trilha

Passeio: Trilha da Praia de Fora – Ubatuba/SP

Eu já tinha postado aqui falando sobre o passeio de snorkeling na Ilha das Couves, ai agora vim completar as postagens da viagem contando sobre uma trilha que fizemos no dia seguinte, que foi a Trilha da Praia de Fora em Ubatuba.

O passeio

Saímos da praia de manhã, porém com atraso. Novamente ficamos mais de uma hora esperando o pessoal chegar de São José dos Campos, como ocorreu no dia anterior por conta do grande fluxo de pessoas. Fica então novamente a dica de não fazer nada nesta época de alta temporada se você não quiser tumultos e atrasos. O que é ruim é que, por isso, ficamos pouco tempo na Praia de Fora pois havia horário de retorno pra gente, já que a trilha demora na média uma hora, mas passou.

Saímos da Enseada e fomos direto para a praia do Godói, praia linda, porém de mar bravo e cheia de pedras. Os guias falaram para não arriscar nadar ali, então descansamos um pouco e logo retomamos a trilha para chegar na Praia de Fora. Chegando lá ela estava praticamente deserta, livre pra gente. O mar estava uma delícia e conseguimos aproveitar a nossa uma hora e meia ali de maneira bem gostosa. Os guias foram super atenciosos e a todo momento iam falando sobre fatos do lugar onde estávamos, isso foi muito legal.

No horário marcado, levantamos acampamento e voltamos para a Enseada novamente. Chegando lá conseguimos uma ducha doce pra tirar o sal e trocamos de roupa para enfrentar 4 horas de carro voltando pra São José.

Praia da Enseada.

A trilha

Eu e o noivo estamos meio acostumados com trilhas, já contei aqui sobre a Pedra da Macela (Cunha-SP), Pico das Agulhas Negras (Itatiaia/RJ) e a Pedra da Onça (São Francisco Xavier/SP), então achamos a trilha muuuuuito tranquila. Meu irmão nunca tinha feito nada do tipo e foi de boa. Teve até gente que fez a trilha de chinelo, acredite, mesmo as dicas sendo pra fazer de tênis.

Primeira parada – Praia do Godói.

Praia de Fora.

Como fizemos

Mais uma vez contratamos o serviço da EcovaleTur, empresa aqui do vale que é especializada em turismo ecológico. O passeio saiu por R$50 por pessoa, encontrando em Ubatuba, com 2 guias e mais pessoal de suporte, e a empresa ainda faz seguro individual pra cada um. Achei muito legal a maneira como trabalham, principalmente porque contratam os guias da própria cidade, valorizando o trabalho de quem é da região.

Praia de Fora.

Curtiu o passeio? Faria algo assim? Já fez? conta pra mim!

Quer saber de mais passeios da EcovaleTur?
Siga eles no Facebook ou entre no site.

Broadway Princess Party

broadway

Já imaginou ir em uma festa e ouvir todas as suas princesas preferidas cantando? Poisé, a Broadway tem todo meu respeito depois deste evento que, se um dia eu puder comparecer, tem cara de ser maravilhoso. Os anfitriões do “Broadway Princess Party” (nome em inglês para Festa das Princesas da Broadway) encontro que aconteceu em agosto do ano passado no “54 Below” (restaurante na Broadway) foram o diretor musical Benjamin Rauhala e a indicada ao Tony, grande prêmio do teatro norte-americano, Laura Osnes, interpretando Cinderella.

Claro que o encontro foi um recheio de músicas queridas por todo fã das princesas da Disney, (clicando aqui você consegue ver uma playlist linda cheia de magia no seu YouTube) teve participação de Adam Jacobs, ator que interpreta Aladdin no musical da Broadway em cartaz, mas teve atração a parte pra você poder se sentir uma princesa em várias outras ocasiões: os looks das moças. Algumas sutis, outras mais fáceis de descobrir, mas todas com características que só de bater o olho você sabe quem elas são.

broadway_princess_1Courtney Reed (Jasmine) | Steffanie Leigh (Aurora)

broadway_princess_2Desi Oakley (Ariel) | Arielle Jacobs (Pocahontas)

broadway_princess_3Caissie Levy e Laurie Veldheer (Elza e Ana) | Teal Wickes (Merida)

Fotos do Broadway World.

Pra quem é fã de musicais, Broadway, Disney, princesas, como eu, uma delícia de dar o play e soltar a voz em casa. O que acharam?

Passeio: Pedra da Macela – Cunha / SP

pedra_macela_2
Macelas na Macela.

Há algumas semanas atrás o noivo veio com a ideia de fazermos uma trilha por aqui e depois de alguma pesquisa ele escolheu a Pedra da Macela. Ela fica a 1.840 metros de altitude, bem na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, e por conta disso tem uma vista linda lá de cima! Dá pra ver Ilha Grande e as baías de Angra e Paraty.

pedra_macela_5
Montanhas.

Pra chegar lá é só pegar a estrada Cunha-Paraty. No km 65 tem uma entrada do lado esquerdo da pista, não tem placa indicando, mas a gente acertou de primeira. Aí você anda por 4 km em uma estradinha de terra e para o carro na porteira de Furnas. A partir daí são 2 km de subida forte, sem nenhum reto pra você dar aquela descansadinha. Fizemos a subida em uns 45 minutos, mas basta chegar lá em cima pra ser recompensado com uma vista de tirar o fôlego.

pedra_macela_4
Ao infinito e além.

pedra_macela_6
Aproveitando o silêncio.

pedra_macela_3
Paraty.

pedra_macela_1
“É nóis no topo”.

Mais informações: http://www.portaldecunha.com.br/

Viajando: Pedra da Onça

Trilha: Pedra da Onça

Pedra da Onça

O que é?

A trilha da pedra da onça chega a um mirante de 1950m de altitude, vista panorâmica de todo o vale. São 10km no total gastando em média 5hs de ida e volta. Caminhando pela mata Atlântica, passando por algumas bica d’água e com um pouquinho de sorte podem chegar ver o macaco muriqui.
Texto do CAT

Com um feriado se aproximando para o pessoal de São Paulo, o namorado e eu decidimos fazer um programa diferente: trilha. Eu gosto bastante desse tipo de passeio, e agora começa a temporada de montanhismo, então nada melhor do que aproveitar. O local escolhido foi a Pedra da Onça que fica em São Francisco Xavier, uma cidadezinha que fica a 50 minutos de São José dos Campos/SP.

A trilha

Saímos cedo e depois de curvas e mais curvas chegamos na cidade, chegando lá fomos até o CAT e lá conseguimos um guia super simpático que nos levaria até o mirante. O preço? $50 dilmas por pessoa, salgado, mas o namorado preferiu pagar já que não sabíamos direito o caminho. A trilha é BEM tranquila, toda demarcada, subimos em um grupo de 7 pessoas e fizemos em 2h. Lá no alto dá pra ver Monte Verde/MG e São José dos Campos/SP, na subida você encontra um poste que demarca a divisão dos estados de Minas e São Paulo, se você tiver sorte pode ver os macacos que habitam por lá, infelizmente não conseguimos vê-los.

Pedra da Onça

Existem bicas d’água por toda a subida, mas eu e o namorado levamos 2l de água pra cada, além de um estoque de maçãs, tangerinas, pão francês, pedaços de mortadela e barras de cereal, já que chegamos lá no topo por volta do 12:00. Além disso vale lembrar de protetor solar, óculos de sol e casaco. Uma coisa importante que esquecemos de levar foi uma camiseta extra pra trocar, já que sua-se muito e com o vento lá do topo você pode passar um belo frio. A decida durou 1h e 30min, foi bem tranquila, tirando minhas bolhas nos pés que ganhei por conta da costura das meias (nota mental: nada de costura).

Depois da trilha, uma volta pela cidade, tão fofinha! E claro, um sorvete na “Sorveteria do Vovô”.

Mais informações sobre a Pedra da Onça

Destino Trilha | CAT – Centro de Apoio ao Turista

Pedra da Onça

Pedra da Onça

Pedra da Onça