auto-ajuda

Leitura: O Inferno Somos Nós. Do Ódio à Cultura de Paz | Leandro Karnal e Monja Coen

“O Inferno Somos Nós”, um livro pra pensar.

Sobre o livro

“Vivemos dias difíceis, de vozes múltiplas que parecem nunca dialogar, ávidas que são para atacar e julgar. Em tempos adversos como o que vivemos, de crise, preconceito e intolerância, como transformar o ódio em compreensão do outro em suas diferenças? Como sair de um cenário de violência e construir uma cultura de paz?
O historiador Leandro Karnal e a Monja Coen, fundadora da Comunidade Zen-budista do Brasil, conversam nesse livro sobre essas e outras questões, em diálogo inspirador. Os autores lembram que o medo pode estar na origem da violência e apontam como o conhecimento, de si e do outro, é capaz de produzir uma nova atitude na sociedade, menos agressiva e mais acolhedora.
‘Localizar o mal no outro é uma panaceia universal’, observa Leandro. Mas, talvez, o inferno não sejam os outros, como pensava o filósofo francês Jean-Paul Sartre, e sim nós mesmos.”

Você também pode gostar deste post: “Crer ou Não Crer | Pe. Fábio de Melo e Leandro Karnal

O que achei?

Depois que falei aqui sobre o livro de Karnal com o Pe. Fábio, tive o prazer de receber um e-mail querendo me enviar um livro do Karnal com a Monja Coen. Como negar livros é algo feio é claro que aceitei! Ainda mais um que já estava namorando havia um tempo. Ele chegou bonitinho e entrou na minha lista de leituras, até que chegou o dia dele.

Achei um livro de leitura deliciosa, fluida e bem fácil, que faz a gente pensar bastante. Gosto de saber mais sobre alguns comportamentos, sempre tentando entender como as pessoas se sentem, o que passam, assim melhorando a cada dia mais minha empatia para me tornar uma pessoinha melhor no mundo e para o mundo. Este livro com certeza faz a gente repensar muito em algumas atitudes e talvez ajude a gente a compreender um pouco mais o outro que pensa diferente da gente. Compreender, e não passar a mão em pensamentos de ódio.

Com muitos questionamentos sobre o modo que vivemos, como nos comportamos nos dias atuais, o que assistimos, o que nos é mostrado, a conversa dos dois pode inspirar e fazer a gente repensar muita coisa, ainda mais em tempos de tanta polarização. Indicaria este livro para tanta gente! Por isso estou aqui fazendo um post, pra quem sabe, algumas pessoas se inspirem a lê-lo.

Melhores Frases

“Não devemos aceitar tudo, não podemos aceitar qualquer maneira de ser e pensar. Não. Nós podemos compreender que existem pessoas que façam discriminação de gênero, discriminação entre mulheres e homens, discriminação por cor de pele (…). Podemos compreender, mas não permitir que isso se manifeste, que se alastre.”

“Quando a Educação não é libertadora, o sonho do oprimido é tornar-se opressor e substituir aquela dor e apenas pensar que o chicote é ruim porque não estou no cabo dele na minha mão. Se estivesse na minha mão eu estaria feliz.”

“Quase todo mal do mundo, quase toda cultura de guerra, de violência, de racismo, de misoginia é feita em nome do bem. É muito raro encontrar pessoas que assumam que fizeam algo em nome do ódio ou da raiva.”

“Quando condenamos o hábito alimentar de alguém o tipo de roupa que ele veste ou a ausência de trajes, estamos falando de algo que incomoda mais a nós mesmos do que qualquer outra coisa, e muito menos sobre o outro, sobre o bem ou sobre caridade e assim por diante.”

Leitura: O Ano em que Disse Sim | Shonda Rhimes

Livro “O Ano Que Disse Sim”, de Shonda Rhimes

Foto da capa do livro O Ano Que Disse Sim de Shonda RhimesFoto

Sinopse

Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva de grandes sucessos televisivos. “Você nunca diz ‘sim’ para nada.” Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças, que levaram a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e da introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público. Além disso, Shonda deu um difícil passo: dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e sobre como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas.

O que achei do livro O Ano Que Disse Sim?

Muita gente me indicava o livro da Shonda. Muita mesmo. Eu via pipocando por todos os lados nos blogs, newsletters e Stories que passava, então resolvi comprar pra ler. Eu não conhecia Shonda Rhimes, muito menos os trabalhos dela. Meu máximo de contato são os comentários de todos sobre meu noivo – “Mas ele é igualzinho ao Owen!” ou “Você já viu Grey’s Anatomy?”.

Owen de Grey's Anatomy fazendo cara de confuso
Oi? Nem parece!

Acontece que agora eu sou fã da mulher Shonda. É incrível ver como ela escreve de maneira leve e divertida sobre assuntos tão sérios. Aceitação, feminismo, carreira, família, filhos, um grande mulherão da porra se vocês querem mesmo saber.

Acompanhamos nas páginas do livro uma evolução de uma pessoa, de uma mulher, negra, mãe e que trabalha pra caramba. É maravilhoso ver o crescimento dela, os questionamentos, e isso é lindo demais de se ler. Alí questionei minhas escolhas, minha vida e consegui entender que deixar tudo mais leve pode ser um “sim” maravilhoso de se dizer pro universo.

Indico pra todo mundo, porque não é um livro de autoajuda e sim de auto descobrimento e principalmente de quebra de paradigmas e evolução.

Shonda Rhimes

Melhores frases

“Se você quer que coisas ruins parem de acontecer com você, pare de aceitar coisas ruins e exija algo mais”

“Sonhos são lindos. Mas são apenas sonhos. Passageiros. Efêmeros. Lindos. Mas sonhos não se realizam apenas porque você os sonha. É o trabalho árduo que faz as coisas acontecerem. É o trabalho árduo que cria a mudança.”

“Amanhã será o pior dia de suas vidas.”

“Todos precisamos de um pouco mais de amor.”

“O seu corpo é seu. O meu corpo é meu. nenhum corpo deve estar exposto a comentários. Não importa se pequeno, grande, curvo ou reto. Se você se ama, então eu amo você.”

“Perder-se não é algo que acontece de uma vez. Perder-se acontece com um não de cada vez. Não a sair esta noite. Não a colocar o papo em dia com aquela antiga colega de quarto da faculdade. Não a ir àquela festa. Não a sair de férias. Não a fazer uma nova amizade. Perder-se acontece meio quilo de cada vez.”

“Nada funciona até que você esteja realmente pronta para que funcione.”

“Não me chame de sortuda. Pode me chamar de durona”

“Duroneza: 1. (subst.) prática de conhecer as próprias realizações e habilidades, aceitar as próprias realizações e habilidades e celebrar as próprias realizações e habilidades; 2. (subst.) prática de viver a vida com autoridade: AUTORIDADE (subst. ou verbo) um estado de espírito que envolve amar a si mesmo, andar “desse jeito” e não dar a mínima para que os outros pensam.”

“O único obstáculo ao se sucesso é a sua imaginação.”

“Você não está se gabando se for capaz de fazer.”

“Você deve fazer as coisas que acha que não consegue fazer.”

Leitura: A Grande Magia | Elizabeth Gilbert

A Grande Magia – Você tem medo de quê?

A Grande Magia
Imagem

Sinopse

“Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida sem medo, um ato de coragem.
A partir de uma perspectiva única, “Grande Magia” nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos. Escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as partes mais difíceis do trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosos insights sobre a misteriosa natureza da inspiração.”

O que achei?

Primeiro eu quero agradecer todas as pessoas que me indicaram este livro. Foram várias. Ele é bem auto ajuda mesmo, mas focado em criatividade e é como se todas as carapuças servissem em mim. Acho que se eu disser que este livro deveria ser meu livro de cabeceira seria exagero, pois eu sei que raramente irei lê-lo novamente, mas caiu como uma luva para o momento que estou vivendo.

Elizabeth conta nesta obra como ela faz para manter a sanidade no meio do trabalho criativo, e ainda traz causos e histórias de pessoas que passaram pela vida dela. É como se este livro fosse uma brisa fresca no meu rosto enquanto eu lia, como se alguém entendesse realmente o que sinto e me desse vários tapas no rosto me mandando acordar.

Se por acaso você vive ou pretende viver de sua criatividade, este livro pode ser sua salvação ou sua ruína, mas prefiro entender ele como uma mapa pra te guiar, um psicólogo pra te ouvir e uma mão pra te acalentar. Muitas coisas vieram na minha cabeça enquanto eu lia, muitas coisas foram decididas e eu espero que quem leia sinta a mesma coisa que eu.

Citações

“Precisamos ter a obstinação e aceitar nossa felicidade em meio às cruéis provações deste mundo.”

“Talvez consiga se sustentar com suas atividades, talvez não, mas pode reconhecer que não é isso que importa de fato. E, quando chegar ao final de seus dias, poderá agradecer à criatividade por tê-lo abençoado com uma existência encantada, interessante e apaixonada.”

“Por que não?”

“Crie aquilo que faz seu coração bater mais forte. O resto virá por si só.”

“Pare de reclamar. O mundo não tem culpa de você ter decidido ser artista.”

Livro: A Mágica Da Arrumação – Marie Kondo

marie_kondo

Sempre fui meio a “maluca da arrumação” e quando a galera começou a ler e falar do livro da Marie Kondo eu fiquei com a pulga atrás da orelha: “será que ela me ajudaria a ser mais organizada?”.

marie_kondo_livro

A Mágica Da Arrumação – A mágica da arrumação se tornou um fenômeno mundial por apresentar uma abordagem inovadora para acabar de vez com a bagunça. Aos 30 anos, a japonesa Marie Kondo virou celebridade internacional, uma espécie de guru quando o assunto é organização. Seu método é simples, porém transformador. Em vez de basear-se em critérios vagos, como “jogue fora tudo o que você não usa há um ano”, ele é fundamentado no sentimento da pessoa por cada objeto que possui. O ponto principal da técnica é o descarte. Para decidir o que manter e o que jogar fora, você deve segurar os itens um a um e perguntar a si mesmo: “Isso me traz alegria?” Você só deve continuar com algo se a resposta for “sim”. Pode soar estranho no começo, mas, acredite, é libertador. Você vai descobrir que grande parte da bagunça em sua casa é composta por coisas dispensáveis. Prático e eficiente, este método não vai transformar apenas sua casa – ele vai mudar você. Rodeado apenas do que ama, você se tornará mais feliz e motivado a criar o estilo de vida com que sempre sonhou.

A primeira vez que li uma matéria que falava da técnica de arrumação dessa moça eu achei uma loucura sem fundamento. Como assim as meias sentem coisas? Praticamente tem sentimento? Mas quando comecei a ler o livro eu entendi o ponto. Ignorei essa coisa toda de sentimento das coisas, mas consegui entender a “vibração” das coisas. Sempre tem coisas que guardamos com intuito de UM DIA NA VIDA usar e elas acabam por ficar lá. Esqueça isso e desapegue disso.

Eu tinha acabado de fazer uma doação de roupas e por incrível que pareça, com as técnicas dela eu consegui doar mais sacos enormes de roupas e ficar só com o que eu realmente uso bastante e me faz bem. Além disso,  consegui um espaço MARAVIILHOSO no guarda-roupa que divido com o noivo. Foi impressionante como tudo ficou mais fácil até de escolher na hora de usar.

Acho que eu ainda deveria aplicar isso na cozinha e no escritório de uma maneira mais bem feita, mas o que foi embora de lixo e coisas que só estavam aqui por estar, foi maravilhoso. Acho gostosa essa sensação de espaço e arrumação e descobri que tenho muito mais em comum com Marie Kondo do que eu imaginava. Algumas maluquisses a parte, se você pegar o todo do livro ele ajuda sim. Agora só preciso ser organizada na minha cabeça, mas será que tem técnica pra isso?

Preço: R$16,14 na Livraria Cultura  (para Kobo)
Sinopse do Skoob.