Viagens e Passeios

Passeios gostosos, viagens inesquecíveis, eventos divertidos e muita coisa bacana pra fazer e conhecer.

Papelarias Por Ai | Paris

Papelarias em Paris

Eu sou muito a louca da papelaria e isso é uma coisa que quem me segue por aqui já pode estar cansado de saber, então por esta razão tive que vir no blog e contar como foram minhas experiências “papelísticas” do outro lado do oceano, e se vocês também gostam tanto quanto eu, também vão adorar!

Fui para esta viagem pensando em comprar alguns materiais que aqui no Brasil são mais caros, difíceis de encontrar ou então nem têm por aqui. Reservei um fundo pra isso e chegando lá a ideia era pesquisar para encontrar o melhor preço, fazendo assim meus eurinhos renderem mais.

Um merci beaoucoup – obrigada – gigantesco para Marie Margo, uma ilustradora que sigo no Instagram que me indicou as lojas e salvou minha vida, e dinheiro.

Rougier&Plé - Papelaria em Paris

A primeira que fui foi a Rougier&Plé, uma rede enorme de papelarias espalhadas por toda França que nasceu em 1854. Ao entrar é como se uma energia tomasse conta de mim, um Da Vinci, um Michelangelo e a vontade de levar uma coisa de cada de lá me transbordou. Materiais de pintura, scrapbooking, artigos de papelaria no geral e muita coisa linda pra ficar doido mesmo.

Prós e contras: Esta rede compensa pra quem procura coisas para planners e scrapbook. Tem muito carimbo, adesivo, decalque, pedras, colantes, tudo que você pensar e mais um pouco com preços bem bacanas. Além disso tem calendários lindos! Mas se você procura tintas e pincéis mais específicos pra aquarela ou mais profissionais de pintura, o que eu estava procurando, não compensa.

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé - Papelaria em ParisImagem

Rougier&Plé

Onde fui? 108 Boulevard Saint-Germain, 75006
Estação mais próxima: Odéon
Site da rede: http://www.rougier-ple.fr/

Sennelier - Papelaria em Paris

A Sennelier é famosa por seus materiais de fabricação própria que existem desde 1887. A loja fica pertinho de Notre Dame e é bem pequenininha, mas super charmosa. Só descobri o segundo andar dela desta vez.

Prós e contras: Só encontrei materiais de caligrafia japonesa – pincéis ENORMES e caríssimos – nesta loja. Além, disso foi a única que também vendia os pincéis da marca Escoda, que eram os que eu estava procurando. Papéis e tintas da própria marca são mais caros nesta loja – o que é uma pena, mas a localização e a loja valem o passeio.

Sennelier - Papelaria em Paris

Sennelier - Papelaria em ParisImagem

Sennelier

Onde fui? 3 Quai Voltaire, 75007
Estação mais próxima: Tuileries
Site da loja/marca: http://www.sennelier.fr

Passage Clouté - Papelaria em Paris

A última e mais distante de todas, mas que valeu cada centavo de euro, foi a Passage Clouté, que existe desde 1995. Demorei pra chegar de metrô com o irmão por lá, mas foi onde encontrei os melhores preços de tintas, pincéis, sketchbooks e canetas. Vou fazer um post do que eu comprei por lá logo logo, mas já aviso que não tem pra eles. A loja é gigantesta e com uma variedade de coisas que vai deixar qualquer um doido.

Prós e contras:Fica mais longe, dependendo de onde você está e é difícil ser atendido em inglês, sorte que meu irmão é bom no francês, pois queria coisas muito específicas e as moças não entendiam, mas compensou e acabei comprando todo o resto da lista que eu levei por lá, pois umas promoções estavam ótimas!

Passage Clouté - Papelaria em ParisImagem

Passage Clouté - Papelaria em Paris

Passage Clouté

Onde fui? 7 Rue des Boulets, 75011
Estação mais próxima: Nation
Site da loja: https://passagecloute.com/

No geral compensaram muito as compras que fiz por lá, mas o que reparei é que marcas americanas e inglesas são mais difíceis, quase impossíveis de serem encontradas nas lojas, como Prismacolor (lápis de cor) e Daniel Smith (tintas) por exemplo. Mas e aí? Curtiu o tour e as dicas de papelaria? Que tal fazer uns aqui pelo Brasil também?

Turismo pela Escócia: Scott Monument | Edimburgo

Viagem pela Escócia: Scott Monument, para ver Edimburgo de cima.

Scott Monument

Sobre o Scott Monument

Não é nada mais que um monumento dedicado ao autor de livros Walter Scott, que escreveu livros famosos como “A Dama do Lago” e “Ivanhoé” (que descobrimos na viagem se pronunciar Áivânrrou). É o maior monumendo do mundo feito para um autor e fica de frente para o Princess Street Gardens em Edimburgo.

A torre tem 61,11 metros de altura, e conta com vários patamares abertos para você observar o centro da cidade. Para chegar na última plataforma você vai precisar subir 288 degraus.

Vista do Arthur’s Seat.

Vista para St. David Street

O que achei?

De cara você vê esta coisa enorme no meio de um dos principais lugares da cidade e você pensa: CARAMBA, é alto! E não tem como não querer subir, você percebe que de lá vai dar pra ver os principais pontos da cidade e ter fotos ótimas, então, lá vamos nós!

É bacana você ir subindo em cada patamar e vendo diferentes pontos de vista de Edimburgo, e cada um que você vai percebe-se que vai ficando menor – são 3 ou 4, agora não me lembro – chegando ao último e podendo ter a possibilidade de estar bem cheio, considerando umas 10 pessoas no topo, de tão apertadinho que fica. Só pela foto dá pra perceber que ele vai afinando conforme sobe.

As vistas de cima são realmente lindas e com o pôr do sol as cores estavam especialmente divinas, pena que não saem nas fotos, culpa da fotógrafa aqui que não manja muito. Dá pra observar quase tudo de Edimburgo de lá, e pelo preço vale bem a pena fazer este passeio e ter fotos lindas.

Eu, congelando com o vento de lá, com vista para o Hotel

Vista do Castelo de Edimburgo

Vista para a Princess Street

Como visitar o Scott Monument?

Valor: £5
Horário: 10am – 4pm
Onde fica: E. Princes St Gardens, Edinburgh EH2 2EJ, UK
Tempo de Passeio: 1 hora e meia.
Pra mais informações, visite o site Oficial

Turismo em Edimburgo: Jardim Botânico Real | Escócia

Viagem pela Escócia: Jardim Botânico Real em Edimburgo

turismo em edimburgo

Quando o noivo decidiu por Edimburgo como cidade pra fazer o intercâmbio rápido que ele ia fazer, eu logo dei um jeito de ir me encontrar com ele. Foi tudo sem esperar, eu ia usar a pouca economia que eu tinha feito, mas sabia que tinha que conhecer este novo lugar. Saí de Paris, onde estava com meu irmão e fui de avião pra lá. Eu e o noivo ficamos em uma Guest House – isso tudo vou contar em outro post – e o primeiro passeio que ele me levou pra fazer foi o Royal Bothanic Gardens (Jardim Botânico Real).

Sobre o Jardim Botânico Real

Surgiu em 1670 como um lugar para cultivo de plantas medicinais. É agora um renomado centro de ciência de plantas, horticultura e educação. Existem quatro destes parques espalhados e eles estão em Edinburgo, Benmore, Dawyck e Logan, e possuem uma quantidade riquíssima de plantas.

O que achei?

Eu fui sem esperar em todos os passeios que fiz na Escócia. O noivo ficou dois meses lá e tinha a missão de me impressionar, mas depois que se chega em Edimburgo, tudo que você faz é impressionante.

O jardim é bem grande e tem várias áreas temáticas: tem um jardim meio japonês, uma fonte, lago, flores de vários jeitos, inclusive suculentas que eu fiquei apaixonadíssima! Pra mim, conhecer lugares deste jeito abre minha cabeça para novas faunas e floras, o que vejo que pode me enriquecer muito como profissional das artes. Imagino que em temporadas de flores, como verão e primavera, o parque fique bem mais deslumbrante, e no inverno com a neve e os enfeites de natal seja de tirar o fôlego.

Uma das coisas que mais achei legal foi uma parte do parque dedicada a Rainha Elizabeth e que tem uma casa com o interior todo feito em conchas e pinhas. Coisinha linda e chuchu de se ver.

Como visitar?

Entrada: Grátis. Apenas algumas exibições cobram ingresso.
Horário de visitação: Varia e acordo com a estação do ano e condições climáticas, então vale olhar diretamente no site deles para saber melhor.
Como chegar? Fomos a pé mesmo da Princess Street.
Tempo de Passeio: Vai do grau de entusiasmo por plantas. O lugar é bem grande e ficamos umas duas horas por lá.

Passeio: Templo Zulai – Cotia/SP

Templo Zulai

Em Cotia, cidade que fica pertinho da capital de São Paulo, encontra-se um espacinho do oriente, e em fevereiro tive a oportunidade de conhecer este lugar. No dia 5 de fevereiro aconteceu por lá a comemoração do Ano Novo Chinês do galo, que pela cultura oriental é comemorado com base nas fases da lua e na posição do sol, diferenciando assim todo ano a data deste acontecimento. No dia de festa você encontra por lá muitas barraquinhas de comida, apresentações de música, leão chinês, kung fu (AMO) e MUITA GENTE!

O Templo Zulai possui uma edificação de 10 mil m2 de área construída, em uma área total de 150.000 m2. O projeto arquitetônico foi inspirado no estilo oriental dos palácios da Dinastia Tang e foi desenvolvido por arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros. As obras foram concluídas em outubro de 2003, fazendo surgir, assim, a “Terra Pura” do Budismo Humanista na América do Sul.

Templo Zulai

Templo Zulai

Sobre o passeio

O dia estava bem quente, mas por lá foi fácil encontrar lugares pra se esconder do sol. As comidas das barraquinhas tinham preços tranquilo, variando entre R$5 e R$10, dependendo do que você queria comer. Lembrando que todas as comidas dentro do templo são vegetarianas.

Quero muito voltar lá com mais tempo, curtir melhor o lugar e os jardins, pois no dia estava tudo lotado demais. Se você quer ver as apresentações chegue cedo e fique já no seu lugar, pois não consegui ver nada, já que tudo é feito no pátio e não em um lugar mais alto, então quem fica na parte de cima do lugar só vê algo se realmente sentar e não sair. As apresentações acontecem a tarde toda e são feitas por pessoas que participam dos projetos feitos pelo templo. Apesar do tumulto, o lugar é lindo! Vale muito a visita e se você tiver paciência, vá na comemoração do Ano Novo, porque é bem legal.

Templo Zulai

Templo Zulai

Como chegar?

O templo fica na Estrada Fernando Nobre, 1461 (Acesso pelo Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares), e você vê placas indicativas na rodovia, acesso bem fácil. Porém em dias de evento recomenda-se chegar BEM cedo, pois fica tudo lotado, principalmente estacionamentos.

Quanto? Entrada gratuita, até nos dias de evento.

Quer saber mais?
Visite o site do templo: http://www.templozulai.org.br