opinião

Sobre os manifestos

Confesso que nunca fui muito ligada a política, nem gostava muito das aulas de sociologia no colégio. Meu pai não gostava nada de ouvir quando eu dizia que detestava política e seus derivados, mas sempre falava dela pra mim e pro meu irmão, afinal, ele participou de vários movimentos quando mais novo. Eu sempre fui errada em dizer tudo aquilo e em me interessar tão pouco por algo tão importante. Não sou tão burra assim ao ponto de dizer que “política não serve pra nada”, mas também nunca fui das mais engajadas. Gosto de conversar sobre esses assuntos “polêmicos”, o problema é que as pessoas sempre acham que isso tem que virar discusão e bate-boca e só de pensar nisso, me cansa. Desde que defendi meu gênero de mulher em uma aula de filosofia contra um idiota na sala de aula, que dizia que “mulher tem que esquentar a barriga no fogão e esfriar no tanque”, eu meio que traumatizei de todas essas situações bate-boca. Acho que a maioria das pessoas não está preparada para dialogar sobre assuntos tão importantes.

(mais…)

Até onde vai?

Criança adulta
Quando eu era pequena eu adorava assistir filmes da Sessão da Tarde. Adorava os filmes de luta com Van Dame e Stallone, via Rambo, Robocop, Exterminador do Futuro, Lagoa Azul, Garotos Perdidos, meu primeiro filme de vampiro… hoje eu acompanho o que se passa na mesma Sessão da Tarde todos os dias, e posso afirmar 90% dos filmes são com animais, 95% são com crianças e 100% são frouxos. Me desculpem, mas eu, assistindo todos esses filmes de tarde não me tornei uma pessoa pior por isso.

Hoje em dia está havendo uma super proteção das crianças. Mas eu me pergunto, que super proteção é essa que “quer que crianças sejam crianças”, mas ao mesmo tempo proíbe de assistir um filme 1000 vezes mais legal, de ler um livro e valoriza um crescimento mais rápido delas?

Fui a um shopping na cidade de Santos mês passado e não só eu, mas mãe, irmão, namorado, todos ficamos pasmos ao ver meninas de 12/13 anos, meninas que não tem nem corpo formado ainda, usando roupas de executiva, saltos altíssimos e bolsas caras. Ou então meninas no banheiro trocando band-aid da Pucca pra colocarem no pé que estava sendo massacrado pelo salto. Cadê a infância que tanto querem proteger? Pra mim ela não existe mais.

Criança AdultaAcho que com essa proibição, leis etc só serve para deixar a criança/adolescente mais ansioso e mais interessado naquilo. Será que todos já se esqueceram do que é ser criança? Que tudo que não podia era mais legal? Quando eu tinha 12 anos eu era mais inocente do que qualquer menina de 10 nos dias de hoje. Só pensava em brincar de boneca, massinha, carrinho com meu irmão. Hoje meninas de 12 anos usam salto e passam batom. “Mas os tempos são outros”… OK. Concordo que tudo mudou, que as crianças ficam “grandes” mais cedo, mas se é assim, parem de proteger uma infância que não existe mais. Pra que tirar filmes como “10 Coisas que Odeio em Você” da sessão da tarde, ou picotá-lo inteirinho tirando qualquer parte que remeta ao tema sexo, sendo que comecei a ter aula de educação sexual na 6ª série porque a cada dia que passa meninas ficam grávidas mais cedo?

O que me marcou foi essa notícia do G1 de sexta-feira. Pais pediram o recolhimento do livro de Loyola Brandão das escolas porque acharam a ‘linguagem inapropriada’. Nota, este livro vai para “crianças” do ensino médio. Alguém explica pra esses pais que “Sagarana”, “Noite na Taverna”, “Iracema” ou qualquer outro livro brasileiro, muitas vezes obrigatório para vestibulares, tem também partes eróticas ou que remetem ao tema sexo? No segundo livro tem até caso de NECROFILIA e ninguém nunca sequer deu a menor importância pra isso! Claro, você acha que seu filhinho de 16 anos não fala palavrão e não sabe pra que que aquilo serve, né? Aham cháudia, senta lá!

E você acha que aquele livrinho que você deu de natal é inocente?“Gossip Girls” ou “Crepúsculo” também é inocente, né? Ah, que que tem o livro ser cheio de drogas, bebida, gente esnobe e sexo, ótimas referências para qualquer pessoa. E Edward acordar com o quarto todo detonado e com a Bela toda machucada? Vai ver eles brincaram de “pique-esconde”. Mas eu e muitos outros, incluindo seus filhos, vão concordar que foi mais um “pega-pega”.

Acho que uma pessoa que foi REALMENTE educada com valores, ideais e conceitos corretos nunca vai se deixar influenciar por qualquer livro/filme/conto/whatever que ela for ler ou assistir. Os problema de hoje são os pais ausentes que cada vez mais dão liberdade aos filhos, e esses vão ficando sem controle, então esperam que as leis cuidem dos filhos deles enquanto eles saem de casa.

Mas será que ainda tem jeito de concertar isso?