comédia

Dorama: Hello, My Twenties!

hello my twenties

Sobre Hello, My Twenties!

“Hello, my twenties!” ou também conhecida como “Age of Youth”, este dorama sul-coreano é recheado de comédia, romance, drama e um pouquinho de mistério.

A história começa quando a estudante Yoo Eun-Jae chega para morar em uma república de mais quatro meninas. Cada uma com seu estilo, jeito de ser e manias estas meninas têm que aprender a se entender e conviver.

Além de desentendimentos pessoais o plano de fundo da história são os segredos que cada uma guarda para si, que podem sim ser bem pesados.

Você pode gostar também de “Answer me 1994”.

Jung Ye Eun (Han Seung Yeon) é toda certinha, mimada, pensa que é perfeita, mas tem um namorado abusivo. Yoon  Ji Myung (Han Ye Ri) é a forte, determinada e solitária estudante que tem que trabalhar em vários empregos para se sustentar. Han Ye-ri (Han Seung-yeon) é descolada, linda, uma mulher exuberante que sempre tem dinheiro, mesmo sem emprego. Yoo Eun-Jae (Park Hye-Soo) é a tímida novata que chega na casa cheia de segredos e Song Ji Won (Park Eun Bin) é a extrovertida, cheia de sonhos e empatia.

O que achei?

Como temos 5 personagens tão distintas, facilmente uma vai ser a sua preferida. As minhas são Song Ji Won e Yoon  Ji Myung.

A história toda me lembrou meus tempos de faculdade e república, então me diverti muito com algumas passagens dessa temporada (SIM! Tem a segunda!).

Aos poucos os segredos de todas vão sendo revelados e percebemos que todas têm suas dificuldades e tristezas, assim como todo mundo. Quando elas resolvem dividir suas lutas, a amizade vai aumentando, e podemos perceber como ter amigos por perto pode tornar tudo mais leve.

Uma série que fala de amizade, sexo, namoro, romance, relações abusivas, culpa e tolerância com aquele toque fofo de novelas coreanas que a gente adora. As duas temporadas estão no Netflix! Se joga!

Assistir: The Marvelous Mrs. Maisel

A Maravilhosa Sra. Maisel

The Marvelous Mrs. Maisel

Sinopse

Se formar na faculdade, arranjar um marido, ter duas ou três crianças e um apartamento em Manhattan elegante o bastante para oferecer os melhores jantares de Yom Kippur: Miriam “Midge” Maisel (Rachel Brosnahan) não queria muito mais que isso. Mas a vida apronta para a jovem, e ela precisa depender do que mais consegue fazer bem. E a diferença entre dona-de-casa de elite e comediante stand-up num barzinho de hipsters não é tão assustadora assim. Sinopse do Adoro Cinema

Mrs. Maisel e Susie

O que achei?

Estava muito curiosa para saber como seria esta série tão aclamada, com prêmios de melhor série de comédia no Globo de Ouro e no Emmy. Pra colocar a cereja no bolo, a série ainda é criada pelas mesmas mentes que criaram Gilmore Girls, (uma série que acompanhei, revi no Netflix e sou muito fã): Amy Sherman-Palladino.

A série tem atualmente duas temporadas no Amazon Prime, cada uma com 10 episódios, e conta a vida de uma dona de casa tipicamente norte-americana da década de 60 que leva um pé na bunda do marido e se vê tendo que lidar com o preconceito e o machismo da sociedade da época, e a maneira delicada que a série mostra essas nuances é incrível. Em um dia Mrs. Maisel está fazendo maquiagem antes do marido acordar para parecer linda quando ele acordar, no outro está sendo deixada pra trás por ele e correndo atrás de se virar como pode, descobrindo o primeiro emprego e as oportunidades que a vida lhe apresenta: ser uma comediante.

I'm going to work gif

A primeira temporada conta mais sobre Midge se acostumar com a vida de divorciada e começar a entender se ela quer seguir a carreira no stand-up ou não, já a segunda ela ainda parece que não entende a importância da decisão que ela toma (vide ela viajando de férias e nem ligando para Susie e saindo correndo quando a loja liga pra ela sobre o balcão da Revlon). Midge ainda está descobrindo que suas decisões podem e valem muito mais, está se descobrindo dona de si e é muito interessante ver essa transformação na personagem, em como ela vai se empoderando pouco a pouco, mesmo com a família e alguns amigos falando coisas contrárias ao seu redor.

Mrs. Maisel e família

Além dela, a família passa por transformações, o pai, a mãe e o ex-marido estão se descobrindo também e vão crescendo ao longo dos episódios. A relação com Susie é, na minha opinião, uma das melhores coisas da série! Divertidas, diálogos rápidos (#LorelaiFeelings) e muito amigas, apesar de Susie negar. Uma amizade que passa por altos e baixos, mas que é recheada e GirlPower.

Uma delícia de série pra ver, locais, maquiagem, figurinos lindos e aquele ar de musical que quem viu Gilmore Girls vai adorar! Tits up!

Assistir: Nanette | 2018

Nanette - Hannah Gadsby

O que é Nanette?

Nanette é um ato de comédia stand-up escrito e interpretado pela comediante australiana Hannah Gadsby, que estreou em 2017. O trabalho inclui comentários sociais, especialmente sobre questões LGBTQ. Em junho de 2018, a Netflix divulgou um vídeo da performance de Gadsby no Sydney Opera House. Wiki.

Você pode gostar também de Anne Com E

Hannah Gadsby

O que achei?

Fui assistir este show por indicação de várias pessoas na minha timeline. Indicações para ver Nanette pulavam na minha frete praticamente todos os dias e eu ficava pensando:”preciso assistir isso!”. Até que um dia consegui.

Hannah Gadsby começa o show nos fazendo rir, mas ao mesmo tempo começa a nos fazer refletir sobre como é ser LGBT+. No caso dela mais especificamente, lésbica. Ela começa a fazer várias piadas que fazia em shows antigos, conta como brincava com o fato de sua sexualidade e como a família dela lidava com isso, porém em um determinado momento ela começa a mudar o rumo da conversa. Não deixa de ser engraçado em algumas passagens, mas histórias começam a ser contadas de outro ponto de vista e começamos a perceber, como o mundo é. O que o mundo faz com pessoas diferentes.

Na metade do show Hannah começa a nos fazer pensar e refletir. Piadas antigas não têm mais graça, pois degradavam sua vida, quem ela era e pessoas que são como ela. Lá pro final do show, começo a chorar. Chorar com os relatos da via de Hannah, com o fato maravilhoso de vê-la se desculpar com fãs e com a pessoa mais importante pra ela: ela mesma.

Nanette, mais que um show de humor, é um show de reflexão sobre o humor, os limites dele e como podemos fazer rir sem machucar, estereotipar e reforçar preconceitos. Eu ri, chorei, senti raiva e empatia durante os quase 50 minutos deste show que mostra uma mulher forte, maravilhosa e super talentosa.

E você, já assistiu? O que achou? Conta pra mim!

Assistir: Anne With An E | 2ª Temporada (2018)

Anne With An E e mais uma temporada deliciosa

Anne e Daiana - Anne With an E

Sobre a segunda temporada

Dois hóspedes de Green Gables podem estar aprontando alguma coisa muito estranha. Enquanto isso Anne se questiona sobre seu papel no mundo e qual profissão deve seguir. Uma nova professora aparece na escola depois de muitas mudanças, mas ela é certa para ensinar as crianças dali? Enquanto a cidade vive e passa por mudanças, Gilbert vai trabalhar em navios e conhecer um grande amigo e novos lugares que vão transformá-lo.

Você pode gostar também de The Handmaid’s Tales.

A nova professora - Anne with an E

O que achei?

Assistir cada episódio de Anne é como andar de manhã entre árvores com raios de sol brilhando entre galhos com uma leve brisa batendo no rosto. A série traz temas tão atuais, e talvez polêmicos, de uma maneira tão doce que faz suspirar.

Na segunda temporada temos uma Anne questionadora sobre o futuro, sobre escolhas e sobre quem ela é. Ela tenta encontrar naquele lugar uma resposta para o que ela será, já que parece que tudo é tão distante e não possível em sua pequena fazenda. Green Gables começa a se fazer pequena para nossa querida Anne, sem ela se dar conta.

O melhor episódio para mim é o da festa. Alí temos dois personagens, Anne e Cole, se descobrindo, vendo possibilidades e abrindo os braços pro que pode acontecer com eles. E além deles Diana, grande amiga de Anne, mas que ainda carrega toda tradição e conservadorismo da pequena fazenda que vive. É nítido o desconforto perante vários questionamentos que ela sofre e como ela começa a se diferenciar de todos ali. Um episódio cheio de sutilezas, com figurinos e cenários maravilhosos.

Com a chegada de Sebastian, grande amigo de Gilbert, começamos também a ter ótimas cenas e questionamentos sobre preconceito racial. Alí cabe tantos temas atuais que é até difícil falar todos!

Uma série tão doce que trata sobre homofobia, xenofobia, preconceito racial, feminismo, misoginia e auto-aceitação de uma maneira tão poética merece cada minuto de atenção. Ainda bem que a Netflix atendeu ao chamado de todos os fãs e disse que vamos ter uma terceira temporada. Queremos ver Anne se tornar uma mulher maravilhosa Netflix!

Se você ainda não viu esta série, indico começar agora.

Sebastian

%d blogueiros gostam disto: