Vida Real

Alô, alô, planeta Terra chamando! Este é o diário de bordo da blogueira que vos escreve.

Enxoval do bebê: o que é realmente necessário?

Vem descobrir o que é útil e o que não é pro enxoval do seu bebê.

Aquelas duas linhas no exame de gravidez aparecem e a gente já quer sair comprando todo o enxoval do bebê: kit berço, bomba pra tirar leite, roupinhas…

Mas apesar desse universo de maternidade e bebês ser enorme e existir produtos pra tudo, muita coisa é desnecessária ou você pode nem utilizar, sabia?

Pensando nisso vim contar um pouco da minha experiência pra acalmar mães aflitas e quem sabe, te ajudar a dar uma economizada.

Quando eu começo a comprar?

Olha, eu sei que a gente se empolga um monte, mas eu sempre indicarei comprar com calma e consciência.

Comecei a comprar as coisas mesmo com 30 semanas de gravidez (isso dá mais ou menos o sexto mês), exceto as coisas que pedi pra virem dos EUA que aproveitei uma viagem do cunhado. Isso me ajudou a economizar um bocado, pois pesquisei bem o que eu queria – custo x benefício – e eu pude esperar os preços ficarem menores.

Fora que muita gente começa a te dar roupinhas e presentes, então isso te adianta um monte! Ganhei tanta roupinha (novas e usadas) que compramos mesmo só um body e uns macacões quentinhos.

Sapatinhos de crochê pra bebê

Sapatinho de crochê é sapatinho?

Enxoval do bebê no exterior?

Muita gente tem a ideia de trazer coisas de fora, mas com o dólar atual não tem compensado muito não. Aqui tivemos uma oportunidade de pedir algumas coisas e foi muita conta pra ver o que realmente iria compensar.

Além disso, compramos coisas baseadas em listas da internet, bem no começo da gravidez, tínhamos estudado pouco ainda sobre amamentação e cuidados com o bebê então algumas coisas não vamos nem utilizar.

O que pode ficar de fora do enxoval do bebê?

enxoval do bebê e Aurora dormindo no berço cheio de coisa de dia nas poucas vezes no começo.

Kit berço e bichinhos que têm que ficar de fora.

Depois que comecei a estudar soube várias informações que me fizeram repensar várias compras, vou comentar algumas aqui pra vocês:

Kit berço – Esses enfeites lindos pra berço são uma das coisas que a gente mais pensa em comprar pra deixar o quarto todo fofo, seja com os novos protetores em forma de trança, travesseiros, almofadas fofas e tudo mais. Mas sabiam que nem a ABP (Associação Brasileira de Pediatria) e nem a SAP (Sociedade Americana de Pediatria) aconselham utilizar?

Poisé, esses acessórios todos aumentam risco de sufocamento, inclusive cobertores, já que bebês não têm domínio de seus movimentos e podem acabar enroscados ou algo assim. Podem também servir de suporte pra que eles subam e caiam do berço quando maiores.

Aqui em casa comprei o kit mais enxuto e ainda assim retirei tudo do berço para Aurora dormir, fica só o lençol. A trança agora serve pra ajudar ela a aprender a sentar (hehehehe).

Mamadeiras e chupetas – Eu não sabia ainda sobre confusão de bico e o impacto que isso pode causar na amamentação, então comprei um kit enorme de mamadeiras e chupetas. Existem até regras para comercialização desses ítens, que devem conter em suas embalagens o seguinte aviso:

“O Ministério da Saúde adverte: A criança que mama no peito não necessita de mamadeira, bico ou chupeta. O uso de mamadeira, bico ou chupeta prejudica o aleitamento materno”.

Pra não dizer que não usei as mamadeiras, uso as menores na minha bomba de ordenha, e talvez as maiores sejam úteis no futuro, mas chupeta está fora de questão por aqui. Se você não pretende oferecer a chupeta de início, eu já digo: nem compre! Elas não são caras e e você mudar de ideia num futuro é simples de resolver.

Ninhos – Por aqui eu ganhei um lindo da minha mãe, mas não rolou usar. Primeiro porque a Aurora dormiu até os 3 meses no meu quarto no carrinho do meu lado na cama, as sonecas ao longo do dia eram no carrinho, na minha cama ou no berço e eu nunca cheguei a usar o produto. Então se você não quiser, pode deixar esse item de fora sem problemas.

Bolsas maternidade – Outro item lindo e que a gente acha que vai usar muito, mas ficam super desconfortáveis de carregar quando estão cheias.

Hoje em dia já existem modelos de mochila feitos para coisas de bebês, com espaço pra trocador, partes térmicas pra levar mamadeiras e modelos bem lindos (e caros). Aqui em casa nos adaptamos bem com uma boa mochila que já tínhamos, então se você não quiser gastar, esse pode ficar de fora.

Dedal de silicone – se eu soubesse que só se escova quando surgem os dentinhos e o bebê come comida (leite não causa cárie), e que o indicado é escovar com escova mesmo, essa compra teria sido evitada.

Sapatinhos – Os bebês não vão pisar no chão tão cedo, então se você quiser economizar, nem precisa se procupar com esses itens.

O que deve ter no enxoval do bebê?

enxoval do bebê - Eu amamentando a Aurora no sling

Sling, salvando vidas.

Cursos de amamentação e sono – não é bem um produto, uma coisa, mas se eu puder indicar coisas que vão realmente te ajudar a não passar perrengue e ainda deixar tudo mais simples, são esses cursos.

Encontre profissionais que sigam um pensamento que você concorde e faça esses cursos antes do seu bebê nascer. Aqui fizemos e já iniciamos as rotinas da Aurora assim que chegamos da maternidade, mantemos até hoje e é sucesso! Além disso já sabia mais ou menos o que poderia acontecer na amamentação o que me poupou de muitos palpites na maternidade e em casa.

Almofada de amamentação – Você vai precisar de uma dessas e ela vai ser sua melhor amiga! Compre uma bem gordinha, pois quanto mais alta ela deixar o bebê, mais sua coluna vai agradecer.

Um bom carrinho – Aqui compramos um que era moisés e bebê conforto. O moisés foi o berço da Aurora até os 3 meses, mas até hoje é onde Aurora tira as sonecas – ela está com 6 agora. Ele serve também pra passeios e o bebê conforto vai do carro pro carrinho, o que facilita um monte se o neném está dormindo.

Sling – Esse pode ser até opcional, mas aqui ajudou muito no começo. Existe uma teoria da exterogestação, que diz que nos primeiros três meses do bebê ele ainda deve ser considerados em gestação. Isso significa que ele gosta muito de colo, peito e soninho bem aconchegado, e aí o sling pode ajudar um monte!

Como você amarra o bebê bem juntinho, ele sente o calor do nosso corpo e fica mais calmo. Consegui almoçar alguns dias graças ao sling! Muitas mães relatam que amarram os bebês ao corpo e vão cuidar dos seus afazeres, sem problemas, então é algo que eu realmente recomendo.

Bomba de ordenha – Um dos itens mais usados por aqui! Comprei de uma elétrica de marca genérica que uma amiga me passou, e funcionou maravilhosamente bem.

Quando tive a apojadura (quando o leite desce pela primeira vez pro bebê) meus peitos ficaram super inchados e a bomba me ajudou a aliviar a sensação de que eles iam explodir.

Hoje em dia eu tiro pra fazer tetolé – picolé de leite materno – que ajudam no nascimento dos dentinhos (sim, Aurora tem dois já) e aliviar em dias de calor. Usei também quando ela me deu uma mordida e fiquei com mamilo doendo por 3 dias.

Mas o principal…

… é que o que seu bebê realmente vai precisar é de carinho, amor e atenção. O mundo da maternidade é cheio de coisas pra você comprar, mas metade é desnecessária. Então se informe antes de comprar e pesquise bastante, você tem tempo.

Lembrando que aqui são as minhas percepções. Se você quer comprar sapatos por exemplo, pra tirar fotos, manda bala e seja feliz.

Temos mães por aqui?
Me conta o que você comprou e não usou e o que foi útil!

Minha Gravidez | Terceiro Trimestre

Terceiro trimestre da gravidez: chá de bebê, fotos e pandemia.

E finalmente chegando ao terceiro trimestre, fim da minha fase barriguda nos relatos aqui no blog, quem tá feliz? (Eu!!!)

Você pode conferir o primeiro e o segundo trimestre por aqui também.

A pandemia

Depois da nossa viagem para Curitiba aconteceu algo bem doido e que eu nunca imaginaria que teria de escrever no diário que fiz pra Aurora: Covid. Tudo que eu tinha programado de fotos em tecido, chá de bebê em Minas e em São José dos Campos, tudo se foi.

Com tanta coisa acontecendo, fiquei bem triste. Queria dividir esse momento, rebolar meu barrigão pelas ruas e agora teríamos que ficar em casa. Arriscamos antes de tudo fechar uma última ida pra ver nossa família, a chance e todos verem o que eu tinha de barriga.

Foi tudo bem contido, não foram todos que viram, era março e a barriga ainda começava a crescer, mas foi algo. Depois daquele dia, só voltaríamos pra lá com a Aurora fazendo seus 3 meses.

Por conta disso, o chá de bebê foi on-line, como já falei aqui, e o ensaio de grávida que seria em tecidos também foi cancelado e foi feito em casa com todo cuidado.

Ensaio de Gestante no Terceiro Trimestre

Fiz as fotos do barrigão, do parto e da recepção da Aurora todas com a Jaqueline Venancio, uma fotógrafa maravilhosa aqui de São José dos Campos. Adorei o olhar dela quando estava escolhendo alguém e as fotos ficaram lindas, mesmo não sendo exatamente o que eu pensei no início.

ensaio gestante no terceiro trimestre
Ensaio gestante

Versão Cefálica Externa

Do meio para o fim da gravidez Aurora resolveu sentar. Fiz vários exercícios e acupuntura pra tentar virar a mocinha, mas ela estava muito confortável e alí ficou. Com isso quando fizemos 37 semanas fiz a chamada VCE – Versão Cefálica Externa.

A VCE é um procedimento que tenta virar o bebê para que fique cefálico, ou seja, com a cabeça pra baixo, prontinho para nascer. Felizmente tudo correu certinho e Aurora virou, aí era só esperar.

terceiro trimestre de gravidez

Depois que a Aurora virou fiquei com muitas dores na pelve. Já estava com dores nas costas, ciático e o final começou tudo a pesar, mesmo com exercícios pélvicos e alongamentos diários. Apesar de incômodos, sabia que logo logo Aurora estaria chegando por aqui.

O início do parto

Dia 04 de junho, uma quinta-feira eu fiquei bem quietinha. Deitei no sofá e alí vi TV e dormi o dia inteiro. Achei engraçado porque estava bem relaxada, no fim do dia comecei a sentir algumas contrações e alí que tudo começou, mas vou contar isso em um próximo post.

Minha Gravidez | Segundo Trimestre

Segundo trimestre da gravidez: chutinhos, sexo e nome.

Já contei aqui como foi meu primeiro trimestre, cheio de enjoos e picolés de limão, mas depois tudo foi melhorando e eu pude aproveitar muito minha gravidez com mais calma. O segundo semestre é bem mais tranquilo e aproveitamos pra dar umas passeadas.

O fim dos enjoos

Meus enjoos começaram a melhorar lá pela semana 14, sumindo quase que completamente na semana 16. Foram 9 semanas passando mal e não sabendo o que fazer.

A essa altura estávamos em plenas comemorações de natal em Minas com nossas famílias e eu não poderia estar mais feliz em conseguir aproveitar todas as comidas gostosas de fim de ano. =D

Passeio em Ubatuba.

Os passeios começam a mudar

Com o início do ano resolvemos fazer mais uma vez a trilha das sete praias em Ubatuba, pra começar o ano pulando ondinhas. Já conhecíamos a trilha e por isso achei que seria bem tranquila de fazer com meus 4 meses de gravidez e quase nada de barriga, mas apesar de gravidez não ser doença, foi bem diferente do que eu imaginava.

A trilha realmente é tranquila, mas com tudo sendo comprimido dentro de mim, descobri um nervo ciático que me deixou com muitas dores, mesmo sendo uma pessoa muito ativa, tendo continuado treinando tecido e ainda iniciando um pilates para cuidar do corpo na gravidez.

No fim do nosso bate-volta daquele dia eu levantava com dificuldade e aprendi a maneirar com meu corpo a partir daquele momento.

Os chutes do neném começam

Quando se está na primeira gravidez é difícil de saber se estamos sentindo chutes do bebê ou não. A gente acha que é, mas são tão levinhos que podem ser confundidos com gases facilmente. Na semana 20 tive certeza que eram chacoalhos do neném e na semana 21 o papai conseguiu sentir também. Foi muito incrível.

Aliás, pra mim, das coisas mais legais da gravidez foi poder sentir o serzinho se mexendo. É uma sensação indescritível e que eu nunca vou me esquecer, na verdade até dá saudade.

Descobrimos quem vinha aí!

Desde o natal ganhávamos roupinhas brancas, verdes e amarelinhas de presente dos nossos familiares e amigos. Então que finalmente depois de 5 meses descobrimos quem estava dentro de mim: uma linda menina.

Na nossa lista tínhamos os seguintes nomes: Ágatha, Aurora e Julieta. Então um dia simplesmente entramos no consenso que Aurora seria o escolhido. Agora o neném deixava de ser meu baby shark e passava a ter um nome.

UNILIVRE em Curitiba.

A “última” viagem à dois

Já no fim do segundo semestre aproveitamos o carnaval e fomos para nossa “última” viagem só eu e o marido. Viajamos para Curitiba (contei no Instagram, mas vou trazer pra cá!), já no ritmo da ragatanga da gravidez: menos andanças durante o dia, voltando cedo pro hotel e eu descansando bastante.

Evolução da barriga.

No geral, como foi o segundo trimestre?

Com os enjoos indo embora, ficaram as dores lombares e azia diária, mas tudo parecia um passeio no parque considerando o primeiro trimestre.

Pra mim foi o melhor trimestre: neném mexendo, a gente curtindo tudo isso, viajando, passeando e eu me sentindo disposta apesar de alguns dias estar bem cansada e com sono, mas a maioria eram bons dias.

Logo trago o último trimestre pra contar sobre o nosso parto. =D

7 dicas para primeiro trimestre da gravidez

Tô grávida, e agora? O primeiro trimestre de gravidez.

Você fez xixi no palito e aquele MAIS enorme apareceu. A segunda linha do papelzinho te deixou animada, ansiosa, nervosa e você não sabe se chora ou se ri?

Resolvi fazer algumas dicas para as mães iniciantes, coisas que eu percebi, aprendi e gostaria muito de compartilhar, espero que vocês gostem!

Você pode gostar também do meu relato sobre meu primeiro trimestre.

1. Não entre em fóruns e grupos abertos sobre maternidade.

Fuja do Baby Center! Eu entrei no começo, mas logo sai! Tem MUITA coisa que pode te deixar bolada.

Mulheres desesperadas que não queriam engravidar, mulheres que querem abortar, mulheres que abortaram, meninas grávidas e desesperadas…

Busque informações com profissionais responsáveis e em lugares seguros. Não fique em lugares que contam histórias ruins e pesadas. Foque agora no seu bebê e na sua saúde física e mental.

2. ESTUDE, ESTUDE E ESTUDE!!!

Entenda o que vai acontecer no seu corpo e com seu bebê nos meses que vão vir por aí, assim você não corre o risco de cair em nóias com palpites sem sentido e ainda fica mais calma com qualquer coisa que acontecer com vocês.

Pra isso, indico 2 livros: “O Que Esperar Quando se Está Esperando” (Heidi Murkoff, Arlene Eisenberg, Sandee Hathaway), pra você seguir mês a mês, e “Parto Ativo” (Janet Balaskas) para entender sobre seu corpo, parto, hormônios, puerpério, intervenções, analgesias e tudo mais.

3. Siga bons profissionais.

Eu comecei a seguir alguns obstetras que tiram dúvidas nas redes sociais e são sensatos e muito bons! Melhor que qualquer grupo/fórum de mães. São eles: Bia Herief, Ana Bárbara Januzzi e Braulio Zorzella.

4. Se puder, tenha uma doula.

Foi a primeira coisa que eu quis e decidi assim que fiquei grávida. Fechei com a minha com 8 semanas de gravidez e não me arrependo. Ela me ajudou a escolher minha médica, a pediatra e toda a equipe. Me colocou em um grupo de mães mais sensatas e sempre que eu tinha alguma dúvida sobre sintoma, desespero pelos enjoos ou algo assim, ela me ajudou, me ouviu e me deu soluções. Além disso ela vai auxiliar na hora do parto e depois também. Considere uma consultoria mega especializada.

5. Se for possível, ache o médico certo.

Principalmente se você quer um parto normal. Em várias rodas que participei vi mulheres que se arrependeram do médico que acompanhava elas. “Era meu médico desde adolescente, achei que ele ia ser bom e fazer como eu queria”. Informe-se, troque ideias e veja se seu médico realmente vai te oferecer o que você quer.

6. Os enjoos/vômitos vão passar.

Parece uma eternidade. Você fica com o corpo e a cabeça bem ruins. Parece que esse sofrimento não vai acabar nunca. Eu entendo. Rola desespero, angústia, tristeza, algumas crises de choro, mas acredite, passa.

Evolução da gravidez

7. Registre o momento!

Tire fotos da barriga, é bacana usar a mesma roupa todo mês pra você sentir e ver a diferença. Vai ser muito bacana seguir a evolução do seu copo assim.

Se gostar de escrever, comece um diário! Eu comecei a fazer um semanal para a Aurora, e conto pra ela como foi cada semana da gestação. Assim eu não perco nenhum detalhe e ela vai saber tudo quando ela crescer, vai ser incrível!

%d blogueiros gostam disto: