ficção

Os últimos cinco filmes que assisti #3

Opinião dos últimos cinco filmes que assisti, rápidinhas, curtas e diretas. Hoje temos “Os 8 Odiados”, “O Grande Gatsby”, “Deadpool, “Living on One Dollar” e “Perdido em Marte”.

cinco filmes

Os 8 Odiados (2016)

[rating:3/5]
Durante uma nevasca, o carrasco John Ruth (Kurt Russell) está transportando uma prisioneira, a famosa Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh), que ele espera trocar por grande quantia de dinheiro. No caminho, os viajantes aceitam transportar o caçador de recompensas Marquis Warren (Samuel L. Jackson), que está de olho em outro tesouro, e o xerife Chris Mannix (Walton Goggins), prestes a ser empossado em sua cidade. Como as condições climáticas pioram, eles buscam abrigo no Armazém da Minnie, onde quatro outros desconhecidos estão abrigados. Aos poucos, os oito viajantes no local começam a descobrir os segredos sangrentos uns dos outros, levando a um inevitável confronto entre eles.

Se você está procurando algo com muito sangue, achou. Aliás, nem precisava dizer isso né? Tarantino é sinônimo de muito tiro, miolos explodindo e piadas ácidas. Gosto do diretor, mas para mim este filme não teve uma razão de existir, sendo apenas violência gratuita e aquele climão de “quem matou Odete Roitman”. É um filme com tomadas bonitas e diálogos longos, mas só.

O Grande Gatsby (2013)

[rating:3/5]
Nick Carraway (Tobey Maguire) tinha um grande fascínio por seu vizinho, o misterioso Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio). Após ser convidado pelo milionário para uma festa incrível, o relacionamento de ambos torna-se uma forte amizade. Quando Nick descobre que seu amigo tem uma antiga paixão por sua prima Daisy Buchanan (Carey Mulligan), ele resolve reaproximar os dois, esquecendo o fato dela ser casada com seu velho amigo dos tempos de faculdade, o também endinheirado Tom Buchanan (Joel Edgerton). Agora, o conflito está armado e as consequências serão trágicas.

Estava tentando ver este filme há tempos, muita gente adorando e Leonardo DiCaprio pra fazer a felicidade do meu lado adolescente, porém esperava muito mais do filme e ele me desapontou. Apesar dos cenários terem me surpreendido e ele ter toda uma pegada maluca bem parecida com Moulin Rouge (Baz Luhrmann é diretor dos dois), trilha sonora fora dos padrões da época que está sendo representada e tudo mais, achei a história meio fraca e a personagem de Caray Milligan irritante demais. Arte para os olhos, mas nada de impressionante no roteiro.

Deadpool (2016)

[rating:5/5]
Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.

Eu não conhecia muito o personagem, mas foi uma grata descoberta! Acho que fazia tempo que não ria tanto no cinema. Tem tiro, porrada, bomba e risadas demais. Espero que este filme sirva para deixarem Wolverine um filme que tenha mais a ver com o personagem e Hugh Jackman possa fazer uma despedida digna do meu personagem preferido.

filmes_3_2

Living on One Dollar (2013)

[rating:5/5]
Documentário que conta a história de quatro amigos, que após estudarem Economia na Califórnia, decidem viver com um dólar por dia na Guatemala para poder entender, da melhor forma possível, como a vida na pobreza funciona.

Fui assistir este documentário sem grandes pretensões e acabei chorando. Um povo com uma realidade tão diferente da nossa, tão difícil, custosa e sem possibilidades, ver como eles sobrevivem e como levam suas vidas é algo que te faz parar e pensar na sua vida de modo geral. Indico demais.

Perdido em Marte (2013)

[rating:5/5]
O astronauta Mark Watney (Matt Damon) é enviado a uma missão em Marte. Após uma severa tempestade ele é dado como morto, abandonado pelos colegas e acorda sozinho no misterioso planeta com escassos suprimentos, sem saber como reencontrar os companheiros ou retornar à Terra.

Achei que o filme seria mais um “Gravidade”, com um tom mais sério, mas ele tem uma pegada bem interessante, músicas, alívios cômicos e Matt Damon mandando bem. Achei diferente do que já vimos de filmes de espaço até hoje e muito bem feito. Só fiquei curiosa em saber se aquilo tudo seria possível, mas se você tem esta curiosidade também, clica aqui e assiste o Nerdologia.

E vocês, quais desses já viram e gostaram? Minha lista está enorme e preciso logo contar mais aqui.

Os últimos cinco filmes que assisti #1

filmes_1

Eu sempre fui louca por filmes e cinema e sempre falei um pouco deles aqui no blog, mas eu notei que falava muito disso por aqui. Acontece que o meu bloguinho nunca foi só de cinema e percebi que as pessoas que visitam meu cantinho não ligam muito pra resenhas e então parei de postar. Tentei jogar para o Instagram, mas lá também não rolou e acabei desanimando, mas eu adoro falar de filmes e então resolvi fazer um post só com opiniões rápidas dos filmes, bem pá-pum, assim eu mato a vontade de falar de filmes e os posts ficam mais dinâmicos.

Festa no Céu (2014) [rating:4/5]

“Catrina/ La Muerte é uma adorada deusa ancestral, que governa a Terra dos Lembrados. Ela é ex-mulher de Xibalba, o governante da Terra dos Esquecidos, um trapaceiro. Em uma visita à Terra dos Vivos, eles fazem uma aposta. Se a jovem e bela Maria, filha da maior autoridade da cidade de San Angel, escolher se casar com o emotivo violinista Manolo, Catrina ganha, e Xibalba não poderá mais interferir no Mundo dos Vivos, como gosta de fazer; se o preferido for o valente Joaquim, Xibalba passa a governar, também, o Mundo dos Lembrados.”

CORES! Explosão delas na sua tela! Além de trazer para uma animação a cultura e a tradição mexicana, a animação vem com um roteiro bem legal e um pouco diferente do que estamos acostumados nos filmes, o que me fez super feliz na hora de assistir porque eu realmente n~]ao sabia o que poderia acontecer. Os personagens são cativantes e tudo é bem divertido.

Origem dos Guardiões (2012) [rating:5/5]

“As crianças do mundo inteiro são protegidas por um seleto grupo de guardiões: Papai Noel, Fada do Dente, Coelho da Páscoa e Sandman. São eles que garantem a inocência e as lendas infantis. Mas um espírito maligno, o Breu, pretende transformar todos os sonhos em pesadelo, despertando medo em todas as crianças. Para combater este adversário poderoso, a Lua designa um novo guardião para ajudar o grupo: Jack Frost, um garotinho invisível que controla o inverno. Sem conhecer sua própria vocação de guardião, ele embarca em uma aventura na qual vai descobrir tanto sobre as crianças quanto sobre seu próprio passado.”

Como esta animação me divertiu! Fiquei pensando em “caraca como ninguém tinha pensado nisso antes?” e achei demais os poderes e os propósitos dos personagens. Dessas animações pra se ver mais de uma vez com certeza!

Kingsman – Serviço Secreto (2015) [rating:3/5]

“Eggsy (Taron Egerton) é um jovem com problemas de disciplina que parece perto de se tornar um criminoso. Determinado dia, ele entra em contato com Harry (Colin Firth), que lhe apresenta à agência de espionagem Kingsman. O jovem se une a um time de recrutas em busca de uma vaga na agência. Ao mesmo tempo, Harry tenta impedir a ascensão do vilão Valentine (Samuel L. Jackson). Adaptação da série de quadrinhos criada por Mark Millar e Dave Gibbons.”

Fui toda feliz achando que veria um filme “Missão-impossível-007-crazy-agent” e tinha mais comédia do que eu pensei. Claro que não foi um filme de todo ruim, mas eu esperava bem mais de tudo. As cenas de ação são um espetáculo a parte, só por elas você tem que assistir ao filme.

filmes_2

Homem-Formiga (2015) [rating:3/5]

“Dr. Hank Pym (Michael Douglas), o inventor da fórmula/ traje que permite o encolhimento, anos depois da descoberta, precisa impedir que seu ex-pupilo Darren Cross (Corey Stoll), consiga replicar o feito e vender a tecnologia para uma organização do mal. Depois de sair da cadeia, o trambiqueiro Scott Lang (Paul Rudd) está disposto a reconquistar o respeito da ex-mulher, Maggie (Judy Greer) e, principalmente, da filha. Com dificuldades de arrumar um emprego honesto, ele aceita praticar um último golpe. O que ele não sabia era que tudo não passava de um plano do Dr. Pym que, depois de anos observando o hábil ladrão, o escolhe para vestir o traje do Homem-Formiga.”

Divertido? Com certeza. Cheio de ação? SIM! Mas… achei tão manjada e previsível a história que no final de tudo eu não tive como dar uma nota alta. O ator é super carismático e você realmente compra o personagem, quem sabe na hora que misturar tudo fica melhor.

Alien – O Oitavo passageiro (1979) [rating:3/5]

“Uma nave espacial, ao retornar para Terra, recebe estranhos sinais vindos de um asteróide. Ao investigarem o local, um dos tripulantes é atacado por um estranho ser. O que parecia ser um ataque isolado se transforma em um terror constante, pois o tripulante atacado levou para dentro da nave o embrião de um alienígena, que não para de crescer e tem como meta matar toda a tripulação.”

Isso mesmo, eu nunca tinha assistido este filme. Pode ser que eu tenha errado em assistir um filme de 1979 em 2015, dá pra ver a limitação de efeitos e recursos da época, afinal tem quase 40 anos que este filme está por ai, mas achei interessante como tudo foi feito. Dá pra ver que Interestellar e muitos outros beberam da mesma água e valeu a experiência, posso dizer que já vi pelo menos o primeiro.

Quem aqui já viu todos estes? O que acharam?

Assisti: No Limite do Amanhã (2014)

No Limite do Amanhã

No Limite do Amanhã

[rating:4/5] “Quando a Terra é tomada por alienígenas, Bill Cage (Tom Cruise), relações públicas das Forças Armadas dos Estados Unidos, é obrigado a ir para a linha de frente no dia do confronto final. Inexplicavelmente ele acaba preso no tempo, condenado a reviver esta data repetidamente. A cada morte e renascimento, Cage avança e, antecipando os acontecimentos, tem a chance de mudar o curso da batalha com o apoio da guerreira Rita Vrataski (Emily Blunt).”

Este foi mais um dos filmes que assisti no avião durante a viagem, eu e o namorado vimos juntos dando play ao mesmo tempo, hahaha, doidera de avião. O fato interessante foi assistir ao filme e me deparar com Paris em cacos algumas horas após sair de lá, mas vamos ao filme. Lí muitas resenhas reclamando que o filme era péssimo, mas pra quem gosta de muito tiro, porrada e bomba, este filme é cheio deles. Você fica biruta no começo com tanta repetição, afinal é uma ficção de dia da marmota, mas confesso que adorei o Tom Cruise bobão e medroso que vai se transformando em algum tipo de herói, este crescimento me agradou bastante. Não sei se tem algum furo em toda essa coisa de vai e volta, se teve eu não prestei atenção e me diverti bastante, bem grudadinha na cadeira, então recomendo pra dias chuvosos, noites de insônia e tardes de sábado em casa.

Sinopse do Adoro Cinema.

Assisti: O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014)

Hobbit - Batalha dos Cinco Exércitos_poster[rating:3/5]“Após ser expulso da montanha de Erebor, o dragão Smaug ataca com fúria a cidade dos homens que fica próxima ao local. Após muita destruição, Bard (Luke Evans) consegue derrotá-lo. Não demora muito para que a queda de Smaug se espalhe, atraindo os mais variados interessados nas riquezas que existem dentro de Erebor. Entretanto, Thorin (Richard Armitage) está disposto a tudo para impedir a entrada de elfos, anões e orcs, ainda mais por ser tomado por uma obsessão crescente pela riqueza à sua volta. Paralelamente a estes eventos, Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) e Gandalf (Ian McKellen) tentam impedir a guerra.”

E finalmente chegamos ao final desta aventura com Bilbo. Eu acho que se houvessem apenas 2 filmes, e se Peter Jackson tivesse se atentado a ficar em “O Hobbit” mesmo, sem referências ao Senhor dos Anéis a todo momento, tudo seria mais épico do que já foi. Infelizmente, foram feitos três filmes, passeamos por mais tempo na Terra Média e três filmes “ok” foram entregues.

Sobre este terceiro filme, eu achei exército demais pra um filme, mas a ação foi boa e as cenas foram realmente muito boas de serem assistidas. Algumas coisas foram desnecessárias, como aquele lorota se vestindo de mulher (sério, podia viver sem ele) e todo o romancezinho de um anão com uma certa elfa. O 3D foi totalmente dispensável como quase sempre, mas apesar dos pesares, este último filme não foi cansativo como o segundo pareceu ser e ainda agradou a ponto de eu não sair xingando da sala de cinema. Para os fãs como eu, sempre é válida uma nova visita ao Condado e a Terra Média, ainda mais se dirigida por Peter Jackson.

%d blogueiros gostam disto: