corrida

Nike Fuel Band e FitBit: Mexa-se conectado

Há uns anos atrás meu irmão foi morar fora do país e surgiu com uma novidade pra mim: wearables (aparelhos eletrônicos que a gente “veste”) que marcam passos e fazem mais algumas coisinhas. Eu não conhecia esse mundo, mas depois que ganhei minha primeira pulseirinha minha vida mudou, senti que fiquei muito mais ativa e me senti mais motivada a me movimentar.

Explico o porque: essas pulseiras contam quantos passos você deu no dia, considerando o mínimo (10.000) pra ser considerada uma pessoa ativa. Algumas pessoas podem achar que não faz diferença, mas pra seres competitivos como eu, um empurrãozinho é o que basta pra gente sair por ai e virar, como diz minha mãe, “a maluca da pulseirinha”.

Tive a oportunidade de experimentar duas marcas diferentes e por isso vim aqui contar pra vocês o que achei delas.

nike_fuel_band_1Foto

Nike Fuel Band

Esta era do me irmão, que depois que comprou um Apple Watch resolveu me dar esta gracinha. Ela funciona como o conta passos e como relógio. O visor era uma gracinha e quando você chegava no objetivo era cheia de luzinhas piscantes, pra mim, um agradinho muito bacana.

O QUE MONITORA? Você consegue ver os passos dados e a hora. Além disso com ela era possível fazer corridas e sincronizar o exercício com o celular, pena que não era possível jogar a informação para o Nike Plus, app que uso pra monitorar minhas corridas.

USO: Pra carregar é só plugar na entrada USB do computador. A sincronização com o aplicativo, por Bluetooth, é tranquila e com isso dá pra ver todos os dados de passos dados por lá. O app faz gráficos bem legais pra você saber como anda sua via ativa.

QUANTO CUSTA? No E-bay você encontra alguns modelos por $15.

Untitled-1-Recovered

nike_fuel_app

O lado triste é que ele comprou na Inglaterra e a bateria morreu. Fiquei tristinha por conta disso e tive minhas caminhadas bem reduzidas depois da morte da coitadinha. Mas ai ganhei de natal uma nova, uma FitBit.

fitbit_1Foto

FitBit Flex

O QUE MONITORA? Com esta belezinha você consegue medir a quantidade de passos, qualidade do sono e ainda utilizá-la como despertador.

USO: Este modelo não possui um visor, apenas 5 leds que marcam a sua evolução, cada led simboliza 2 mil passos, no final do dia você tem os 10 mil. A sincronização também é por Bluetooth e no aplicativo você tem as informações de passos e também tem os controles de despertador, qualidade de sono, quantidade de água e calorias, caso queira anotar por lá. Para carregá-la é só ligar no cabo USB que vem com ela. O legal é que você pode comprar capinhas novas e trocar pra usar da cor que você quiser, já que o aparelhinho é pequeno.

QUANTO CUSTA:? Encontrei no NetShoes o modelo flex por R$ 699,00.

fit_bit_app

fit_bit_charge

Nas duas você pode ajustar sua meta de passos também, passando pra 12 mil, 15 mil passos, até mais. O que é bacana é que com elas você sabe o quanto você mexeu ao longo do dia e da pra você saber quão sedentário anda. Eu fico olhando sempre pras minhas luzinhas e vendo se preciso dar uma andadinha pra completar meus 10 mil passos, a meta que está estipulada na minha, para que eu me mantenha ativa.

Nenhum deles é à prova d’água, então nada de sair mergulhando por ai com elas. Elas são resistentes, o que significa que se molhar numa chuva ou em uma lavada de louça não vai ter problema.

Aqui no Brasil é bem difícil encontrar essas pulseiras, principalmente a Nike que está saindo do mercado, e quando encontra os preços são salgadinhos, então se você quer ter um desses e gastar menos, peça pra alguém trazer quando for para uma viagem. Eu adorei essas belezinhas e acho que pra mim super vale a pena!

E você? Acha que se mexeria mais se tivesse algo assim?

Links Bacanudos #25 – Dieta, ilustração e Disney

links_25

Hoje tem dieta, ilustração e Disney por aqui, então se preparem pra sair clicando =D

Eu voltei pro mundo das corridas, mas tenho poucas roupas específicas pra treinar. Porém se você é uma viciada em roupas de corrida/academia, pode dar uma olhadinha aqui nesse post do Corre Mulherada falando de armário cápsula pra treinar. E falando em nesse tão comentado armário capsula, sabia que ele não é obrigação né?

Pra quem ilustra e tem curiosidade sobre artistas, conheci essa semana o Nihonjin, um podcast que entrevista artistas brasileiros. Isso é tão bacana! Então trouxe o link do cast gravado com a querida Sabrina Eras. E falando em artistas, você tem que conhecer o Navio Dragão, uma HQ brasileira e fofa, e ainda aproveitar e baixar o wallpaper da Bela da talentosa Juliana Fiorese.

No campo da Disney também temos este post da Thais cheio de covers lindos da Disney. Simplesmente porque Disney é amor, é vida e fofura. E se você quer uma corrida de fofura, tem corrida de patinhos de borracha lá no Canadá. Sério, que bizarrice fofa!

A Fernanda Pineda falou como foram os #20diassemjacar, 20 dias que ela pegou firme na dieta e não fugiu nem nos fins de semana. Vale a pena pra se inspirar!

E vocês o que acharam dos links de hoje?

Corrida: Bravus Race – Etapa Arena – São Paulo

bravus_1
Paredão pra escalar e passar.

Eu só havia participado da Unimed Run aqui em São José dos Campos ano passado, mas o pessoal do kung fu me convenceu e montamos uma equipe bacana pra participar dessa coisa maluca de 3 quilômetros com 10 obstáculos. Então 28 de junho foi o dia de levantar cedo e ir pro Pacaembu, em São Paulo, participar dessa corrida diferente. Dois dias antes descobrimos que não seriam 10 obstáculos, mas sim 15, afinal “ser um Bravus é estar preparado para tudo”.

Preparação: Além dos treinos de kung fu (3 vezes por semana), fizemos treinos extras pra ganhar mais força e eu voltei a correr para ganhar mais velocidade e fôlego, tudo para tentar estar o mais bem preparada possível para a corrida. Mesmo fazendo isso eu tinha receio de não fazer direito as provas e atrapalhar o grupo, ou até mesmo de passar mal na prova.

bravus_2
Desce e sobe com saco de areia.

A prova: Todos fomos com espírito de fazer a prova em equipe e nos divertir, e foi exatamente isso que tivemos. Fizemos o percurso em uma hora e seis minutos, com muita escadaria pelas arquibancadas do estádio, sobe e desce com galão de água e saco de areia nas costas. Precisei parar em alguns momentos pra recuperar o fôlego, mas não foi nada de outro mundo. O medo que eles colocam é maior do que tudo que tem por lá. Minha equipe (formada pelo noivo e três colegas do kung fu) foi linda. Sério. Me ajudaram muito e me incentivaram bastante. Acho que nessas horas isso faz a total diferença e por conta disso dei meu melhor na prova. Fiquei impressionada por conseguir fazer tantas coisas e realmente redefini meus limites. Você termina a prova de alma lavada!

Abaixo, o teaser da prova de domingo no Instagram do evento:

Agora vão acontecer duas outras etapas aqui em São José dos Campos, a Speed (5km + 15 obstáculos) e a Monster (10km + 25 obstáculos). Essa prova vai ser com lama e outros obstáculos malucos, e estamos já pensando em fazer uma delas. Vocês encaram? Olha o vídeo da nossa equipe no YouTube e vê se anima pras próximas etapas!

Para mais informações das Bravus Race, entre no site: http://bravusrace.ativo.com/bravus2015/.
Fotos: Instagram da Bravus e arquivo pessoal.

Texto: Pensamentos Internos (ou como me incentivo para fazer exercícios)

corrida_ilustra

Algum dia desses:

— Nossa. Hoje está tão friozinho, delícia pra ficar em casa e ver um filme comendo pipoca, né?
— Deixa disso, você disse que ia correr hoje.
— Ah, disse né? Mas tá frio… aqui tá confortável…
— NADA DISSO! Troca de roupa já e vai correr!
— Mas… tá tão bom aqui…
— Deixa disso já! Troca de roupa! Isso… põe o top!
— Poxa até não tá ruim olhando no espelho, deixa eu pesar. É, mesmo peso. O médico disse que tô magra, eu tô bem, mas sempre acho que dá pra melhorar. Apesar que sou mais meus chocolates.
— É, vou com essa camiseta aqui. Bem larguinha, sem marcar nada. Eitha o fone! Como corro sem fone?
— É uma avoada mesmo.
— Vamo lá. Play. Começar corrida. Isso. Vamos com calma, no nosso rítmo, né? Respira, inspira, respira, inspira. Ih! Um carro! Valeu por me deixar passar moça!
— Nossa, tô cansando… uff… uff… será que chego até alí na igreja?
— VAIII! Chega sim! Força! uff… uff… uff… tá quase…

“One Kilometer… time…”

— UHU!!! CHEGUEI! Pronto, agora respira um pouco.
— Só 100 metros! Nada de moleza!
— AHHH… já deu 100? Droga!
— CORRE! Força!
— Respira, inspira, respira, inspira.

“Two Kilometers… time…”

— Nossa, foi dois? Tô bem hoje. Vou parar mais pra frente.
— Isso! Assim que é bom!
— Pronto, dois e setecentos. Deixa descansar mais um pouco. Respira, inspira, respira, inspira.
— Deu 100! Vai corre!
— AHHH!!

“Three Kilometers… time…”

— Três!
— Nem pensa em parar! Vai até quatro!
— Será? Depois do três fica dureza credo, pra quê isso? Respira, inspira, respira, inspira. Profundo.
— Vai! Vai que dá!

“Four Kilometers… time…”

— UHU!!!! Foi quatro! Agora deixa respirar.
— Vai, você merece… ó deu 100! Vai tá quase!
— Ai GZUZ, tô cansada, tô morrendo…
— Calma olha ali aquela loja de eletrodomésticos, falta só mais uma quadra!
— Será? Minhas pernas já estão doendo.
— Vai! Tá quase! Não desiste agora!

“Five Kilometers… time…”

— (Insira aqui a trilha de Rocky)
— ISSO AÍ! Tá de parabéns! Missão cumprida!
— UHU!!! Consegui! Mais um treino feito!

E esta sou eu, conversando comigo mesma durante meus treinos de corrida.

Inspirado no vídeo Better For It – Inner Thoughts da Nike. E vocês? Também se auto-incentivam ou sou só eu que sou doida que fica tendo pensamentos internos?