texto_boicotarPhoebe Dill

Muita gente lê livros de auto-ajuda. Tem aqueles que vem com depoimentos e situações da vida do autor, que fazem você encontrar um gancho com a sua vida e conseguem te fazer refletir. Outros, meus preferidos, trazem dados, estatísticas e estudos feitos em universidades renomadas, mostrando como mudar um hábito, como melhorar sua auto-estima, e por aí vai.

Apesar de livros assim sofrerem preconceito por parte de muita gente, eles servem como doses homeopáticas de ânimo pra muita gente, eu mesma já usei alguns como balde de água pra acordar, mas por mais que eu leia alguns, pareço sempre voltar na estaca zero.

Sinto que boicoto todos os meus sonhos, que se tivesse um professor como em Whiplash eu abandonaria tudo e nunca mais sairia da cama. Todos os dias sinto uma vontade enorme de me estapear e falar “só faz isso caraleo”, mas parece que a parte que me leva pra baixo sempre ganha. Minha ansiedade em querer ver tudo bem logo, faz que eu veja tudo mal e assim vou vivendo, em momentos de empolgação total e desânimo profundo.

Sei que a vida é feita de altos e baixos, mas eu simplesmente não consigo me controlar e sinto que fico nos baixos, o que faz mal pra mim de uma maneira geral e me atrapalha como pessoa e profissional, principalmente sendo uma freelancer e empreendedora que tem que lidar com tudo sozinha.

É fácil demais olhar o cenário e falar que você tem que ser positiva, tentar, ter disciplina, mas ninguém sabe o que é ter que treinar sua própria mente pra parar de te atrapalhar. Esta é a minha maior batalha, que eu começo a jogar desde a hora que acordo, até a hora que durmo e até hoje nenhum livro, frase ou pessoa conseguiu me ajudar, apenas fico com a frase na minha cabeça: “Motivação é como banho, recomenda-se uma dose todos os dias”.

Você também pode gostar desses

10 Comments on Vida Real: A arte de se boicotar

  1. Nossa, que post excelente, Chell.

    Pior q estou numa fase estilo isso… mas uma coisa que percebi é: a gente tende a só lembrar das fases de desânimo. Parece que elas grudam muito mais na memória do que nossas fases de empolgação. Eu fui fazer um exercício mental de lembrar a última vez que tinha feito uma coisa que me deixou mega feliz, ou um caminho que percorri que me deixou 100% satisfeita… e nossa, muito mais fácil lembrar dos momentos tensos, de stress, ou de puro fundo do poço. haha Ou que a gente julgue ser aquele momento ne… pq muitas vezes na ansiedade a gente piora tudo e vê tudo pior do que é.

    Sua frase no final é excelente. E realmente não tem fórmula mágica, livro, pessoa ou ngm que possa resolver algo que depende só de nós… :/ O máximo que a gente pode fazer é estender a mão pra pedir ajuda e companhia nessas horas, mas o esforço final vai ser nosso. 🙂

    Vamos que vamos ^^

    • Sua lindinha =D
      Ainda bem que a bad bate e vai embora kkkk
      Mas eu continuo sempre achando que minhas coisas são uma merda total. Um dia passa isso rs

  2. Lembro que escutei essa frase “Motivação é como banho, recomenda-se uma dose todos os dias”. em uma palestra que eu fui há alguns anos atrás. E é algo que nunca saiu da minha cabeça.

    Há dias que realmente não temos vontade de fazer nada e ficamos nos questionando sobre.. O QUE ESTOU FAZENDO AQUI?

    Não se sinta assim..
    Olha pra trás e ve tudo que vc ja conquistou até agora <3

    • Ai, nos dias de bad nada anima, nem o que a gente já fez. Mesmo pq no dia da bad a gente só fez merda hahahaha
      Mas ela passa e a gente continua =D

  3. Por que será que temos mania de aprontar essas palhaçadas consigo mesmos? (ficou bizarra essa frase). Tem dias que tu está com a faca e o queijo na mão, mas a faca parece sem fio e o queijo embolorado e a gente fica lá, inerte. Simplesmente não conseguimos fazer nada e ficar parado dá mais raiva ainda.
    “Só que se a gente não fizer, ninguém faz”. Esse é o mantra que eu mantenho na cabeça quando essas marés de desânimo me abatem. Costuma funcionar 😉

  4. Nossa Chell, acho que todo mundo passa por umas fases assim, meio bizarras. Eu não funciono muito com essa literatura “pra cima”, tenho uma tendência a achar tudo uma palhaçada sem fim, o que sempre contribui para piorar a situação, claro. Tem que repetir mesmo esse mantra e tentar permanecer motivada todos os dias. Exercício diário mesmo. Um beijo :*

  5. É normal né, mesmo os “bem resolvidos” (se é que isso existe) tem suas fases ruins. Eu só consigo me deixar pra cima se eu mesmo tiver buscando isso.
    Tive uma fase em que saia cada vez menos de casa, salvo ir trabalhar. Quando percebi eu não saia mais pra nada! Não dava vontade nem de ir ali no lado tomar um chopp com a amiga. Uma amiga tava numa vibe parecida, e a gente acabou se puxando: vamos no evento sim! tem que sair de casa, fazer algo.
    Mas isso vem e volta. Sempre preciso ter algum objetivo em mente, pra fazer as coisas. Foco! Hahaha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *