Leituras

Aquele livro de cabeceira, o mangá que coleciono ou o quadrinho que resolvi ler.

Mangá: Pretty Guardian Sailor Moon

sailor_moon_4
Capas lindas!

Usagi é uma ginasial de 14 anos. Como muitas meninas de sua idade, é desastrada, distraída e um tanto preguiçosa. Em um encontro, aparentemente ao acaso, a jovem acaba conhecendo uma gatinha falante e, através dela, descobre ser dona de incríveis poderes. Por conta disso, acaba recebendo uma grande missão!

sailor_moon_2
Oi gente! Eu sou a Sailor Moon!

Eu já havia comentado aqui sobre a série de mangás da Sailor Moon que a JBC estava lançando no Brasil. Depois de vinte e poucos anos o mangá finalmente veio para nossas terras tupiniquins e pudemos ler toda a história, então vim aqui contar pra vocês o que achei deste mangá.

sailor_moon_1
Contra capa do mangá.

Eu já havia visto todo o anime, mesmo depois de crescidinha eu consegui todos os 200 episódios e pude rever todos os arcos (R, S, Super S e Stars). O Mangá abrange todos eles e conta de uma maneira mais rápida que o anime toda a luta da nossa querida guerreira da lua. A amizade, a determinação e o romance estão ali em cada personagem e fiquei apaixonada pelos traços de Naoko Takeuchi. Este mangá é do estilo shoujo, ou seja, feito para o público feminino entre 10 e 18 anos, então não é uma história muito densa ou complexa de se entender, é basicamente as guerreiras tentando salvar a Terra e as pessoas que nela habitam. Indico pra quem é fã das antigas e tem saudade de se aventurar com a Usagi.

Vale falar aqui que a JBC também lançou dois volumes de Sailor Moon Short Stories, que são 10 histórias que foram publicadas originalmente nas revistas RunRun, Nakayoshi e no Artbook “Materials Collection”, entre 1993 a 1999. O primeiro eu já tenho e o segundo deve sair este mês. Nada melhor pra comemorar o aniversário da Usagi, né?

sailor_moon_3
AH NÃO! ACABOOOUUU!

Sinopse do Skoob.

Livro: Dragões de Éter – Círculos de Chuva (Vol. III) – Raphael Draccon

circulos_de_chuvaDragões de Éter – Círculos de Chuva (Vol. III) [rating:4/5]“Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga. Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo Rei e vive a esperada Era Nova. Coisas estranhas, entretanto, nunca param de acontecer… Dois irmãos sobreviventes a uma ligação com antigos laços de magia negra descobrem que laços dessa natureza não se rompem tão facilmente e cobram partes da alma como preço. Uma sociedade secreta renascida com um exército de órfãos resolve seguir em frente em um plano com tudo para dar errado em busca do maior tesouro já enterrado, sem saber o quanto isso pode mudar a humanidade. O último príncipe de Arzallum viaja para um casamento forçado em uma terra que ele nem mesmo sabe se é possível existir, disposto a realizar um feito que ele não sabe se é possível realizar. Uma adolescente desperta em iniciações espirituais descobre-se uma mediadora com forças além do imaginário. E um menino de cinco anos escala uma maldita árvore que o leva aos Reinos Superiores, ferindo tratados políticos, e dando início à Primeira Guerra Mundial de Nova Ether.”

Finalmente, depois de anos que ganhei “Dragões de Éter”, eu acabei! Mas não pense que demorei por ser uma história ruim, mas sim por intercalar com outras leituras. Aliás, “Círculos de Chuva” foi uma grata surpresa! Nada como batalhas e uma guerra pra trazer emoção a uma leitura, né?

Neste volume continuamos com todos nossos queridos personagens, João, Maria, Axel e Ariane, mas achei o final muito corrido e forçado. Não ficou ruim, mas esperava algo a mais que ficou faltando em algum lugar. O resto foi só emoção e correria, o que me empolgou bastante. Leitura bem recomendada pra quem curte fantasia.

Pra quem não conhece, já falei do primeiro volume aqui e do segundo aqui.

Sinopse do Skoob.

Meme: Palavras cruzadas

meme_palavras_cruzadas
Eu demoro mais eu respondo sempre os memes que me indicam, juro! Antes tarde do que nunca, né? Então hoje vim responder esse que a Mari me indicou e eu achei bacana, porque afinal fala sobre livros e quem não ama livros?

1. “Vox Populi”: Um livro que recomendaria para todo mundo.
O Poder do Hábito – Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e Nos Negócios – Charles Duhigg. Eu achei super interessante a maneira gostosa com a qual o livro te leva a pensar em hábitos e como mudá-los, tudo isso mostrando estudos e exemplos, muito bom mesmo.

2. “Maldito Plágio!”: Um livro que gostaria de ter escrito.
As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley. Livros que mostram a força das mulheres em um mundo real que se mistura ao místico. Os livros são maduros, bem escritos e fazem você viajar pra longe enquanto os lê.

3. Não vale a pena derrubar árvores por causa disto.
Acho que todo livro é válido pra alguém, então, não vou falar que não se deve escrever.

4. “Não é você, sou eu!”: Um livro bom lido na hora errada.
Dom Casmurro – Machado de Assis. Conheço MUITA gente que ama esse livro e sinceramente, acho que o meu professor não me passou na hora certa pra ler e eu odeio.

5. “Eu tentei…”: Um livro que tentou ler mas não conseguiu.
Que André Vianco me desculpe, mas não consegui ler o único livro dele que tem aqui em casa, “Bento”.

livros_gif

6. “Hã?”: Um livro que leu e não entendeu nada/ou um livro que teve um final surpreendente.
A Guerra dos Tronos – As Crônicas de Gelo e Fogo – Vol. 1 – George R.R. Martin. Li antes da série e o final do o primeiro livro eu fiquei tipo “?”.

7. “Foi bom, não foi?”: Um livro que devorou.
Harry Potter – J.K.Rowling. E pode colocar todos os livros aqui porque é frenética a coisa mesmo.

8. Entre livros e tachos: Um personagem que gostaria que cozinhasse para você.
Não lembro a personagem, acho que era a Morgana, mas queria provar o bolo de mel d’As Brumas.

9. Fast Forward: Um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada.
O Senhor dos Anéis – J.R.R. Tolkien. Por mais que eu adore as cenas de descrição dos lugares e tudo mais, sem elas o livro ficaria mais dinâmico.

10. Às cegas: Um livro que escolheria só por causa do título.
Jogos Vorazes – Suzanne Collins. Me faz querer ler. Eu li e devorei, mas o nome me chama atenção.

11. “O que conta é o interior”: Um livro bom com uma capa feia.
Brave New World – Aldous Huxley. Capas horrendas, mas uma história que todos sempre falam, citam e tals.

12. “Rir é o melhor remédio”: Um livro que tenha feito você rir.
O Diário da Princesa – Meg Cabot. Na verdade a coleção toda me fez rir demais. Meg escreve de uma maneira muito gostosa.

livros_gif_2

13. “Tragam-me os Kleenex, por favor.”: Um livro que tenha feito chorar.
A Menina que Roubava Livros – Markus Zusak. Tudo que mexe com guerras me faz chorar. Chorei muito mesmo e o filme também me fez chorar depois.

14. “Este livro tem um V de volta”: Um livro que não emprestaria para ninguém.
Não acho que tenha algum livro que eu não emprestaria. Sempre me devolveram tudo que emprestei.

15. “Espera aí que já te atendo”: Um livro ou autor que está adiando constantemente.
Ramsés – Christian Jacq. Comecei a ler esta coleção na faculdade quando tinha acesso a biblioteca, mas não consegui terminar. Estou adiando ler faz anos, mas nem tenho os livros também então, tô perdoada.

Vou indicar a Ana Carô, a Duds e a Babee.

HQ: Batman – A Piada Mortal – Alan Moore

piada_mortal [rating:4/5] “Em A piada mortal, Moore explora a psicologia de Batman, Coringa e do comissário Gordon. Todas as tramas paralelas apresentadas no gibi acabam tendo Gordon como seu referencial e é o comissário que concentra a maioria das perguntas que surgem após a leitura da revista. Afinal de contas, se basta um “dia ruim” para levar a sanidade de uma pessoa, porque o mesmo não aconteceu com Gordon? Porque é que Wayne se transformou no Batman, aquele ex-comediante no Coringa e o comissário escapou ileso?”

Durante a viagem no ano passado, aproveitei pra ler alguns quadrinhos que estavam no Ipad há muito tempo. São algumas histórias fechadas que dizem ser bacana e que fico curiosa em ler pra poder entender mais de quadrinhos. Entre elas está o clássico do Batman, “A Piada Mortal”.

A história mostra Batman tentando por uma última vez se acertar com Coringa, para saber até onde irá toda essa raiva que um tem pelo outro, mas nisso o nosso querido vilão já está à frente da situação e planeja sequestros e mortes. Nesta históriavemos o passado do Coringa em flashbacks em uma tentativa de explicar o porque de suas ideias tão malucas e deturpadas. Coringa e Batman são inimigos desde que me entendo por gente e assisti filmes do morcegão quando criança, mas essa história acaba de um jeito que você não consegue ter certeza de tudo que aconteceu. Existem várias teorias e deduções, mas certeza mesmo, nunca haverá. Acho que obras fechadas são bacanas pra quem, como eu, quer entender mais dos personagens, mas não se entende com milhares de números e histórias contínuas.

Sinopse do Skoob.

%d blogueiros gostam disto: