corrida

Minha primeira corrida de rua

unimed_run_1

Uma das coisas que escrevi na minha lista de “Coisas pra Fazer em 2014” era participar de uma corrida de rua. Então depois que meu aplicativo Nike apitou me falando que estava correndo há um ano, resolvi que era a hora. Pra quem não corria nada, resolver participar de uma corrida de 5km é algo empolgante. Contei já por aqui como e porque comecei a correr e realmente melhorei muito desde então, por isso fui lá e me inscrevi na Unimed Run. A corrida aconteceu no dia 29 de junho (um dia antes do meu aniversário) na Via-Norte em São José dos Campos /SP.

unimed_run_2Cara de sono master e frio antes da prova

Achei bacana ter tanta gente animada em um domingo cedinho e com o frio que estava fazendo. Muitas tendas com informações pra quem corre, massagem, Red Bull pra garotada e alongamento no palco pra quem estivesse no pique. Corri melhor do que imaginava, mesmo existindo no percurso uma senhora subida, e ainda reduzi meu tempo para 36min 25 seg, o que pra mim é uma vitória, então nada mais justo que esta ser minha primeira medalha. Nunca foi uma criança competitiva e louca por esportes quando criança, então enquanto conheço muita gente cheia das medalhas, esta é minha primeira. E que venham mais!

Correndo como a Mulherada


Já fiz alguns posts aqui no Chocottone falando de exercícios em momentos diferentes da minha vida, eu sempre tento me manter em movimento constante. Comecei a fazer academia quando meu corpo começou a doer depois de um dia inteiro de trabalho na frente do computador, isso foi lá pela época da faculdade e do estágio, então comecei com aulas de local e musculação. Depois de um tempo, não tinha mais horários para as aulas e comecei a fazer dança do ventre, afinal, vale tudo pra não ficar parada! A dança foi além de um exercício corporal, algo que foi bom para a alma também, mas logo tive que sair de tudo quando mudei de cidade. Por aqui comecei na academia, mas os preços mais salgados da “cidade grande” e a correria do dia a dia me fizeram abandonar os exercícios. Foi então que as dores começaram a voltar e tive que voltar a fazer algo, então encontrei o tal P90X, um programa que promete condicionamento maluco em 90 dias, postei sobre ele aqui e tudo, mas não me agradou. Os exercícios eram ótimos, mas ouvir o mesmo cara, todo dia, estava matando meus neurônios e a minha vontade de fazer exercícios.


Bem, meu namorado adora fazer trilhas e já subiu algumas montanhas bem legais por aqui. Eu acho lindo o que você pode ver de cima dessas montanhas e sempre quis participar dessas aventuras, mas um fator me impediu: falta de preparo. Por conta de bronquite e asma, minha respiração sempre foi minha fraqueza, me cansando com muita facilidade para as coisas e isso sempre foi motivo de brincadeiras e piadas por parte do namorado. Resolvi então juntar minha decepção com o programa dos 90 dias, minha vontade de ter um condicionamento físico melhor e a necessidade de uma atividade que me fizesse cansar pra aliviar estresse, ansiedade e ainda por cima me ajudar com as dores do trabalho.

A assessoria esportiva que existia na agência que eu trabalhava e meus colegas de trabalho corredores me inspiraram a começar essa coisa chamada CORRIDA. No começo eu achava que ia morrer aos 500 m de corrida leve, você acha que não, mas seu corpo vai pedindo mais e mais. A endorfina que seu corpo libera depois do treino compensa todo o momento de sofrimento e suor que você teve antes e então eu comecei a correr. No parque, nas férias, de manhã antes do trabalho… e não é que a coisa foi melhorando?

Hoje, aos poucos, parando de 1 em 1 km, já consigo correr meus 5km e é incrível como a corrida me ajuda a manter a calma, alivia tensão, ansiedade e ainda faz bem pro corpo. Agora os objetivos são: correr os 5 km sem parar, em 30 segundos e participar de uma corrida de rua, vamos?

Fica a dica: Corre Mulherada é um site de meninas lindas que conheço internetisticamente e que falam de coisas bem legais como educação alimentar e dicas pra correr. Corre lá!

Redline (2009/2010)

Ohayoo!

É isso, agora é para valer. Formatura realizada, faculdade concluída e vida nova pela frente! Desculpem a ausência nas duas últimas semanas, foi muita correria entre a entrada no emprego novo e a finalização na edição dos vídeos exibidos na colação. Pelo menos volto, aqui no Chocottone, com essa produção ímpar para ser comentada: “Redline”.


Primeiramente, vamos esclarecer uma questão de datas… O filme teve sua primeira exibição durante o Locarno Film Festival (na Suíça), em 14 de agosto de 2009, contudo, só entrou em circuito aberto em 6 de Outubro de 2010 (no Japão). Então, devido a isso, podem ser encontrados alguns artigos com ambos os anos. Os dvd e blu-ray comercializados, tem sua copyright datados de 2010, mas informações do filme podem ser encontradas com a data do ano anterior, por exemplo. Enfim…


Para os fãs de automobilísmo, Hot Wheels, Speed Racer, Corrida Maluca, sci-fi… O filme cai como uma luva tranquilamente. E para os que não curtem, digamos assim, não significa que não irão aproveitar. O filme abre com a sequência final da corrida da Linha Amarela, onde os vitoriosos poderão competir na mais ousada de todas, que a tal da Linha Vermelha. Em outra palavras, quem ganhar vai pra Libertadores, hehe!


Somos apresentado a um futuro distante, onde corridas intergaláticas ocorrem comumente. São raros os veículos que correm sobre RODAS e participam dos eventos. O filme começa com os instantes finais da corrida da Linha Amarela, onde os finalistas terão a chance de participar da lendária corrida, que acontece a cada 5 anos, a Linha Vermelha. Na liderança aparece Soneshee McLaren (conhecida como “Cherry Boy Hunter”), seu veículo de corrida possui apetrechos que convertem num tipo de lancha, tanto que é chamado de Caranguejo Soneshee. Na verdade, esse é um dos detalhes – além das corridas em si – que são bacanas: as características particulares do veículos de corrida.


JP – O Suave, nos instantes finais vira o jogo e assumi a liderança da prova, porém, se tratando de uma corrida arranjada, ele acaba sendo sabotado pelo seu próprio mecânico, que explode um dos pneus do TransAm (um dos poucos veículos de corrida, que realmente parece com um carro). Contudo, sabendo de onde será a Redline dessa vez, no planeta Robômundo, outros competidores desistiram, logo, JP acaba sendo um dos indicados e consegue a chance de participar do espetáculo.


Robômundo é um planeta militar, o qual seu soberando não ficou nem um pouco satisfeito com a situação devido as preocupações de exporem segredos militares, durante as transmissões para o universo inteiro. Desse modo, fazendo o possível para impedir que a corrida aconteça.


Para voltar a corrida em grande estilo, JP recorre a um velho camarada – de 4 braços – para que ele e Frisbee (o mecânico), consertem o TransAm, e o deixem ainda mais possante. A trama se desenrola entre esses desentimentos dos mecânicos, e JP tentando se aproximar de Soneshee, e tentarem vencer os demais competidores, dentre eles o campeão MachineHead – que literalmente se conecta com seu veículo. A corrida final é com certeza empolgante, para dizer o mínimo e compensa todo o dislumbre visual ao longo de pouco mais de 1 hora e meia.



“Redline” é uma produção da – já mencionada por aqui – Madhouse, que foi responsavél por High School of the Dead, A Garota que Conquistou o Tempo e Sakura Card Captors (para citarmos apenas alguns exemplos). Sua produção despendeu 7 anos de trabalho, desde concepts e finalização, gerando mais de 100 mil desenhos a mão.




Consequência disso, é um filme com uma qualidade visual absurda, de tamanha quantidade de detalhes e colorização impecável. Contudo, não chego a dar uma pontuação máxima, pois o roteiro é legal, mas não possuí nada de excepcional. Tudo gira em torno da grande corrida da Linha Vermelha, que – dada as devidas proporções – lembrou um pouco “Dias de Trovão”, porque o bacana eram as corridas, o resto é resto, hehe.


De qualquer maneira, mesmo não tendo previsão de distribuição no Brasil, é um filme que pretendo ter em blu-disc para reassisti-lo em FULL HD, e curtir a trilha sonora que é muito bonita e empolgante, principalmente a “Redline Day”.

Por hora é isso. Vamos que vamos que o final de semana esta aí, bom divertimento para todos.

Ateh! o/

%d blogueiros gostam disto: