Resenhas

Vício em cinema, gosto por doramas, paixão por animes e aquela quedinha pelo teatro.

Jump Park – Cama elástica para adultos e crianças

Cama elástica para adultos e crianças em São José dos Campos

Cama elástica para adultos

Como foi?

Eu queria muito brincar nesses parques de cama elástica, tipo MUITO, então o dia que eu descobri que aqui na cidade tinha um lugar pra poder me jogar – literalmente – eu fiquei bem animada. Marquei com o noivo e um amigo nosso de irmos lá e não poderia ter sido mais divertido! Saímos depois de uma hora de pulação esgotados e pingando suor, uma atividade física deliciosa.

Eu pulando na cama elástica para adultos
O que é um pontinho rosa pulando?

O lugar

Tentamos ir em um momento lá no Jump Park, mas estava cheio de crianças, aí ficamos com receio de entrar e acabar machucando alguma e não entramos. A responsável pelo lugar, uma graça ela inclusive, disse que quando tem muita criança, adulto não entra e vice-versa. Pena que não ter um lugar separado, mas depois fomos em um dia de semana mais tranquilo e praticamente ficamos sozinhos por lá virando piruetas de todos os jeitos. O que dá pra fazer pra resolver isso é marcar com um grupo de pessoas, amigos, parentes e reservar o lugar só pra vocês, eles também fazem aniversários por lá.

Para entrar pagamos pagamos meia hora (R$28) e ficamos uma inteira por conta de uma promoção, mas pra entrar você tem que ter a meia antiderrapante e pode ser comprada no local(R$10) se você não tiver. O lugar conta com 200 metros quadrados de cama elástica, uma parte com cestas de basquete, bolas e um outro com espumas pra virar mortais e piruetas no ar.

Para mais informações visite a página do Facebook do Jump Park e visite eles no Shopping Colinas.

Assistir: Girlboss (2017)

Girlboss, a série.

girlboss

Sinopse

“Sophia Amoruso é uma garota que vive na pindaíba e pulando de emprego em emprego. Um dia ela vende uma roupa que achou em um brechó pela internet, faz um bom dinheiro com isso e resolve abrir um negócio próprio. A história é baseada no livro da própria Sophia e no livro com o mesmo nome da série porém depois da primeira temporada ela já foi cancelada pela Netflix.”

O que achei?

Fui com bastante cede ao pote quando comecei a ver esta série, afinal uma mulher empreendedora que começou aos poucos seu sucesso é algo que seria ótimo para quem sabe me inspirar e até me espelhar, mas estava bem enganada.

A série leva uma pegada meio comédia trágica e escrachada com cenas de Sophia roubando coisas, sendo totalmente egoísta com amigos e isso foi me incomodando de um tanto que peguei antipatia pela personagem.

Não entendi o que demais aquela pessoa teve pra que resolvessem gravar uma temporada inteira mostrando como ela foi péssima com pessoas queridas ao redor dela e como ela foi construindo seu império – que hoje não existe mais – em cima disso. Talvez se eu ler o livro eu conheça uma nova Sophia, um pouco mais madura e preocupada com os outros, mas depois da série eu tenho muitos outros livros pra ler na frente.

Conheço algumas pessoas que adoraram a série, mas fico feliz de viver em um mundo em que “Girlboss” é cancelada e “Anne With an E” vai ter segunda temporada.


No final das contas as únicas coisas que gostei da série foram a jaqueta que ela vende no começo e um pouco da trilha sonora.

Assistir: 3% (2016)

3% – Três por cento, série brasileira no Netflix

Três por cento, série brasileira no Netflix, escrito em um fundo cinza.

Sinopse

“Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá. ” Sinopse de 3% por AdoroCinema.

O que achei?

Eu já conhecia a história da série, pois no tempo que eu estava na faculdade eu fazia parte de um podcast com amigos – o saudoso Séries no Ônibus – e tivemos a oportunidade de entrevistar os criadores (sim, foi demais!). Hoje não lembro de muita coisa – foi em 2011! – mas todos havíamos gostado muito do piloto que estava na internet e torcíamos para que ela fosse pra frente. E não é que foi?

A primeira série brasileira no Netflix vem com tudo na ficção e jogando muitas coisas que ocorrem hoje no mundo na nossa cara, talvez de uma maneira caricata e mais exagerada, mas nada que George Orwell não tenha feito um dia na vida.

Começamos a entender o processo seletivo para entrar no Lado de Lá e as motivações dos personagens aos poucos, assim como suas personalidades. É bem interessante a maneira que isso foi sendo construído e como muitas vezes somos surpreendidos. Aos poucos máscaras vão caindo e conseguimos nos aproximar mais de alguns personagens.

Alguns efeitos especiais podiam ser melhorados? Acho que sim, pois são bem poucos, mas a maneira como conseguiram apresentar as diferenças e as locações eu gostei bastante. No geral, a série faz você ficar grudado na cadeira, te entretêm, mas sem nenhuma grande novidade. O feijão com arroz que empolga e faz a gente querer uma segunda temporada.

Quero destacar aqui uma parte que eu adorei: o design dos figurinos e de alguns objetos. Afinal, designer que é designer presta atenção nessas coisas.

E vocês assistiram? Que acharam? Conta aí pra mim nos comentários!

Leituras: Harry Potter e A Pedra Filosofal | J.K. Rowling

A Pedra Filosofal, o primeiro livro de Harry Potter.

Capa do primeiro livro harry potter com um Harry de pano ao lado

Sinopse

Conheça Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas.

O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. Sinopse do Skoob.

Capa de Harry Potter e a Pedra Filosofal

O Primeiro livro de Harry Potter

Escrito por Joanne K. Rowling e lançado em 1997, “A Pedra Filosofal”, primeiro livro de Harry Potter surgiu pra mudar a vida de muita gente por ai. Eu comecei toda errada nas histórias de Harry Potter, como já falei em vídeo no canal, então a APF não foi o meu primeiro livro, mas se tivesse sido, seria o meu divisor de águas. Graças a estes livros eu comecei a me embrenhar no mundo da leitura.

Então este ano resolvi reler todos os livros do bruxinho, de novo, depois de muito tempo. Já devia fazer uns quase 10 anos que não relia HP e sempre é bom revisitar Hogwarts, pois a própria autora diz:

“As histórias que mais amamos vivem em nós para sempre. Não importa se você voltará página por página ou se assistirá aos filmes mais uma vez, Hogwarts sempre estará te esperando.”

— J.K. Rowling em entrevista no ano de 2011.

Como uma fã enorme de Harry Potter foi fácil sentar e reler tudo. Como foi maravilhoso reviver esta primeira aventura! Eu li o primeiro livro com 12 anos, quase a idade de Harry, e pude reviver as angústias, as alegrias, os momentos de curiosidade, a raiva dos Dursley e tudo mais. Tanta coisa eu não lembrava mais da história! Tá explicado porque este livro faz tanto sucesso, não importa a idade, ele tem um ritmo ótimo, uma narrativa intrigante e eu devorei ele em pouco tempo, como era o esperado.

Melhores frases:

“Há coisas que não se pode fazer junto sem acabar gostando um do outro,e derrubar um trasgo montanhês de quase quatro metros de altura é uma dessas coisas.”

“Para a mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte.”

“A verdade é uma coisa bela e terrível, e portanto deve ser tratada com grande cautela.”

“Não vale apena mergulhar nos sonhos e esquecer de viver.”