Sobremesa em Paris

Senoble

Além de ser um lugar lindo, acho que é impossível esta sorveteria ter algo ruim. No meio de um passeio com meu irmão pelos Jardins das Tulherias saímos andando e chegamos até a Senoble e pedimos um sorvete. Concordo que o valor é meio alto (se me lembro é algo entre $5 e $8), mas vale muito a pena! Tem desde os sorvetes normais com base de leite, até os sorbets, que são totalmente feitos de fruta e ótimos pra quem tem intolerância à lactose ou glúten.

ONDE FICA?
Rua des Petits-Champs,11, em uma região cheia de coisas legais pra se ver, rola até comprar um sorvete e ir andando até o Louvre. Saiba mais no site.

Amorino - Sobremesa em Paris

Amorino

Espalhada como Subways pela Cidade Luz estão as sorveterias Amorino. Eu sou uma grande apreciadora de sorvetes, então não perdi a oportunidade de tomar um sempre que rolava e lá estava a Amorino pra me socorrer. Os sabores são deliciosos, possuem opções com pura fruta – ótimos pra quem tem intolerâncias – sem deixar nada a desejar.

ONDE FICA?
Uma das que fui foi a da Rua de Rennes, 153, mas elas estão espalhadas pela cidade! É só olhar no site deles e achar a mais próxima.

Uffa! Deu pra deixar com vontade? Só de escrever sobre esses lugares já dá vontade de voltar.

%d blogueiros gostam disto: