Band of Brothers – Rating: ★★★★★ É uma minissérie de televisão baseada no livro de mesmo título, da autoria de Stephen E. Ambrose, a série narra a história da Companhia E (Easy Company) do 506º Regimento de Infantaria Pára-quedista do Exército Americano, 101ª Divisão Aerotransportada – na sua campanha na Segunda Guerra Mundial. Tal companhia participou da invasão dos exércitos americano e inglês na Normandia, no dia 6 de Junho de 1944, o famoso Dia D, além da famosa Operação Market Garden e da Batalha do Bulge. Produzida por Tom Hanks e Steven Spielberg, lançada pela HBO em 2001.

Lendo sobre a série eu lí algumas curiosidadesmuito legais, por exemplo: para reproduzir com maior fidelidade os campos de batalha da Segunda Guerra Mundial, foram necessários mais de 10 mil atores extras, cerca de 700 armas autênticas, 400 armas de borracha e cerca de 14 mil caixas de munição em cada dia de filmagem. Além disso, tanques da Segunda Guerra foram restaurados, um avião C-47 autêntico foi usado e a vila que serviu como cenário para 11 cidades européias tinha o tamanho de nove campos de futebol americano. A série teve custos de produção e cenários mais caros que os do filme O Resgate do Soldado Ryan; a produção custou cerca de US$ 125 milhões e demorou 9 meses para ser finalizada, o que rendia à série o título de maior e mais cara já feita para a televisão, sendo batida em 2010 pela nova produção, sobre o mesmo assunto, de Tom Hanks e Steven Spielberg denominada The Pacific.

Depois que assisti “The Pacific” eu simplesmente tinha, devia, assistir esta outra série. É incrível como a produção é de primeira. O que eu achei é que Band of Brothers tem mais cenas “nojentas” como amputações, tiros, enfermeiro tentando achar artéria, coisas que eu, como uma pessoa de estômago sensível, tive que virar o rosto e me segurar na cadeira. Mas a parceria e o companheirismo que o Major Winters tem com o pessoal da Easy é uma coisa bonita de se ver, é um companheirismo que só eles entendem, afinal só eles sabem o que eles viram, tem até uma frase que se fala disso em um dos últimos episódios, que é traduzida de um general alemão que está se entregando ao exército americado que eu achei linda. A parte que eles encontram o campo de concentração é simplesmente chocante e você vê o choque no rosto dos soldados que ali chegaram, e pensar que isso tudo aconteceu.

Uma coisa que é interessante de se notar é que tanto no “Band”, quanto no “Pacific”, você nota a dificuldade dos personagens, que na verdade são reais, de relatar o que foi vivido e visto naqueles dias de guerra. Isso até é citado por alguns “que não saberão explicar em casa o que aconteceu ali”. Filmes e séries de guerra me fazem ficar introspectiva e pensativa, afinal tudo aquilo (pode não ser EXATAMENTE AQUILO) aconteceu, pessoas sofreram, morreram e algumas até hoje estão vivas pra relatar isso. Indico as duas séries, afinal elas se completam e minha nota pra elas é 1000.

 

Você também pode gostar desses

4 Comments on Band of Brothers

  1. Concordo e assino embaixo. Essa série é mesmo muito boa. Algo que foi marcante, dentre outras inúmeras coisas, para mim no começo foi o papel do David Schwimmer (que interpreta o Ross em Friends), já tinha a imagem montada em minha cabeça como um cara bonzinho, meio bobo e tudo o mais que representa o Ross e que nada o cara é bom ator e um belo de um filho da mãe na série. Fiquei surpresa com isso.

    E, acho que além de ser chocante assistir o que cada um deles passou na guerra é mais tocante ainda ver a opinião dos velhinhos combatentes que estiveram ali. O rosto e as expressões deles enquanto fazem o relato, sabe???

    Bjão

  2. AMO band of brothers e sempre lembro daquela cena em que eles chegam ao campo de concentração e um soldado judeu tem q negar muita comida pro povo faminto pq eles podem morrer se comerem muito. ai.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *