comédia

VIPs + A Arte do Insulto

VIPs“Ele foi empresário, aviador, líder de facção criminosa, rico e famoso. Enganou autoridades, celebridades, jornalistas e até os guardas da prisão de Bangu, usando 15 identidades diferentes. Marcelo não consegue conviver com sua própria identidade, o que faz com que assuma a dos outros. Isto faz com que passe a ter diversos nomes, nos mais variados meios, onde aplica seguidos golpes. Baseado em uma história real.”

Eu tinha muito preconceito com filmes brasileiros, mas depois das minhas aulas de cinema na faculdade eu comecei a respeitar mais nossos artistas e entendi o porque de todo o “fuá” que se existe ao redor do gênero. O cinema brasileiro vem se destacando muito e temos muita coisa boa hoje pra assistir. VIPs é um desses filmes que eu achei muito legal e divertido. Depois saí pela internet procurando sobre o caso do cara, já que é baseado em fatos reais e ri muito quando descobri quem foram os atores e as personalidades envolvidas no caso. Além do mais é estrelado pelo maravilhoso Wagner Moura. SHOW!

A Arte do Insulto“Durante 60 minutos, Rafinha Bastos, comediante brasileiro de sucesso, destila humor e muita polêmica. Um show sem frescura, sem censura e sem limites.”

Eu já vi alguns shows Stand Ups, como Improvável e Oscar Filho, aí quando vi o DVD do Rafinha no Netflix pra assistir, não teve como não querer assistir, mas juro que decepcionei. Não sei se é porque eu esperava muito do show, mas o show do Oscar Filho é mais fluido e divertido. Rafinha dá muitas pausas e muita piada nem é tão engraçada assim, valeu pelas risadas mas não foi aquela coisa de chorar de rir como fiz nos outros shows, chegando a ficar com falta de ar e nem conseguir respirar entre as risadas. Mas continuo fã do Rafinha, que fique claro. r

Sinopses do Cinema com Rapadura e Netflix

Super 8 + Para Sempre Cinderela

Super 8 [rating:5/5] “No verão de 1979, um grupo de amigos em uma pequena cidade de Ohio testemunha um acidente de trem catastrófico ao fazer um filme e logo suspeitam que não foi um acidente. Pouco depois, as desaparecimentos incomuns e acontecimentos inexplicáveis começam a acontecer na cidade, e o delegado local tenta descobrir a verdade – que é algo mais aterrorizante do que qualquer um deles poderia ter imaginado.”

Nossa, por onde começar. Eu imaginei uma coisa totalmente diferente com o trailer. Vi e gostei, mas imaginei outra coisa, e do nada me deparo com um novo Goonies, um novo Amigos Para Sempre, um mais moderno ET! Sim, comparo Super 8 a essas obras, porque são crianças que protagonizam todo o filme e não deixam nada a desejar. Foi emocionante, divertido e pra mim muito nostálgico, já que não vemos internet, telefones celulares, computadores, simplesmente a infância que tínhamos que inventar e reinventar nossas brincadeiras. O filme foi delicioso de assistir!

Para Sempre Cinderela [rating:5/5] “A rainha da França solicita a presença dos Irmãos Grimm no palácio e lhes conta que gosta muito da obra deles, mas que ficou espantada em como foi contada a história de Gata Borralheira. Assim, decide lhes narrar o que realmente aconteceu na França do século XVI, quando Danielle de Barbarac (Drew Barrymore), sua tataravó, que ficou feliz aos oitos anos quando seu pai (Jeroen Krabbé), um aristocrata viúvo, se casou novamente com uma baronesa (Anjelica Huston), pois assim ela ganhou uma mãe e duas irmãs no mesmo dia. Mas a sonhada felicidade durou muito pouco, pois logo depois seu amado pai morreu subitamente e a madrasta, que ela desejava que fosse a mãe que nunca tivera, passa a tratá-la como uma criada. Uma das filhas da baronesa é bondosa e não concorda com várias atitudes da mãe, mas por outro lado a outra filha é bastante egoísta e só pensa em se casar com o príncipe herdeiro (Dougray Scott). Para isto ela tem total apoio da mãe, que está disposta a conspirar, mentir e fazer o necessário para ver sua filha como a futura rainha. Mas ela precisa agir rápido, pois o príncipe conheceu Danielle e os dois estão apaixonados, com os sonhos de grandeza da baronesa podendo serem frustrados, pois sua enteada e o príncipe estão sendo aconselhados por ninguém menos que Leonardo da Vinci (Patrick Godfrey).”

Eu sei que o filme é de 1998 (13 anos atrás OMG!), mas nunca falei dele porque né? Velhinho… mas segunda ele passou na TV e eu tive que falar dele! Porque é puro amor, fofura, roupas lindérrimas, algumas coisas modernosas demais e há distorção de histórias, mas com tanta fofura, o resto eu desconsidero, porque é muito amor esse filme! Drew tá linda, meiga e eu sempre vejo e choro. Vai dizer que você, menina que é romântica lá no fundo não gosta desse filme? Impossível! E a cena do soco? A mais engraçada! E é outro que eu devoro a trilha sonora!

O Som do Coração + Diário de Um Banana

O Som do Coração [rating:5/5]“Doze anos atrás, em cima de um telhado iluminado pelo luar na Praça Washington, Lyla Novacek, uma jovem violinista bem criada e Louis Connelly, um carismático cantor-compositor irlandês, se uniram por acaso por estarem ao mesmo tempo escutando um músico de rua que tocava “MoonDance” e imediatamente se apaixonaram. Meio que compartilhando a linguagem musical, a conexão deles era inegavelmente verdadeira… apesar de breve. Após a noite mais romântica de suas vidas, Lyla jurou encontrar Louis novamente mas, mesmo sob seus protestos, o seu pai a empurrou para que ela fosse realizar o próximo concerto dela – fazendo com que Louis assim acreditasse que ela não se importava com ele. Desestimulado, ele achou que seria impossível continuar tocando e finalmente abandou a música enquanto Lyla, com suas esperanças no seu amor perdido, foi levada a pensar meses depois que também havia perdido o bebê dela e de Louis que supostamente não teria nascido em um acidente de carro. Agora, a criança dada secretamente pelo pai de Lyla cresceu e tornou-se numa criança espirituosa e talentosa que ouve música em todo a seu redor no ritmo da vida e pode transformar o sussurro do vento do campo de trigo em uma bela sinfonia com ele próprio no comando, sendo ao mesmo tempo o compositor e maestro daquela melodia. Deixado órfão pela circunstância, ele mantém uma profunda e firme crença que seus pais estão vivos e o querem tanto quando ele os quer – se eles simplesmente pudessem achar uns aos outros. O talentoso músico mirim August deixa o orfanato para encontrar os pais, pois foi separado deles em seu nascimento. Para isso terá a ajuda de um misterioso estranho.”

Eu não sei porque nunca falei deste filme aqui, ele é lindo, emocionante, sensível, fofo e porque eu não sei. Já assisti, vi, revi e não canso de ver porque toda vez que vejo acho lindo e choro. A trilha sonora é apaixonante e tenho no meu celular desde a primeira vez que assisti. A fotografia é leve, quase que vintage em algumas horas, Robin Williams está maravilhoso no papel do “malvado” do filme e eu simplesmente amo Jonathan Rhys Meyers.

Diário de Um Banana [rating:2/5] “Greg Heffley, considera a fase escolar de ensino médio a coisa mais idiota do mundo. Para ele, tudo aquilo é uma área minada, povoada por crianças estúpidas e sem graça. Para sobreviver a isso, Greg tenta fazer algo que chame a atenção de todos e receba o reconhecimento que ele acredita merecer. Por isso registra todos os acontecimentos num diário – que ele oportunamente chama de jornal.”

Pra quem não tinha nada melhor passando nos Telecines, eu parei e resolvi ver este filme, que é na verdade um livro escrito por Jeff Kinney. O menino é uma gracinha, mas a história é aquela de sempre “seja você mesmo e se dê bem”. O que achei divertido foi a história do “toque do queijo”, mas do mais é o mesmo clichê de popularidade estadunidense e situações em que tudo dá errado e te dá nervoso.

Sinopses do Cinema com Rapadura e do E-Pipoca.

X-Men: Primeira Classe + Amor e Outras Drogas + Rango

X-Men: Primeira Classe [rating:5/5]“O filme conta a história do épico início da saga dos X-Men e sua relação com importantes eventos globais. Antes dos mutantes se revelarem ao mundo, e antes de Charles Xavier e Erik Lensherr assumirem os nomes de Professor X e Magneto, havia dois jovens descobrindo seus poderes. Nada de arqui-inimigos: naquela época, eles eram amigos íntimos e trabalhavam juntos com outros mutantes (algo familiar, algo novo) para impedir uma Terceira Guerra entre as superpotências mundiais. Porém, nem todos tinham o mesmo ponto de vista e suas diferentes escolhas darão origem a dois grupos distintos, a Irmandade de Magneto e os X-Men do Professor X.”

OMG! O que foi esse filme? Mesmo com alguns efeitos visuais galhofa em algumas pequenas partes este filme foi muito bom. Trilha, fotografia, os atores. Que Magneto, hein? Sorrisão lindo! E a participação especial do Hugh Jackman? Foi muito legal ver os mutantes em treinamento, inclusive Magneto e você entende porque Xavier e Erik são os melhores mutantes, realmente os que tem o poder. Muita coisa se explica, a cadeira do Xavier, o capacete do Magneto… mas queria saber a opinião de alguém que acompanha os quadrinhos pra saber se é aquilo mesmo. Foi demais ver os mutantes mais legais começando a ativa, o filme já começa “pegando pra capar” e não perde o ritmo, sempre com cenas de ação. E não tem cena depois dos créditos hein pessoal!

Amor e Outras Drogas [rating:3/5]“Maggie (Anne Hathaway) é um mulher que valoriza sua liberdade e acredita que nada ou ninguém será capaz de segurá-la. Até o dia em que conhece Jamie (Jackie Gyllenhaal), cujo jeitão sedutor costuma ser infálivel com as mulheres, que caem nas garras do experiente executivo de vendas da área farmacêutica. O romance acaba pegando os dois de surpresa e os coloca em contato com uma droga pura, forte e que não está à venda: o amor.”

Eu achei diferente das comédias românticas que têm por aí. Na verdade é até um pouco dramática demais, mas eu amo Jackie Gyllenhaal, por causa da beleza hehe, e amo Anne Hathaway desde “O Diário da Princesa”. Foi estranho demais ver ela toda doida (e pelada), mas achei a história legalzinha. Filme bom pra fritar neurônios e comer pipoca em dia de frio.

Rango [rating:5/5]“Na trama, Rango é um camaleão de camiseta havaiana que se perde e vai parar em uma cidade deserta que está precisando de um novo xerife. Um acidente faz com ele fique perdido no mundo, e sua atitude falsamente brava é confundida com coragem genuína pelos animais selvagens e em busca de um herói.”

Que desenho doido! Bem diferente do que costumamos assistir. Muitas piadinhas pra gente grande, coloridíssimo e ao mesmo tempo super poeirento. Trama divertida, as corujas são fofas e eu ri muito delas. Ri muito com a Feijão travando, com o Rango atuando e a trilha é uma delícia! Achei bem diferentão! Sem contar Johnny Depp na dublagem!

Sinopses: Cinema com Rapadura

%d blogueiros gostam disto: