humor

Assistir: Nanette | 2018

Nanette - Hannah Gadsby

O que é Nanette?

Nanette é um ato de comédia stand-up escrito e interpretado pela comediante australiana Hannah Gadsby, que estreou em 2017. O trabalho inclui comentários sociais, especialmente sobre questões LGBTQ. Em junho de 2018, a Netflix divulgou um vídeo da performance de Gadsby no Sydney Opera House. Wiki.

Você pode gostar também de Anne Com E

Hannah Gadsby

O que achei?

Fui assistir este show por indicação de várias pessoas na minha timeline. Indicações para ver Nanette pulavam na minha frete praticamente todos os dias e eu ficava pensando:”preciso assistir isso!”. Até que um dia consegui.

Hannah Gadsby começa o show nos fazendo rir, mas ao mesmo tempo começa a nos fazer refletir sobre como é ser LGBT+. No caso dela mais especificamente, lésbica. Ela começa a fazer várias piadas que fazia em shows antigos, conta como brincava com o fato de sua sexualidade e como a família dela lidava com isso, porém em um determinado momento ela começa a mudar o rumo da conversa. Não deixa de ser engraçado em algumas passagens, mas histórias começam a ser contadas de outro ponto de vista e começamos a perceber, como o mundo é. O que o mundo faz com pessoas diferentes.

Na metade do show Hannah começa a nos fazer pensar e refletir. Piadas antigas não têm mais graça, pois degradavam sua vida, quem ela era e pessoas que são como ela. Lá pro final do show, começo a chorar. Chorar com os relatos da via de Hannah, com o fato maravilhoso de vê-la se desculpar com fãs e com a pessoa mais importante pra ela: ela mesma.

Nanette, mais que um show de humor, é um show de reflexão sobre o humor, os limites dele e como podemos fazer rir sem machucar, estereotipar e reforçar preconceitos. Eu ri, chorei, senti raiva e empatia durante os quase 50 minutos deste show que mostra uma mulher forte, maravilhosa e super talentosa.

E você, já assistiu? O que achou? Conta pra mim!

Quadrinhos: Bufas Danadas, Baleia #1 e Kris Klaus – Papai Noel Casca Grossa

Ano passado na Comic Con eu fiz a festa. Conheci artistas novos, comprei coisas de artistas que admiro e voltei pra casa cheia de coisas, mas sabia que tava tudo encostado em casa? SHAME ON ME!. Por isso resolvi colocar tudo em ordem, ler algumas belezuras que estavam no armário e contar pra vocês.

bufas_danadas_1

Bufas Danadas é uma coletânea de tirinhas do Gomba sobre vários assuntos, mas em todos prevalece o bom humor nonsense. Luís Felipe Garrocho criou as tirinhas em 2007, desenha todas elas no bom e velho Paint e agora você pode comprar algumas em um livrinho super massa. Me peguei rindo das tirinhas no ponto de ônibus e virei a maluca do lugar, então indico super pra dar umas risadas. Se se interessou. você pode acompanhar o trabalho das Bufas no site.

bufas_danadas_2

baleia_1_1

Baleia #1 é um mini zine da Rebeca Prado que eu fui conhecer no dia por conta da minha paixonite pelo Navio Dragão, uma série de tirinhas feitas por ela. Eu tava sem grana, mas queria apoiar de alguma maneira e PUFT! Apareceu uma baleia. Sou apaixonada por baleias e acabei levando essa gracinha pra casa. São duas historinhas super fofas, com traço lindo que eu adoro da Rebeca. Coisa rápida pra deixar você mais feliz naquele dia entendiante. Saiba mais sobre os trabalhos dela aqui.

baleia_1_2

kris_klaus_1

Kris Klaus foi uma grata surpresa, pois estava procurando o estande do Hiro Kawahara e demos de cara com essa obra de arte. O noivo de cara se interessou e trouxe pra gente esse quadrinho maravilhosamente feito em hachuras (desenho feito em linhas finas e paralelas, muito próximas umas das outras) e com uma história bem escrita, engraçada e que deixou a gente com gostinho de quero mais. Já pensou se Papai Noel fosse um heróis e salvasse o natal? Aqui a treta é forte e cheia de sacadas bacanas. Pra saber mais, clique aqui.

kris_klaus_2

Logo volto com mais indicações de quadrinhos independentes, porque apoiar quem a gente gosta e faz trabalho bacana é muito legal, o que vocês acham? Algum trabalho legal pra vocês me mostrarem?

Dercy de Verdade

Dercy de Verdade
Não sei quem lê o blog, mas eu tenho começado a curtir séries brasileiras. Elas mostram personalidades e coisas da nossa cultura e acho que merecem um pouco mais de respeito quando são feitas com competência. Semana passada eu assisti “Dercy de Verdade”, uma minissérie produzida pela Rede Globo e da qual eu gostei bastante.

A série conta a vida de Dolores Gonçalves Costa, mais conhecida por Dercy Gonçalves, uma personalidade brasileira que nasceu em 1905 e fez muito sucesso na TV. Foi reconhecida pelo Guinness Book como a atriz com maior tempo de carreira na história mundial (86 anos) *.

Dercy de Verdade
Dercy de Verdade

A série contou com Heloísa Périssé e Fafi Siqueira interpretando a personagem principal, e fizeram muito bem. A série não deixou de lado os preconceitos que Dercy sofreu em uma época que mulher devia se casar, ter filhos e cuidar da casa. Ela simplesmente saiu de casa e foi ser artista, um sonho e um objetivo de vida. Era uma mulher irreverente e engraçada e por isso a série contou tudo com muito bom humor e leveza, mas claro que tudo bem regado aos “palavrões” que todos sabem que Dercy falava e muito.

Eu não conhecia a carreira dela e por isso mesmo fiquei impressionada com o quanto ela foi importante para a TV brasileira. Antes do Faustão passar nas tardes de domingo, outras pessoas passaram pela programação e uma delas foi Dercy, que era uma artista de sucesso. A série foi muito interessante e recomendo pra todo mundo.

Um show Improvável

Com tanta coisa que aconteceu por aqui esqueci de contar sobre o show incrível que pude assistir no dia 23 do mês passado.

Eu e meus amigos fomos assistir Improvável, um show de humor feito totalmente no improviso, ou seja, cada show é totalmente diferente do outro!

Eu e a minha colega de república assistimos às duas sessões com o grupo que tinha no elenco os Barbixas Daniel, Andy e Elídio, e os convidados Marcio Ballas e Marco Gonçalves. Gargalhadas garantidas e o dinheiro mais bem gasto com show na minha vida. E como boas tietes, ficamos até o final para tirar foto com a trupe toda! Mesmo as fotos saindo todas azuis e com olhos de gato, pegamos ingressos e saímos felizes, tirando a produtora chata que não deixava eles darem autógrafos e tirarem foto direito porque dizia “estar tarde”. Acho que se não se pode atender direito aos fãs, não deviam ter aceitado duas sessões, mas tirando isso os meninos foram SUUUUPER simpáticos e sou mais fã deles ainda!

Quem não conhece é só entrar no canal do YouTube deles, procurando por Improvável.