Resenhas

Vício em cinema, gosto por doramas, paixão por animes e aquela quedinha pelo teatro.

Leitura: O Ano em que Disse Sim | Shonda Rhimes

Livro “O Ano Que Disse Sim”, de Shonda Rhimes

Foto da capa do livro O Ano Que Disse Sim de Shonda RhimesFoto

Sinopse

Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva de grandes sucessos televisivos. “Você nunca diz ‘sim’ para nada.” Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e da introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e sobre como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas.

O que achei do livro O Ano Que Disse Sim?

Muita gente me indicava o livro da Shonda. Muita mesmo. Eu via pipocando por todos os lados nos blogs, newsletters e Stories que passava, então resolvi comprar pra ler. Eu não conhecia Shonda Rhimes, muito menos os trabalhos dela. Meu máximo de contato são os comentários de todos sobre meu noivo – “Mas ele é igualzinho ao Owen!” ou “Você já viu Grey’s Anatomy?”.

Owen de Grey's Anatomy fazendo cara de confuso
Oi? Nem parece!

Acontece que agora eu sou fã da mulher Shonda. É incrível ver como ela escreve de maneira leve e divertida sobre assuntos tão sérios. Aceitação, feminismo, carreira, família, filhos, um grande mulherão da porra se vocês querem mesmo saber.

Acompanhamos nas páginas do livro uma evolução de uma pessoa, de uma mulher, negra, mãe e que trabalha pra caramba. É maravilhoso ver o crescimento dela, os questionamentos, e isso é lindo demais de se ler. Alí questionei minhas escolhas, minha vida e consegui entender que deixar tudo mais leve pode ser um “sim” maravilhoso de se dizer pro universo.

Indico pra todo mundo, porque não é um livro de autoajuda e sim de auto descobrimento e principalmente de quebra de paradigmas e evolução.

Shonda Rhimes

Melhores frases

“Se você quer que coisas ruins parem de acontecer com você, pare de aceitar coisas ruins e exija algo mais”

“Sonhos são lindos. Mas são apenas sonhos. Passageiros. Efêmeros. Lindos. Mas sonhos não se realizam apenas porque você os sonha. É o trabalho árduo que faz as coisas acontecerem. É o trabalho árduo que cria a mudança.”

“Amanhã será o pior dia de suas vidas.”

“Todos precisamos de um pouco mais de amor.”

“O seu corpo é seu. O meu corpo é meu. nenhum corpo deve estar exposto a comentários. Não importa se pequeno, grande, curvo ou reto. Se você se ama, então eu amo você.”

“Perder-se não é algo que acontece de uma vez. Perder-se acontece com um não de cada vez. Não a sair esta noite. Não a colocar o papo em dia com aquela antiga colega de quarto da faculdade. Não a ir àquela festa. Não a sair de férias. Não a fazer uma nova amizade. Perder-se acontece meio quilo de cada vez.”

“Nada funciona até que você esteja realmente pronta para que funcione.”

“Não me chame de sortuda. Pode me chamar de durona”

“Duroneza: 1. (subst.) prática de conhecer as próprias realizações e habilidades, aceitar as próprias realizações e habilidades e celebrar as próprias realizações e habilidades; 2. (subst.) prática de viver a vida com autoridade: AUTORIDADE (subst. ou verbo) um estado de espírito que envolve amar a si mesmo, andar “desse jeito” e não dar a mínima para que os outros pensam.”

“O único obstáculo ao se sucesso é a sua imaginação.”

“Você não está se gabando se for capaz de fazer.”

“Você deve fazer as coisas que acha que não consegue fazer.”

Leitura: Jogador Número 1 | Ernest Cline

Empolgue-se com Jogador Número 1

Jogador Número 1

Joguei no Facebook sem querer nada em troca que eu queria dica de livros pra ler, coisa leve, divertida e bem gostosinha mesmo. Um amigo jogou este livro fiquei intrigada, já sabia que tinha um trailer do filme rolando na internet. Não assisti o tal trailer, mas a coisa deveria ser boa já que um filme estava sendo gravado e resolvi dar uma chance, e foi a melhor coisa que eu fiz.

Sinopse

Um mundo em jogo, a busca pelo grande prêmio. Você está preparado, Jogador número 1?
O ano é 2044 e a Terra não é mais a mesma. Fome, guerras e desemprego empurraram a humanidade para um estado de apatia nunca antes visto.
Wade Watts é mais um dos que escapa da desanimadora realidade passando horas e horas conectado ao OASIS – uma utopia virtual global que permite aos usuários ser o que quiserem; um lugar onde se pode viver e se apaixonar em qualquer um dos mundos inspirados nos filmes, videogames e cultura pop dos anos 1980.
Mas a possibilidade de existir em outra realidade não é o único atrativo do OASIS; o falecido James Halliday, bilionário e criador do jogo, escondeu em algum lugar desse imenso playground uma série de easter-eggs que premiará com sua enorme fortuna – e poder – aquele que conseguir desvendá-los.
E Wade acabou de encontrar o primeiro deles.

Filme Jogador Número 1Imagem do filme

O que achei

Apesar de ser um livro YA (Young Adult), ele se mostrou de cara um livro bem divertido e LOTADO de referências da época das pessoas que estão trintando por esses tempos, tipo eu. Desde jogos de vídeo game (Atari e até pinball), filmes(Monty Phyton!) e músicas (Rush, Ac/Dc e por aí vai) até um pouco de moda. Anos 80 do começo ao fim.

No primeiro capítulo já sabemos que Wade – personagem principal – vai ganhar a corrida, mas de maneira alguma isso atrapalha a leitura e você fica simplesmente vidrado querendo saber COMO. Isso consome a curiosidade do leitor e vamos correndo com ele pelas páginas até o fim da aventura, que eu afirmo aqui: me empolgou MUITO.

A vida dentro do OASIS faz todo mundo se esconder e parecer quem quer ser, o que faz com que o livro apresente críticas sobre imposição de padrões de beleza, racismo e até machismo. Tudo de leve, mas que eu não consegui deixar de ficar feliz em ver alí num livro para jovens.

Fazia tempos que não ficava tão vidrada em uma história e não via a hora de chegar em casa ou pegar o ônibus pra ler. As referências são bem contadas, quem tem elas na cabeça vai adorar mais ainda por se identificar com tudo que está sendo mostrado. No momento que algo me deixava fazendo perguntas estranhas sobre o livro, o autor ia lá e respondia as dúvidas, assim as lacunas que surgiam pra mim já iam sendo respondidas e tudo ia ficando bem.

Se você procura um livro pra te empolgar, este pode ser uma boa opção. Se você já leu, o que achou? Ele também te empolgou tanto assim?

Assisti o trailer do filme e estou bem empolgada, ainda mais se tratando de Steven Spilberg. Só me resta esperar.

Meu Planner 2018

Vem conhecer um planner baratinho!

capa planner 2018

Procurando o Planner

Ano passado fiz um post completinho aqui no blog tentando descomplicar toda essa história de planners e bullet journals, falando sobre como eu fiz o meu com materiais que eu tinha em casa mesmo, sem gastar muito. Pra 2018 eu queria comprar um porque fiquei com preguiça de fazer o meu, mas não queria gastar muito.

Eu sabia que não queria uma agenda e sim um planner por ter uma configuração mais livre pra escrever e anotar outras coisas. Como hoje em dia essa cultura está mais forte por aqui e eu já tinha visto alguns em lojas, eu saí caçando um.

Procurei alguns na viagem que fiz ano passado, mas nada parecia me empolgar, ou se empolgava era muito caro, até chegar aqui e ver um da Imaginarium, lindo, com capa maravilhosa, mas que eu achei com preço salgadinho pelo tamanho. Aí andando na Americanas encontrei um bem básico, mas que tinha tudo que eu precisava. Como ainda achei que deveria procurar mais, não comprei, mas minha mãe pegou escondido e me deu de presente. Então este é meu planner de 2018!

Sobre o Planner

Ele custou R$29,90, tem uma capa dourada linda, mas eu tive que customizar com adesivos, se não ele não seria tão meu. Pra isso escolhi os que eu tinha que eram de plástico da Pr1ps e da Fernanda Segolin, pra durare mais, e coloquei meu último de unicórnio. Pronto, o planner é meu!

calendario

dias da semana

aniversarios

Tour pelo Planner

Achei ótimo o espaço que ele deixa para os dias, que vêm separados semanalmente. Ele vem com os sete dias de um lado, com um bom espaço pra fazer os bullets, e uma parte para mais anotações do outro, onde eu coloco pequenas metas pra semana, como “ler 50 páginas de um livro” ou “não matar nenhum dia de treino” por exemplo, e também anotar as melhores coisas da semana. Pode parecer bobo, mas olhar na sexta-feira e ver que sua semana teve coisas boas, mesmo que pequenas, traz um ânimo a mais.

Ele vem com mais espaço para anotações no final, onde coloco os filmes, livros, doramas, quadrinhos e séries que eu vi e que quero ver. Ajuda muito pra fazer posts do ano, listas de melhores, coisas assim. Também escrevo meus gastos mensais pra saber onde gastei meu dinheiro em comida. Sim, eu sou muito analógica.

Filmes e livros

contas

E o queridinho de quem tem planner, os tão amados quadradinhos! Eu adoro habit trackers – que são nada mais que quadradinhos que você pinta por alguma tarefa realizada – e gosto de fazer com meu hábito de desenhar para saber se estou fazendo com frequência ou não. Ajuda um bocado ter isso visualmente!

quadriculado

Este modelo vem com um pequeno planejador antes de tudo, que eu não vi muita utilidade, mas que achei uma logo! Estou marcando meu humor do dia, o clima – chuva? sol? – e o que eu estava com vontade de comer. Está legal perceber como tenho mais dias feliz e calma que dias ruins. Visualmente falando, a gente dá mais valor nas pequenas coisas =D

mini-planner

A única alteração física que fiz nele foi adicionar uma bolsa na contra capa, logo no final, pra poder deixar meus adesivos, que uso ao longo do ano pra customizar o planner, já que ele é bem básico, mas é bom que assim a gente dá a cara que quer pra ele, né?

bolsa final

E ai? o que acharam? Já estão com o de vocês? Ok, janeirão tá acabando, mas quem disse que tem hora certa pra começar?

Papelarias Por Ai | Paris

Papelarias em Paris

Eu sou muito a louca da papelaria e isso é uma coisa que quem me segue por aqui já pode estar cansado de saber, então por esta razão tive que vir no blog e contar como foram minhas experiências “papelísticas” do outro lado do oceano, e se vocês também gostam tanto quanto eu, também vão adorar!

Fui para esta viagem pensando em comprar alguns materiais que aqui no Brasil são mais caros, difíceis de encontrar ou então nem têm por aqui. Reservei um fundo pra isso e chegando lá a ideia era pesquisar para encontrar o melhor preço, fazendo assim meus eurinhos renderem mais.

Um merci beaoucoup – obrigada – gigantesco para Marie Margo, uma ilustradora que sigo no Instagram que me indicou as lojas e salvou minha vida, e dinheiro.

Rougier&Plé - Papelaria em Paris

A primeira que fui foi a Rougier&Plé, uma rede enorme de papelarias espalhadas por toda França que nasceu em 1854. Ao entrar é como se uma energia tomasse conta de mim, um Da Vinci, um Michelangelo e a vontade de levar uma coisa de cada de lá me transbordou. Materiais de pintura, scrapbooking, artigos de papelaria no geral e muita coisa linda pra ficar doido mesmo.

Prós e contras: Esta rede compensa pra quem procura coisas para planners e scrapbook. Tem muito carimbo, adesivo, decalque, pedras, colantes, tudo que você pensar e mais um pouco com preços bem bacanas. Além disso tem calendários lindos! Mas se você procura tintas e pincéis mais específicos pra aquarela ou mais profissionais de pintura, o que eu estava procurando, não compensa.

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé

Onde fui? 108 Boulevard Saint-Germain, 75006
Estação mais próxima: Odéon
Site da rede: http://www.rougier-ple.fr/

Sennelier - Papelaria em Paris

A Sennelier é famosa por seus materiais de fabricação própria que existem desde 1887. A loja fica pertinho de Notre Dame e é bem pequenininha, mas super charmosa. Só descobri o segundo andar dela desta vez.

Prós e contras: Só encontrei materiais de caligrafia japonesa – pincéis ENORMES e caríssimos – nesta loja. Além, disso foi a única que também vendia os pincéis da marca Escoda, que eram os que eu estava procurando. Papéis e tintas da própria marca são mais caros nesta loja – o que é uma pena, mas a localização e a loja valem o passeio.

Sennelier - Papelaria em Paris

Sennelier - Papelaria em ParisImagem

Sennelier

Onde fui? 3 Quai Voltaire, 75007
Estação mais próxima: Tuileries
Site da loja/marca: http://www.sennelier.fr

Passage Clouté - Papelaria em Paris

A última e mais distante de todas, mas que valeu cada centavo de euro, foi a Passage Clouté, que existe desde 1995. Demorei pra chegar de metrô com o irmão por lá, mas foi onde encontrei os melhores preços de tintas, pincéis, sketchbooks e canetas. Vou fazer um post do que eu comprei por lá logo logo, mas já aviso que não tem pra eles. A loja é gigantesta e com uma variedade de coisas que vai deixar qualquer um doido.

Prós e contras:Fica mais longe, dependendo de onde você está e é difícil ser atendido em inglês, sorte que meu irmão é bom no francês, pois queria coisas muito específicas e as moças não entendiam, mas compensou e acabei comprando todo o resto da lista que eu levei por lá, pois umas promoções estavam ótimas!

Passage Clouté - Papelaria em ParisImagem

Passage Clouté - Papelaria em Paris

Passage Clouté

Onde fui? 7 Rue des Boulets, 75011
Estação mais próxima: Nation
Site da loja: https://passagecloute.com/

No geral compensaram muito as compras que fiz por lá, mas o que reparei é que marcas americanas e inglesas são mais difíceis, quase impossíveis de serem encontradas nas lojas, como Prismacolor (lápis de cor) e Daniel Smith (tintas) por exemplo. Mas e aí? Curtiu o tour e as dicas de papelaria? Que tal fazer uns aqui pelo Brasil também?