turismo

Turismo em Edimburgo: Jardim Botânico Real | Escócia

Viagem pela Escócia: Jardim Botânico Real em Edimburgo

turismo em edimburgo

Quando o noivo decidiu por Edimburgo como cidade pra fazer o intercâmbio rápido que ele ia fazer, eu logo dei um jeito de ir me encontrar com ele. Foi tudo sem esperar, eu ia usar a pouca economia que eu tinha feito, mas sabia que tinha que conhecer este novo lugar. Saí de Paris, onde estava com meu irmão e fui de avião pra lá. Eu e o noivo ficamos em uma Guest House – isso tudo vou contar em outro post – e o primeiro passeio que ele me levou pra fazer foi o Royal Bothanic Gardens (Jardim Botânico Real).

Sobre o Jardim Botânico Real

Surgiu em 1670 como um lugar para cultivo de plantas medicinais. É agora um renomado centro de ciência de plantas, horticultura e educação. Existem quatro destes parques espalhados e eles estão em Edinburgo, Benmore, Dawyck e Logan, e possuem uma quantidade riquíssima de plantas.

O que achei?

Eu fui sem esperar em todos os passeios que fiz na Escócia. O noivo ficou dois meses lá e tinha a missão de me impressionar, mas depois que se chega em Edimburgo, tudo que você faz é impressionante.

O jardim é bem grande e tem várias áreas temáticas: tem um jardim meio japonês, uma fonte, lago, flores de vários jeitos, inclusive suculentas que eu fiquei apaixonadíssima! Pra mim, conhecer lugares deste jeito abre minha cabeça para novas faunas e floras, o que vejo que pode me enriquecer muito como profissional das artes. Imagino que em temporadas de flores, como verão e primavera, o parque fique bem mais deslumbrante, e no inverno com a neve e os enfeites de natal seja de tirar o fôlego.

Uma das coisas que mais achei legal foi uma parte do parque dedicada a Rainha Elizabeth e que tem uma casa com o interior todo feito em conchas e pinhas. Coisinha linda e chuchu de se ver.

Como visitar?

Entrada: Grátis. Apenas algumas exibições cobram ingresso.
Horário de visitação: Varia e acordo com a estação do ano e condições climáticas, então vale olhar diretamente no site deles para saber melhor.
Como chegar? Fomos a pé mesmo da Princess Street.
Tempo de Passeio: Vai do grau de entusiasmo por plantas. O lugar é bem grande e ficamos umas duas horas por lá.

Meme: 5 coisas para fazer na minha cidade – Poços de Caldas / MG

Atualmente moro no interior de São Paulo, São José dos Campos para ser mais exata. Antes de vir pra cá, morei também em Lorena, mas minha cidade, a MINHA, aquela que nasci, cresci e vivi minha infância e adolescência é Poços de Caldas, uma cidade fofinha do sul de Minas Gerais. Então vim contar pra vocês cinco coisas bem bacanas pra se fazer lá.

1. Subir a serra de São Domingos


Foto de Denis Lopes.
Uma das coisas que as escolas sempre fizeram lá na cidade foi organizar subidas ao Cristo Redentor (o terceiro maior do Brasil, logo depois do Rio de Janeiro). Minha mãe nunca tinha deixado eu subir com medo de que eu passasse mal, pois sempre tive bronquite asmática, mas depois de grande eu realizei meu sonho e finalmente subi a serra! Uma caminhada de 50 minutos, tranquila e com uma vista linda da cidade no final. Além de ver o lado da cidade, você pode continuar e ir até a rampa de salto de paraglider e vislumbrar um cenário lindíssimo, se quiser, aproveite e faça um salto. Se não quiser subir a pé, a serra também tem estrada para carros e o bondinho.

2. Tomar banho nas Thermas


Foto do Ferias Brasil.
Nunca fiz isso, mas se você vai pra lá, tem que fazer. As Thermas Antônio Carlos foram inauguradas em 1931 e são abastecidas pelas águas sulfurosas hidrotermais. Além de ser lindo o lugar, lá você pode tomar banhos relaxantes, ir na sauna, fazer limpeza de pele e massagens. Quem eu conheço que foi, adorou, então fica uma dica diferente pra quem vai pra lá.

3. Passear no Mercado Municipal


Foto do Eu Curto Minas.
Eu adoro conhecer hábitos culturais e culinários de lugares que vou, por isso mercados e feiras são primordiais em minhas listas de visita, principalmente pra quando for pra outros países e estados. Em Minas você pode se deliciar com queijos (nozinho, tirinha, fresco…) e doces (cocada, abóbora, doce de leite, geleias…) tudo do bom e do melhor. Eu, como boa mineira, sempre que vou pra lá preciso ir ao mercado para voltar com geleias, doces e queijos pra comer aqui pras bandas de São Paulo.

4. Andar pelas ruas e praças


Foto do Eu Curto Minas.
Poços tem seus mais de 180 mil habitantes, não é uma cidade muito pequena comparada com outras da região, e tem muito espaço pra andar. Uma das coisas que mais sinto falta por aqui é poder sair na rua pra passear. Sem pagar nada, sem ter que ir a lugar algum, apenas andar e ver coisas legais a céu aberto. Shoppings são legais, mas andar na rua, ver lojas, pessoas e o céu, fazem falta pra mim. Uma amiga foi pra minha cidade e disse que lá é um “shopping a céu aberto” e tenho que concordar, pois muitas lojas que vejo em shoppings aqui, estão nas ruas principais lá da cidade. E o melhor, lá você passeia e pode comer churros e tomar garapa baratinha. As praças e parques são lindos e de graça, só sair andando e apreciando.

5. Festa do Ditinho (São Benedito)


Foto do Via EPTV.
Já falei do mercado, de churros, então vou terminar com mais dica de comida: a Festa de São Benedito. Na primeira quinzena de maio, quando já está meio frio por lá, acontece na cidade uma festa folclórica-religiosa alusiva à integração do negro no Brasil. Ao redor da igreja se instalam barracas de entidades assistenciais e igrejas que vendem coisas deliciosas, como: cocadas, espetinhos de chocolate, doce de leite de vários sabores, maçã-do-amor, coquinho, canudinhos recheados, quebra-queixo, quentão e alguns pratos salgados como o famoso biscoitão recheado com carne desfiada e/ou pernil. Além das comidas deliciosas a festa também conta com apresentações de grupos de congos e caiapós.

Este post é mais um dos temas sugeridos pelo Rotaroots.