Street Fighter IV (2009)

Como vimos com o jogo “Dante’s Inferno”, quando Street Fighter IV foi lançado para os consoles dométicos em 2009, aproveitaram para lançar um longa metragem animado “Street Fighter IV – Arata Naru Kizuna”, produzido pelo Studio 4ºC ( “Memories (1995)”, “The Animatrix – Kid’s Story (2003)”, “Transformers Animated (2008)”), para introduzirem a nova personagem da série Crimson Viper.


A introdução da animação tem um suspense digno dos bons tempos de LOST! O que vemos é uma misteriosa emissão de energia, a qual o departamento militar que a Cammy é integrante, o Delta Red, detecta e pretendem descobrir do que se trata. Em paralelo, Guile e Chun-li também está investigando um misterioso desaparecimento de lutadores mundiais. Logo, desconfiam da Shadaloo, a qual não havia confirmação de ter sido destruída (após os acontecimentos de SFII).

Enquanto isso, Ryu, confronta seus próprios temores em relação ao chamado “Satsui no Hadou”, o qual é conhecido nos jogos como “Dark Hadou”, que é algo quando eles ficam possuídos por uma força maligna, porém, gerando um poder ilimitado (nos games é quando o Ryu apareceu com um kimono cinza, olhos vermelhos, …). É o tipo de força que fez o Akuma/Gouki ser quem como é (como é apresentado noutra animação “Street Fighter Alpha (Zero): Generations (2005)”, mas não vamos discutir sobre isso). Bom, particularmente, esse tipo de coisa acho que é quando os caras azedam o molho e improvisam algo por falta de coisa melhor… Mas enfim… Sou mais os conflitos amorosos do Ken as eternas dúvidas da vida do Ryu, haha!

Voltando ao que interessa, esse poder é necessário para completar o projeto BLECE – o qual serve para expandir o ki do lutador –  que cientistas, coordenados pelo (novo) vilão Seth, chefe da organização S.I.N. , vem usando lutadores desaparecidos como cobaias. Logo, Guile, Chun-li e Cammy resolvem partir em busca de Ryu – já que ninguém nunca sabe onde ele está.

A trilha sonora do desenho é muito legal, a composição das faixas se aproximam bastante das do game, fazendo um elo perfeito e complementar entre as narrativas.

Super Street Fighter IV (2010)


Apostando na mesma receita, ao ser lançado o upgrade do jogo intitulado como Super Street Fighter IV, a produtora Gonzo lançou outro OVA – com o nome homônimo ao do game – que saiu exclusivamente para os possuidores de XBOX 360, pois esse era baixado pela LIVE, o qual, por sua vez, apresentaria a história da personagem Juri.
Animação tem cerca de 30 minutos de duração, e pelos trailers deixou um pouco a desejar. Na história vemos a personagem recebendo o implante do olho-cibernético, para ela ter controle da sua BLECE (dessa vez via o projeto Feng-Shui)o qual eleva sua força de ataque, tornando-a com uma percepção mais rápida em relação os movimentos do adversário além das famosas magias, hehe.


Sob as ordens de Seth, Juri é enviada para atacar o QG de M. Bison e sequestrar as seguranças pessoais para que sejam cobaias de experiencias. Nesse confronto, o trio Guile, Chun-li e Cammy, perseguem a desordeira a fim de descobrirem do os planos maquiavélicos e, também, de onde ela veio.


O desenho animado deixou a desejar, tanto na história como no resultado gráfico. Enquanto SFIV tem um bom resultado em quadro chaves e poucas falhas na interpolação, o seu sucessor foram poucas cenas que ficaram com uma qualidade realmente boa. Numa avaliação nesse sentido, 1 a 5, o primeiro poderia ficar com 4,5 (no geral) o segundo com 3, quando muito 3,5. No que vale a pena? É bacana nesses sentido de compreender um pouco a história dos novos torneios…

Jogos de lutas sempre me falaram que não precisa de história, afinal, é pancadaria do começo ao fim, hehe. Mas acho que esse tipo de projeto pode ser legal pra mudar esse quadro e enriquecer um pouco as franquias para os fãs, afinal, SFII já completou 20 anos…

Enfim, sugestões pro final de semana.

Logo mais tem mais, ateh! o/

Você também pode gostar desses

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *