filme

Os Últimos Cinco Filmes Que Assisti #7

Opinião dos últimos cinco filmes que assisti, curtas e diretas. Hoje temos “X-Men – Apocalipse”, “Procurando Dory”, “Quarto de Jack”, “Eu Não Faço a Menor Ideia Do Que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida” e “Deus Não Está Morto”.

filmes_7_1

X-Men Apocalipse


[rating:4/5]“Também conhecido como Apocalipse, En Sabah Nur (Oscar Isaac) é o mutante original. Após milhares da anos, ele volta a vida disposto a garantir sua supremacia e acabar com a humanidade. Ele seleciona quatro Cavaleiros nas figuras de Magneto (Michael Fassbender), Psylocke (Olivia Munn), Anjo (Ben Hardy) e Tempestade (Alexandra Shipp). Do outro lado, o professor Charles Xavier (James McAvoy) conta com uma série de novos alunos, como Jean Grey (Sophie Turner), Ciclope (Tye Sheridan) e Noturno (Kodi Smit-McPhee), além de caras conhecidas como Mística (Jennifer Lawrence), Fera (Nicholas Hoult) e Mercúrio (Evan Peters), para tentar impedir o vilão.”

Demorei, mas cheguei pra falar de X-Men, que pra mim foi um filme muito melhor de assistir que Batman vs. Superman (lá vem as pedras). Apesar de parecer um pouco bagunçado, não achei que o filme teve pontas soltas demais no roteiro, algumas maquiagens me incomodaram (oi Apocalipse!), assim como a falta delas (Mística, cadê o azul?), mas no fim da sessão eu sai felizona de ter visto Hugh Jackman nem que seja por 2 minutos como Wolverine de novo.

Procurando Dory


[rating:4/5]“Um ano após ajudar Marlin (Albert Brooks) a reencontrar seu filho Nemo, Dory (Ellen DeGeneres) tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos.”

Muita risada e algumas surpresas reservam quem assiste ao filme solo de nossa adorada Dory. Mais que um filme pra criança, tanto Dory quando Nemo, são histórias que falam sobre deficiências e como as pessoas precisam de compreensão e carinho pra enfrentar suas dificuldades e peculiaridades. Diversão e emoção garantidas!

O Quarto de Jack


[rating:5/5]“Joy (Brie Larson) e seu filho Jack (Jacob Tremblay) vivem isolados em um quarto. O único contato que ambos têm com o mundo exterior é a visita periódica do Velho Nick (Sean Bridgers), que os mantém em cativeiro. Joy faz o possível para tornar suportável a vida no local, mas não vê a hora de deixá-lo. Para tanto, elabora um plano em que, com a ajuda do filho, poderá enganar Nick e retornar à realidade.”

Desde o Oscar esperando pra ver este filme, mas valeu a espera. Um filme delicado, cheio de momentos belos e fotografia bem linda. Incrível a maneira como tudo se passa ao redor da visão do menininho, que foi incrível ator por sinal, então uma situação terrível é vista pela maneira infantil e inocente de uma criança. Assitam.

filmes_7_2

Eu Não Faço a Menor Ideia Do Que Eu Tô Fazendo Com a Minha Vida


[rating:2/5]“Clara (Clarice Falcão) está indecisa em relação às suas escolhas. A jovem está cursando a faculdade de Medicina por pressão familiar e não por vocação. Sem contar para ninguém o que está sentindo, ela passa a matar aulas no período da manhã. Durante essas aventuras matutinas, Clara conhece um rapaz que a ajuda a encontrar um norte para sua vida.”

A gente tá de bobeira em casa e resolve explorar o Netflix, quando aparece um filme com nome tão enorme que a gente resolve ver. Não foi boa a experiência, pois o filme estava tão, mas tão parado que caí no sono. Quem sabe uma hora eu dou outra chance, pois o começo e o final pareceram intrigantes e chegam a conclusão que ninguém sabe o que está fazendo da vida, a verdade universal.

Deus Não Está Morto


[rating:2/5]“Quando o jovem Josh Wheaton (Shane Harper) entra na universidade, ele conhece um arrogante professor de filosofia (Kevin Sorbo) que não acredita em Deus. O aluno reafirma sua fé, e é desafiado pelo professor a comprovar a existência de Deus. Começa uma batalha entre os dois homens, que estão dispostos a tudo para justificar o seu ponto de vista – até se afastar das pessoas mais importantes para eles.”

Eu vi a sinopse no Netflix e pensei com o noivo: “vamos ter uma discussão interessante neste filme”. Engano meu. Um filme raso demais, com personagens femininas muito mal escritas, atuações medianas e um final horroroso. Colocam o ateu como um ser babaca por ser ateu, quando na verdade babaquisse indifere de crenças, usam um motivo ridículo pra ele ser “ateu revoltado” e termina como “quem não acredita em Deus é errado/infeliz”. Respeitem os amiguinhos e amem uns aos outros, não importa o quê, acho que tava escrito isso num livro famoso aí.

E vocês o que têm assistido de bom? Tô aceitando indicações, principalmente do Netflix.

Os últimos cinco filmes que assisti #6

Opinião dos últimos cinco filmes que assisti, curtas e diretas. Hoje temos “O Regresso”, “Redtails”, “Capitão América – Guerra Civil”, “Guerra Mundial Z” e “Zootopia”.

ultimos_filmes_6_1

O Regresso (2016)

[rating:4/5] “1822. Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma árdua jornada em busca de vingança.”

Finalmente consegui ver o filme que levou nosso amado Leo DiCaprio a conseguir seu tão sonhado Oscar. Com cenas em lugares lindos o filme mostra este lado oeste americano, com mais gelo do que eu imaginava. Leo leva grande parte do filme sozinho e tem cenas incríveis de situações que ele tem que passar para sobreviver. Como ela faz tudo aquilo sem um bom antibiótico e sai vivo? Não sei, mas o filme é bom!

Redtails (2012)

[rating:3/5] “A força aérea americana está sofrendo muitas baixas, envolvendo os bombardeiros em suas missões para as forças aliadas contra a Alemanha. Sem dinheiro para bancar novos investimentos, o Pentágono começar a ter que repensar uma opção até então descartada, que é a de considerar a possibilidade de ter pilotos afro-americanos defendendo as cores do país. E quando estes mesmos jovens formados no programa de treinamento experimental Tuskegee estariam retornando para suas casa, surge a chance de mostrar a coragem contra os poderosos Messerschmitt 262, entre outras poderosas aeronaves da Luftwaffe. Baseado em fatos reais.”

O noivo é apaixonado por aviação e passeando pelo Netflix resolvemos assistir este filme de 2012 com aviões. No começo o filme não parecia que seria tão fraco, mas com o passar das cenas eu comecei a mudar de ideia. O filme trata de um assunto real, mas não consegue dar a carga de drama necessária para o assunto e acaba virando mais um filme bem fraco. Fica a dica pra quem quer saber um pouco deste outro lado da guerra, mas não espere muito.

Capitão América – Guerra Civil (2016)

[rating:4/5] “Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.”

Li muitas criticas negativas ao filme, mas eu vou dizer que gostei. Como o filme tem no título “Cap. América”, era de se esperar que o foco fosse mais no personagem de Steve, e realmente foi o que aconteceu. Eu não li a HQ, mas o filme me agradou muito, bem mais que Batman vs. Superman, com bastante ação, mas também muita história pra entendermos o que acontece com os personagens. Notinha de amor para homem-aranha que aparece maravilhoso neste filme.

ultimos_filmes_6_2

Guerra Mundial Z (2013)

[rating:3/5] “Uma terrível e misteriosa doença se espalha pelo mundo, transformando as pessoas em uma espécie de zumbis. A velocidade do contágio é impressionante e logo o Governo americano recruta um ex-investigador da ONU (Organização das Nações Unidas) para investigar o que pode estar acontecendo e assim salvar a humanidade, tendo em vista que as previsões são as mais catastróficas possíveis. Gerry Lane (Brad Pitt) tinha optado por dedicar mais tempo a sua esposa Karen (Mireille Enos) e as filhas, mas seu amor a pátria e o desejo de salvar sua família acabam contribuindo para que ele tope a missão. Agora, ele precisa percorrer o caminho inverso da contaminação para tentar entender as causas ou, ao menos, indentificar uma maneira de conter o contágio até que se descubra uma cura antes do apocalipse. Começa uma verdadeira corrida contra o tempo, que mostra-se cada vez mais curto, na medida que a população de humanos não para de diminuir. “

Matando mais um filme que estava na lista fazia tempo, mas confesso que esperava mais. O filme tem algumas situações bizarras que me incomodaram (não vou falar aqui pra não estragar, vai que), mas consegue te fazer ficar tenso com os bichanos zumbizando e correndo. Tratando-se de zumbis, sou mais Walking Dead.

Zootopia: Essa Cidade é o Bicho (2016)

[rating:5/5] “Judy Hopps é a pequena coelha de uma fazenda isolada, filha de agricultores que plantam cenouras há décadas. Mas ela tem sonhos maiores: pretende se mudar para a cidade grande, Zootopia, onde todas as espécies de animais convivem em harmonia, na intenção de se tornar a primeira coelha policial. Judy enfrenta o preconceito e as manipulações dos outros animais, mas conta com a ajuda inesperada da raposa Nick Wilde, conhecida por sua malícia e suas infrações. A inesperada dupla se dedica à busca de um animal desaparecido, descobrindo uma conspiração que afeta toda a cidade.”

Mais uma animação maravilhosa da Disney? CLARO! Com lições ótimas sobre preconceito e determinação, Zootopia trás mensagens lindas de uma maneira única e divertida. Estou simplesmente apaixonada pela animação! Assista hoje com sobrinhos, filhos ou sozinho que vai ser lindo.

E ai? Já assistiu todos? O que achou deles?

Assistir: “Como Eu Era Antes de Você” (2016)

como_eu_era_antes_de_voce_2

“Will (Sam Claflin) é um garoto rico e bem-sucedido, até sofrer um grave acidente que o deixa preso a uma cadeira de rodas. Ele está profundamente depressivo e contrata uma garota (Emilia Clarke) do campo para cuidar dele. Ela sempre levou uma vida modesta, com dificuldades financeiras e problemas no trabalho, mas está disposta a provar para Will que ainda existem razões para viver.”

Semana passada fui convidada para conferir a pré-estreia de um dos filmes mais aguardados do mês, a adaptação do livro de Jojo Moyes, “Como Eu Era Antes de Você”. Então eu e o noivo pegamos o carro e fomos conhecer o Taubaté Shopping e o Moviecom, cinema que fez o convite. Primeiro quero dizer que o cinema de lá nos impressionou. As salas são bem melhores das que estamos acostumados aqui em São José dos Campos, tela grandona, cadeiras em posição stadium, daquelas que nem se um jogador de vôlei da Alemanha sentar na sua frente ele consegue te atrapalhar. Realmente ótimas! Fora o teto da entrada que lembra um céu estrelado, quero na minha casa. Outra coisa bem legal são sabores pra colocar na pipoca, isso eu nunca vi em nenhum cinema! Dá pra colocar sabor bacon e queijo e posso garantir que as pessoas ficam doidas lá por isso.

como_eu_era_antes_de_voce_
Saindo do cinema, vamos ao que todos querem saber: o filme! Eu separei a primeira parte sem spoilers e a segunda com spoiler, então é só ler o que você se interessar.
Eu não conhecia a história, mesmo vendo apenas o trailer, e não li o livro para assistir ao filme, então foi tudo bem novo para mim. Emilia Clarke está uma fofura no papel de Louisa, fora as roupas e sapatos maravilhosos que ela usa o filme todo. Sempre combinações descontraídas e divertidas. Já o rapaz que interpreta William Traynor (Sam Claflin) também faz um ótimo trabalho. Deve ser difícil fazer o papel de um tetraplégico e achei que ele convenceu bem. Porém para ser sincera o filme não mostra nada novo do que costumamos ver em outras histórias, como “Um Amor Para Recordar” , ou então “Doce Novembro” . Achei a mesma fórmula de sempre, mas com um pormenor que não me deixou nem sequer chorar com o drama de William, mas se você quiser ler sobre isso, continue na parte com spoilers, é só selecionar o texto abaixo.

>O filme trata sobre um tema bem complexo: suicídio assistido. William decide que, mesmo amando Lou, ele não consegue viver sem ser quem ele era, esportista, atlético e bonitão, e por isso resolve entrar com processo legal para terminar com sua vida.
Um tema polêmico e que envolve muitas coisas. Muitas religiões abominam isso, já eu particularmente acho triste ver uma pessoa desistindo de viver e existir no mundo sem ao menos tentar algo, vi o personagem como um ser egoísta e mimado. Mas aí entra o lado da pessoa, se ela se sente infeliz, não é egoísmo nosso querer tê-la ao nosso lado mesmo ela sendo uma pessoa triste? Onde está o limite do que é e do que não é bom? Aqui entra o julgamento de cada um e por isso não consegui entender o personagem e não consegui concordar com o que acontece com ele no final. Decepcionante para mim.

Resumindo, um filme que não tem nada demais, no dia dos namorados acho um filme bem complicado para levar o namorado, pois saímos de lá com altos papos cabeça. E vocês já leram/assistiram, o que acharam?

Sinopse do AdoroCinema

Os últimos cinco filmes que assisti #4

Opinião dos últimos cinco filmes que assisti, rápidinhas, curtas e diretas. Hoje temos “Joy”, “Fat, Sick and Nearly Dead”, “As Sufragistas”, “Spotlight” e “A Escolha Perfeita 2”.

ultimos_vistos_4

Joy: O Nome do Sucesso (2016)

[rating:4/5]Criativa desde a infância, Joy Mangano (Jennifer Lawrence) entrou na vida adulta conciliando a jornada de mãe solteira com a de inventora e tanto fez que tornou-se uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos.

Este filme é a prova de que não é porque as pessoas são parte da sua família que elas fazem bem pra você. Incrível ver como a personagem passa por todo tipo de problema na vida e mesmo desacreditada por todos aqueles que eram importantes pra ela, ela consegue chegar onde ela quer. Um filme pra inspirar e dar força quando você se sentir pra baixo.

Fat, Sick and Nearly Dead (2010)

[rating:4/5]Já ouviu falar em “Juice Fast”? Pois então acompanhe a jornada de Joe Cross, um obeso, dependente de uma infinidade de “remédios”, que decide mudar radicalmente sua alimentação durante 60 dias. Baseada somente em sucos verdes, a dieta, além de altamente nutritiva, faz com que se perca peso rapidamente ao mesmo tempo que problemas como pressão alta, colesterol, diabetes e outras doenças relacionadas ao estilo de vida “fast-food” desapareçam sem ajuda de medicamentos.

Eu adoro um documentário que fala de comida, então este começou bem. Acho importante que o cara afirma em vários momentos que a dieta dele só é possível com acompanhamento médico, porque é uma dieta bem maluca mesmo. É bom ver a reação das pessoas dos EUA e como elas consomem comida. A parte mais chocante pra mim é quando um cara que está num restaurante pergunta pro homem que grava o documentário: “vamos dizer que fazendo isso você ganhe uns 5 anos a mais de vida, o que você pretende fazer com eles?”, do tipo, “por 5 anos eu prefiro comer minhas porcarias”. Terrível.

As Sufragistas (2015)

[rating:5/5]No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não possuem o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts (Carey Mulligan), sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. Ela enfrenta grande pressão da polícia e dos familiares para voltar ao lar e se sujeitar à opressão masculina, mas decide que o combate pela igualdade de direitos merece alguns sacrifícios.

Que filme. Toda pessoa que quer entender mais o feminismo tem que assistir este filme e ver o que as mulheres enfrentaram no passado para conseguir um direito simples como o de votar. Está claro que muitas coisas ainda acontecem hoje em dia, mas ver a força que elas tem como um grupo e como sofreram foi algo importante pra mim, como mulher. Indicadíssimo.

ultimos_vistos_4_2

Spotlight – Segredos Revelados (2016)

[rating:5/5]Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região, ao invés de puni-los pelo caso.

Quando você para pra pensar que grande parte desta história é verdade, você desacredita nas pessoas. Porém um ponto importante dá pra se entender no filme: as pessoas são pessoas. Erram, cometem seus “pecados” e não adianta santificá-las pelo fato de estarem dentro de uma instituição religiosa, elas podem sim cair. Muito bom o roteiro e pra mim um Oscar merecido.

A Escolha Perfeita 2 (2015)

[rating:2/5]Após conquistarem o sucesso, as Barden Bellas ganham a oportunidade de se apresentar para ninguém menos que o presidente dos Estados Unidos. Só que o show é um grande fiasco, o que as torna uma vergonha nacional. Diante do ocorrido, as Bellas são proibidas de participar de competições no meio acadêmico e até mesmo de aceitar novas integrantes. A única saída de Beca (Anna Kendrick), Fat Amy (Rebel Wilson) & cia é vencer o campeonato mundial a capela, o que apagaria as punições aplicadas ao grupo. Mas há um problema: nunca uma equipe americana venceu o torneio.

As pessoas deveriam saber a hora de parar. Este é meu recado pra este filme que é forçado ao extremo, não que o primeiro não seja, mas pelo menos ainda diverte, porém este segundo consegue desanimar do começo ao fim. A história é fraca, as piadas forçadas demais e nem as músicas conseguiram empolgar.

Sinopses do Adoro Cinema e Doc Verdade.

%d blogueiros gostam disto: