Viagens e Passeios

Passeios gostosos, viagens inesquecíveis, eventos divertidos e muita coisa bacana pra fazer e conhecer.

Viagem: Monte Saint-Michel

Conheça Monte Saint-Michel, um lugar peculiar na França.

Sobre o Lugar

O Monte Saint-Michel é uma ilha rochosa na foz do Rio Couesnon na França, local onde foi construída uma abadia em homenagem em homenagem ao arcanjo São Miguel. É um dos pontos mais visitados da França com mais de 3 milhões de visitantes por ano e faz parte do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Eu segurando Monte Saint-Michel
Monte Saint-Michel e eu, há 2 anos atrás.

Na época de Luís XI, a ilha se tornou uma prisão, recebendo prisioneiros até 1860. O lugar foi restaurado em 1922, porém só começaram a existir visitas a partir de 1966 (celebração de 1000 anos da abadia). Em 2001, monges e irmãs da Fraternidade Monástica de Jerusalém se instalaram e atualmente organizam celebrações todos os dias por lá.

Monte Saint-Michel

Passeio pelo Monte Saint-Michel

Depois que vi este lugar em um canal do YouTube, posso dizer que ele estava entre os lugares que eu adoraria ver no mundo. Uma ilha que é ligada ao continente que durante a maré alta fica isolada da terra e que no topo tem uma cidade? Claro que todos deveriam conhecer o Monte Saint-Michel!

Algumas pessoas fazem bate-volta com companhias de turismo saindo de Paris, mas fomos de carro com meu irmão, cunhada e irmão dela para a ilha e chegamos em pouco mais de 4 horas.

Casinhas em Saint-Michel.
Casinhas em Saint-Michel.

Dá pra ir do estacionamento até Saint Michel de ônibus gratuito ou andando, preferimos aproveitar e movimentar o corpo com o frio que estava fazendo, e com isso ir aproveitando a vista do lugar ficando cada vez mais pertinho de nós.

Existe um ponto de apoio com informações sobre o lugar e banheiros bem próximo ao estacionamento, caso você precise.

Ruas de Monte Saint-Michel
Ruas dentro de Saint-Michel.

Chegando lá, as ruas se encontravam bem vazias, com bastante espaço para curtir cada lojinha, já que fomos em uma época mais tranquila. Parecia que acabávamos de entrar em um filme medieval e todos ficamos encantados com tudo que víamos por lá.

Uma rua pequenininha e uma porta legal em Monte Saint-Michel
Uma rua (sim!) e portinha pequenininha em Saint-Michel.

Andar pelo lugar já é uma atração: ruas incrivelmente minúsculas, portinhas fofas, vistas lindas do mar, casinhas e muitos lugares lindos pra tirar foto.

Vista do mar e das casas de Monte Saint-Michel
Belas vistas andando por Saint-Michel.

Escolhemos o passeio da abadia com um guia em inglês e foi muito legal, pois aprendemos sobre as salas e como tudo por lá funcionava. Apesar do frio congelante, adoramos conhecer tudo por lá. No verão/primavera os jardins são incrivelmente floridos e verdinhos, pelo que vimos em fotos, então se você quiser algo mais quentinho vale a pena programar o passeio para outra época.

Interior da abadia de Saint-Michel
Um dos salões da abadia e a vista de uma roda que era utilizada para transporte de comida e mantimentos.

Se você quiser uma experiência bem diferente, escolha ir em época de maré alta e se hospede na ilha, isso com certeza deve ser incrível.

Saida da Abadia de Saint-Michel
Saída da Abadia de Saint-Michel depois da visita guiada.

O dia foi muito divertido, todos adoramos o passeio e logo seguimos viagem para Nantes, que em breve conto mais detalhes por aqui.

ONDE FICA?
O Monte Saint-Michel fica numa distância de 350 km de Paris, bem na fronteira da Normandia com a Bretanha.

QUANTO CUSTA?
Para entrar na ilha não é necessário pagar nada, apenas na abadia (9 euros).

HORÁRIOS
A ilha é de livre passagem, mas se você for ir e voltar no mesmo dia é importante ver o guia das marés para não ficar preso por lá. A abadia funciona assim:
Baixa: das 9h30 às 18h, de 1 de setembro a 30 de abril
Alta: das 9h às 19h, de 2 de maio a 31 de agosto

Mais informações?
Visite o site oficial do Monte Saint-Michel, com lista de marés e tudo mais!

Viagem: Vamos para Brasília?

O que ver em Brasília/DF?

Eu em Brasília
Eu mostrando pra vocês com classe e elegância o Museu Nacional, a Catedral de Brasília e algum ministério ao fundo.

Vamos pra capital do Brasil?

Ano passado eu falei pra mim mesma que queria começar a visitar alguns parentes que moram longe. Além de ver pessoas queridas, seria capaz de conhecer um lugar novo e diferente, ou seja, unir o útil ao agradável. Todos os meus tios por parte de mãe moram em Brasília, então o primeiro destino era fácil de decidir! Pegamos uma promoção de passagens e lá fomos nós.

Como capital do Brasil projetada em sua grande maioria por Oscar Niemeyer e o engenheiro estrutural Joaquim Cardozo, a cidade vale sim uma visita. Não precisa tirar férias de 20 dias, mas nada que 5 dias não satisfaçam a curiosidade de conhecer a Câmara, Senado e outros lugares públicos de lá. Eu havia visitado a cidade quando tinha 12/13 anos e não lembrava de muita coisa, então foi bem legal voltar pra lá.


Eu e o Itamaraty

O que ver em Brasília?

O Plano Piloto tem coisas pra ver e muito o que andar. Começamos tirando fotos pelo lado de fora dos lugares, já que tudo a gente pode conferir nos jornais todos os dias, então é legal ver de perto. Depois rumamos para o Congresso Nacional, onde queríamos muito entrar e fazer uma visita guiada. Nesta visita eles te mostram a Câmara os Deputados e o Senado Federal, te explicam sobre as obras de arte que se encontram lá dentro (Atos Bulcão é mato), aprendemos muito sobre como funcionam o sistema de votação e outras regras do lugar e vimos lindos presentes que o país recebe de chefes de estado de outros lugares do mundo (uma das minhas partes preferidas).


Senado Federal e seu teto de Atos Bulcão.

Não conseguimos entrar no Itamaraty, que dizem também ser um belo passeio, mas entramos na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida e ainda descobrimos que se você sussurrar em um lugar específico nas paredes laterais, você escuta a pessoa do outro lado da igreja, bem divertido e lindo, pois aquele teto em vitrais não é fraco não.

Ainda no Plano subimos a Torre de TV que dá uma vista 360 graus bem legal da cidade. Você sobe de elevador e consegue ter uma vista linda da Esplanada dos Ministérios com o Congresso ao fundo.


Vista da Torre de TV


Congresso Nacional

Além do Plano Piloto e dos prédios públicos

Além de visitar os prédios públicos, conhecemos alguns lugares mais afastados, mas nem por isso menos legais. O Pontão do Lago Sul é um lugar gostoso pra caminhar e quem sabe até comer se você quiser. O lugar é arrumadinho, cheio de restaurantes legais e super conhecido por ser bem nas margens do Lago Paranoá.


Nós abraçando o coração na Ermida Dom Bosco

Conhecemos a Ermida Dom Bosco, um lugar bem gostoso nas margens do Paranoá, com um letreirão “EU S2 BRASÍLIA” pra você tirar foto. O pessoal vai lá pra fazer piquenique e curtir as margens do lago, que é praticamente a praia do pessoal de Brasília. Aproveitando as margens, também fizemos uma caminhada deliciosa pelo Parque Ecológico da Península Sul, que tinha sido inaugurado há pouquíssimo tempo. Lá dá pra andar, correr, andar de bicicleta e ainda praticar stand up paddle e o kite surf.

E ainda fizemos um tour com meu tio que nos levou em algumas igrejas bem diferentes e lindas, como a Igreja Dom Boco, que tem as paredes todas feitas por vitrais maravilhosos. Chegamos de manhãzinha e a luz deixava tudo maravilhosamente esplêndido.


Belíssimo Santuário Dom Bosco

Ficamos quatro dias em Brasília aproveitando sa hospedagem dos tios e da hospitalidade deles também. Foi bem legal mostrar o pouco que eu conhecia de lá para o marido e sempre indico o passeio por lá pra saber mais do nosso país. E você? Já foi passear por essas bandas? Conta como foi!

Informações sobre os passeios

Se você quer saber onde ficam os lugares indicados e saber mais informações, confira abaixo. O mais bacana é que todos são grátis!

Itamaraty
Como funciona?Reservas por e-mail [email protected] ou pelo telefone (61) 2030-8051. De segunda a sexta, das 9h às 17h.
As visitas em dias úteis e nos finais de semana acontecem às 9h, 11h, 14h, 15h e 17h.
Mais informações:http://www.itamaraty.gov.br

Congresso Nacional
Onde Fica? Praça dos Três Poderes, Zona Cívico-Administrativa
Como funciona?Segundas, quintas, sextas, finais de semana e feriados, das 9h às 17h30, com saídas de grupos a cada 30 minutos, a partir do Salão Negro.
Mais informações:http://www.congressonacional.leg.br/

Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida
Onde Fica? Esplanada dos Ministérios – Lote 12
Como funciona?Missas: De terça a sexta-feira: 12h15 | Sábado: 17h | Domingo: 8h30, 10h30 e 18h
Mais informações:catedral.org.br/

Santuário Dom Bosco
Onde fica? SEPS Quadra 702 Asa Sul

Torre de TV
Onde fica? Eixo Monumental, s/n – Jardim Burle Marx

Ermida Dom Bosco
Onde fica? St. Hermida Dom Bosco – Lago Sul

Igreja Dom Bosco
Onde fica? SEPS Quadra 702 – Asa Sul

Pq. Ecológico Península Sul
Onde fica? St. de Habitações Individuais Sul QI 12

Passeio: Eataly | São Paulo

Eataly, pra comer muito bem em São Paulo

Fachada Eataly São Paulo

No começo do ano eu e o marido fomos assistir a peça “A Pequena Sereia” com a maravilhosa Fabi Bang no papel de Ariel. Este desenho era meu preferido quando criança, então não poderia perder a apresentação que estava acontecendo em São Paulo. Mas antes de aproveitar a peça, que foi maravilhosa, resolvemos visitar o famoso Eataly.

Eataly São Paulo

Sobre o Eataly

O nome Eataly nasce da fusão de duas palavras: EAT, comer, e ITALY, Itália,em inglês. A ideia por trás do Eataly é muito simples: reunir todos os alimentos italianos de qualidade sob o mesmo teto, um lugar onde você pode comer, comprar e aprender. O conceito do Eataly foi criado em 2004 e, depois de 3 anos de pesquisa e planejamento, o Eataly abriu sua primeira loja em Turim, na Itália. Existem 38 lojas do Eataly espalhadas por 4 continentes.

Você também pode gostar de: Lugares para visitar em São Paulo.

Eataly São Paulo

O que achamos

Se você estiver procurando por ingredientes diferentes e de ótima qualidade, está aqui um lugar para comprar tudo que deseja! Vinhos, azeites, massas, molhos, chocolates, frutas e até utilitários pra cozinha, com certeza vai adorar o passeio. Porém, além de um empório maravilhoso, o que atrai muitas pessoas para o Eataly são os restaurantes, e era por isso que estávamos ali. Pedimos um ravioli de queijo ao molho de manteiga e pistache e uma sobremesa de baunilha que acho que saíram do céu.

Nunca imaginei que comeria um prato tão gostoso assim. Sonho com ele até hoje! O preço é um pouco além do que estamos acostumados (pra duas pessoas com a sobremesa saiu R$200), mas para uma vez ou outra (beeeem vez ou outra) vale cada centavo. Não é a toa que saimos falando muito bem do lugar e indicamos muito pra todo mundo.

Para evitar tumultos, a dica é chegar cedo para pegar o lugar tranquilo e não pegar filas. Como chegamos por volta das 11:30, estava começado a chegar gente e almoçamos bem tranquilinhos, mas na saída pudemos perceber como a coisa pode ficar cheia.

Ravioli e Mousse de baunilha

ONDE FICA?
Av. Pres.Juscelino Kubitschek, 1489 – São Paulo
De Domingo a Quinta das 8h às 23h, Sexta e Sábado das 8h às 24h.
Mais informações no site.

Viagem: Giverny | França

Giverny – a terra de Monet

Desconfio que este será um dos posts mais floridos da história de dez anos deste blog, então prepare-se para fotos cheias de verde!

Ano passado durante meu mês na França com meu irmão, tive a oportunidade de visitar Giverny, a comuna francesa onde viveu Monet, um dos pintores impressionistas que eu mais amo neste mundo. O trabalho com pinceladas e os quadros gigantes, como as Ninféias, são minhas características preferidas do trabalho dele.

Você também pode gostar deste post sobre Paris

Claude Monet nasceu em Paris, mas viveu em Giverny entre 1883 até 1926, quando faleceu. Visitando a casa do artista e os jardins, dá para entender como ele ficava tão inspirado para pintar.

Dália
Uma das flores mais lindas que vi por lá: Dália
Café em Giverny
Café nas ruas de Giverny.

Giverny

A namorada do meu irmão deveria chegar cedinho em Giverny para um trabalho, por isso saímos ainda com tudo escuro de Paris. Demoramos um pouquinho mais de uma hora para chegar até a comuna que fica na região da Normandia e chegamos com o sol começando a da as caras por lá. Tudo ainda estava fechado e a cidadezinha estava vazia. As casas e as lojas de flores todas super fofinhas e tudo muito verde, estavam com portas e janelas fechadas, dava pra se sentir em um filme de época.

Lá estava bem mais frio que em Paris – oi, meio do mato – e não estava preparada pra toda a friaca, por isso eu e o meu irmão voltamos pro carro para esperar esquentar um pouco mais o dia. Quando alguns carros começaram a cegar, o museu abriu e resolvemos entrar.

Flores

Casa de Monet

Dá para entrar na casa de Claude Monet e nos jardins. A casa dele era bem grande, cheia de obras na parede (pra minha loucura, a maioria japonesas) e toda colorida. Incrível a luz que entra pelas janelas, deixando cada cômodo extremamente iluminado e aconchegante.

Dentro da casa de Monet
Eu subindo para o andar de cima da casa.

Casa do MonetCasa de Monet.

Casa do monetCasa de Monet.

Jardins de Monet

Nos jardins, mesmo estando no outono, muitas flores e verde. Chegando próximo ao lago conseguimos identificar elementos de pinturas do artista e dá pra imaginar que estamos entrando nos quadros que ele pintou. Nesta hora o lugar já estava enchendo de turistas chineses e de outras partes da França, e como as passagens são bem estreitas acredito que em temporada de primavera aquilo vire um pequeno caos, então vá cedo se você quer boas fotos.

Jardins de MonetEu na pontezinha famosa.

Barcos no lado dos Jardins de MonetParece pintura, mas é real.

Estava em meus planos visitar o lugar, já que da outra vez que fui era novembro e o lugar fecha na época mais fria, então poder visitar aquela lindeza de lugar com meu irmão foi demais. Agradeço a Alex – namorada dele – pela graça alcançada, pois foi lindo demais. Um pequeno sonho tornado realidade.

Pés e floresPés gelados e flores.

Jardins de MonetMais uma pontezinha.

Como visitar?

Dá para ir de trem até Giverny pegando uma linha até Vernon (€14,70) depois até Rouen. De lá saem ônibus para Giverny.
Aberto todos os dias de 23 de março até 1º de novembro, das 9h30 até as 18h00 (última entrada às 17h30). Animais não são permitidos.
Ingressos: €9,50 Adultos, €5,50 Crianças (maiores de 7 anos) e estudantes.
Compra de ingressos on-line e mais informações no site: http://fondation-monet.com/informations-pratiques/

%d blogueiros gostam disto: