planejamento

Planejamento Semanal de Refeições

planejamento

Foto de Shanice Garcia.

Há algum tempo atrás fiz um post com dicas pra mandar bem na cozinha da sua casa e uma das dicas foi evitar o desperdício. Acontece que algumas amigas e conhecidas vieram me perguntar como eu consigo desperdiçar o mínimo possível aqui em casa e saber quantidade de comida que deve ser comprada e feita. Pra gente isso já é meio que automático, mas para contar um pouco disso e tentar ajudar quem ainda está se acostumando, resolvi contar como fazemos aqui em casa.

Escolha o dia das compras.
Até hoje minha avó conta como ela faz “compra de mês” e “comprinha da semana”. O hábito dos brasileiros fazerem compra de mês se deve aos altos níveis de inflação dos anos 80, quando ir no supermercado um dia depois poderia fazer toda a diferença. Hoje em dia temos uma economia mais estabilizada, apesar de tudo ter aumentado de preço, mas mesmo assim não é algo absurdo como nossos pais vivenciaram, então aqui em casa adotamos as compras semanais. Escolhemos o dia em que chegam as frutas e verduras em melhor estado e um dia que aparecem bastante promoções, a quarta-feira. Assim temos nosso dia certo de compras.

Escolha o cardápio.
Sabendo que toda quarta vamos comprar comida, temos que programar o que vamos comer até a próxima semana. Aqui em casa alguns pratos duram 2, outros 3 dias (você tá loko se acha que vou cozinhar TODO dia) então com base nisso a gente escolhe o que será feito para almoço e para a “janta” (entre aspas porque a gente prefere um lanche mesmo), e pensamos também no que já temos costume de comer nas outras refeições do dia, por exemplo:

cardapio

Faça uma lista e faça as contas.
Com base no que escolhemos já vamos para o supermercado com a lista pronta do que vamos comprar, além de levar uma calculadora na mão e ir somando o que estamos comprando. Isso evita aquelas escapulidas nas prateleiras e além de economizar no dinheiro ajuda também pessoas que estejam em uma reeducação alimentar, por exemplo, a não sair do foco. Pra quem não gosta de ir no supermercado, isso ajuda a ir mais rápido nas compras.

Congelar e conquistar.
Aqui em casa congelamos muitos alimentos para não perder, utilizar eles uma segunda vez ou deixar mais prático. Por exemplo: o feijão é cozinhado uma vez por mês em grande quantidade e congelado em potes com a quantidade para três dias. Se fazemos mandioca cozida, geralmente a porção dá para ser dividida em duas e congelamos a segunda para comer na próxima semana, isso vale para couve, abóbora, brócolis e várias outras comidas. Não perca tempo picando temperos sempre, congele salsinha, cebolinha e cebola picadinhos, quando for usar é só soltar com um garfo. Utilize o freezer ou congelador como um amigo para as horas de aperto na cozinha.

planejamento_2

Foto de Brooke Cagle

Cozinha é matemática.
Preste atenção na quantidade que você faz, isso vale para todas as comidas. Por exemplo, eu sei que dois copos de arroz aqui em casa funcionam para mim e para o noivo para dois dias e meio/três, então sei que não haverá risco dele estragar e que provavelmente no terceiro dia terei que fazer arroz de novo. Não estou falando para fazer a comida contadinha, faça o que deixe todo mundo feliz e possa repetir se ficar tudo gostoso e a fome for maior, mas tenha em mente o quanto vocês consomem, isso impede comida de ir para o lixo.

A arte da improvisação.
Tem um resto de pimentão na geladeira e hoje vou fazer um omelete de noite, pico ele e misturo tudo. Tem uma cenoura que vai estragar, vou picar em cubinhos e jogar no arroz. Preste atenção nessas coisinhas que vão sobrando na geladeira e aproveite elas em outros pratos, nisso você pode dar um toque diferente em algumas comidas que você nem imaginava e evita jogar coisas fora.

Fui aprendendo essas coisas quando me mudei para fazer faculdade fora e aos poucos me acostumando com essa vida de cozinha. Por mais preguiçosa que a gente seja, alguma coisa terá que ser feita, não é? Então dá pra organizar e comprar o que você quiser. Baixe aqui seu cardápio da semana pra você poder completá-lo com seus pratos e suas preferências, comece a planejar suas refeições e economize tempo e dinheiro. Que tal?

Ícones de Miguel C Balandrano do Noun Project.

Como planejar uma viagem pro exterior?

planejando viagem para o exterior

Você pediu, você mandou mensagem, você sonha e tem vontade? Então esse post é pra você! Depois de fazer minha primeira viagem pra fora deste nosso Brasil, resolvi falar aqui no blog sobre ela porque é muito mais possível de se fazer uma viagem assim do que as pessoas pensam. Sério. Esqueça valores absurdos e impossíveis de se alcançar durante anos de trabalho, se você focar você vai e curte muuuuuito. Vou falar aqui meio geralzão, explico como eu e o namorado fizemos pra planejar a viagem toda (não compramos pacotes nem nada pronto) e acho que com essas dicas você pode ir pra muitos lugares diferentes. Depois eu vou contando os passeios e lugares bacanas que conhecemos em cada país que fomos pra vocês poderem conhecer um pouco também e fazerem suas próprias escolhas, o que acham?

O passaporte

A primeira coisa que fizemos foi tirar o passaporte. Muita gente falava que era demorado e complicado, então resolvemos tirar ele de uma vez e ter certeza que pelo menos os documentos estariam certos. Moramos em São José dos Campos e por aqui foi tranquilo tirar este documento. Quer saber do que você precisa? É só entrar no site da Polícia Federal que eles tem um passo-a-passo com tudo que você precisa fazer. Até a publicação deste post o valor da taxa era de R$ 156,07, pelo menos aqui no estado de São Paulo.

planejando viagem para o exterior

Escolhendo a data

Aqui é onde sua viagem começa a tomar forma, é onde o frio na barriga bate e quando a sua contagem regressiva começa. Pra escolher a data fizemos o seguinte, eu e o namorado sabíamos que nossas férias calhariam de ser juntas em outubro/novembro, baixa temporada na Europa, o que é perfeito se você quer menos gente brigando pra ver os pontos turísticos, menos filas e em consequência, mais frio. Pesquisando na internet sobre o preço de passagens, descobrimos que em algumas datas elas são mais baratas, por exemplo: sair e voltar no meio da semana ao invés de fazer isso em domingos e sextas-feiras por exemplo, sai bem mais em conta. Chegamos a pesquisar preço de passagens em sites como o Melhores Destinos, mas aqui ninguém nunca tinha viajado de avião e não saberíamos nem escolher os lugares, por conta desse medo fomos até uma agência de viagens e lá mesmo eles já dividiram o valor da passagem + seguro de viagem. E alí foi quando escolhemos a data certa, com base nos preços das passagens e dos dias que elas estariam mais baratas. A economia pode chegar até 1000 reais gente, não é brincadeira. Vale avisar que quanto mais cedo você compra a passagem, mais barata ela fica e como compramos com 5 meses de antecedência a diferença foi boa. Pense também já na troca de lugares, por exemplo: você quer ficar cinco dias em Londres e depois ir pra Paris, você quer ir de avião? Trem? Isso tudo pode ser visto no mesmo lugar já. No nosso caso compramos o Eurostar, trem que vai de Londres pra Paris em duas horas, pela internet mesmo e com cartão de crédito (a dica de comprar bem antes vale aqui também). Voltamos de Paris pro Brasil, pra não ter que voltar para Londres ainda. Compramos junto da passagem o seguro viagem, que é obrigatório pra quem vai para o Reino Unido, mas vale a pena também, porque nunca se sabe. Eu precisei e foi super tranquilo.

Reservando Hotel

Pronto! Sua viagem já vai acontecer, você já planejou quanto tempo vai ficar em cada lugar, comprou as passagens e já começou a pagar tudo. Agora você precisa de um lugar pra ficar, né? No nosso caso, ficamos na casa do cunhado em Cambridge e na casa do meu irmão em Paris, mas em Londres tivemos que reservar hotel. Comecei procurando hostel pela internet, quem se interessar tem o Hostel World, mas depois de comparar valores e conforto, acabamos em um Ibis Budget em Whitechapel. O hotel, com cama de casal + cama de solteiro e banheiro privativo, saiu o mesmo preço que um quarto de hostel com beliche e banheiro comunitário. Ou seja, compensou muito. Além disso o hotel fica em um lugar ótimo, pertinho do metrô e… isso eu vou contar mais pra frente, mas pra vocês terem uma ideia, pagamos até 42 libras em uma diária pro casal e lá na porta, na hora, o preço era de 99 libras. Nada que uma reserva bem antecipada não ajude nos valores.

planejando viagem para o exterior

A Programação

Você já tem as passagens, o hotel, tudo isso parceladinho no cartão e/ou no boleto. Agora o que você precisa mais? Programação! Uma das coisas que eu mais li e reli em toda minha pesquisa antes da viagem: não viaje sem se programar. E eu garanto que é a melhor coisa que você pode fazer na vida. Antes da viagem eu sentava no computador e pesquisava lugares, museus, parques, exposições, espetáculos e até shows que estariam rolando no lugar que eu estaria visitando e conforme eu lia, marcava tudo em um papel fazendo uma lista mesmo, assim eu teria tudo que eu gostaria de ver. Isso, além de super útil, é delicioso e só serve pra abrir o apetite pra viagem. Com a lista em mãos, faça uma ordem de prioridade, o que você não pode ficar sem ver e o que você até deixa passar pra próxima, afinal é tanta coisa que é IMPOSSÍVEL ver tudo.

planilha_viagemPlanilhas: Suas melhores amigas.

Lista em mãos, agora é a hora da pesquisa: que dia abre o Museu de História Natural de Londres? Que dia fecha? Quanto custa pra entrar? Tal dia é mais barato/de graça? Pessoas até 25 anos pagam meia? Esse tipo de informação serve pra duas coisas: saber o dia que você irá em qual atração e o principal, programar quanto dinheiro você tem/vai/quer gastar. Com essas informações eu ia cortando o que era mais caro e aproveitando coisas de graça, além de saber que dia tal eu não poderia ir em algum lugar por estar fechado, assim uma planilha ia se formando e já poderíamos comprar alguns passeios com antecedência também, como por exemplo a London Eye, o Madame Tussauds e o Sea Life, que se você compra em pacote fica mais barato. Nela eu tinha os horários e os lugares. Como não sabíamos o tempo que iríamos gastar em cada lugar, marcamos um lugar de manhã, de preferência lugares como igrejas e parques pois estava de dia, e de tarde lugares fechados como museus e exposições, pois nesta época do ano escurece bem cedo, tipo umas 16h.

planejando viagem para o exteriorLivrinhos amor.

Lugares escolhidos e agenda preenchida e aí veio a hora que fomos preencher o mapa. Compramos estes guias MARAVILHOSOS da Folha que foram uma mão na roda em muitos momentos de turista perdido. Ele tem o mapa das principais regiões dos lugares que fomos e ainda vem com todas as linhas de metrô, resumo de pontos turísticos e tudo mais. Alí nós marcamos as estações que iríamos utilizar durante a viagem e os pontos no mapa que iríamos visitar, pra facilitar na hora que estivéssemos perdidos. Foi amor e eu indico MUITO esse material pra quem vai viajar. Completíssimo. O bom é que você vai ver uma coisa e acaba descobrindo que tem uma super legal pertinho.

“Ah! Mas como assim perdido? É complicado assim?” O melhor é que é mais fácil do que parece. Se você já pegou metrô alguma vez na vida, não tem erro. Se nunca pegou, é molezinha demais! O mais legal é que como não conhecíamos nada e nem teríamos guia pra ajudar, a gente foi explorando os lugares que íamos passeando e descobrimos que em Londres e em Paris tudo é mais perto do que realmente parece. Muitas vezes resolvemos descer estações antes e ir andando pra curtir a cidade e olhar as coisas. Em Londres, todas as vezes que ficamos um pouquinho perdidos vimos coisas muito bacanas, então vale a pena se permitir errar um pouquinho e se sentir mais parte da cidade.

Se você chegou até aqui, você quer mesmo viajar hein? Então se tem alguma dúvida que eu possa te responder, deixe nos comentários que posso tentar te ajudar. Vou deixar aqui os valores e os links dos lugares pra vocês verem, porque eu pesquisei demais antes de viajar e ninguém fala preço de nada, claro que pode variar, mas acho que assim muita gente pode acreditar que dá pra viajar SIM! É só programar, buscar o que é mais barato e fazer as malas. Eu achei que nunca poderia fazer uma viagem assim na vida e consegui, então é só querer e correr atrás.

Em breve mais posts sobre como fazer as malas, dúvidas sobre bagagens e dicas pra vocês que querem conhecer Paris, Cambridge e Londres, que foram as cidades que visitei.

Valores e links de tudo que foi citado no post:

Passagem de ida pra Londres e volta por Paris + seguro viagem para 17 dias para duas pessoas (CVC) : R$ 5417,00
Passagem de trem Eurostar Londres/Paris para duas pessoas: R$ 323,40 (já com IOF e conversão)
Hotel Ibis Budget para 6 dias em Londres (casal): R$ 1573,00 (já com IOF e conversão)
Pacote London Eye + Madame Tussauds + Sea Life para duas pessoas: R$ 189,00 (já com IOF e conversão)