É Dreamworks, é diversão, é produção de qualidade, é review de mais um longa metragem animado no Chocottone!

Quando assisti esse filme, lá na virada do século, a instituição que eu fazia o 2º grau estava em greve. Lembro que fui no cinema na semana do Dia das Crianças, e esse foi um dos filmes que, eu e meus amigos, assistimos na telona. Curiosamente, ainda hoje falava com uns calouros sobre isso, que as animas 2D da Dreamworks curto pra caramba, mas os 3D não me cativam… Fazer o que? >.<
Bom, o filme apresenta as aventuras dos amigos malandros Túlio e Miguel, que após uma aposta, conseguem o mapa para lendária cidade de ouro perdida de El Dorado.


Ao serem apresentados os personagens, vemos que Miguel é bastante sonhador, bondoso, enquanto Túlio é um pouco mais sensato e quase cético, podemos assim dizer. Como se fosse o cabeça da dupla na hora de tramarem os planos. Contudo, um não é nada sem o outro e vice-versa, hehe. Talvez esse seja o principal ingrediente no filme, onde cada um por si só não teria a mesma graça.
Com a chegada na cidade perdida, os dois espertalhões são confundidos com deuses e acabam sendo adorados pelo povo que reside em El Dorado. E daí, tá armada a confusão! O filme será diversão garantida para a família toda, mostrando o valor das amizades, o preço da ambição e todo aquele pacote de boa conduta que por mais clichê que seja, sempre nos diverte.


A dublagem original fica por conta de Kevin Kline (Túlio) e Kenneth Branagh (Miguel). O vilão recebe a voz de ninguém menos que Armand Assante, que realmente incorpora Tzekel-Kan. Um raro parenteses comentando que nos extras é muito legar ver os bastidores dos atores gravando as vozes pro desenho, eles simplesmente não falam, mas atuam como se fossem o verdadeiro personagem, algo que faz muita diferença, como o dublador Marcelo Campos comentou numa palestra que assisti ano passado. Esse envolvimento com o projeto, com certeza, influência e muito para o resultado final. E para não perder o costume, aqui no brasil temos uma equipe muito boa, com Guilherme Briggs (Tulio), Marco Antônio (Miguel) e Jorge Vasconcellos (Chefe de El Dorado – para quem não sabe ele dubla também o “Macaco Louco”). Temos a inusitada presença de Danielle Winnits… o.O


Enfim, para a produção foram contratados mais de 485 artistas que vieram de 30 países difrentes e se dedicaram ao longo de 4 anos e meio para produzirem o filme. E como em outros filmes já comentados, o pessoal viajou para localizações no globo semelhantes as do filme pois é muito enriquecedor ter essa experimentação ao invés de se limitar a fotos do google imagens, hehe.
Dentro dos Extras também vemos como foi a produção do desenho animado mesclando técnicas tradicionais com digitais de última tecnologia, inclusive, para as sequências com água, foi desenvolvido um software apenas para realizar o efeito desejado e que ficasse o mais realista possível – isso é algo não raro, muitas produções utilizam desse recurso de desenvolver algo durante a produção de filmes.


Por fim, a trilha sonora fica por conta da equipe músical premiada no Oscar, em O Rei Leão: Elton John, Hans Zimmer e Tim Rice.


É isso pessoal, é um filme que vale a pena ver e rever sempre que der vontade, ou naquelas horas que você está zapeando de canal e por acaso está passando, com certeza você irá parar tudo para assistir até o final.

Bom final de semana para todos, ateh! o/

COMPRE!
Pack – Spirit + O Caminho para El Dorado

Você também pode gostar desses

2 Comments on O Caminho para El Dorado (2000)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *