comédia

Hotel Transilvânia (2012)

Em ritmo de feriado, aqui no Chocottone, vamos comentar sobre essa animação que está nas salas de cinema. É hora de falar um pouco  do assombroso: “Hotel Transilvânia” (“Hotel Transylvania”).


Nossa história começa mostrando a pequena Mavis, ainda bebê e crescendo, até que chega seu aniversário de 118 anos. Para proteger sua filha e os demais monstros, dos assustadores humanos, o Conde Drácula manda construir um refúgio para seus amigos e eis que nasce o Hotel Transilvânia. O qual hospeda as mais diversas figuras: Franskstein, Lobo Mau, a Múmia, Pé Grande… Em versões bem caricatas e inusitadas.
(mais…)

Anos Incríveis – The Wonder Years

 
A emissora de tv ABC andava com a audiência em baixa, nenhum de seus programas angariava um grande público e eles sentiam que era a hora de ousar. Surge então o casal Carol Black e Neal Marlen, com uma ideia bem diferente do que já havia sido mostrado na tv, uma série que mostraria a vida de um menino de 12 anos em um subúrbio qualquer de uma cidade qualquer dos EUA. Após filmado o piloto, o pessoal da ABC não pode negar que era uma série muito interessante e fizeram o lançamento dela logo depois do Superbowl. Então, em 31 de Janeiro de 1988 estreou o seriado “The Wonder Years”, com histórias de Kevin Arnold (Fred Savage), o pai dele, Jack (Dan Lauria), a mãe Norma(Alley Mills), seu irmão do meio, Wayne (Jason Hervey) e a irmã mais velha Karen (Olivia d’Abo), uma família americana nos anos 60, com seus altos e baixos e longe de ser perfeita. Ainda entravam na história Paul Pfeiffer (Josh Saviano), o melhor amigo de Kevin, e Gwendolyn “Winnie” Cooper (Danica McKellar) vizinha dele e sua paixonite.
 
Uma comédia com toque de drama e ALTAMENTE nostálgica, a série foi altamente premiada e durante todos os anos que foi gravada (de 1988 até 1993), também teve seus altos e baixos, como quando depois da primeira temporada os seus criadores Black e Marlen saíram fora da produção, por motivos pessoais.

Anos Incríveis já foi exibido por vários canais, como TV Bandeirantes, Multishow e é claro, na TV Cultura, canal no qual eu assisti quando pequena. Não me recordava muito da série e há algum tempo resolvi rever os episódios na ordem, e não é que é uma série que passa facilmente pela regra dos 15 anos? Com situações divertidas e referências à obras como Star Trek, a série consegue passar mensagens e valores importantes que dificilmente encontramos nos programas de hoje.

A família Arnold não é perfeita em momento algum, Kevin mesmo, nosso fofíssimo personagem principal, é egocêntrico e muitas vezes bem metido, erra como qualquer ser humano. Karen é uma hippie revolucionária e sempre encontra nos pais uma dificuldade de expressar o que ela realmente pensa. Estamos falando dos anos 60/70, a mulher ainda buscava sua independência em todos os lugares e Karen estava sempre engajada nisso, (uma curiosidade aqui, David Schwimmer, o Ross de Friends, interpretou o namorado de Karen na série). Wayne sempre foi visto como um “bundão” por Kevin, sempre com dificuldades no colégio e brigando com ele. Jack é o retrato do pai MEGA estressado e Norma da mulher submissa e reclusa. Uma tipica família dos anos 60.

 
Olha só como a galera está hoje.
.

Por ser uma série de “época”, temos vários fatos que marcaram a humanidade presentes nos episódios, como a Guerra do Vietnã, a ida do homem à lua, o surgimento da TV a cores, os movimentos feministas e hippie, além de musicais, como o rock. Sempre no contexto da vida de Kev, sua família e amigos.

Depois de risadas e choros eu terminei neste final de semana a sexta e última temporada, que terminou com o crescimento dos personagens e a ida de Kevin para a faculdade. Recomendo esta série pra todos que querem lembrar de seus Wonder Years. Ah, a trilha da abertura é simplesmente perfeita.

Espetacular Homem Aranha + Amizade Colorida

O Espetacular Homem Aranha – [rating:3/5] “Peter Parker (Andrew Garfield) é um rapaz tímido e estudioso, que inicou há pouco tempo um namoro com a bela Gwen Stacy (Emma Stone), sua colega de colégio. Ele vive com os tios, May (Sally Field) e Ben (Martin Sheen), desde que foi deixado pelos pais, Richard (Campbell Scott) e Mary (Embeth Davidtz). Certo dia, o jovem encontra uma misteriosa maleta que pertenceu a seu pai. O artefato faz com que visite o laboratório do dr. Curt Connors (Rhys Ifans) na Oscorp. Parker está em busca de respostas sobre o que aconteceu com os pais, só que acaba entrando em rota de colisão com o perigoso alter-ego de Connors, o vilão Lagarto.

O filme marca a estreia de Marc Webb em filmes de alto orçamento. O diretor ficou conhecido pela comédia romântica independente (500) Dias Com Ela. Denis Leary, Irrfan Khan e C. Thomas Howell completam o elenco, que conta ainda com pequena participação de Stan Lee, criador do Homem-Aranha nas revistas em quadrinhos.”

Não sei se faz tempo que não assistia nada do aracnídeo, mas o filme foi bom. Teve algumas coisas mais fiéis aos quadrinhos, os trejeitos de aranha dele foram bem melhores e achei Andrew Garfield bem mais a cara do Homem Aranha do que o Tobey. O filme foi divertido, mas pra mim tem cara de Sessão da Tarde. Como diria meu namorado, Homem Aranha é pra meninos, Batman é para homens.

Amizade Colorida – [rating:3/5] “Jamie (Mila Kunis) é uma jovem recrutadora de Nova York que convence um cliente em potencial (Justin Timberlake) a deixar seu emprego em Los Angeles para trás e aceitar um emprego na Big Apple. Ele aceita a proposta e logo os dois se tornam bons amigos. Um dia, após assistir um filme na casa dela, surge o papo do quanto a carência sexual incomoda ambos. Eles fazem um pacto de que terão apenas sexo, sem qualquer envolvimento emocional. Só que, aos poucos, a intimidade faz com que eles se tornem cada vez mais próximos e interessados um no outro.”

Chuva, frio e TPM. Misturinha que pede filme mulherzinha, então porque não assistir um desses que ficam na fila de espera? Achei o filme bem divertidinho e até diferente das comédias românticas que estava assistindo, Justin e Mila fizeram um par bem divertido e eu confesso que ri um bocado no filme. A trilha é gostosinha e é uma boa dica pra dias tediosos!

Pateta 2 – Radicalmente Pateta (2000)

Para esse final de semana, um longa metragem com muita diversão para você, para mim, e para toda a família. Para hoje, aqui no Chocottone, vamos falar um pouco dessa animação com qualidade Walt Disney, e com um dos meus personagens favoritos, é hora de “Pateta 2 – Radicalmente Pateta” (An Extremely Goofy Movie).


Dando continuidade a trajetória de paizão solteiro, Pateta chega agora no momento da vida em que tem que se separar de Max, pois o jovem vai para a universidade. No caso ele ira se mudar totalmente naquela esquema de viver no próprio campus e tudo o mais. Antigamente achava isso até impressionante, mas hoje boa parte dos meus amigos são de outras cidades, dividem AP, então já perdeu aquele brilho de vida independente, digamos assim. Voltando…
(mais…)

%d blogueiros gostam disto: