frança

Viagem: Monte Saint-Michel

Conheça Monte Saint-Michel, um lugar peculiar na França.

Sobre o Lugar

O Monte Saint-Michel é uma ilha rochosa na foz do Rio Couesnon na França, local onde foi construída uma abadia em homenagem em homenagem ao arcanjo São Miguel. É um dos pontos mais visitados da França com mais de 3 milhões de visitantes por ano e faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Eu segurando Monte Saint-Michel
Monte Saint-Michel e eu, há 2 anos atrás.

Na época de Luís XI, a ilha se tornou uma prisão, recebendo prisioneiros até 1860. O lugar foi restaurado em 1922, porém só começaram a existir visitas a partir de 1966 (celebração de 1000 anos da abadia). Em 2001, monges e irmãs da Fraternidade Monástica de Jerusalém se instalaram e atualmente organizam celebrações todos os dias por lá.

Monte Saint-Michel

Passeio pelo Monte Saint-Michel

Depois que vi este lugar em um canal do YouTube, posso dizer que ele estava entre os lugares que eu adoraria ver no mundo. Uma ilha que é ligada ao continente que durante a maré alta fica isolada da terra e que no topo tem uma cidade? Claro que todos deveriam conhecer o Monte Saint-Michel!

Algumas pessoas fazem bate-volta com companhias de turismo saindo de Paris, mas fomos de carro com meu irmão, cunhada e irmão dela para a ilha e chegamos em pouco mais de 4 horas.

Casinhas em Saint-Michel.
Casinhas em Saint-Michel.

Dá pra ir do estacionamento até Saint Michel de ônibus gratuito ou andando, preferimos aproveitar e movimentar o corpo com o frio que estava fazendo, e com isso ir aproveitando a vista do lugar ficando cada vez mais pertinho de nós.

Existe um ponto de apoio com informações sobre o lugar e banheiros bem próximo ao estacionamento, caso você precise.

Ruas de Monte Saint-Michel
Ruas dentro de Saint-Michel.

Chegando lá, as ruas se encontravam bem vazias, com bastante espaço para curtir cada lojinha, já que fomos em uma época mais tranquila. Parecia que acabávamos de entrar em um filme medieval e todos ficamos encantados com tudo que víamos por lá.

Uma rua pequenininha e uma porta legal em Monte Saint-Michel
Uma rua (sim!) e portinha pequenininha em Saint-Michel.

Andar pelo lugar já é uma atração: ruas incrivelmente minúsculas, portinhas fofas, vistas lindas do mar, casinhas e muitos lugares lindos pra tirar foto.

Vista do mar e das casas de Monte Saint-Michel
Belas vistas andando por Saint-Michel.

Escolhemos o passeio da abadia com um guia em inglês e foi muito legal, pois aprendemos sobre as salas e como tudo por lá funcionava. Apesar do frio congelante, adoramos conhecer tudo por lá. No verão/primavera os jardins são incrivelmente floridos e verdinhos, pelo que vimos em fotos, então se você quiser algo mais quentinho vale a pena programar o passeio para outra época.

Interior da abadia de Saint-Michel
Um dos salões da abadia e a vista de uma roda que era utilizada para transporte de comida e mantimentos.

Se você quiser uma experiência bem diferente, escolha ir em época de maré alta e se hospede na ilha, isso com certeza deve ser incrível.

Saida da Abadia de Saint-Michel
Saída da Abadia de Saint-Michel depois da visita guiada.

O dia foi muito divertido, todos adoramos o passeio e logo seguimos viagem para Nantes, que em breve conto mais detalhes por aqui.

ONDE FICA?
O Monte Saint-Michel fica numa distância de 350 km de Paris, bem na fronteira da Normandia com a Bretanha.

QUANTO CUSTA?
Para entrar na ilha não é necessário pagar nada, apenas na abadia (9 euros).

HORÁRIOS
A ilha é de livre passagem, mas se você for ir e voltar no mesmo dia é importante ver o guia das marés para não ficar preso por lá. A abadia funciona assim:
Baixa: das 9h30 às 18h, de 1 de setembro a 30 de abril
Alta: das 9h às 19h, de 2 de maio a 31 de agosto

Mais informações?
Visite o site oficial do Monte Saint-Michel, com lista de marés e tudo mais!

Viagem: Giverny | França

Giverny – a terra de Monet

Desconfio que este será um dos posts mais floridos da história de dez anos deste blog, então prepare-se para fotos cheias de verde!

Ano passado durante meu mês na França com meu irmão, tive a oportunidade de visitar Giverny, a comuna francesa onde viveu Monet, um dos pintores impressionistas que eu mais amo neste mundo. O trabalho com pinceladas e os quadros gigantes, como as Ninféias, são minhas características preferidas do trabalho dele.

Você também pode gostar deste post sobre Paris

Claude Monet nasceu em Paris, mas viveu em Giverny entre 1883 até 1926, quando faleceu. Visitando a casa do artista e os jardins, dá para entender como ele ficava tão inspirado para pintar.

Dália
Uma das flores mais lindas que vi por lá: Dália
Café em Giverny
Café nas ruas de Giverny.

Giverny

A namorada do meu irmão deveria chegar cedinho em Giverny para um trabalho, por isso saímos ainda com tudo escuro de Paris. Demoramos um pouquinho mais de uma hora para chegar até a comuna que fica na região da Normandia e chegamos com o sol começando a da as caras por lá. Tudo ainda estava fechado e a cidadezinha estava vazia. As casas e as lojas de flores todas super fofinhas e tudo muito verde, estavam com portas e janelas fechadas, dava pra se sentir em um filme de época.

Lá estava bem mais frio que em Paris – oi, meio do mato – e não estava preparada pra toda a friaca, por isso eu e o meu irmão voltamos pro carro para esperar esquentar um pouco mais o dia. Quando alguns carros começaram a cegar, o museu abriu e resolvemos entrar.

Flores

Casa de Monet

Dá para entrar na casa de Claude Monet e nos jardins. A casa dele era bem grande, cheia de obras na parede (pra minha loucura, a maioria japonesas) e toda colorida. Incrível a luz que entra pelas janelas, deixando cada cômodo extremamente iluminado e aconchegante.

Dentro da casa de Monet
Eu subindo para o andar de cima da casa.

Casa do MonetCasa de Monet.

Casa do monetCasa de Monet.

Jardins de Monet

Nos jardins, mesmo estando no outono, muitas flores e verde. Chegando próximo ao lago conseguimos identificar elementos de pinturas do artista e dá pra imaginar que estamos entrando nos quadros que ele pintou. Nesta hora o lugar já estava enchendo de turistas chineses e de outras partes da França, e como as passagens são bem estreitas acredito que em temporada de primavera aquilo vire um pequeno caos, então vá cedo se você quer boas fotos.

Jardins de MonetEu na pontezinha famosa.

Barcos no lado dos Jardins de MonetParece pintura, mas é real.

Estava em meus planos visitar o lugar, já que da outra vez que fui era novembro e o lugar fecha na época mais fria, então poder visitar aquela lindeza de lugar com meu irmão foi demais. Agradeço a Alex – namorada dele – pela graça alcançada, pois foi lindo demais. Um pequeno sonho tornado realidade.

Pés e floresPés gelados e flores.

Jardins de MonetMais uma pontezinha.

Como visitar?

Dá para ir de trem até Giverny pegando uma linha até Vernon (€14,70) depois até Rouen. De lá saem ônibus para Giverny.
Aberto todos os dias de 23 de março até 1º de novembro, das 9h30 até as 18h00 (última entrada às 17h30). Animais não são permitidos.
Ingressos: €9,50 Adultos, €5,50 Crianças (maiores de 7 anos) e estudantes.
Compra de ingressos on-line e mais informações no site: http://fondation-monet.com/informations-pratiques/

Onde comer bem em Paris

Lugares para comer bem em Paris, sem gastar tanto

Quando vamos para algum pais ou cidade que não conhecemos, todas as lojas e lugares se tornam desconhecidos e nunca sabemos onde comer. Será que é bom? Será que é caro? Eu sou dessas que acha que tudo vai ser caro e muitas vezes fico no Subway comendo por ter certeza do que vou encontrar e quanto vou pagar, mas Paris é um lugar delicioso, literalmente, e as comidas merecem ser experimentadas! Eu já falei de algumas dicas da outra vez que fui visitar meu irmão, e agora eu não podia deixar de contar os outros lugares deliciosos que fui por lá. Então se você vai viajar, seguem algumas dicas de lugares pra comer coisas gostosas, boas e de vários preços.

Flam’s

Um dos primeiros lugares que meu irmão me levou pra gente almoçar com um amigo, o Flam’s é um restaurante de flammekueche, que é uma torta flambada originária do nordeste da França que se parece muito com pizza, porém com massa mais leve. Achei bem gostosa e por um preço legal (€14- €18) você come um quadradão enorme de flam! Mais que satisfatório!

ONDE FICA?
Fui na que tem perto da casa do meu irmão, Avenida du Maine, 32, região de Montparnasse, mas existem outras espalhadas pela cidade, pra encontrar é só acessar o site do Flam’s

Heureux Comme Alexandre

Heureux Comme Alexandre

O meu irmão falava sempre dos Pierrades que ele comia e que era apaixonado. Quando o noivo descobriu que se tratava de carnes na chapa, o lado Tiranossauro Rex aflorou e fomos uma noite experimentar. Foi uma delícia de jantar com um vinho gostoso e muita conversa boa, o que explica o nome do restaurante: “Feliz como Alexandre”. O preço fica entre €20 e €25 por pessoa, contando bebidas e tudo mais.

ONDE FICA?
Rua du Pot de Fer, 13 em um bairro bem charmoso de Paris. Saiba mais no site

L'Arbre de Sel - Comida Coreana em Paris

L’Arbre de Sel

O primeiro restaurante que fui para jantarmos assim que cheguei foi especial: comida coreana. Eu sou toda fã de doramas e mal me aguentei de emoção quando vi os hashis (ou seja lá como os coreanos chamam os palitos) de inox. É bobeira talvez, mas pra uma pessoa fã de cultura oriental é quase a Disney. Pedimos um prato chamado bibimbap e eu achei delicioso. Vem em uma tigela linda e uma porção bem generosa. O valor fica entre €18 e €22. Vale a pena experimentar!

ONDE FICA?
Rua de Vaugirard, 138, também na região próxima a Montparnasse. Pra saber mais é só acessar o site.

Mai Do - Comer bem em Paris

Mai Do

Me aventurando por comidas de outras nacionalidades, fui provar a paixão do meu irmão: bo bun, prato vietnamita. Pelo que pesquisei eles são meio que uma febre em Paris, e depois que comi um eu descobri porque: são deliciosos! Uma tigela linda cheia de macarrão de arroz, com um molho de peixe, carne (ou vegetais se você for vegetariano), legumes, hortelã e um sabor bem diferente pra você se deliciar. Além de adorar e repetir, ainda levamos mais pessoas para passar a palavra do bo bun pra frente.

ONDE FICA?
Boulevard Montparnasse, 23, fácil de chegar de metrô. Saiba mais no link.

Chez Suzette - Crepe em Paris

Chez Suzette

Os crepes são bem típicos da França, geralmente feitos com farinha de trigo sarraceno e uma receita bem simples, eles estão espalhados por vários locais de Paris, mas meu irmão me levou pra comer em um que é bem pequeno e charmozinho. Fui almoçar por lá duas vezes e em todas elas as combinações estavam ótimas! Por €9,90 você compra um crepe salgado, um doce e algo pra tomar (promoção) e sai satisfeitíssimo! Ainda dá pra escolher levar pra comer ou comer dentro da apertada creperia.

ONDE FICA?
Rua de la Harpe, 12, um charminho e pertinho de Notre Dame e da livraria Sheakespeare & Co. Saiba mais no site.

Sorvete! A Melhor Sobremesa

Se você almoçou e quer uma sobremesa bem boa, eu sempre indicarei sorvete. Sorvete é vida, é amor, é paixão e loucura, então aqui vão duas dicas extras de sorveterias maravilhosas pra você se deliciar!

Senoble - Sobremesa em Paris

Senoble

Além de ser um lugar lindo, acho que é impossível esta sorveteria ter algo ruim. No meio de um passeio com meu irmão pelos Jardins das Tulherias saímos andando e chegamos até a Senoble e pedimos um sorvete. Concordo que o valor é meio alto (se me lembro é algo entre $5 e $8), mas vale muito a pena! Tem desde os sorvetes normais com base de leite, até os sorbets, que são totalmente feitos de fruta e ótimos pra quem tem intolerância à lactose ou glúten.

ONDE FICA?
Rua des Petits-Champs,11, em uma região cheia de coisas legais pra se ver, rola até comprar um sorvete e ir andando até o Louvre. Saiba mais no site.

Amorino - Sobremesa em Paris

Amorino

Espalhada como Subways pela Cidade Luz estão as sorveterias Amorino. Eu sou uma grande apreciadora de sorvetes, então não perdi a oportunidade de tomar um sempre que rolava e lá estava a Amorino pra me socorrer. Os sabores são deliciosos, possuem opções com pura fruta – ótimos pra quem tem intolerâncias – sem deixar nada a desejar.

ONDE FICA?
Uma das que fui foi a da Rua de Rennes, 153, mas elas estão espalhadas pela cidade! É só olhar no site deles e achar a mais próxima.

Uffa! Deu pra deixar com vontade? Só de escrever sobre esses lugares já dá vontade de voltar.

Papelarias Por Ai | Paris

Papelarias em Paris

Eu sou muito a louca da papelaria e isso é uma coisa que quem me segue por aqui já pode estar cansado de saber, então por esta razão tive que vir no blog e contar como foram minhas experiências “papelísticas” do outro lado do oceano, e se vocês também gostam tanto quanto eu, também vão adorar!

Fui para esta viagem pensando em comprar alguns materiais que aqui no Brasil são mais caros, difíceis de encontrar ou então nem têm por aqui. Reservei um fundo pra isso e chegando lá a ideia era pesquisar para encontrar o melhor preço, fazendo assim meus eurinhos renderem mais.

Um merci beaoucoup – obrigada – gigantesco para Marie Margo, uma ilustradora que sigo no Instagram que me indicou as lojas e salvou minha vida, e dinheiro.

Rougier&Plé - Papelaria em Paris

A primeira que fui foi a Rougier&Plé, uma rede enorme de papelarias espalhadas por toda França que nasceu em 1854. Ao entrar é como se uma energia tomasse conta de mim, um Da Vinci, um Michelangelo e a vontade de levar uma coisa de cada de lá me transbordou. Materiais de pintura, scrapbooking, artigos de papelaria no geral e muita coisa linda pra ficar doido mesmo.

Prós e contras: Esta rede compensa pra quem procura coisas para planners e scrapbook. Tem muito carimbo, adesivo, decalque, pedras, colantes, tudo que você pensar e mais um pouco com preços bem bacanas. Além disso tem calendários lindos! Mas se você procura tintas e pincéis mais específicos pra aquarela ou mais profissionais de pintura, o que eu estava procurando, não compensa.

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé

Onde fui? 108 Boulevard Saint-Germain, 75006
Estação mais próxima: Odéon
Site da rede: http://www.rougier-ple.fr/

Sennelier - Papelaria em Paris

A Sennelier é famosa por seus materiais de fabricação própria que existem desde 1887. A loja fica pertinho de Notre Dame e é bem pequenininha, mas super charmosa. Só descobri o segundo andar dela desta vez.

Prós e contras: Só encontrei materiais de caligrafia japonesa – pincéis ENORMES e caríssimos – nesta loja. Além, disso foi a única que também vendia os pincéis da marca Escoda, que eram os que eu estava procurando. Papéis e tintas da própria marca são mais caros nesta loja – o que é uma pena, mas a localização e a loja valem o passeio.

Sennelier - Papelaria em Paris

Sennelier - Papelaria em ParisImagem

Sennelier

Onde fui? 3 Quai Voltaire, 75007
Estação mais próxima: Tuileries
Site da loja/marca: http://www.sennelier.fr

Passage Clouté - Papelaria em Paris

A última e mais distante de todas, mas que valeu cada centavo de euro, foi a Passage Clouté, que existe desde 1995. Demorei pra chegar de metrô com o irmão por lá, mas foi onde encontrei os melhores preços de tintas, pincéis, sketchbooks e canetas. Vou fazer um post do que eu comprei por lá logo logo, mas já aviso que não tem pra eles. A loja é gigantesta e com uma variedade de coisas que vai deixar qualquer um doido.

Prós e contras:Fica mais longe, dependendo de onde você está e é difícil ser atendido em inglês, sorte que meu irmão é bom no francês, pois queria coisas muito específicas e as moças não entendiam, mas compensou e acabei comprando todo o resto da lista que eu levei por lá, pois umas promoções estavam ótimas!

Passage Clouté - Papelaria em ParisImagem

Passage Clouté - Papelaria em Paris

Passage Clouté

Onde fui? 7 Rue des Boulets, 75011
Estação mais próxima: Nation
Site da loja: https://passagecloute.com/

No geral compensaram muito as compras que fiz por lá, mas o que reparei é que marcas americanas e inglesas são mais difíceis, quase impossíveis de serem encontradas nas lojas, como Prismacolor (lápis de cor) e Daniel Smith (tintas) por exemplo. Mas e aí? Curtiu o tour e as dicas de papelaria? Que tal fazer uns aqui pelo Brasil também?

%d blogueiros gostam disto: